Treinamento TéCnico TáTico

12,689 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
12,689
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
29
Actions
Shares
0
Downloads
357
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Treinamento TéCnico TáTico

  1. 1. Curso Nacional de Treinadores de Nível III (3º Grau) TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NO ANDEBOL ______________________________________________________________________ Pedro Azevedo
  2. 2. O JOGO COMO UM PONTO DE PARTIDA TÁCTICA TÉCNICA COMPONENTES DO JOGO REGRAS •DE CARÁCTER •DE CARÁCTER •DE CARÁCTER QUANTITATIVO QUALITATIVO QUANTITATIVO BÁSICO (CONDICIONAM A ACESSÓRIO (3 SEG., DIMENSÕES DO CAMPO, Nº MANIPULAÇÃO DA BOLA E VIOLAÇÕES DE JOGADORES, FORMAS OS CONTACTOAS ENTRE EXCLUSÕES) DE OBTENÇÃO DE ADVERSÁRIOS) PONTOS, EQUIPAMENTO, ETC.
  3. 3. CARACTERÍSTICA DO ANDEBOL •JOGO COLECTIVO; •JOGO DE COOPERAÇÃO /OPOSIÇÃO; •JOGO DE “DISTÂNCIA REDUZIDA COM CONTACTO AUTORIZADO” (Parlebas, 1988); •JOGO DE CARÁCTER SITUACIONAL; •JOGO DE RELATIVA COMPLEXIDADE DAS CONDUTAS MOTORAS O ANDEBOL É O JOGO DE ESTRUTURA DE RENDIMENTO COMPLEXA, ONDE AS CONDUTAS DE DECISÃO MUITAS VEZES PREDOMINAM SOBRE AS CONDUTAS DE EXECUÇÃO
  4. 4. TÁCTICOS TÁCTICOS TÉCNICOS TÉCNICOS FÍSICOS FÍSICOS FACTORES DO FACTORES DO RENDIMENTO RENDIMENTO DESPORTIVO DESPORTIVO PSICOLÓGICOS PSICOLÓGICOS COMPLEMENTARES COMPLEMENTARES
  5. 5. RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DO JOGO RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DO JOGO TÁCTICA TÁCTICA TÉCNICA TÉCNICA O QUÊ? QUANDO? PORQUÊ? O QUÊ? QUANDO? PORQUÊ? COMO? COMO? RESOLUÇÃO MENTAL RESOLUÇÃO MENTAL REALIZAÇÃO MOTORA REALIZAÇÃO MOTORA NOS JDC A TÉCNICA EXPRESSA UM CARÁCTER RELACIONAL E ADAPTATIVO, SENDO CONSIDERADA COMO UM MEIO DA TÁCTICA (Tavares, 1993)
  6. 6. MÉTODOS DE ENSINO DOS JDC MÉTODOS DE ENSINO DOS JDC MÉTODO ANALÍTICO MÉTODO ANALÍTICO MÉTODO GLOBAL MÉTODO GLOBAL (POR CAPACIDADES) (POR CAPACIDADES) (COMPETITIVO) (COMPETITIVO) PERSPECTIVA PERSPECTIVA PERSPECTIVA GLOBALISTA PERSPECTIVA GLOBALISTA ASSOCIACIONISTA ASSOCIACIONISTA MÉTODO INTEGRADO MÉTODO INTEGRADO PERSPECTIVA ESTRUTURALISTA PERSPECTIVA ESTRUTURALISTA
  7. 7. MÉTODO ANALÍTICO MÉTODO ANALÍTICO •aprendizagem isolada do gesto técnico em condições facilitadas; •focalização da atenção na execução biomecânicamente correcta; •aumento progressivo das condições de execução do gesto. VANTAGENS VANTAGENS DESVANTAGENS DESVANTAGENS •mais rápida aquisição do •domínio rígido do gesto gesto correcto; •melhorias separadas do •mais fácil a organização contexto, difícil transfer da sessão de treino e dos para o jogo; praticantes no treino; •conhecimentos •mais fácil o controlo de reduzidos acerca do jogo; aprendizagem. •monotonia.
  8. 8. MÉTODO GLOBAL MÉTODO GLOBAL •aprendizagem dos elementos num ambiente táctico •dar preferência à compreensão táctica do jogo; •os gestos técnicos a aprender surgem das situações tácticas que solicitam a sua utilização. VANTAGENS VANTAGENS DESVANTAGENS DESVANTAGENS •especificidade; •dificulta o controlo de •formação do conhecimento aprendizagem; sobre o jogo que permite atingir o êxito mais •aquisição do gesto correcto depressa (eficiência); mais lenta; •desenvolvimento do pensamento táctico •complexidade na determinação das cargas;. •condições mais diversificadas e motivadoras do treino.
  9. 9. MÉTODO INTEGRAL MÉTODO INTEGRAL (PERSPECTIVA ESTRUTURALISTA) (PERSPECTIVA ESTRUTURALISTA) • tenta reproduzir um sistema de relações que se estabelecem entre diversos elementos em várias situações de jogo; •as situações de treino modelam as estruturas parciais das situações competitivas, que pretendem ser treinadas; •define os comportamentos dos praticantes em função do desenvolvimento da situação. VANTAGENS VANTAGENS Permite evitar desvantagens de outros métodos de treino
  10. 10. EXERCÍCIO COMO O MEIO PRINCIPAL DO TREINO EXERCÍCIO COMO O MEIO PRINCIPAL DO TREINO COMPONENTES DE EXERCÍCIO QUE PERMITEM COMPONENTES DE EXERCÍCIO QUE PERMITEM VARIAR A SUA COMPLEXIDADE VARIAR A SUA COMPLEXIDADE TAREFAS FECHADAS TAREFAS FECHADAS TAREFAS ABERTAS TAREFAS ABERTAS •CORPO ESTÁTICO DINÂMICO •Nº DE ESTIMULOS •BOLA CONTROLADA (COLEGAS, ADVERSÁRIOS, BOLAS); A CONTROLAR •DIMENSÃO ESPACIAL; •VELOCIDADE; •TEMPO DISPONÍVEL; •PRECISÃO; •DISTÂNCIA •NÍVEL DE OPOSIÇÃO •TRAJECTÓRIA; •ESFORÇO FÍSICO (NÍVEL DA FADIGA). •SEQUÊNCIA DE MOVIMENTOS.
  11. 11. SITUAÇÕES PEDAGÓGICAS A UTILIZAR NO TREINO SITUAÇÕES PEDAGÓGICAS A UTILIZAR NO TREINO TÉCNICO-TÁCTICO /Teoria Escalada do Roth/ TÉCNICO-TÁCTICO /Teoria Escalada do Roth/ (Garcia et al., 2000) (Garcia et al., 2000) 1 contra 0+(1) 1 contra 0+(1) 1X1 1X1 1X1+(1) 1X1+1+(1) 1X1+(1) 1X1+1+(1) 1X2+(1) 1X2+(1) 2 contra 0+(1) 2 contra 0+(1) 2X1 2X1 2X1+(1) 2X1+(1) 2X2+(1) 2X2+(1) 2X3+(1) 2X3+(1) 3 contra 0+(1) 3 contra 0+(1) 3X2 3X2 3X2+(1) 3X2+(1) 3X3+(1) 3X3+(1) 3X4+(1) 3X4+(1) 4 contra 0+(1) 4 contra 0+(1) 4X3 4X3 4X3+(1) 4X3+(1) 4X4+(1) 4X4+(1) 4X5+(1) 4X5+(1) 5 contra 0+(1) 5 contra 0+(1) 5X4 5X4 5X4+(1) 5X4+(1) 5X5+(1) 5X5+(1) 5X6+(1) 5X6+(1) 6 contra 0+(1) 6 contra 0+(1) 6X5 6X5 6X5+(1) 6X5+(1) 6X6+(1) 6X6+(1) 6X7+(1) 6X7+(1)
  12. 12. FASES DO DOMÍNIO DO JOGO (Adaptado de Garganta, 1985) JOGO ELABORADO (EU EM FUNÇÃO DOS OUTROS E OUTROS EM FUNÇÃO DE MIM) JOGO ESTRUTURADO (EU COM OS OUTROS) JOGO DESCENTRADO (EU , A BOLA E OS OUTROS) JOGO ANÁRQUICO (EU E A BOLA)
  13. 13. ETAPAS DE FORMAÇÃO DE JOGADORES ALTO RENDIMENTO SENIORES ≥20 ANOS APERFEIÇOAMENTO DESPORTIVO JUNIORES 17-19 ANOS APROFUNDAMENTO DA ESPECIALIZAÇÃO JUVENIS 15-16 ANOS INÍCIO DA ESPECIALIZAÇÃO INICIADOS 13 -14 ANOS PREPARAÇÃO INICIAL BAMBIS 8-10 ANOS INFANTIS 11 -12 ANOS
  14. 14. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO A ORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE TREINO TÉCNICO- TÁCTICO EXIGE RESPOSTA A TRÊS QUESTÕES PRINCIPAIS QUE RESULTADOS TREINAR O QUÊ? TREINAR COMO? PRETENDO OBTER? MEIOS A O QUE OS CONTEÚDOS UTILIZAR PRATICANTES DE TREINO (JOGOS E DEVEM EXERCÍCIOS) DOMINAR
  15. 15. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE PREPARAÇÃO INICIAL OBJECTIVOS - despertar o interesse para a modalidade, formar amplo repertório de experiências motrizes, formar os fundamentos da técnica e táctica individual: •domínio dos elementos técnicos básicos (sem estabilização do gesto; •aprendizagem dos meios tácticos individuais.
  16. 16. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE PREPARAÇÃO INICIAL CONTEÚDOS DE TREINO TÁCTICA TÉCNICA AMPLO REPERTÓRIO DE ATAQUE EXPERIÊNCIAS MOTRIZES •dispersão (ocupação •manejo da bola racional do espaço) •progressão no terreno •passe de ombro •conservação da bola •recepção com as duas •desmarcação mãos DEFESA •remate em apoio e em salto marcação individual •drible impedimento da progressão do adversário UTILIZAÇÃO PREPONDERANTE DO MÉTODO GLOBAL E INTEGRAL
  17. 17. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE PREPARAÇÃO INICIAL MEIOS DE TREINO EXERCÍCIOS JOGO •com variação de todos •reduzido (nº de jogadores, componentes de exercício: campo, balizas, bola); (bolas, posições iniciais, tipos, trajectórias e •condicionado: velocidade de deslocamento; - drible (impedimento); •com oposição (2x1, 3x2, 1x1); - tipo ou nº de passes; •com contacto físico; - zonas por onde deve passar a bola; com utilização de ambas as mãos; - nº de passos para dar com a bola; dar preferência às formas lúdicas. - mão a utilizar para o passe ou remate; •formal.
  18. 18. FASES DE APRENDIZAGEM DA TÉCNICA FASES DE APRENDIZAGEM DA TÉCNICA COMPREENSÃO GERAL COORDENAÇÃO GROSSEIRA HABILIDADE MOTORA GESTOS IMPRECISOS INSTABILIDADE CONTROLO PERMANENTE E CONSCIENTE DAS APERFEIÇOAMENTO ACÇÕES COORDENAÇÃO FINA ESTABILIDADE GESTUAL HÁBITO MOTOR ESTABILIDADE DOMÍNIO DOS MOVIMENTOS REALIZAÇÃO AUTOMÁTICA APLICAÇÃO CONSCIENTE
  19. 19. ESTRUTURA DA ACÇÃO TÁCTICA (COMPORTAMENTO TÁCTICO) 1. PERCEPÇÃO E ANÁLISE DA SITUAÇÃO COMPETITIVA (RECEPÇÃO DA INFORMAÇÃO E RECONHECIMENTO DA SITUAÇÃO) 2. SOLUÇÃO MENTAL DA SITUAÇÃO COMPETITIVA (PROCESSO INTELECTUAL DE TOMADA DE DECISÃO) 3. SOLUÇÃO MOTORA DA SITUAÇÃO COMPETITIVA (REALIZAÇÃO DO ACTO MOTOR)
  20. 20. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE PREPARAÇÃO INICIAL ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS •adaptar o jogo ao “tamanho”do praticante (bola, campo, baliza, número de jogadores, regras); •o método de demonstração deve predominar sobre o método de explicação; •dar instruções claras e curtas; •no treino técnico utilização preponderante do método global (execução do gesto no contexto do jogo ou num ambiente táctico); •não limitar a velocidade de execução de gestos; •não modificar o ritmo e a amplitude de execução;
  21. 21. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE PREPARAÇÃO INICIAL ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS •corrigir a técnica de execução do gesto através de modificação das condições da sua execução; •alteração frequente dos exercícios numa sessão de treino; •realizar o maior número possível de repetições; •evitar a repetição inconsciente e mecânica; •evitar o jogo posicional; •não tentar obter resultados imediatos; “Não ensine muito, espere que eles aprendam o bastante...” H.Barreto; • feedback positivo
  22. 22. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE INÍCIO DA ESPECIALIZAÇÃO OBJECTIVO - aperfeiçoamento dos elementos técnicos básicos, aumento do volume da técnica individual, aperfeiçoamento das acções tácticas individuais e de grupo, desenvolvimento do pensamento táctico (formação da capacidade de tomar decisão em situações de jogo).
  23. 23. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE INÍCIO DE ESPECIALIZAÇÃO CONTEÚDOS DE TREINO TÁCTICA ATAQUE DEFESA •enquadramento ofensivo posição base; •utilização adequada do passe intercepção; e drible; •desmarcação, explorando bloco; trajectórias diversificadas; desarme; •reconhecimento e exploração das situações de 1x1; marcação (variar a distância em função da posição da •ataque ao espaço; bola e da baliza; •penetrações sucessivas; ajuda mútua; •troca de lugar; deslizamento; •cruzamento; recuperação defensiva; •iniciação ao bloqueio; reequilíbrio defensivo. • fases do jogo (contra-ataque directo)
  24. 24. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE INÍCIO DE ESPECIALIZAÇÃO CONTEÚDOS DE TREINO TÉCNICA •passe e recepção em movimento •drible sem controlo visual da bola •vários tipos de passe (picado, por detrás das costas,de pulso etc..); •finta (domínio de vários tipos de finta); •remate (de ombro em apoio e em salto, em queda, na passada, em basculação, de anca, em salto com abertura de ângulo, variando o pé de apoio ou de impulsão);
  25. 25. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE INÍCIO DE ESPECIALIZAÇÃO MEIOS DE TREINO EXERCÍCIOS JOGO • idênticos a etapa anterior •formal (organizado) • com variação das •reduzido; condições de execução dos gestos técnicos (velocidade, •condicionado: trajectórias, oposição) - dificultação progressiva das - condicionamentos condições de execução; idênticos à etapa anterior •situações 2x2 (táctica - condicionar tipos de passe; grupal); - exigir qualidade de passe, •situações de contra-ataque recepção, remate; -atribuição de golo duplo se a finalização resultar de acção táctica pré-combinada UTILIZAÇÃO DO MÉTODO ANALÍTICO, INTEGRAL E GLOBAL
  26. 26. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE INÍCIO DA ESPECIALIZAÇÃO ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS •repetição numerosa dos elementos técnicos no treino; •variação das condições de execução do gesto técnico (velocidade, fadiga, oposição); •utilização alternada do método global, integral e analítico com predominância do primeiro e segundo; •utilização do jogo formal e condicionado (os condicionamentos do jogo devem ser orientados para correcta execução dos elementos técnico-tácticos); •circulação dos jogadores por vários postos específicos.
  27. 27. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO- TÁCTICO NA ETAPA DE APROFUNDAMENTO DA ESPECIALIZAÇÃO OBJECTIVO - formação da capacidade de execução variável dos elementos técnicos no jogo; especialização por postos específicos; domínio da táctica individual e grupal ofensiva e defensiva; domínio dos sistemas ofensivos e defensivos.
  28. 28. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE APROFUNDAMENTO DE ESPECIALIZAÇÃO CONTEÚDOS DE TREINO TÁCTICA ATAQUE DEFESA •condições mais variadas de •sistemas de jogo (individual, execução de gestos técnicos 6:0, 5:1, 3:2:1; 5+1); •sistemas de jogo (3:3; 2:4; •meios tácticos individuais individual); (enquadramento, marcação, •todos os meios tácticos desarme, intercepção, individuais, grupais e de bloco,contra-bloqueio, fintas equipa a partir do posto defensivas); específico escolhido; •meios tácticos grupais •fases do jogo (contra-ataque (ajuda mútua, troca de directo e apoiado,ataque adversário, deslizamento); rápido, ataque posicional); •treino de situações •defesa em superioridade e especiais (livre de 9m, inferioridade numérica; superioridade ou •recuperação defensiva inferioridade numérica)
  29. 29. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE APROFUNDAMENTO DE ESPECIALIZAÇÃO CONTEÚDOS DE TREINO TÉCNICA •especificação do treino técnico por posto específico ( ou dois postos específicos); •execução de um leque alargado de gestos técnicos em diversas situações de treino;
  30. 30. TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE APROFUNDAMENTO DA ESPECIALIZAÇÃO MEIOS DE TREINO EXERCÍCIOS JOGO • idênticos à etapa •formal; anterior; •reduzido; •trabalho especializado •condicionado: por posto específico; •dirigido •trabalho em grupo (ponta - lateral - pivot; lateral - •pré-combinado. central - pivot, etc.); •trabalho em equipa (combinações tácticas). UTILIZAÇÃO ALTERNADA DO MÉTODO ANALÍTICO, INTEGRAL E GLOBAL
  31. 31. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO- TÁCTICO NA ETAPA DE APROFUNDAMENTO DA ESPECIALIZAÇÃO ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS •execução de elementos técnico-tácticos em vários contextos (defesa individual, zonal, mista); •variação das condições de execução do gesto técnico (velocidade, fadiga, oposição); dificultação das condições de execução dos elementos técnicos (sob fadiga, em inferioridade numérica, etc..); •trabalho específico por posições (ponta-lateral- central, ponta-lateral-pivot); •utilização alternada de vários sistemas ofensivos e defensivos nos jogos de treino (com predominância dos sistemas zonais).
  32. 32. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO-TÁCTICO NA ETAPA DE APERFEIÇOAMENTO DESPORTIVO OBJECTIVO -aperfeiçoamento da preparação técnico- táctica em termos de variabilidade e estabilidade, especialização dos jogadores por posto específico.
  33. 33. PARTICULARIDADES DO TREINO TÉCNICO- TÁCTICO NA ETAPA DE APERFEIÇOAMENTO DESPORTIVO ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS •variar a velocidade de execução das acções técnico- tácticas (treinar capacidade de controlar e diferenciar a velocidade de execução); •execução de exercícios técnico-tácticos com aplicação de cargas adicionais; •utilização de exercícios de grande complexidade técnico- táctica •proporcionar muita prática competitiva.

×