Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Nucleo, ribossomos, matriz celular

1,495 views

Published on

Agronomia

Published in: Food
  • Be the first to comment

Nucleo, ribossomos, matriz celular

  1. 1. Núcleo; Ribossomos e síntese proteica; Retículo Endoplasmático; Complexo de Golgi Jadson Moura
  2. 2. Núcleo
  3. 3. O núcleo é a estrutura celular que coordena todas as atividades químicas da célula. O núcleo
  4. 4. O conjunto de características, que identifica a célula ou o indivíduo, depende do controle interno exercido pelo seu material genético, constituído por moléculas de ácido nucléico, mais particularmente do ácido desoxirribonucléico ou DNA. É esta substância, presente apenas nos seres vivos e produzida em cada uma das células, que determina as semelhanças e as diferenças entre os seres vivos que habitam com exclusividade o nosso planeta Terra.
  5. 5. O envoltório nuclear, ou carioteca, é composto de duas membranas, apresentando poros, cujo diâmetro mede entre 50 nm e 80 nm. Através dos poros são realizadas trocas entre o núcleo e o citoplasma.
  6. 6. No interior do núcleo encontramos o nucleoplasma, a cromatina e o nucléolo. O espaço nuclear é preenchido pelo nucleoplasma ou cariolinfa, um gel protéico claro composto por água, DNA e proteínas, entre as quais aparecem as histonas.
  7. 7. A cromatina pode ser encontrada dispersa ou condensada no núcleo
  8. 8. O nucléolo é um corpúsculo denso, com 1 a 3 micrômetros de diâmetro, que aparece imerso no citoplasma, formado por acúmulo de grãos constituídos por um tipo especial de RNA, o RNA ribossômico, associado a proteínas. O nucléolo é a estrutura celular responsável pela formação de uma importante estrutura presente no citoplasma, o ribossomo.
  9. 9. Uma célula pode conter de um a vários nucléolos. Tal como a membrana nuclear, o nucléolo desaparece logo no início da divisão celular, reaparecendo no final, durante a telófase.
  10. 10. Os cromossomos representam os filamentos de cromatina condensados. As células têm a propriedade de se dividir por um processo bastante preciso e complexo, produzindo outras idênticas à célula mãe. Isso nada mais é do que uma forma de reprodução. Em 1876, Balbiani observou estruturas semelhantes a bastões no núcleo das células em processo de divisão.
  11. 11. Sabe-se, hoje, que os tais bastões, batizados de cromossomos, correspondem à cromatina extremamente condensada. Se pudéssemos alinhar todo DNA contido em um espermatozóide humano, o comprimento chegaria bem próximo a 1 metro. Guardados os devidos limites, pode-se imaginar que essa compactação equivale a concentrar 100 metros de linha em um carretel de 3 cm.
  12. 12. Metacêntrico – apresenta braços do mesmo tamanho, pois seu centrômero está localizado na região mediana. Submetacêntrico - possui braços de tamanhos diferentes, pois o centrômero localiza-se um pouco acima da região mediana.
  13. 13. Acrocêntrico – apresenta um dos braços bem menor que o outro, devido ao centrômero estar localizado bem próximo a um dos pólos. Telocêntrico – possui apenas um braço, pois seu centrômero, encontra-se localizado na extremidade do filamento
  14. 14. Nos seres humanos, que possuem 23 pares de cromossomos, os organizadores nucleolares aparecem nos cromossomos 13, 14, 15, 21 e 22. Ainda nos seres humanos, o sexo é determinado pelo 23º par. Este par, chamado de par sexual ou heterocromossomo, é constituído de dois cromossomos diferentes, X e Y. O cromossomo X ocorre em dose dupla nos indivíduos de sexo feminino.
  15. 15. Um deles aparece inativado, sob a forma de um corpúsculo de Barr. Já nos homens, nunca ocorre a cromatina sexual,pois existe apenas um cromossomo X; o outro cromossomo do par sexual responsável pela determinação do sexo é o Y, que ocorre apenas nos indivíduos do sexo masculino. Podemos dizer , então, do ponto de vista genético, o sexo masculino é XY e o feminino XX.
  16. 16. O número de cromossomos não tem relação direta com a posição da espécie no esquema de classificação filogenético. Por exemplo: Espécie Número de Cromossomos Humana 46 Milho 20 Ervilha 14 Drosophila 8 Dália 64 Tatu 64 Cavalo 64
  17. 17. A presença de um envoltório delimitando uma região chamada núcleo caracteriza uma classe de células denominadas eucariontas ( eu = verdadeiro; cario = núcleo e onte = ser). Portanto, os seres possuem células com núcleo são chamados de seres eucariontes.
  18. 18. Existem células que não possuem o envoltório celular, são as procariontas (pro = antes) e os seres que não possuem núcleo celular são chamados de procariontes. É o caso das bactérias e das algas azuis.
  19. 19. Os ácidos nucléicos são as maiores moléculas orgânicas do organismo. Os organismos apresentam dois tipos de ácidos nucléicos: o DNA, ácido desoxirribonucléico, e o RNA, ácido ribonucléico.
  20. 20. * Duplicação do DNA: o DNA é capaz de reproduzir cópias exatas de suas moléculas num processo chamado autoduplicação ou replicação. Esta característica do DNA é fundamental para os seres vivos, pois desencadeia o processo de divisão celular, garantindo o desenvolvimento dos organismos e a continuação da vida ao transferir as informações biológicas de pai para o filho. A autoduplicação permite que uma célula, ao se dividir, origine células que apresentam as mesmas instruções biológicas da célula-mãe.
  21. 21. Vejamos como ocorre a duplicação do DNA: As fitas do DNA encontram-se ligadas pelas pontes de hidrogênio, essas ligações são cortadas pela atuação de uma enzima chamada polimerase. Após a separação das cadeia de nucleotídeos, ocorre o encaixe de nucleotídeos livres, já existentes na célula, em uma das fitas de DNA que se separará e servirá de molde. Forma-se, assim, duas novas moléculas de DNA. Como cada molécula teve como molde uma fita conservada da molécula, o processo de duplicação do DNA é semiconservativo
  22. 22. DNA Duplicaç ão DNA DNA
  23. 23. Tipos de RNA:
  24. 24. RNA - Mensageiro: o RNAm é produzido diretamente do DNA durante a transcrição. Esse tipo de RNA cotem todas as instruções codificadas para a síntese de proteína, determinando a seqüência de aminoácidos para a proteína formada. Ao chegar ao citoplasma o RNAm une-se aos ribossomos, onde será interpretado, e começa a síntese protéica.
  25. 25. RNA - Transportador: ao chegar ao citoplasma, o RNAt, une-se aos aminoácidos a fim de transportá-los até o RNAm, para participar da síntese de proteínas.
  26. 26. RIBOSSOMOS • 20-30 nm de diâmetro • observados em microscopia eletrônica • E. coli 20.000 ribossomos (25% peso seco) • céls. mamíferos em proliferação: 10 milhões ribossomos
  27. 27. ____________________________________________________Ribossomos • constituídos por moléculas de RNAr e proteínas • formado por duas subunidades: maior e menor • subunidade menor se liga ao RNAm e ao RNAt durante a síntese de proteínas • a subunidade maior catalisa a ligação peptídica entre os aminoácidos durante a síntese de proteínas Composição e estrutura
  28. 28. RNA - Ribossômico: o RNAr é produzido nos cromossomos, armazenados nos nucléolos, para só depois migrar para o citoplasma, onde formará os ribossomos para a síntese protéica.
  29. 29. Cada segmento de DNA que coordena a síntese de cada uma das diferentes moléculas de RNA-m, responsáveis pela montagem de cada uma das milhares moléculas de proteínas diferentes sintetizadas pela célula, recebe o nome de gene.
  30. 30. Reticulo Endoplasmático
  31. 31. • O retículo endoplasmático é uma organela exclusiva de células eucariontes. • Formado a partir da invaginação da membrana plasmática, é constituído por uma rede de túbulos e vesículas achatadas e interconectadas, que comunicam-se com o envoltório nuclear (carioteca). • O retículo endoplasmático está envolvido na síntese de proteínas e lipídios, na desintoxicação celular e no transporte intracelular. • Existem dois tipos de retículos, classificados de acordo com a presença ou ausência de ribossomos em sua superfície: rugoso ou liso, respectivamente.
  32. 32. Retículo endoplasmático rugoso  também chamado retículo endoplasmático granuloso ou ergastoplasma.  síntese de proteínas, que serão enviadas para o exterior das células. (pâncreas)  Função secretora.
  33. 33. Retículo endoplasmático liso  O retículo endoplasmático liso (REL), também chamado retículo endoplasmático agranular, é formado por sistemas de túbulos cilíndricos e sem ribossomos aderidos à membrana.  Participa principalmente da síntese de esteróides, fosfolipídeos e outros lipídeos.  desintoxicação do organismo, atuando na degradação do etanol ingerido em bebidas alcoólicas, assim como a degradação de medicamentos ingeridos pelo organismo como antibióticos e barbitúricos(substâncias anestésicas).  Esse tipo de retículo é abundante principalmente em células do fígado, das gônadas e pâncreas.
  34. 34. Complexo de Golgi
  35. 35. Ocorrência e localização • Na maioria das células eucarióticas (exceção: hemáceas e espermatozóides) • Próximo ao núcleo • Dispersos no citoplasma Célula Animal Célula Vegetal
  36. 36. Localização do Complexo de Golgi Microscopia de Contraste de Fase Entre RE e a membrana plasmáticaPróximo ao núcleo
  37. 37. 3. Métodos de Estudo a) Microscopia eletrônica de transmissão Face cis: cromofílica Face trans: cromofóbica
  38. 38. Aspectos funcionais a) Processamento de proteínas e lipídeos (glicosilação, sulfatação, fosforilação) b) Síntese de polissacarídeos c) Transporte, seleção e endereçamento de substâncias secretadas da célula d) Formação do acrossomo e) Formação de membranas celulares
  39. 39. Exemplo de secreção regulada: insulina Pró-hormônio  condensação e acidificação  clivagem da pró-insulina em insulina (hormônio ativo)

×