Plano de emergência completo

35,023 views

Published on

tecnology

Published in: Technology

Plano de emergência completo

  1. 1. Matriz Gráfica Ltda. Plano de Emergência SENAI Ivan Onorato Quaresma 5/8/2014
  2. 2. CTAS-SOLDA SENAI ALUNO: IVAN ONORATO QUARESMA PROFESSORA: LEILA TURMA:170 TURNO: TARDE Plano de emergência Matriz – PLANO DE EMERGÊNCIA ÍNDICE. 1 - Identificação da Empresa 2 – Apresentação 3 – Introdução 4 – Objetivos 5 - Procedimentos de manutenção 6 - Instruções dirigidas ao pessoal combatente (brigadistas) 7-Cartilha instrutiva brigada/primeiros socorros 8-Esquema do plano de intervenção no caso de incêndio 9 - Descrição da planta 10 - Procedimentos básicos de emergência contra incêndio 11 - Instruções complementares de segurança 12 - Evacuação 13- Em caso de incêndio 14 - Em caso de terremoto 15 - Instruções particulares de segurança 16 - Conclusão 17 - Bibliografia 18 – Anexos Identificação da Empresa: EMPRESA Matriz Gráfica Ltda. C.N.P.J
  3. 3. 123456/0001-78 INSCRIÇÃO ESTADUAL 3222123456 ENDEREÇO Rua Principal n° 1 TELEFONE 123456789 CIDADE Volta Redonda ESTADO RJ ATIVIDADE PRINCIPAL Impressão de material para uso publicitário GRAU DE RISCO 03 Nº Funcionários 501 CNAE: 1811-3/02 PERCENTUAL DE CÁLCULO PARA COMPOSIÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO Obs.: A empresa Matriz Gráfica Ltda.; tem 8 horas de jornada diária subdividido em turnos; ou seja, um total de 55 brigadistas, num revezamento de 18 brigadistas por turno. Divisão | grupo | descrição | população acima 10 | Industria Gráfica | I-2 | Locais onde as atividades exercidas e os materiais
  4. 4. utilizados apresentam médio potencial de incêndio. Locais com carga de incêndio entre 300 a 1.200 MJ/m | 10x60%+(501-10) x10%6,0+491x10% =6 + 49,1 = 55, 155:3 = 1818 Brigadistas por Turno. Matriz gráfica – PLANO DE EMERGÊNCIA O presente plano visa descrever orientações e procedimentos a serem seguidos pelos funcionários e visitantes do prédio da empresa MATRIZ GRÁFICA E IMPRESSÕES LTDA quando da ocorrência de princípios de incêndio, sinistros e ameaças externas. 3 – Introdução Este trabalho pretende informar aos funcionários, sobre os procedimentos a serem adotados para a prevenção de sinistros e o combate dos mesmos em seus princípios. Acreditamos que se os colaboradores tiverem conhecimentos básicos sobre prevenção de incêndios, certamente desenvolverão comportamentos preventivos de modo a evitar as condições que levam ao fogo. Tais providências proporcionarão eventos sem surpresas desagradáveis, capazes de causarem pânico e ferimentos nos presentes. A todos os envolvidos neste trabalho caberá o aperfeiçoamento, objetivando tornar-se qualificado para o exercício de suas atividades, objetivando as oportunidades em alcançar um ambiente com o máximo de segurança. 4 – Objetivos O Plano de Emergência do estabelecimento tem por objetivo a preparação e organização dos meios existentes para garantir a salvaguarda dos seus ocupantes em caso de ocorrência de uma situação perigosa, nomeadamente de incêndio. O presente Plano de Emergência é elaborado na base dos riscos de incêndio e de pânico. 5 – Procedimentos de manutenção Uma das condições essenciais para garantir a eficácia de um Plano de Emergência é a sua correta e perfeita atualização. Para o efeito, afigura-se indispensável que sejam comunicadas previamente
  5. 5. aos responsáveis pelo Plano de Emergência (Diretoria, SESMT, Chefe de Brigada e componentes da CIPA) quaisquer alterações ao nível das condições físicas da edificação ou da organização dos meios humanos afetos à segurança; de entre as situações passíveis de exigir atualização do Plano salientam-se as seguintes >Alterações na compartimentação do edifício; > Alteração significante do contingente da população flutuante e/ou fixa; >Modificações nas vias de acesso ao edifício; >Alterações nas saídas e vias de evacuação; > Instalação de novos equipamentos técnicos; >Alterações na sinalização interna do Órgão ou Entidade; >Alteração do número ou composição da equipe afeta à segurança; >Organização do sistema de segurança. Na ocorrência de alterações o Chefe da Brigada deverá proceder à atualização do Plano de Emergência, fazendo as mudanças necessárias. Todas as alterações efetuadas ao Plano de Emergência deverão ser comunicadas aos detentores de exemplares do mesmo. Organização do Sistema Devem ser realizadas reuniões com o coordenador geral da Brigada, o(s) chefes(s) da Brigada, o chefe do(s) bombeiro(s) profissional(is) civil(is) e um representante do grupo de apoio, com registro em ata e envio às áreas competentes para as providências pertinentes. 5.1 Reunião ordinária (mensal) - Na reunião ordinária devem ser discutidos os seguintes itens: - Funções de cada pessoa dentro do plano de emergência contra incêndio; - Condições de uso dos equipamentos de combate a incêndio; - Apresentação dos problemas relacionados à prevenção de incêndios, - Encontrados nas inspeções, para que sejam feitas propostas corretivas; - Atualização de técnicas e táticas de combate a incêndios; e
  6. 6. - Outros assuntos de interesse 5.2 Reunião extraordinária - Devem ser realizadas reuniões extraordinárias nas seguintes condições: - Após um exercício simulado; - Sempre que ocorrer um sinistro; - Quando for identificada uma situação de risco iminente; - Quando ocorrer uma alteração significativa dos processos industriais ou de serviços; - Quando houver a previsão de execução de serviços que possam gerar algum risco 5.3 Exercícios simulados Devem ser realizados exercícios simulados parciais e completos no estabelecimento ou local de trabalho com a participação de toda a população, no período máximo de 03 (três) meses para simulados parciais e 06 (seis) meses para simulados completos. Imediatamente após o simulado, deve ser realizada uma reunião extraordinária para avaliação e correção das falhas ocorridas. Deve ser elaborada ata na qual conste: - Data e horário do evento; - Tempo gasto no abandono; - Tempo gasto no retorno; - Tempo gasto no atendimento de primeiros socorros; - Atuação dos profissionais envolvidos; - Comportamento da população; - Participação do Corpo de bombeiros e tempo gasto para sua chegada;
  7. 7. - Ajuda externa (PAM - Plano de Auxílio Mútuo); - Falhas de equipamentos; - Falhas operacionais; e - Demais problemas levantados na reunião 5.4 Revisão do plano - O plano de emergência contra incêndio deverá ser revisado por profissional habilitado sempre que: - Ocorrer uma alteração significativa nos processos industriais ou de serviços; - Quando for constatada a possibilidade de melhoria do plano; - Completar 12 (doze) meses de sua última revisão. Nota: nenhuma alteração significativa nos processos industriais ou de serviços poderá ser efetuada sem que o profissional habilitado que elaborou o plano de emergência contra incêndio seja consultado previamente e autorize a sua alteração por escrito. 5.5 Auditoria do plano Deve ser realizada uma auditoria interna ou externa do plano a cada 12 (doze) meses, preferencialmente antes da revisão do plano, de modo a avaliar e certificar que o plano está sendo cumprido em conformidade. Atribuições da brigada de incêndio: 5.5.1 Ações de prevenção: a) Avaliação dos riscos existentes; b) Inspeção geral dos equipamentos de combate a incêndio; c) Inspeção geral das rotas de fuga; d) Elaboração de relatório das irregularidades encontradas; e) Encaminhamento do relatório aos setores competentes; f) Orientação à população fixa e flutuante; g) Exercícios simulados.
  8. 8. 5.5.2 Ações de emergência: a) Identificação da situação; b) Alarme/abandono de área; c) Acionamento do Corpo de Bombeiros e/ou ajuda externa; d) Corte de energia; e) Primeiros socorros; f) Combate ao princípio de incêndio; g) Recepção e orientação ao Corpo de Bombeiros; h) Preenchimento do formulário de registro de trabalho dos bombeiros; i)Encaminhamento do formulário ao Corpo de Bombeiros para atualização de dados estatísticos. 6 – Instruções dirigidas ao pessoal combatente (brigadistas) Estas instruções dirigem-se especialmente aos brigadistas do estabelecimento, considerando-se que todos os seus elementos delas terão conhecimento e colaborarão na sua aplicação. * Brigada é um grupo de pessoas treinadas a dar as coordenadas aos trabalhadores em situações de emergência. Composição da brigada de incêndio A composição da equipe caberá ao líder que será escolhido pela chefia da empresa, entre os funcionários de sua confiança, que tenha autoridade para sua função, com espírito de liderança e reconhecidamente capacitada para contornar situações imprevisíveis e de emergência e que aceite o cargo de líder voluntariamente e não por imposição. Reponsabilidades Chefe da brigada no combate a incêndio É importante entender que o chefe da Brigada é o líder sobre quem recai toda a responsabilidade pelo comando da zona de incêndio. Seu papel é o de um administrador profissional. Suas funções básicas são: > Estabelecimento e confirmação de um posto de comando (PC); > Fazer reconhecimento da situação; > Reunir a brigada e determinar sua ação; > Coordenar e orientar a ação da Brigada; > Analisar fatores críticos; > Distribuir tarefas aos chefes da guarnição de bombeiros, passar o
  9. 9. comando do serviço e dar apoio, se necessário, com seu pessoal. O líder tem que saber tomar decisões estratégicas que objetivam basicamente a determinar se as operações de combate ao sinistro se conduzirão de modo ofensivo ou defensivo. Vice-líder: >Auxiliar o líder na execução de suas tarefas; >Orientar os demais componentes da equipe; >Verificar se as vias de acesso estão desimpedidas; >Comunicar o Corpo de Bombeiros e órgãos competentes; >Substituir o líder durante sua ausência ou impedimento Brigadistas: >Executar todas as ordens recebidas do líder da Brigada de Incêndio; >Estarem aptos fisicamente e executarem as determinações recebidas; >Participarem dos treinamentos e simulados que venham a acontecer >Fazer verifica cão diária dos itens de segurança ,relatando aos seus superiores. Organização do pessoal da brigada que utilizar o sistema hidráulico de hidrantes Líder de Brigada de Incêndio | Executa a ordem de comando para o combate à emergência e orienta todas as ações dos Brigadistas. | 1º Brigadista | Homem do hidrante: responsável pela abertura (manobra) do hidrante, lançamento e engate de mangueiras. | 2º Brigadista | Brigadista de combate: responsável pelo lançamento e engate de mangueiras juntamente com o 1º membro e do combate direto ao fogo. | 3º Brigadista | Ajudante de Brigadista de combate: ajuda o 2º membro no lançamento e engate de mangueiras e auxilia no combate ao fogo. ORGANOGRAMA DA BRIGADA DE INCÊNCIO Coordenador Geral
  10. 10. Líder. 1º turno 2º turno 3º turno 1 1 1 Vice Líder 1 1 1 Brigadistas 16 16 16 NOTAS INPORTANTES: No caso de emergência, na falta do Líder de Brigada de Incêndio, o primeiro Brigadista será seu substituto. Além dos elementos efetivos dos grupos, deverá haver, para cada grupo, dois elementos que serão normalmente treinados e que tomarão o lugar de qualquer um dos membros que estiver ausente. Em caso de incêndio, o Líder de Brigada de Incêndio, deverá proceder seguindo o “FLUXOGRAMA DE PROCEDIMENTOS EM CASO E INCÊNDIO”. 7- Cartilha instrutiva CARTILHA INSTRUTIVA DE BRIGADA DE INCÊNDIO Fogo: Reação química com desprendimento químico de luz e calor. Fogo é o resultado da combinação de três elementos: COMBUSTÍVEL, OXIGÊNIO e CALOR em proporções iguais. O NOSSO AR O nosso ar e composto de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio; ou seja, não existirá fogo em ambientes com menos de 13% oxigênio.
  11. 11. MÉTODOS DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO ISOLAMENTO Consiste em retirar do local o material (combustível) que está pegando fogo e também outros materiais que estejam próximos às chamas. CALOR OXIGÊNIO COMBUSTÍVEL ABAFAMENTO Consiste em eliminar o oxigênio (comburente) da reação, por meio do abafamento do fogo. CALOR OXIGÊNIO COMBUSTÍVEL RESFRIAMENTO Consiste em diminuir a temperatura (calor) do material em chamas. CALOR OXIGÊNIO COMBUSTÍVEL TRANSMISSÃO DE CALOR Irradiação Por Irradiação, o calor se transmite em linhas retas em todas as direções, atravessando espaços mais ou menos consideráveis, mesmo através do vácuo (calor solar).
  12. 12. Condução Por Condução, o calor se propaga através das moléculas do corpo em contato com a fonte para fora. A velocidade de transmissão, neste caso, depende da condutibilidade do corpo. Convecção Por Convecção, o calor se transmite nos líquidos ou gases. A parte mais próxima da fonte de calor torna-se mais leve ao ser aquecida e tende a subir na massa fluida, indo aquecer a massa fria das camadas elevadas. Assim, os gases existentes próximos a um incêndio, depois de aquecidos, podem ser levados a outros locais ainda não afetados podendo provocar novos focos de incêndio. CLASSES DE INCÊNDIO Classe "A" Materiais que queimam em superfície e em profundidade. Ex.: Madeira, papel, tecido, Classe "B" Os líquidos inflamáveis. Queimam na superfície. Ex.: Álcool, gasolina, querosene.. Classe "C" Equipamentos elétricos e eletrônicos energizados. Ex.: Computadores, TV, motores, Classe "D" Metais pirofóricos. Ex.: Pó de zinco, Sódio, magnésio. TIPOS DE EXTINTORES Os extintores maisutilizados são: * Dióxido de carbono CO2 * Pó químico seco PQS * Água AP * Espuma ES EXTINTOR DE ÁGUA PRESSURIZADA E ÁGUA-GÀS Emprego: Classe “A”: Ideal. Características: Descarga: 50 segundos.
  13. 13. Alcance: de 10 a 12 metros. Função: Principal: Resfriar. Precaução: * Não utilizar em equipamentos elétricos; * Não aplicar diretamente sobre líquidos inflamáveis. EXTINTOR DE ESPUMA MECÂNICA Emprego: Classe “B”: Ideal. Características: Descarga: 60 segundos. Alcance: de 3,5 a 8 metros. Funções: Principal: Abafar. Secundária: Resfriar. Precauções: Não utilizar em equipamentos elétricos energizados; Não aplicar diretamente sobre líquidos inflamáveis EXTINTOR DE GÁS CARBÔNICO (CO2) Emprego: Classes “C” e “B”. Características: Descarga: 42 a 45 segundos. Alcance: 1,5 a 3 metros. Funções: Principal: Abafar Secundária: Resfriar Precauções: * Em ambientes fechados provoca asfixia; * Evite contato com a pele (-43°C). EXTINTOR DE PÓ QUÍMICO SECO Emprego: Classes “B”, “C” e “D”. Características: Alcance: 2 a 4 metros. Descarga: 22 segundos.
  14. 14. Função: Principal: Abafar. Precauções: Em ambientes fechados provoca asfixia e cegueira passageira. CARTILHA INSTRUTIVA DE PRIMEIROS SOCORROS Primeiros socorros: São os primeiros cuidados prestados a uma vítima, fora do ambiente hospitalar. Objetivo: Manter a vida e evitar que as lesões já existentes se agravem. Pontos importantes: - Preservar sua segurança é importante, não coloque sua vida em risco -Manter a calma -Conhecer o sistema de emergência do local -Saber como acionar este sistema Após acionamentos do sistema de emergência informar: -O tipo de emergência -O números de vítimas -O local do evento com pontos de referência -Se possível indicar o melhor acesso ao local -Sempre sinalizar o local para chegada da ambulância As etapas do atendimento inicial da vítima -Avaliação da cena -Avaliação do nível de consciência -Pedido de ajuda -Avaliação das vias aéreas -Avaliação da respiração -Avaliação da circulação AVALIAÇÃO DA CENA * Certifique-se que o local está seguro e não há perigo para você. AVALIAÇÃO DO NIVEL DE CONCIÊNCIA
  15. 15. Antes de mexer na vítima, o socorrista deve falar com ela, identificando se mesmo que a vítima pareça inconsciente. Coloque-se ao seu lado na altura dos ombros olhando de frente para ela, chame a perguntando: “Está tudo bem? Precisa de ajuda?” Caso a vítima esteja suja de sangue, vômito ou com alguma coisa que possa te contaminar, proteja-se com luvas ou sacos plásticos nas mãos. PEDIDO DE AJUDA * Solicite ajuda especializada sempre o mais rápido possível AVALIAÇÃO DA VIAS AÉREAS * Observe se há algum corpo estranho * Faça se necessário a manobra de inclinação da cabeça * Nunca introduza seu dedo na boca de ninguém que esteja consciente AVALIAÇÃO DA RESPIRAÇÃO * Ver: Expansão do Tórax * Ouvir: Os Movimentos Aéreos pela boca e nariz * Sentir: O ar sendo expirado AVALIAÇÃO DA CIRCULAÇÃO * Carótida * Radial * Femural * Temporal PARADA CÁRDIO-RESPIRATÓRIA * Até 4 min - recuperação completa * de 4 a 6 min - grande probabilidade de dano cerebral * após 6 min - provável dano cerebral -Em casos de parada cárdio-respiratória realizar ciclo de 2 ventilações e 30 compressões REAVALIAR QUANDO? * Após 1 minuto avaliar sinais de vida * Caso ausente reiniciar RCP
  16. 16. * Checar novamente a cada 1 minuto OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Obstrução parcial * Tosseineficaz * Ruídos Respiratórios * Ruídos agudos Obstrução Total * Dificuldade de Respirar * Cianose * Incapacidade de emitir sons * Inconsciência Obstrução parcial * Acalmar vítima * Estimular tosse * Administrar Oxigênio * Auxílio Médico Obs:Não realizar manobra de HEILIMCH Obstrução total * Solicitar ajuda * Realizar Manobra de HEIMLICH QUEIMADURA * Afaste a vítima da origem da queimadura * Retire todos os adereços do local * Lavar com água corrente em abundância * Proteger com compressa ou pano limpo FRATURAS * Abertas: Quando há rompimento da pele * Fechadas: Quando não há rompimento da pele Condutas * Coloque o membro alinhado em sua posição natural e imobilize-o * Em fraturas abertas cubra com pano limpo antes de imobilizar * Em caso de suspeita de lesão de coluna mantenha-o imobilizada * Antes e depois da imobilização verifique a circulação no membro imobilizado
  17. 17. CONVULÇÕES * Não tente segurar a vítima apenas proteja sua cabeça * Não coloque o dedo ou objeto na boca da vítima * Não dê nenhum líquido para vítima beber * Afaste a vítima de locais que podem o ferir * Se não houver suspeita de trauma na coluna, lateralize sua cabeça * Procure averiguar se há sinais de envenenamento no local CHOQUE ELÉTRICO * Desligue imediatamente a eletricidade. Se não for possível, interrompa o contato da vítima com a corrente elétrica, utilizando material não condutor seco (pedaço de pau, corda, borracha ou pano grosso). Nunca use objeto metálico ou úmido. * Se as roupas da vítima estiverem em chamas, deite-a no chão e cubra-a com um tecido bem grosso, para apagar o fogo. Outra opção é fazer a vítima rolar no chão. Não a deixe correr. * Localize as partes do corpo comprometidas. Lembre-se que toda queimadura elétrica tem uma "porta de entrada"(por onde entrou a corrente no corpo) e uma "porta de saída" (parte do corpo que fez contato com a terra) * Resfrie os locais afetados SOMENTE com água fria abundante ou panos molhados, por vários minutos. Não aplique manteiga, gelo, pomada ou pasta de dente nos ferimentos * Em queimaduras de 2º e 3º graus, não perfure as bolhas, não descole as roupas grudadas, nem dê líquidos ou comidas à vítima. Procure um médico imediatamente 8– Fluxograma de procedimentos em caso de incêndio Soar alarme ao perceber o incêndio (Qualquer pessoa pode adicionar o alarme e confirmado o foco do incêndio alerta para desligamento da central da energia) Prestar socorro as vítimas
  18. 18. (Alertar funcionários treinados em primeiros socorros para atendimento no local se possível, se não iniciar remoção da vítima) Iniciar plano de evacuação do local (Nessa etapa os brigadistas tomam suas posições e fazem a coordenação da saída do pessoal até o ponto de encontro) Avisar corpo de Bombeiros (Confirmar junto ao responsável pela comunicação externa) Iniciar combate ao incêndio (Alertar as pessoas treinadas no combate do incêndio) Iniciar contagem do pessoal (No ponto de encontro realizar chamada verificando a ausência de algum funcionário, nessa devem constar telefones celulares e residenciais do colaborador) Auxiliar bombeiros na identificação dos focos de incêndio (Os brigadistas facilitaram a identificação em conjunto com corpo de bombeiros para facilitaras vias de acesso ao incêndio) 9– Descrição do local 9.1. Empresa:Matriz Gráfica Ltda. 9.2. Característica da vizinhança: A empresa está localizada na região comercial do município, cercada por estabelecimentos de diferentes atividades. 9.3. Distância do Corpo de Bombeiros: 8,0 km 9.4. Meios de ajuda externa: Hidrante próximo ao estabelecimento 9.5. Construção: 1 (um)pavimento térreo 9.6. Dimensões: 400 m² de área construída. 9.7. Número de funcionários: 501 9.8. Riscos específicos inerentes à atividade: Risco de Incêndio 9.9. Brigada de incêndio: 18componentes por turno 8.10. Recursos materiais: Extintores de incêndio portáteis - (Espuma Química / PQS – Pó Químico
  19. 19. Seco) Setor: Produção PQS - 4 unidades ES - 3 unidades Setor: Administrativo ES - 2 unidades Setor: Recepção ES- 1 unidade Setor: Almoxarifado ES - 1 unidade Setor: Refeitório ES – 1 unidade * Obs. Para localização do posicionamento dos extintores no ambiente ver layout anexo. Sistema de hidrantes Setor: Produção 02 hidrante *Obs. Para localização do posicionamento dos hidrantes no ambiente ver layout anexo. Alarmes Os alarmes de incêndio são do tipo acionamento manual convencional e estão disponíveis junto aos hidrantes de incêndio onde após ativado o mesmo aciona um conjunto de sirenes com som característico ouvido em
  20. 20. todos setores da empresa. Iluminação de emergência/ sinalização de emergência A iluminação de emergência atende todos os setores totalizando 12 lâmpadas e indicação clara e precisa das saídas e do sentido de fuga até local seguro com indicação clara e precisa das saídas e do sentido de fuga até local seguro. 10 – Procedimentos básicos de emergência contra incêndio 10.1 – Alerta: Ao ser detectado um princípio de incêndio, o alarme de incêndio manual será acionado através da botoeira, bastando retirar a chave de segurança. 11.2 - Análise da situação: O chefe da brigada se posicionará no ponto de encontro da brigada e analisará rapidamente o sinistro. Após identificação do local sinistrado o alarme deverá ser desligado, e o chefe da brigada comandará as ações de combate de incêndio. 10.3 – Apoio externo: Um brigadista e/ou ajudante (a) deve acionar o Corpo de Bombeiros dando asseguintes informações: Nome e número do telefone utilizado; *Endereço do Órgão ou Entidade; *Pontos de referência; *Característica do incêndio; *Quantidade e estado das eventuais vítimas; *Deverá um brigadista orientar o Corpo de Bombeiros em sua chegada 10.4 – Primeiros socorros: Os primeiros socorros serão prestados às eventuais vítimas conforme treinamento específico dado aos brigadistas 10.5 – Eliminar riscos: Se houver necessidade deve ser providenciado o corte da energia elétrica, que será executado pelo pessoal da manutenção,
  21. 21. que deve estar à disposição do Chefe da Brigada. 10.6 – Abandono de área: * Caso seja necessário abandonar a edificação, deve ser acionado novamente o alarme de incêndio para que se inicie o abandono da área. * Os brigadistas se reunirão no ponto de encontro do pessoal. Neste momento o Chefe da Brigada já avaliou a situação e determinará o abandono geral ou não. * Antes do abandono definitivo do Órgão ou Entidade os brigadistas devem verificar se não ficaram ocupantes retardatários e providenciar o fechamento de portas e janelas se possível. * Cada pessoa portadora de deficiência, deve ser acompanhada por dois brigadistas ou voluntários, previamente designados pelo Chefe da Brigada. 10.7 – Isolamento da área: A área sinistrada deve ser isolada fisicamente, de modo a garantir os trabalhos de emergência e evitar que pessoas não autorizadas adentrem ao local. 10.8 – Confinamento do incêndio: O incêndio deve ser confinado de modo a evitar sua propagação e conseqüências. 10.9 – Combate ao incêndio: O combate será feito pelos Brigadistas do Órgão ou Entidade que são treinados para este tipo de emergência. A Brigada deverá auxiliar o Corpo de Bombeiros quando estes chegarem no local. 10.10 – Investigação : Após o controle total da emergência e a volta à normalidade, o Chefe da Brigada deve iniciar oprocesso de investigação e elaborar um relatório, por escrito, sobre o sinistro e as ações de controle, para as devidas providências. 10.11 – Em caso de sinistro alguém deverá comunicar-se com:
  22. 22. Corpo de bombeiros 193 Defesa Civil 196 SAMU 192 Policia Militar 190 Polícia Civil – IML Polícia Rodoviária Federal Outros 10.12 – Em caso de ocorrência de sismo, durante o mesmo os elementos da segurança do estabelecimento deverão proceder da seguinte forma: Dominar o pânico, manter a calma; Proteger-se no vão de uma porta interior, no canto de uma sala ou debaixo de uma escrivaninha ou mesa; estar atento à eventual queda de objetos tais como candeeiros e móveis. Manter-se afastados das janelas e envidraçados; Não ligar aparelhos elétricos Após o sismo deverão iniciar as suas funções de segurança procedendo, de acordo com a gravidade do mesmo, nos seguintes termos: Antes de iniciar a deslocação pelo edifício proteger a cabeça e o rosto; *Efetuar os cortes gerais de eletricidade e água; *Inspecionar as instalações fazendo o inventário de eventuais anomalias e prejuízos; Se necessário promova a evacuação do edifício encaminhando os ocupantes para o exterior, em local afastado de edifícios ou muros – Plano de Evacuação; Verificar se há feridos e socorrê-los; se houver feridos graves não os remova a menos que corram perigos. Alertar o serviço de bombeiros / ambulâncias; Se existirem incêndios desencadear o Plano de Emergência;
  23. 23. Limpar urgentemente os produtos inflamáveis que eventualmente se tenham derramado; De acordo com a gravidade da situação e as necessidades manifestadas, contatar a Direção do estabelecimento e a defesa Civil; Ligar um rádio e seguir as instruções da Defesa Civil e das outras autoridades. 10.13 – Inundações: Efetuar o corte parcial da água na válvula de corte adequada; se necessário proceda ao cortegeral da água, situado...; Proceda ao escoamento das águas, construindo, se necessário, barreiras por forma a encaminhar a água para o ralo de pavimento mais próximo ou para o exterior; Contate a Direção do estabelecimento, que por sua vez contatará o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. 10.14 – Fuga de gás * Efetue o corte geral do gás na válvula de corte situada no exterior; * Não ligue qualquer aparelho elétrico, ou sequer o interruptor da luz; *Areje o local, abrindo as portas e janelas; * Se necessário combata as chamas usando extintores de pó químico seco; * Nunca use chamas para procurar a fuga. 10.15 – Acidentes de Trabalho Em caso de acidente de trabalho, e atendendo à sua gravidade, o sinistrado deverá ser transportado de imediato ao posto de socorros ou ao hospital de urgência mais próximo. Na ocorrência de acidente de trabalho mortal o local deve ser isolado e, para além da chamada dos serviços de socorro e da comunicação ao IML – Instituto Médico Legal e Polícia Militar para isolamento da área. Em caso de acidente de trabalho: * Mantenha a calma, não toque nem deixe tocar na vítima, não lhe dê nada a beber;
  24. 24. * Informe imediatamente ao chefe; * Suprima imediatamente a causa do acidente; * Chame os meios de socorro externos: Ambulância, Bombeiros etc; *Mantenha a calma, não se esqueça de indicar corretamente aos serviços externos os seguintes elementos: Nome da entidade Endereço; Nome da Vítima; Natureza do acidente; Estado da vítima; Nº de vitimas; 11 – Instruções Complementares de Segurança Em caso de acidente de trabalho de origem elétrica deverão ser seguidos os seguintes procedimentos especiais:1 >Corte imediatamente a corrente elétrica, desligando a ficha do aparelho ou o interruptor geral do quadro do piso; No caso de não ser possível cortar a corrente ou for muito demorado fazê- lo separe a vítimadas partes em tensão tomando as seguintes medidas: >Isole-se colocando-se sobre uma superfície de material não condutor e seco (plásticos, borracha, madeira, têxteis, etc.) e proteja as mãos com luvas de borracha, um saco de plástico, uma toalha ou peça de roupa ainda recorrendo a varas ou cabos de madeira, igualmente secos; >Em todos os casos, ao separar o sinistrado das partes em tensão deve fazê- lo de uma forma brusca, procurando não agarrá-lo firmemente; >Se a vítima não der sinais de vida, depois de desligar a corrente elétrica faça-lhe imediatamente a espiração artificial, de preferência pelo método boca-boca, e a massagem cardíaca externa. Contate outra pessoa, que por sua vez contatará os meios de socorro exteriores;
  25. 25. 12 – Evacuação * Ao ouvirem o sinal de alarme (toque de campainha muito prolongado), seguir as instruções do brigadista responsável pela evacuação da escola; * Não te preocupes com materiais e objetos. Deixa-os sobre as mesas, sai e feche a porta; * Siga os sinais de saída em silêncio. Não corra; * Desça as escadas encostado à parede. Não volte atrás; * Não pares na porta de saída. Esta deve estar livre; * Dirige-te para o local que o brigadista te indicar, para se apurar que não falte ninguém. 13 – Em caso de incêndio *Perante um incêndio mantenha-se sempre a calmo; * Se o fogo é pequeno, trate de apagá-lo com o extintor adequado à classe de incêndio; * Caso você não consiga dominar o fogo, feche a porta e solicite ajuda aos colaboradores Avise rapidamente a direção da ocorrência do fogo; * Se o fogo se prender às tuas roupas, não corras. Jogue-se ao chão a fim de apagar o fogo por abafamento;. * Se ouvir uma explosão, jogue-se no solo e proteja a nuca com os braços; *Perante a fumaça, proteja a boca e o nariz com um pano. Caminhe agachado. Junto ao solo onde há menosfumaça . * Se a fumaça te impedir a fuga, anuncie a tua presença e aguarde socorro.
  26. 26. 14– Em caso de terremoto * Mantenha a calma; * Mantém-te afastado das janelas, espelhos, candeeiros ou móveis; * Protege-te no vão de uma porta interior, no canto de uma sala ou debaixo da escrivaninha ou mesa. 15 – Instruções particulares de segurança A – Copa/Cozinha/Cantina >Não fume; >Mantenha a cozinha permanentemente limpa e arrumada; >O lixo deve ser removido diariamente; >Proceda semanalmente à limpeza do exaustor, das grelhas, da ventilação, do apanhafumos e dos filtros; não utilize nunca os equipamentos que têm previstos filtros sem que estes se encontrem colocados; >Não utilize nunca aerossóis perto das chamas; >Promova rapidamente as reparações necessárias; essas reparações deverão ser executadas em definitivo e por técnicos habilitados; >Todas as instalações e equipamentos técnicos deverão ser verificados pelo menos anualmente por técnicos habilitados; >Em caso de fuga de gás proceda ao corte geral do gás na respectiva válvula e desligue os equipamentos de queima; não manobre equipamentos elétricos e promova o arejamento natural da cozinha; >Em caso de incêndio promova rapidamente o corte de energia elétrica no quadro geral;
  27. 27. >Comunique imediatamente a ocorrência de qualquer sinistro a outros funcionários para que alertem os serviços de urgência; a eficiência do combate ao sinistro depende da rapidez do alarme; >Não use nunca água para extinguir um incêndio sobre os fogões, aparelhos elétricos ou instalações elétricas mesmo se a corrente estiver cortada; utilize extintores de Pó Químico ou CO2; >Quando abandonar um local incendiado feche todas as portas de comunicação com o resto do edifício. B – Administração, Secretarias, Almoxarifados, Arquivos >Não fumar, >Mantenhaeste espaço permanentemente limpo e arrumado; >As reparações necessárias deverão ser executadas rápida e definitivamente e por técnicos competentes; as instalações e equipamentos deverão ser verificados por esses técnicos no mínimo anualmente; > Não utilize instalações elétricas provisórias; > Em caso de incêndio proceda imediatamente os cortes de energia elétrica e de gás; > Comunique rapidamente à Direção a ocorrência de qualquer sinistro; a eficiência do combate ao incêndio depende da rapidez do alarme; > Não use nunca água sobre a instalação elétrica mesmo se a corrente estiver desligada; utilize extintores de CO2 ou Pó Químico; >Quando abandonar o local incendiado feche todas as portas de
  28. 28. comunicação com o interior do edifício. C - Quadros elétricos >Estas instalações devem encontrar-se permanentemente limpas e asseguradas as suas condições de ventilação; >As reparações necessárias deverão ser executadas rápida e definitivamente e por técnicos habilitados; > As instalações técnicas devem ser verificadas por técnicos habilitados, no mínimo anualmente; solicite a presença do técnico responsável pela exploração das instalações elétricas quando necessário;9001 >Verifique periodicamente o bom estado de conservação e a localização dos equipamentos de seguranças (lanternas, luvas, tapetes, vara de manobra, instruções de primeiros socorros, extintores, etc.); > Em caso de incêndio o corte imediato da corrente elétrica se feito automaticamente ao soar o alarme; > Não use nunca água sobre a instalação elétrica mesmo se a corrente estiver cortada; utilize extintores de CO2 ou Pó Químico; > Comunique rapidamente à Direção a ocorrência de qualquer sinistro; a eficiência do combate ao incêndio depende da rapidez do alarme; > Quando abandonar o local incendiado feche todasas portas de comunicação com o interior do edifício. 16 – Conclusão Nenhum sistema de Prevenção a Sinistros será eficaz se não houver o
  29. 29. elemento humano preparado para operá-lo. Esse elemento humano, para poder combater eficazmente um incêndio em seu princípio e proceder um plano de abando, deverá estar perfeitamente treinado. É um erro pensar que, sem treinamento, alguém, por mais hábil que seja, por mais coragem que tenha, por maior valor que possua, seja capaz de atuar de maneira eficiente quando do surgimento do Sinistro. 17 – Bibliografia O plano de emergência da Matriz gráfica Ltda. Foi elaborado de acordo com as exigências da norma regulamentar 23. 18-Anexos RELATÓRIO MENSAL DAS CONDIÇÕES DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E CONDIÇÕES DE SEGURANÇA CHECK LIST PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO | EMPRESA: | LOCAL: | DATA | ITEM | SIM | NÃO | OBSERVAÇÕES | HIDRANTES E ABRIGOS PARA MANGUEIRAS | | | | Todos os hidrante e abrigos estão identificados? | | X | | Há sinalização nos pisos e nas paredes? | X | | | Há vazamentos aparentes nas colunas de hidrantes? | | X | | Todos os pertences estão guardados no abrigo? | X | | | Falta algum material no abrigo? | | X | | Os abrigos estão limpos e secos? | X | | | As mangueiras estão em boas condições? | X | | | Há necessidades de reparos em algum hidrante ou abrigo? | | X | | Os volantes para abertura de hidrantes estão em ordem? | X | | | Os hidrantes estão desobstruídos? | X | | | Existem combustíveis próximos ao reservatório de água? | | X | | EXTINTORES | | | | Todos os extintores estão em lugares estratégicos? | X | | | A sinalização no piso e colunas estão visíveis? | | X | | Há setas indicando a localização de extintores? | |X | |
  30. 30. Todos os extintores estão carregados? | | X | | Todos os extintores estão com etiqueta de identificação? | X | | | Existe algum extintor avariado? | X | | | O tipo de extintor é adequado para o local? | X | | | Todos s extintores estão limpos e desobstruídos? | X | | | ÁREA PARA FUMANTES | | | | Alguma ação corretiva é adotada em caso de violação? | X | | | PÁTIOS | | | | A grama e o mato são cortados? | X | | | CONSIDERAÇÕES: | | | | Assinatura dos responsáveis:

×