Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Unificações europeias

130 views

Published on

Como as regiões europeias se tornaram nações? Clique e aprenda!

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Unificações europeias

  1. 1. UNIFICAÇÕES EUROPEIAS Prof. Ítalo Colares
  2. 2. O NACIONALISMO E A GUERRA No século XIX, a ideia de que cada povo deveria se governar de forma independente era revolucionária e se espalhava pela Europa. Itália e Alemanha lutaram por suas unificações contra Áustria, França, e demais países que temiam a força desses novos países. Tanto um quanto outro, no processo formação tinham forças opostas disputando a liderança do movimento: • na Itália, monarquistas do norte contra republicanos do sul • na Alemanha, a aristocracia e a burguesia prussianas contra todos. A partir dessas lutas emergiram novos impérios e questões e os revanchismos que levarão às grandes guerras do século XX.
  3. 3. O SURGIMENTO DA ITÁLIA COMO NAÇÃO Até o século XIX a Itália não existia como conhecemos hoje. Era um aglomerado de principados, que estavam divididos em norte, centro e sul. O processo de unificação parte do reino de Piemont Sardenha (norte), idealizado pelo ministro Cavour. Esse movimento será apoiado pela burguesia e um nacionalismo monárquico.
  4. 4. MAPA DA ITÁLIA ANTES DA UNIFICAÇÃO Dentro desse processo de unificação ressaltamos o entrave da cidade de Veneza, que na época era governada pela Áustria, que será contra essa unificação. Os principados do centro da Península Itálica pertenciam a Igreja Católica. Que tinham como protetora a França. E no sul da península tinha a dominação dos Bourbons, que tinham laços com a Espanha. É na região sul que surge a figura importante de Giuseppe Garibaldi, pois vai organizar tropas populares para lutar nessa reunificação republicana.
  5. 5. PERSONAGENS IMPORTANTES PARA ESSE PROCESSO. Camilo Benso, Conde de Cavour. Giuseppe Garibaldi MONARQUISTA REPUBLICANO
  6. 6. OPA, OPA, OPA... QUESTÃO NA ÁREA!
  7. 7. O SURGIMENTO DA ALEMANHA COMO NAÇÃO Assim como a Itália a Alemanha estava dividida em várias províncias. Tendo influências de potências estrangeiras. No caso da Alemanha, era o Império Austro-Húngaro. O processo de unificação da Alemanha terá o apoio da burguesia da Prússia.
  8. 8. E ANTES DA UNIFICAÇÃO COMO ERA A ALEMANHA? Antes da unificação a Alemanha, era o Sacro Império Romano Germânico, onde Napoleão Bonaparte em 1806, transformou na Confederação do Reno. O Congresso de Viena em 1815, após a derrota de Napoleão Bonaparte mudou a região para Confederação Germânica, sofrendo então um forte influência do Império Austro-Húngaro. É nessa confederação que se destaca do Estado da Prússia, pois é lá que será criado o projeto de unificação da Alemanha.
  9. 9. O PRIMEIRO PROJETO DA UNIFICAÇÃO. A Prússia visando desenvolver economicamente a região germânica, cria a Zollverein, que é uma liga aduaneira de interação entre os reinos da confederação, onde na qual facilitaria a circulação de capitais, e a circulação de produtos entre os estados que participariam da liga. Entenda que por trás disso tudo há uma lógica burguesa.
  10. 10. NACIONALISMO ALEMÃO E AS GUERRAS O nacionalismo alemão será construído a partir das guerras. Principalmente envolvendo Otto Von Bismarck, chanceler de ferro. Coube a ele lançar as bases do Segundo Império, ou 2º Reich (1871-1918), que levou os países germânicos a conhecer a existência de um Estado nacional único. Para formar a unidade alemã, Bismarck desprezou os recursos do liberalismo político, preferindo a política da força. Em 1862 Bismarck foi nomeado primeiro-ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros de Guilherme I, rei da Prússia.
  11. 11. O PROBLEMA DOS DOIS DUCADOS. Em 1863 morre Cristiano IX, rei da Dinamarca. Os príncipes dos ducados de Schleswig e Holstein decidiram se tornar independentes. A Prússia se alia a Áustria, com o discurso de que um dos ducados seria entregue a Áustria. Após a vitória, a Prússia adia a entrega do ducado, fazendo a Áustria declarar guerra a Prússia, como Bismarck queria. Temos aí a Guerra das Sete Semanas. A Prússia vence a Áustria, que assina a paz.
  12. 12. A GUERRA FRANCO-PRUSSIANA. Quando Bismarck tentou unificar os estados da Zollverein, foi ameaçado por Napoleão III, e criou apenas Confederação Germânica do Norte. Em 1870, Napoleão III declara guerra a Prússia. A Prússia, com um poder militar muito superior, derrota as tropas francesas e invadem Paris. A França cede a Alsácia e Lorena para a Prússia. O povo francês declara o fim do Império e proclama a Terceira República. Em 1871, no Palácio de Versalhes, os prussianos proclamam a criação do II Deutsches Reich, sendo Guilherme I coroado o primeiro Kaiser Alemão. Este fato criou um sentimento nos franceses chamado de revanchismo francês.
  13. 13. OPA, OPA, OPA... QUESTÃO NA ÁREA! A unificação política da Alemanha (1870-1871) teve como consequências: A) a ruptura do equilíbrio europeu, o revanchismo francês, a revolução industrial alemã e política de alianças. B) enfraquecimento da Alemanha e miséria de grande parte dos habitantes do sul, responsável pela onda migratória do final do século XIX. C) a anexação da Alsácia e Lorena, o empobrecimento do Zollverein e retração do capitalismo. D) corrida colonial, revanchismo francês, o enfraquecimento do Reich e anexação da Áustria. E) o equilíbrio europeu, a aliança com a França, a formação da união aduaneira e a Liga dos Três Imperadores.

×