"O segredo do rio" de Miguel de Sousa Tavares

12,982 views

Published on

Trabalho realizado no âmbito do PNL, pelo 4ºA, turma da professora Ana Bela Matos, a partir do livro "O segredo do rio" de Miguel de Sousa Tavares. Este trabalho foi apresentado na Semana da Leitura.

Published in: Education, Technology, Travel

"O segredo do rio" de Miguel de Sousa Tavares

  1. 1. Adaptação do livro “ O Segredo do Rio” de Miguel de Sousa Tavares .
  2. 2. <ul><li>Era uma vez uma casinha pequenina no campo. </li></ul><ul><li>Aquela casinha tinha passado de geração em geração naquela família. </li></ul><ul><li>A casinha tinha uma pequena lareira, onde a mãe dele fazia a comida e também usava para aquecer a casa. </li></ul><ul><li>Era perto de um rio que passava por ali. </li></ul><ul><li>A casa tinha duas árvores que pareciam dois guarda costas da casa. </li></ul><ul><li>No Verão o menino ia todos os dias para lá. </li></ul><ul><li>Ele tinha aprendido a nadar. </li></ul><ul><li>Á noite o menino ia para o pequeno lago refrescar-se, antes de dormir. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Á volta do ribeiro havia muita areia e pedrinhas. </li></ul><ul><li>Quase todas as noites o menino ia para lá deitava-se e observava as estrelas. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O rapaz não podia estar no rio, porque era um mês de muito frio, mas mesmo assim estava à beira do rio a olhar para a água, quando de repente apareceu um peixe, que era uma carpa. </li></ul><ul><li>Era muito grande e saltava como uma bailarina. Ela disse-lhe: </li></ul><ul><li>- Olá amiguinho! Estás bem? </li></ul><ul><li>O rapaz ficou admirado por ter ouvido um peixe a falar a língua das pessoas. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>O rapaz perguntou-lhe: </li></ul><ul><li>- Como é que consegues falar a nossa língua? </li></ul><ul><li>- É porque eu estava num aquário de um menino e ele falava muito comigo, então eu aprendi a falar a vossa língua. –respondeu o peixe. </li></ul><ul><li>O rapaz perguntou se ele ainda não tinha casa e ele disse-lhe que não e que estava muito triste por ter abandonado a sua casa. </li></ul><ul><li>O rapaz ofereceu-lhe o seu lago e o peixe ficou muito contente. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>A partir desse dia ficaram grandes amigos e todos os dias brincavam. </li></ul><ul><li>Juntos, mergulhavam dentro de água, o rapaz agarrado à cauda do peixe, que nadava e mergulhava com ele até ao fundo do rio. </li></ul><ul><li>Passou o Verão, veio o Outono e, em lugar das chuvas o sol e o calor continuaram. </li></ul><ul><li>O rapaz estava muito feliz, mas o pai estava muito preocupado com a falta de chuva necessária para as colheitas. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Houve uma grande seca e as colheitas perderam-se. </li></ul><ul><li>As pessoas não tinham comida e o menino estava muito triste porque os pais queriam pescar a sua amiga carpa para comerem. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Depois do jantar, quando o rapaz foi para o quarto ouviu o pai a dizer à mãe, que tinha visto um peixe muito grande no rio. </li></ul><ul><li>Quando ouviu o que eles disseram, saiu pela janela do quarto e foi logo procurar o seu amigo peixe. </li></ul><ul><li>Atirou três pedras à água para o peixe acordar. </li></ul><ul><li>Quando este ouviu as pedras veio logo à superfície da água. </li></ul><ul><li>-O que queres a esta hora? – Perguntou o peixe meio ensonado. </li></ul><ul><li>-Tens de sair daqui. Como temos falta de comida o meu pai viu-te e disse que amanhã de manhã ia montar uma rede para te caçar. </li></ul><ul><li>O peixe muito triste foi-se embora desaparecendo completamente. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Uma semana depois o peixe apareceu e trouxe-lhes comida. </li></ul><ul><li>O menino perguntou-lhe como é que ele tinha arranjado aquela comida toda. </li></ul><ul><li>Então o peixe contou-lhe que havia um tesouro no fundo do rio e que esse tesouro era a solução para a falta de comida. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>As raposas ajudaram o peixe a arrastar para terra, a rede carregada de latas de comida encontradas num barco afundado no rio. </li></ul><ul><li>Essa comida veio salvar a família do menino que não tinha nada para comer. </li></ul><ul><li>Assim, a carpa já não corria perigo pois os pais do menino concordaram em deixá-la ficar a viver no rio, porque era amiga deles. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>O menino ficou feliz por poder continuar com a sua amiga carpa e escreveu uma tabuleta, para colocar no rio, onde dizia: </li></ul>
  12. 12. Trabalho elaborado pela turma do 4ºano (Prof. Ana Bela Matos) na âmbito do Plano Nacional de Leitura

×