Apresentação geografia 29 11_2011

1,962 views

Published on

Migrações

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,962
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
44
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação geografia 29 11_2011

  1. 1.  Económicas: O desemprego e os baixos salários são factores de natureza económica que levam os indivíduos a deixarem determinadas áreas e a dirigirem-se para outras, na tentativa de melhorarem a sua situação financeira. Os fortes fluxos migratórios dos anos 60, pelas dificuldades económicas das populações dos países do sul da Europa (Portugal) deveram-se ao forte crescimento natural (grandes taxas de natalidade e diminuição da taxa de mortalidade) e à necessidade de reconstrução da Europa do pós-guerra ( 2ª Guerra Mundial).
  2. 2.  Naturais: O abandono de lugares que são alvo de catástrofes naturais (sismos, inundações, erupções vulcânicas, etc.) é frequente. Étnicas: As rivalidades entre grupos étnicos diferentes provocam a saída de numerosas pessoas de algumas áreas. Religiosas: A fuga a perseguições religiosas é, em alguns casos, o motivo de migrações.
  3. 3.  Políticas: As guerras e a existência de determinados regimes políticos fazem com que a população fuja de determinadas áreas para se refugiar noutras, que consideram mais seguras. Sociais: A deslocação de população para outras áreas deve-se à procura de condições sociais que não encontram nas áreas de origem. (O hospital para 1 familiar, a faculdade, etc.) Ambientais: Embora com fraca expressão existem já casos de migrações provocadas pela fuga a condições ambientais indesejáveis.
  4. 4. Consequências da EMIGRAÇÃO Para o país de origem Ex: Para o país de destino Ex: (Portugal) (Luxemburgo)Positivas Negativas Positivas NegativasEntrada de divisas Perda de mão-de- Aumento da Aumento das taxas(dinheiro) disponibilidade de de desemprego. obra com plena capacidade mão- de-obra. produtiva.• Difusão de novas Desequilíbrio entre rejuvenescimento Problemasideias e costumes os sexos, já que da população que habitacionais que a maior parte dos se revele numa levam à proliferação emigrantes é maior capacidade de bairros de lata e formada por homens empreendedora e de bairros na dinamização da clandestinos economiaConcentração fundiária, Envelhecimento daporque os agricultores população e diminuiçãoque migram acabam das taxas depor vender as suas natalidade.( os jovensexplorações agrícolas emigram/ o número de(terrenos) nascimentos diminui)
  5. 5. A emigração portuguesa pode então ser dividida em fases:I FASE :Até sensivelmente 1960: caracterizada por ser de carácterdefinitivo e intercontinental;-De 1960 até sensivelmente 1973: caracterizada pela introdução de fluxosemigratórios temporários e predominantemente intracontinentais(na Europa);- Após 1973: caracterizada por uma diversificação dos fluxos migrat6rios,origens/destinos, e perfil dos emigrantes. Assim: assiste-se, após 1973, a uma diminuição da emigração e a um aumentoda imigração – passa-se de um país de emigrantes para um país de imigrantes - ogrande boom (explosão) da imigração ocorreu entre 1999 e 2003;
  6. 6.  II Fase -entre 1960 e 1973 atinge o boom (máximo) em termos da corrente emigrat6ria portuguesa, a qual passou a ser, na quase globalidade, intracontinental, isto e, os portugueses passaram a preferir os destinos geograficamente mais próximos, os países industrializados da Europa Ocidental. Os principais países de destino foram, neste período, a França (para onde emigraram cerca de um milhão de portugueses), a ex - República Federal da Alemanha, o Luxemburgo, o Reino Unido, a Suíça e a Holanda.
  7. 7.  A América do Norte (EUA e o Canada) continuou a receber os nossos emigrantes, sobretudo oriundos dos Açores, enquanto a Venezuela, o Brasil e também a África do Sul continuaram a ser procurados preferencialmente pelos madeirenses. Portugal apresentava uma estrutura etária muito jovem e uma economia pouco desenvolvida, baseada, sobretudo, na agricultura tradicional, onde o desemprego e os baixos salários. Motivações do fluxo migratório português: Carência de recursos, A falta de emprego e de um bom nível de vida; Os baixos salários, A falta de estruturas de apoio às famílias e às actividades socioculturais; O regime politico (Estado Novo) e a guerra colonial
  8. 8. II FASE – ENTRE 1960-1973De onde eram provenientesestes portugueses?o Regiões a Norte do Tejoo Do litoral.o NoroesteDo Alentejo saiu sobretudopopulação em direcção aLisboa.
  9. 9. DESTINOS DA EMIGRAÇÃO II FASE – ENTRE 1960-1973 PORTUGUESA o Maior período de emigração da população portuguesa; o Emigração intracontinental; Destinos: • França; • Alemanha – Ex-República Federal da Alemanha; • Luxemburgo; • Reino Unido; • Suíça; • Holanda
  10. 10. O perfil do emigranteportuguês:• Homens Jovens, entre os 15 eos 39 anos;• Baixa instrução, a maiorparte, apenas, com o ensinobásico;• Vão trabalhar para aagricultura, construção civil,indústria, hotelaria ou serviços.
  11. 11.  II FASE – ENTRE 1960-1973o América do Norte – Sobretudo dos Açores.o Venezuela, Brasil, África do Sul – Sobretudo da Madeira. Período marcado pelo aumento da emigração ilegal.
  12. 12.  Os emigrantes das primeiras fases , como actualmente são preferencialmente homens jovens (mais de 45% têm entre 15 e 29 anos) e com baixa instrução. A maior parte, oriunda do Norte do país, tem apenas o ensino básico (77,4% em 2003) e emigra para trabalhar na agricultura, na construção civil, indústria, hotelaria ou serviços.

×