Fichamento

19,640 views

Published on

0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
19,640
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Fichamento

  1. 1. FichamentoJúlia Sara Accioly QuirinoMetodologia da Pesquisa CientíficaBARRAL, Welber Oliveira. Técnicas de Pesquisa. In: BARRAL, Welber Oliveira. Metodologiada Pesquisa Jurídica. Belo Horizonte: Del Rey, 2007, pp. 97-102.NUNES, Rizzatto. Leitura e Fichamento de Textos. In: Manual de monografia jurídica: comose faz: uma monografia, uma dissertação, uma tese. 7ª ed. Ver. E atual. São Paulo: Saraiva,2009.
  2. 2. Leitura e Fichamento de textos• Como ler e guaradr informações?a) Marque o texto;b) Abra fichas e folhas;c) Use várias marcas;d) Separe folhas ou abra arquivo no micro para observações;e) O Tempo da leitura: crie uma grade horária;f) A ordem da leitura: Quando se tratar de tema jurídico-conceitual,parta dos textos mais recentes, indo até os mais antigos.
  3. 3. Leitura e Fichamento de textos• Como o conhecimento (científico ou não) é sempre “acúmulo”de conhecimento, a leitura de textos mais atualizadosapresentará acréscimos e contribuições. A leitura tem de sercrítica, porque há textos que, embora recentes, sãoultrapassados e muitas vezes refletem posições nas quaisgrande parte do pensamento científico não mais acredita.• No setor jurídico, é possível encontrar livros publicados nosdias de hoje que ignoram totalmente os modernos conceitostrazidos pelo CDC (Código de Defesa do Consumidor).• Ex.: Acidente áereo em 1996 – avião da TAM emJabaquara/SP.
  4. 4. Leitura e Fichamento de textos• Eleja o tema com seu texto principal e vá lendo os demaistextos que tratam do assunto e os dos temas que ofundamentam, até atingir os textos eleitos como principais.• Quando o tema escolhido tiver ligação direta com o texto danorma jurídica, a primeira providência que você deve tomar éter certeza de que a norma jurídica está em vigor e que o seuteor é aquele que tem em mãos.
  5. 5. Leitura e Fichamento de textos• Pode acontecer de você estar-se utilizando de norma jurídicarevogada ou que teve alguns artigos revogados ou que foiparcialmente alterada. (Editora Saraiva: CD-ROM LIS –Legislação Informatizada Saraiva).• No que diz respeito à jurisprudência, por razões óbvias, asequência de leitura deve ser a mesma. Primeiro devem serlidas as decisões mais recentes, indo até as mais antigas
  6. 6. O Fichamento• É o registro sistemático das idéias de uma obra (texto, artigode revista, livro ou capítulo de livro. A palavra fichamentoderiva de ficha. Antigamente (antes da invenção domicrocomputador), quando um professor se referia afichamento de uma obra, ele esperava que o aluno registrasseem uma ficha de papel cartonado o resumo das principaisidéias lidas no texto.
  7. 7. Fichamento• O primeiro passo para se fazer um fichamento éuma leitura atenciosa do texto a ser fichado. Umtexto de fácil entendimento irá requerergeralmente apenas uma leitura. Textos de difícilentendimento podem exigir duas, três ou maisleituras. Se for este o seu caso (um texto denso ede difícil entendimento), faça uma primeiraleitura rápida apenas para se familiarizar com oestilo do autor e identificar quais palavras vocênão conhece ainda.
  8. 8. Fichamento• Você poderá utilizar estas palavras que vocêainda não conhecia para montar um glossário eenriquecer mais o seu próprio vocabulário.Depois de verificar qual significado de cadapalavra desconhecida, se coincide com o sentidoque o autor quis utilizar em seu texto, faça umasegunda leitura, agora mais apurada, buscandoidentificar quais são as idéias centrais. Se fornecessário, faça outras leituras complementarespara esclarecer passagens do texto que aindacontinuem obscuras.
  9. 9. Estrutura do Fichamento• O segundo passo para fazer o fichamento éreunir as informações em um documento, quedeve ter a seguinte estrutura:• CABEÇALHO: Referência bibliográficacompleta da obra (livro, capítulo de livro,artigo de revista, jornal ou internet, etc.), quedeve ser elaborada de acordo com as normasda ABNT (NBR 6023).6023).
  10. 10. Estrutura do Fichamento• Dependendo do tipo (finalidade) do fichamento.,apresentará estrutra diversa.• Alguns tipos de Relatórios de Leitura(Fichamentos):1) Relatório de Leitura de Bibliografia (RLB);2) Relatório de Leitura de Obras (RLO);3) Relatório de Leitura de Temas (RLT);4) Relatório de Leitura de Normas Jurídicas (RLN);5) Relatório de Leitura de Jurisprudência (RLJ).
  11. 11. Relatório de Leitura de Bibliografia (RLB)• Deve conter os dados bibliográficos mínimos e todos os queforem necessários à identificação da obra, mas apenas dadosbibliográficos;• Servirá de suporte para as notas de rodapé, feitura dabibliografia final da monografia e localização do texto
  12. 12. Relatório de Leitura de Obras (RLO)• No RLO se fará fichamento das obras escolhidas para leitura. Antes dapassagem para o RL das informações sobre o texto, deve-se anotar osdados bibliográficos da obra, que permitirão o uso de citações e notas:nome do autor, título e subtítulo e demais dados bibliográficos• Ex.: ARAÚJO, Luiz Alberto David. A proteção constitucional das pessoasportadoras de deficiência – Tese de Doutorado, PUC/SP, 1992).O autor apresenta um rol exemplificativo das causas de dificuldade deintegração social das pessoas portadora de deficiência, a saber:A. Deficiência Mental (p. 29)- Conceito de deficiência mental (p. 29)- Causas da deficiência mental (p. 31)- Tipos de deficiência mental (p. 34)Podem ser feitas transcrições ipsis litteris, isto é, ao pé da letra. Pode-se,também, utilizar-se de paráfrases, que é um resumo dos pontos de vistado autor examinado, elaborado com suas próprias palavras.
  13. 13. Relatório de Leitura de Temas• Utilizar-se-á a mesma técnica do RLO, colocando no alto, otítulo do tema em pesquisa. Após um espaço em branco,transcrever-se-á os trechos ou paráfrases e, ao final destas, seindicarão os dados bibliográficos.• Ex.: “*...+ as sociedades de economia mista, as empresas públicas eoutros que tais não constituem “Fazenda Pública”, senão ‘latosensu’, sendo certo que ‘a execução de julgados proferidos contratais entes não se processa pelo sistema contido no art. 100 daConstituição Federal e nos arts. 730 e 731 do Código de ProcessoCivil’. Apenas as autarquias, além da própria administração ‘central’,por assim dizer, estão sujeitas a esse tipo de execução” (WanderleyJosé Federighi. A execução contra a fazenda pública, p. 11)

×