Informe Rural - 17/10/13

144 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
144
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informe Rural - 17/10/13

  1. 1. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural Informativo do Sistema Público da Agricultura - Ano II - Edição n° 48 - Brasília, 17 de outubro de 2013. Novos caminhões trarão mais qualidade ao transporte dos alimentos do PAA Para celebrar o Dia Mundial da Alimentação, o Sistema Agricultura também realizou balanço das Compras Institucionais Os agricultores familiares participantes do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) foram presenteados com dois caminhões novos, durante a celebração do Dia Mundial da Alimentação, ocorrida nessa quarta-feira (16), no Banco de Alimentos da Ceasa. Os veículos foram adquiridos por meio de convênio entre a Secretaria de Agricultura (Seagri) e o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Os caminhões serão utilizados pela Seagri para transportar os alimentos das Unidades de Recepção e Distribuição de Alimentos (Urdas) ao Banco de Alimentos da Ceasa, para serem doados a entidades socioassistenciais. “Os agricultores familiares levam os alimentos às Urdas, onde fazemos a coleta e de onde partirá o transporte”, explicou o diretor de Compras Institucionais da Seagri, Lúcio Flávio da Silva. Atualmente existem Urdas instaladas em Brazlândia, Sobradinho, Planaltina e São Sebastião. Durante o evento, o secretário de Agricultura, Lúcio Valadão, apresentou o balanço sobre o programa de Compras Institucionais, realizadas no DF por meio do Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa-DF), de Aquisição de Alimentos (PAA) e Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). “O nível de tecnologia que se tem, tornou o processo produtivo melhor. Temos alta produtividade e uma diversidade enorme de culturas, mas muitas vezes os agricultores familiares têm dificuldades de vender o que produzem. As Compras Institucionais entram neste aspecto. Na possibilidade dos agricultores familiares terem acesso a um mercado digno e justo”, disse Valadão. “O agricultor familiar trabalha e é remunerado adequadamente por isso. Assim, é capaz de honrar seus compromissos e ter dignidade, juntamente com a família, para viver no campo – não por ser obrigado, mas por ser bom viver no campo”, avaliou. Compras Institucionais Os Programas de Compras Institucionais movimentaram recursos de R$ 24.957.411,36 entre 2012 e 2013, adquiriram produtos de quase 2,5 mil famílias de agricultores, beneficiaram mais de cem mil pessoas e atenderam mais de 400 entidades e instituições. Os Programas de Compras Institucionais Papa-DF O Papa-DF viabiliza a aquisição, dos órgãos do GDF, de alimentos e produtos artesanais de pequenos produtores rurais e organizações sociais do setor agrícola, sem necessidade de licitação. O Programa dá mais segurança ao agricultor familiar, com a garantia de mercado para os produtos e a possibilidade de geração de empregos na propriedade e renda para a família. O diferencial do Papa-DF é que os produtores podem comercializar até R$ 120 mil por ano, o que pode gerar uma renda mensal de até R$ 10 mil. Além de alimentos; produtos artesanais, flores e plantas ornamentais podem ser comercializados. PAA O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é uma ação do governo federal, por intermédio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) em parceria com a Seagri, para fortalecer a agricultura familiar. Durante a solenidade, foi assinado contrato, no valor de R$ 393 mil, entre a Cooperativa Agropecuária de São Sebastião (Copas) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a formação de estoque do órgão. A Emater-DF realizou assistência à Copas para viabilizar a contratação. “Há pouco mais de dois anos atrás, a copas só entregava leite e mal tínhamos capacidade para embalálo. Esses programas de Compras Institucionais são essenciais para as entidades de agricultores familiares, como a nossa, crescerem e se desenvolverem”, disse Luiz Torres, presidente da Copas. Hoje a copas produz queijos, iogurtes, entre outros derivados de laticínios e fornece produtos para vários programas de Compras Institucionais. PNAE O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) adquire alimentos para distribuição em escolas públicas. Com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o PNAE determina que pelo menos 30% dos recursos repassados para alimentação escolar sejam utilizados para comprar produtos da agricultura familiar ou suas organizações, priorizando as compras dos assentamentos de reforma agrária, das comunidades tradicionais indígenas e das comunidades quilombolas. “Antes destes programas, sentíamos na pelo todas as dificuldades de sermos produtores e produtoras rurais. Hoje, graças a dirigentes com justiça social e amor ao próximo, vemos o feio ficar bonito e pequeno se tornar grande. Isso não é milagre, é empenho, não só dos produtores, mas das autoridades que trabalham em prol do rural”, disse Jair Pinto, presidente da Associação dos Produtores Rurais da Fazenda Larga. Para o presidente da Emater-DF, Marcelo Piccin, é necessário que os agricultores também estimulem mais produtores a participar dos programas de Compras Institucionais. “É importante que todos os agricultores que fornecem produtos aos programas de Compras Institucionais falem para os que ainda não participam procurarem o escritório da Emater mais próximo de onde produzem, para buscar orientação de como participar”, ressaltou. O evento teve, também, o lançamento oficial do programa Melhor Solo, parceria entre BRB, Seagri e Emater, com o objetivo de levar crédito, com juro de 1% ao ano, para investimento na correção do solo, para potencializar a produtividade. “O Melhor Solo é um mecanismo para o agricultor familiar incrementar a produção de forma sustentável. Para isso, o BRB vai disponibilizar crédito por meio do Pronamp e do Pronaf ECO, com cinco anos para pagar e dois de carência”, explicou Leane Cardoso, diretora de Agronegócios do BRB. Dia Mundial da Alimentação O Dia Mundial da Alimentação é comemorado desde 1981. A data, 16 de outubro, marca a fundação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), ocorrida naquele ano. Atualmente é celebrada em mais de 150 países, como importante data para conscientizar a opinião pública sobre as questões da nutrição e alimentação. “Os Programas de Compras Institucionais são formas sustentáveis de acabar com a fome e gerar desenvolvimento econômico e social”, disse Alan Bojanic. O tema, que este ano será “Sistemas Alimentares Sustentáveis para Segurança Alimentar e Nutrição” é anunciado no início de cada ano pela FAO. O objetivo de escolher um tema diferente a cada ano é aumentar a compreensão de problemas e soluções na busca pela erradicação da fome. Segundo a ONU, hoje quase 870 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de desnutrição crônica.
  2. 2. Esforço conjunto para reduzir a pobreza Emater-DF promove oficinas para debater políticas públicas com moradores das comunidades rurais atendidas pelo programa Brasil Sem Miséria A Emater-DF promoveu, nesta quartafeira, mais uma oficina para debater políticas públicas com agricultores atendidos pelo programa Brasil Sem Miséria. O evento reuniu cerca de 60 moradores de comundidas rurais das regiões de Sobradinho e Paranoá. Representantes dos ministérios do Desenvolvimento Social (MDS) e Desenvolvimento Agrário (MDA) e das secretarias de Saúde e Educação participaram da oficina. Moradia, transporte, ensino público, saúde , segurança e infraestrutura, dentre outros temas, foram discutidos pelos moradores. Essa foi a quarta oficina de uma série de dez, que a Emater-DF está promovendo em todo o Distrito Federal. Por meio do programa Brasil Sem Miséria, o GDF constatou que cerca de 600 famílias na área rural estão em situação de insegurança alimentar. O trabalho, feito em conjunto pela Emater-DF e pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest), começou com um diagnóstico da situação dessas comunidades. De acordo com a assistente social Maria Bezerra, da Emater-DF, as oficinas fazem parte do primeiro momento coletivo do programa. “Nosso esforço é para que essas famílias saiam de uma situação de insegurança alimentar e consigam melhorar sua qualidade de vida e aumentar a renda”, explica. Produtores recebem curso de aplicador de agrotóxicos Durante o mês de integração rural da Vargem Bonita, a unidade local da Emater-DF promove, até sexta-feira (18), o Curso de Aplicador de Agrotóxicos. Dez produtores do CAUB estão aprendendo como fazer o uso correto e seguro desses produtos. Com 20 horas de duração, as aulas contemplam todas as etapas do uso de agrotóxico, desde a aquisição, armazenamento até o descarte de embalagens vazias, passando pelo uso correto do Equipamento de Proteção Individual (EPI). Segundo a extensionista rural da Emater-DF, Renata Cabús, a intenção é que os agricultores e trabalhadores rurais aprendam a utilizar corretamente os agrotóxicos aliando a preservação do meio ambiente e a proteção à saúde. “Ao passar essas informações queremos garantir a saúde do produtor, do consumidor final e do meio ambiente. É preciso que o uso de agrotóxicos seja realizado da melhor forma possível, apenas quando realmente necessário, na medida correta e de forma segura”, falou. A programação também inclui noções de primeiros socorros, regulagem e manutenção de equipamentos, aplicação correta de agrotóxicos, conceitos de toxicidade, e noções quanto às leis que regulamentam o uso desses produtos. A produtora Maria do Carmo Nunes disse que nunca tinha participado de um curso sobre o tema. “Tudo me chamou a atenção. Vimos que os sintomas da intoxicação aparecem aos poucos, por isso muita gente relaxa e não se protege. Com o que aprendi vou orientar os vizinhos e os trabalhadores da chácara”, falou. Para facilitar a aquisição do EPI, a Emater da Vargem Bonita fará uma campanha entre os produtores para conseguir o material em maior quantidade e menor preço. Exames toxicológicos – Mais de 60 produtores rurais atendidos pela unidade da Emater-DF na Vargem Bonita receberam, no dia 8 de outubro, os resultados dos exames toxicológicos feitos no dia 25 de junho. Os médicos Marlucy Correia e Ubiratan Loureiro Junior deram orientações sobre a importância do cuidado com a saúde. Segundo Ubiratan, nenhum resultado foi preocupante. Entretanto, o exame realizado detecta apenas intoxicação por agrotóxicos organofosforados e, por isso, “aqueles que ainda assim apresentarem sintomas como tontura, dor de cabeça, insônia, falta de apetite, pele irritada, excesso de salivação, depressão, diarreia e vômito pode procurar o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) para acompanhamento e exames mais detalhados”, falou. Informativo produzido pelas assessorias de comunicação social: Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF) - 3051-6347 Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) - 3340-3002 Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) - 3363-1024 Siga o Sistema Agricultura nas redes sociais: facebook.com/SeagriDF facebook.com/ematerdistritofederal facebook.com/ceasa-df twitter.com/ematerdf

×