Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Nr10 revisao cap7

1,337 views

Published on

equipaeng

Published in: Science

Nr10 revisao cap7

  1. 1. 1 Capitulo 6 – Revisão da NR-10
  2. 2. 2 Índice da NR 10 • 10.1 - OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO • 10.2 - MEDIDAS DE CONTROLE • 10.3 - SEGURANÇA EM PROJETOS • 10.4 - SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO • 10.5 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DESENERGIZADAS • 10.6 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ENERGIZADAS
  3. 3. 3 Índice da NR 10 • 10.7 - TRABALHOS ENVOLVENDO ALTA TENSÃO (AT) • 10.8 - HABILITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO, CAPACITAÇÃO E AUTORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES • 10.9 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E EXPLOSÃO • 10.10- SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA • 10.11 - PROCEDIMENTOS DE TRABALHO • 10.12 - SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA • 10.13 – RESPONSABILIDADES • 10.14 - DISPOSIÇÕES FINAIS
  4. 4. 4 Anexos da NR10 • ANEXO I - ZONA DE RISCO E ZONA CONTROLADA • ANEXO II -TREINAMENTO • 1. CURSO BÁSICO • 2. CURSO COMPLEMENTAR - SEP
  5. 5. 5 • 10.1.1 Esta Norma Regulamentadora – NR estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade.
  6. 6. 6 Normas • 10.1.2 Esta NR se aplica às fases de geração, transmissão, distribuição e consumo, incluindo as etapas de projeto, construção, montagem, operação, manutenção das instalações elétricas e quaisquer trabalhos realizados nas suas proximidades, observando-se as normas técnicas oficiais estabelecidas pelos órgãos competentes e, na ausência ou omissão destas, as normas internacionais cabíveis
  7. 7. 7 Normas Nacionais • NBR 5410/04 Instalações elétricas de baixa tensão • NBR 5419/05 Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas • NBR 14039 Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV • NBR-IEC-60079-14-Atmosferas explosivas - Parte 14: Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas
  8. 8. 8 LegislaçãoTécnica ALTA TENSÃO TENSÃO DE TRANSMISSÃO 750 KV 440 KV 345 KV 230 KV 138 KV 69 KV TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DAS USINAS PARA CIDADES TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO 15 KV 6,6 KV 2,3 KV TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DE ÂMBITO URBANO E RURAL •BAIXA TENSÃO TENSÕES MAIS USUAIS 127 / 220 VOLTS 220 / 380 VOLTS 380 / 440 VOLTS 600 VOLTS RESIDENCIAL ILUMINAÇÃO MOTORES TRAÇÃO URBANA NÃO HÁ LEGISLAÇÃO NBR 14039 – Instalações Elétricas de Média Tensão 1 a 36,2 kV NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão 50V a 1 kV MÉDIA TENSÃO
  9. 9. 9 NOMENCLATURADE NÍVEIS DE TENSÃO DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA EM Vca 13,8kV 23kV 34,5kV SUB- TRANSMISSÃO 69kV 138kV TRANSMISSÃO 230kV 345kV 460kV 500kV 750kV 1050kV REDE BÁSICA ONS (EM ESTUDO) CONCESSIONÁRIAS Obs.: São comuns também as expressões EAT (Extra Alta Tensão) para os níveis de 230kV a 500kV e UAT (Ultra Alta Tensão) para os níveis acima de 500kV. (*) Níveis de tensão não normalizados pelo Dec. N° 73.080, de 05.11.73 (*) (*) (*)
  10. 10. 10 Normas Internacionais • NFPA 70E: Standard for Electrical Safety in the Workplace® • IEEE 1584 IEEE Guide for Performing Arc Flash Hazard Calculations
  11. 11. 11 Medidas Controle • Análise de Risco • Diagrama Unifilar • Prontuário Instalações Elétricas se P> 75kW
  12. 12. 12 Prontuário: • sistema organizado de forma a conter uma memória dinâmica de informações pertinentes às instalações e aos trabalhadores.
  13. 13. 13 Prontuário Instalações Elétricas • Procedimentos • Documentação SPDA e aterramentos • EPI, EPC e Ferramental • Qualificação , Habilitação , Capacitação, Autorização e Treinamentos • Testes de Isolação Elétrica • Áreas Classificadas • Relatório Técnico das Inspeções e Plano de Ação
  14. 14. 14 Prontuário Instalações Elétricas • SEP • procedimentos para emergências; e • certificações dos equipamentos de proteção coletiva e individual;
  15. 15. 15 Prontuário Instalações Elétricas -Proximidade SEP • Procedimentos • EPI e EPC • Qualificação , Habilitação , Capacitação e Autorização • Testes de Isolação Elétrica • procedimentos para emergências; e • certificações dos equipamentos de proteção coletiva e individual
  16. 16. 16 MODELO MENTAL DO PRONTUÁRIO
  17. 17. 17 Prontuário • Prontuário : organizado e mantido atualizado pelo empregador ou pessoa formalmente designada pela empresa, devendo permanecer à disposição dos trabalhadores envolvidos nas instalações e serviços em eletricidade. • Prontuário: elaborado por profissional legalmente habilitado.
  18. 18. 18 Termografia
  19. 19. 19 IR Termografia mostra o Calor e o ProblemaProblema? Ver o Calor, Ver o Problema Componentes Inspecionados em uma Subestação
  20. 20. 20 Instrumentos
  21. 21. 21
  22. 22. 22 ATÉ AS PONTAS DE PROVA DEVEM POSSUIR ISOLAMENTO ESPECIAL
  23. 23. 23 Proteção Coletiva • Prioridade Medidas Coletivas Procedimentos • Prioridade Desernergização : na impossibilidade tensão de segurança • Na impossibilidade das medidas anteriores • Isolação das Partes Vivas • Obstáculos • Barreiras • Sinalização • Seccionamento Automático • Bloqueio de Religamento Automático
  24. 24. 24 ReligadorAutomático
  25. 25. 25 Proteção Coletiva • Implantação de Aterramento
  26. 26. 26 Proteção Individual • Individual=> Coletiva tecnicamente inviável ou insuficiente • Vestimenta • Proibido uso de adornos
  27. 27. 27 Luva isolante de borracha TIPO CONTATO TARJA Classe 00 500V Bege Classe 0 1000V Vermelha Classe I 7,5 kV Branca Classe II 17 kV Amarela Classe III 26,5 kV Verde Classe IV 36 kV Laranja
  28. 28. 28 Teste de Luvas Isolantes
  29. 29. 29 Vestimenta RECOMENDAÇÃO Até 15 kV utilizar método IEEE 1584,e, acima desta tensão, e, nas condições não aceitas pelo método IEEE, utilizar NFPA 70 E – Ralph Lee
  30. 30. 30
  31. 31. 31 Segurança em Projetos • Sistemas de bloqueio • Espaço Seguro • Aterramento • Proteção contra choques elétricos • Dispositivo Manobra Indicação : verde D desligado/ vermelho L Ligado • Identificação dos Circuitos • Acesso restrito • Proteção Influencias Externas • Princípios Funcionais • Compatibilidade
  32. 32. 32 Interruptor Diferencial Residual - IDR
  33. 33. 33 Funcionamento do IDR
  34. 34. 34 Aplicação DR
  35. 35. 35 Montagem DR
  36. 36. 36 Tabela IP – Indice de Proteção (Ingress Protection Level) IP - PROTEÇÃO CONTRA PENETRAÇÃO DE CORPOS SÓLIDOS NO INVÓLUCRO PROTEÇÃO CONTRA PENETRAÇÃO DE LÍQUIDOS NO INVÓLUCRO LETRA ADICIONAL (SE REQUERIDA) GRAU DE PROTEÇÃO LETRA SUPLEMENTAR (SE REQUERIDA)
  37. 37. 37 IP
  38. 38. 38 IP
  39. 39. 39 39
  40. 40. 40 Tomadas
  41. 41. 41 Tomadas
  42. 42. 42
  43. 43. 43 Tensão Mundial
  44. 44. 44 Segurança na Construção – Montagem – Operação - Manutenção • Controle dos Riscos adicionais • Uso de equipamentos compatíveis • Ferramentas Isoladas • Instalações em Condições Seguras • Não pode armazenar produtos nas instalações • Iluminação Adequada • Trabalho somente para trabalhadores autorizados
  45. 45. 45 Proibido Guardar Ferramentas nas Instalações
  46. 46. 46 Segurança em Instalações Elétricas Desenergizadas • Desenergização • Seccionamento • Impedimento de Reenergização • Ausência de Tensão • Aterramento temporário • Proteção dos Elementos energizados • Sinalização de impedimento de reenergização
  47. 47. 47 BLOQUEARDESLIGAR Trata-se da abertura efetiva do circuito (preferencialmente o de força ) Trata-se da introdução de um dispositivo físico/ trava que mantenha o circuito aberto ETAPAS DA DESENERGIZAÇÃO
  48. 48. 48 ETAPAS DA DESENERGIZAÇÃO ATERRARTESTAR Trata-se da confirmação da AUSÊNCIA de tensão através de instrumento e dispositivos e apropriados Trata-se da EQUIPOTENCIALIZA ÇÃO das partes condutoras que porventura possam vir a ficar energizadas
  49. 49. 49 PROTEGER SINALIZAR Trata-se da leitura do ambiente, e se for o caso, a introdução de barreiras isolantes entre as partes que continuarem energizadas no local da intervenção . Trata-se da colocação de etiquetas sinalizadoras, informando responsável, data, hora e motivo. ETAPAS DA DESENERGIZAÇÃO
  50. 50. 50 • Desligar • Bloquear • Testar • Aterrar • Proteger • Sinalizar
  51. 51. 51 DETECÇÃO : DETETOR INDIVIDUAL ( DE BOLSO ) COMPLEMENTAR ! DETETORES TRADICIONAIS
  52. 52. 52 Desernergização
  53. 53. 53 Reenergização • O estado de instalação desenergizada deve ser mantido até a autorização para reenergização, devendo ser reenergizada respeitando a seqüência de procedimentos abaixo: • a) retirada das ferramentas, utensílios e equipamentos; • b) retirada da zona controlada de todos os trabalhadores não envolvidos no processo de reenergização; • c) remoção do aterramento temporário, da equipotencialização e das proteções adicionais; • d) remoção da sinalização de impedimento de reenergização; • e) destravamento, se houver, e religação dos dispositivos de seccionamento.
  54. 54. 54 • As medidas constantes das alíneas apresentadas nos itens desenergização e reenergização10.5.2 podem ser alteradas, substituídas, ampliadas ou eliminadas, em função das peculiaridades de cada situação, por profissional legalmente habilitado, autorizado e mediante justificativa técnica previamente formalizada, desde que seja mantido o mesmo nível de segurança originalmente preconizado.
  55. 55. 55 Desligado Energizado • Os serviços a serem executados em instalações elétricas desligadas, mas com possibilidade de energização, por qualquer meio ou razão, devem atender ao que estabelece na SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ENERGIZADAS
  56. 56. 56 Instalações Energizadas • As intervenções em V≥ 50 Vca ou V ≥ 120Vcc => trabalhadores autorizados • Curso NR 10 Básico • Ingresso em Zona Controlada=> Procedimento • Inovações tecnológicas => Análise de Risco • Ligar e Desligar => pessoa não advertida • Direito de Recusa • Zona Risco - Controlada
  57. 57. 57 57
  58. 58. 58 Trabalhos emAlta Tensão • Curso NR 10 Complementar • Trabalho acompanhado • Ordem de Serviço • Avaliação Prévia • Zona Risco=> Bloqueio do religamento Automático • Serviços=> Procedimento =>RT • Equipamentos Desativados devem estar sinalizados • Ferramentas Isoladas e Testadas • Comunicação Permanente
  59. 59. 59 Estado físico das estruturas e posteamento . CONDIÇÕES IMPEDITIVAS DE TRABALHO NO SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
  60. 60. 60 Métodos de Trabalho em Linha Viva • Ao Contato • Método ao potencial • Distância
  61. 61. 61 Ao Contato
  62. 62. 62 Método ao potencial
  63. 63. 63 Método à distância
  64. 64. 64
  65. 65. 65 Habilitação, Qualificação, Capacitação eAutorização • Qualificação => Sistema Oficial de Ensino • Habilitação=> Qualificado+ CREA • Capacitado=> Capacitação por Habilitado +Responsabilidade(Habilitado) • Capacitação => Empresa • Autorizado=> Anuência da Empresa
  66. 66. 66 66 FORMAÇÃO Profissional CURSO ELÉTRICA - SISTEMA OFICIAL ENSINO TRABALHAR SOB SUPERVISÃO DE PROFISSIONAL HABILITADO E AUTORIZADO QUALIFICADO REGISTRO NO CONSELHO DE CLASSE HABILITADO CURSO BÁSICO 40 h / COMPLEMENTAR 40 h AUTORIZADO OCUPAÇÃO(Código Brasileiro Ocupação-CBO) CAPACITAÇÃO ESPECÍFICA SOB RESPONSABILIDADE DE PROFISSIONAL HABILITADO E AUTORIZADO EMPRESA CAPACITADO PROFISSÃO
  67. 67. 67
  68. 68. 68 • Sistema de Identificação – Autorização • Autorização => Registro Empregado • Autorizados=> Curso Básico • Autorizados=> Exames Médicos
  69. 69. 69 Reciclagem • Bienal ou • Troca de função ou mudança de empresa • Afastamento maior que 3 meses • Modificação nas instalações • Não tem carga horária e conteúdo obrigatório
  70. 70. 70 Trabalhadores em Zona Livre • Trabalhador não relacionado com elétrica => ser instruído formalmente dos riscos
  71. 71. 71
  72. 72. 72 Proteção contra Incêndio • Instalações com proteção contra incêndio • NR 23 x IT
  73. 73. 73 Áreas Classificadas • Treinamento especifico • Equipamentos Certificados • Controle da Energia Estática • Permissão para Trabalho
  74. 74. 74 Sinalização • NR 26 a) identificação de circuitos elétricos; b) travamentos e bloqueios de dispositivos e sistemas de manobra e comandos; c) restrições e impedimentos de acesso; d) delimitações de áreas; e) sinalização de áreas de circulação, de vias públicas, de veículos e de movimentação de cargas; f) sinalização de impedimento de energização; e g) identificação de equipamento ou circuito impedido
  75. 75. 75 Sinalização
  76. 76. 76 Procedimentos de Trabalho • Procedimentos específicos • Ordem de Serviço • Tipo • Data • Local • Referência ao Procedimento
  77. 77. 77 Procedimentos de Trabalho • Procedimentos , Treinamento e Autorização => SESMT • Equipe => Líder • Avaliação Prévia no início
  78. 78. 78 Situação de emergência • Plano de Emergência • Primeiros Socorros • Resgate Padronizado • Combate a Princípio de Incêndio
  79. 79. 79 Responsabilidades • Contratantes e Contratados são solidários • Contratantes informar o risco para o trabalhador • Acidente do Trabalho=> propor medidas corretivas
  80. 80. 80 Responsabilidades Trabalhadores a) Zelar pela segurança b) Cumprir os procedimentos c) Comunicar os problemas
  81. 81. 81 Disposições Finais • Direito de Recusa=>Supervisor • Empresas controlar os riscos de outras empresas ou denunciar • Não cumprimento da NR-10 => NR 03 • Documentação disponível aos trabalhadores e fiscalização
  82. 82. 82 Disposição Final • Esta NR não é aplicável a instalações elétricas alimentadas por extra-baixa tensão. • Extra-Baixa Tensão (EBT): tensão não superior a 50 volts em corrente alternada ou 120 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra.
  83. 83. 83 Dúvidas
  84. 84. 84

×