Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
1.Em Trânsito1.1.Segurança e prevençãoOs transportes continuam a ser uma das principais fontes de acidentes. Quais são as...
A educação rodoviária é um processo de formação ao longo da vida do cidadão comopassageiro, peão e condutor.O excesso de v...
Tempo de travagemDepende de muitos fatores, entre eles:       Velocidade       Condições da estrada       Travões, pneus  ...
Distância de reação = dr               Velocidade inicial = ViDistância de travagem = dt             Tempo de reação = trD...
Por outro lado, os cintos de segurança possuem alguma elasticidade, o tempo de imobilizaçãodos passageiros é maior, o que ...
Exemplo: Quando estamos numa viagem de carro os passageiros estão em repousorelativamente ao veículo (referencial, mas em ...
O deslocamento tem:                   Origem na posição inicial e extremidade na posição final;                   Sentido ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças

5,248 views

Published on

  • Be the first to comment

Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças

  1. 1. 1.Em Trânsito1.1.Segurança e prevençãoOs transportes continuam a ser uma das principais fontes de acidentes. Quais são as principais causas de acidentes rodoviários?Falha humanaCerca de 95% dos acidentes de que resultam vítimas mortais ou feridos graves têm como fatordominante ou concorrente a falha humana. Por isso, cabe aos condutores e peões adotarcomportamentos que permitam viajar com mais segurança.Principais causas de acidentes devidas a falha humana: Excesso de velocidade Ultrapassagens perigosas Desrespeito pela sinalização e pelas regras de prioridade Condução sob o efeito de álcool ou certos medicamentos Fadiga e sonolênciaMau estado da via e sinalização deficienteAs vias exigem muita manutenção, mas essa manutenção das estradas, pontes e viadutosnem sempre é realizada devido a problemas económicos, sociais e ambientais, originandoacidentes.Mau estado da viaturaÉ necessário verificar regularmente as condições das viaturas: a conservação e a pressão dospneus, a direção, as luzes de presença, de travagem e de mudança de direção, o sistema detravagem, os amortecedores, a bateria e os faróis.Más condições atmosféricas e de luminosidadeA chuva, o nevoeiro, o gelo e a neve alteram as condições da circulação rodoviária.É necessário: Redução de velocidade Sinalização luminosa adequada Condução atenta e prudenteO estado dos pneus é também muito importante, principalmente em vias escorregadias.Como prevenir acidentes rodoviários?É muito importante respeitar as normas de segurança rodoviária!
  2. 2. A educação rodoviária é um processo de formação ao longo da vida do cidadão comopassageiro, peão e condutor.O excesso de velocidade é a principal causa de mortalidade em Portugal. É necessáriorespeitar os limites de velocidade previstos no Código da Estrada.Quanto maior for a velocidade de um veículo (maior é a energia cinética) e, em caso deacidente, mais graves são as consequências.Quanto maior for a velocidade de um veículo, maior terá de ser a distância de segurançarodoviária (distância mínima que dois veículos devem manter entre si para, no caso de umatravagem brusca, não colidirem).De que dependerá a distância de segurança?A paragem do veículo é feita em dois tempos: Tempo de reação do condutor: é o tempo decorrido entre o instante em que o condutor se apercebe do obstáculo ou situação perigosa e o instante em que inicia a travagem; Tempo de travagem: é o intervalo de tempo entre o instante em que o condutor inicia a travagem e o instante em que o carro para.Tempo de reação do condutorEste intervalo de tempo, geralmente, não ultrapassa uma fração de segundo. Varia decondutor para condutor e depende do estado físico e psíquico do mesmo.Depende de: Reflexos do condutor Idade do condutor Experiência como condutor Concentração Cansaço Consumo de certos medicamentos e drogasA distância percorrida pelo veículo, durante o tempo de reação do condutor, designa-se pordistância de reação.
  3. 3. Tempo de travagemDepende de muitos fatores, entre eles: Velocidade Condições da estrada Travões, pneus Forças de atrito Massa do veículo …A distância percorrida pelo veículo durante o tempo de travagem designa-se por distância detravagem.Observa a seguinte cena: À soma das distâncias de reação e de travagem chama-se distância de segurança.Calcular a distância de segurança rodoviária
  4. 4. Distância de reação = dr Velocidade inicial = ViDistância de travagem = dt Tempo de reação = trDistância de segurança = ds Tempo de travagem = ttA1 = área do retângulo 1 A2 = área do triângulo 2 dr = A1 = Vi x tr dt = A2 = (Vi x tt) : 2 ds = Vi x tr + (Vi x tt): 2 ds = A1 + A2 = dr + dtA distância de travagem de um veículo:- é tanto maior quanto maior for a velocidade do veículo- é maior para o piso molhado do que para o piso secoA distância de reação de um veículo:- aumenta com a velocidade do veículo- é independente ao tipo de pisoAssim pode concluir-se que a distância de segurança rodoviária:- aumenta com a velocidade do veículo- é maior para piso molhado do que secoComponentes de segurançaAtualmente, os automóveis são tecnicamente mais seguros com componentes de segurançaque protegem os passageiros no caso de uma travagem brusca ou de colisão.Por exemplo: cintos de segurança, aos apoios de cabeça com amortecimento, ao tablier comrevestimento flexível, airbags, etc.Para os motociclistas têm os capacetes.Como funcionam os cintos de segurança e os capacetes?Os cintos de segurança impedem que uma pessoa seja projetada contra o para-brisas oumesmo para fora do veículo, no caso de colisão ou de travagem brusca.
  5. 5. Por outro lado, os cintos de segurança possuem alguma elasticidade, o tempo de imobilizaçãodos passageiros é maior, o que faz com que a intensidade da força de colisão sobre eles sejamenor e as consequências físicas da colisão para os passageiros não sejam tão graves.Os capacetes baseiam-se no mesmo princípio dos cintos de segurança: aumentam o tempo decolisão de forma que a força de impacto diminua.Os capacetes são almofadados no seu interior, o que ajuda a amortecer a pancada e aumentaro tempo de colisão.Assim, os capacetes e os cintos de segurança distribuem a intensidade da força de colisão poruma superfície maior diminuindo o seu efeito.Nota: Num automóvel, a parte da frente e aparte de trás são zonas deformáveis. Estas zonassão feitas com materiais que se deformam, para aumentarem o tempo de colisão.Como funcionam os apoios de cabeça e os airbags?Os apoios de cabeça protegem os passageiros de danos graves na coluna e na zona dopescoço. Estes apoios impedem a cabeça de ir para trás.Os airbags são sacos insufláveis eletronicamente no momento de colisão que protegem dochoque com o volante ou partes da frente e laterais do automóvel.Também se tem investido em barreiras de estrada, sinais de trânsito e postes de candeeirocom zonas deformáveis para aumentar o tem de colisão.1.2.Movimento e forças1.2.1. Alguns movimentos e as suas caraterísticasO movimento é um fenómeno que observamos constantemente no nosso dia-a-dia.Repouso e movimentoO conceito de movimento e de repouso de um corpo são conceitos relativos. Diz-se que umcorpo está em movimento quando a sua posição em relação a um referencial varia no decorrerdo tempo. Assim, um corpo pode estar em repouso em relação a um referencial, e ao mesmotempo, estar em movimento em relação a outro referencial.
  6. 6. Exemplo: Quando estamos numa viagem de carro os passageiros estão em repousorelativamente ao veículo (referencial, mas em movimento em relação a uma árvore.TrajetóriaA trajetória de um corpo em movimento consiste numa linha imaginária que indica assucessivas posições ocupadas pelo corpo no decorrer do tempo.A trajetória de um corpo, em relação a um referencial, pode ser: Retilínea Curvilínea (circular, elíptica e parabólica)Distância percorrida e deslocamentoDistância percorrida (ou espaço percorrido) e deslocamento são grandezas físicas diferentes.Distância Percorrida (d)É a medida total do trajeto que o corpo efetuou.É uma grandeza física escalar (sempre positiva), ou seja, fica totalmente caraterizada por umvalor.Deslocamento(Δr)Medida que relaciona a diferença entre a posição inicial e a posição final, do corpo.É uma grandeza vetorial. Para a definir é necessário indicar a direção, intensidade e sentido.A unidade SI de distância percorrida e deslocamento é o metro.A distância percorrida corresponde à medida do percurso efetuado ao longo da estrada(curvas).
  7. 7. O deslocamento tem: Origem na posição inicial e extremidade na posição final; Sentido da posição inicial para a final; Valor igual à medida, em linha reta, da distância entre as posições inicial e final. A distância percorrida e o deslocamento podem ser iguais se a trajetória for retilínea seminverter o sentido.Sendo Xi =0 m e sendo Xf = 700 m calcula a distância percorrida e o deslocamento.A distância percorrida = 700 mPara calcular o deslocamento = Xf – Xi = 700–0=700 mNo caso de o carro, se deslocasse no sentido contrário (da direita para a esquerda) seria:A distância percorrida = 700mO deslocamento =(Xf – Xi) = 0-700=-700 mRapidez média e velocidadeEm física usam-se os conceitos de velocidade e de rapidez média.Rapidez média é uma grandeza escalar, sempre positiva, que indica a distância percorrida porum corpo, por unidade de tempo. rm = d:ΔtVelocidade média é uma grandeza vetorial, que nos indica a rapidez com que um corpo mudade posição no seu movimento, bem como a direção e o sentido do movimento. vm = Δχ:Δt = χf-χi : tf - tiO vetor velocidade v tem sempre: O sentido do movimento; A direção: -da trajetória, se o movimento é retilíneo - tangente à trajetória em cada instante, se o movimento é curvilíneo.A unidade SI de velocidade e rapidez média é o metro por segundo (m/s).

×