Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
RELATO DE 7 CASOS CLÍNICOS  Realização: Priscilla Motta Tavares              Professores:           Inês Jacyntho Inojosa ...
   Paciente: C.M.S   Gênero: Feminino   Idade: 34   Dente a ser tratado: 46História médica: Paciente afirma não possui...
CÁRIERestauração comexcesso e muito  próxima do divertículo da câmara pulpar          Radioluscência apical (seta).
Forame                              paraapicalOdontometria do 46 (localizador apical)
Canal Mésio-Vestibular (CMV) 20mm;Canal Mésio-Lingual (CML) 20 mm;Canal Distal (CD) 19mmPatência (P): 1mm a mais do CT ...
TÉCNICA HÍBRIDAPreparo Apical Inicial instrumentação manual no    comprimento da patência até lima tipo K 20.Preparo da p...
1°Caso finalizado
Paciente: M. E. S.Gênero: femininoDente a ser tratado: 48História médica: paciente afirma não possuir,  nem ter sido acome...
Instrumentação e Obturação do 48 Preparo Apical Inicial instrumentação manual no     comprimento da patência até lima tip...
RADIOGRAFIA     RADIOGRAFIAINICIAL do 48      FINAL do 48      ( 2° CASO)      ( 2° CASO)
Paciente: L. A. S.Gênero: femininoIdade: 24 anosDentes a serem tratados: 46 e 36História médica: Paciente afirma não possu...
rie               Cá                        PolpaTérmino docanal distal               Término dos canais mesiais
Limas nos comrimentos para patência
TÉCNICA HÍBRIDAPreparo Apical Inicial instrumentação manual no   comprimento da patência até lima tipo K 20.Preparo da pa...
OBTURAÇÃO : Técnica da Compactação Lateral
INICIAL     3° CASO CLÍNICO                 ( Bio do 46)                            FINAL          ODONTOMETRIA
4° CASO CLÍNICO       Biopulpectomia)Cárie sobrestauração              Polpa              Término dos canais
INSTRUMENTAÇÃO E OBTURAÇÃO DO 36  Preparo Apical Inicial instrumentação manual no   comprimento da patência até lima tipo...
4° CASO (Bio do 36)INCIAL                    FINAL         ODONTOMETRIA
Paciente: T. L. F. A.Gênero: femininoIdade: 15Dente a ser tratado: 15História médica: Paciente afirma não possuir, nem  te...
Espessamento    apical  P  ol  p   a
Bio do 15Preparo Apical Inicial instrumentação manual nos    comprimentos da patência até lima tipo K 20.Preparo da parte...
Presença de 2 canais!
Paciente: E. S. L. S.Gênero: femininoIdade: 30 anosDente a ser tratado: 37Históra médica: Paciente afirma não possuir, nem...
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Casos  clínicos  de  endodontia  de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Casos clínicos de endodontia de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)

11,113 views

Published on

Casos clínicos do curso de endodontia realizado em Maceió.

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Casos clínicos de endodontia de Priscila Mota Tavares (curso de endodontia Maceió, Alagoas)

  1. 1. RELATO DE 7 CASOS CLÍNICOS Realização: Priscilla Motta Tavares Professores: Inês Jacyntho Inojosa Maria Lúcia Feitosa Irenilda Lemos Daniel Oliveira
  2. 2.  Paciente: C.M.S Gênero: Feminino Idade: 34 Dente a ser tratado: 46História médica: Paciente afirma não possuir, nem ter sido acometida por enfermidade relevante.Aspectos clínicos: cárie na face mesial , restauração na distal e presença de três fístulas vestibulares .Tratamento: necropulpectomia do 46
  3. 3. CÁRIERestauração comexcesso e muito próxima do divertículo da câmara pulpar Radioluscência apical (seta).
  4. 4. Forame paraapicalOdontometria do 46 (localizador apical)
  5. 5. Canal Mésio-Vestibular (CMV) 20mm;Canal Mésio-Lingual (CML) 20 mm;Canal Distal (CD) 19mmPatência (P): 1mm a mais do CT obtido em todos os canais 2ª Odontometria
  6. 6. TÉCNICA HÍBRIDAPreparo Apical Inicial instrumentação manual no comprimento da patência até lima tipo K 20.Preparo da parte reta do canal  Gates 4, 3, 2 e 1com movimento anti-curvaturaPreparo do Canal limas Protaper no comprimentoda patência , até F3 , empregando o motor easy slimcom controle de torque para “tip” 20 e ” taper “ 6%Preparo Apical Final  manual até lima K 45 de Niti.Irrigação NaOCl a 2,5% (Q-Boa)
  7. 7. 1°Caso finalizado
  8. 8. Paciente: M. E. S.Gênero: femininoDente a ser tratado: 48História médica: paciente afirma não possuir, nem ter sido acometida por enfermidade relevante.Queixa : ausência de odontalgia, paciente encaminhada pela UFAL para tratamento endodôntico com indicação protética.Tratamento: biopulpectomia do 48
  9. 9. Instrumentação e Obturação do 48 Preparo Apical Inicial instrumentação manual no comprimento da patência até lima tipo K 20.Preparo da parte reta do canal  Gates 4, 3, 2 e 1 commovimento anti-curvaturaPreparo Apical  manual até lima K 45 de Niti nosmesiais e 50 no distal .Irrigação NaOCl a 2,5% (Q-Boa)Remoção da “smear layer”EDTA 17% por 3 minutosObturação Técnica Híbrida de Tagger
  10. 10. RADIOGRAFIA RADIOGRAFIAINICIAL do 48 FINAL do 48 ( 2° CASO) ( 2° CASO)
  11. 11. Paciente: L. A. S.Gênero: femininoIdade: 24 anosDentes a serem tratados: 46 e 36História médica: Paciente afirma não possuir, nem ter sido acometida por enfermidade relevante.Queixa: sensibilidade ao frioAspecto clínico: elementos dentais com cavidades, amplas ,estando o 46 sem parte da restauração e o 36, com material restaurador provisório;Tratamento Indicado: biopulpectomia para ambos.
  12. 12. rie Cá PolpaTérmino docanal distal Término dos canais mesiais
  13. 13. Limas nos comrimentos para patência
  14. 14. TÉCNICA HÍBRIDAPreparo Apical Inicial instrumentação manual no comprimento da patência até lima tipo K 20.Preparo da parte reta do canal  Gates 4, 3, 2 e 1 com movimento anti-curvaturaPreparo do Canal limas Protaper no comprimento da patência , até F1 e F2 e F3 no CT , empregando o Contra-ângulo NSK para instrumentação oscilatóriaPreparo Apical Final  manual até lima K 45 de Niti nos mesiais e 50 no distal.Irrigação NaOCl a 2,5% (Q-Boa)
  15. 15. OBTURAÇÃO : Técnica da Compactação Lateral
  16. 16. INICIAL 3° CASO CLÍNICO ( Bio do 46) FINAL ODONTOMETRIA
  17. 17. 4° CASO CLÍNICO Biopulpectomia)Cárie sobrestauração Polpa Término dos canais
  18. 18. INSTRUMENTAÇÃO E OBTURAÇÃO DO 36 Preparo Apical Inicial instrumentação manual no comprimento da patência até lima tipo K 20.Preparo da parte reta do canal  Gates 4, 3, 2 e 1 com movimento anti-curvaturaPreparo do Canal limas Protaper no comprimento da patência , até F1 e F2 e F3 no CT , empregando o Contra- ângulo NSK para instrumentação oscilatóriaPreparo Apical Final  manual até lima K 40 de Niti nos mesiais e 50 no distal.Irrigação NaOCl a 2,5% (Q-Boa)Remoção da “smear layer”EDTA 17% por 3 minutosObturação Técnica Compactação Lateral
  19. 19. 4° CASO (Bio do 36)INCIAL FINAL ODONTOMETRIA
  20. 20. Paciente: T. L. F. A.Gênero: femininoIdade: 15Dente a ser tratado: 15História médica: Paciente afirma não possuir, nem ter sido acometida por enfermidade relevante.Aspectos clínicos: Cavidade profunda, preenchida com material restaurador provisório, muito próximo à polpa e com sensibilidade ao gelado.Indicação: biopulpectomia.
  21. 21. Espessamento apical P ol p a
  22. 22. Bio do 15Preparo Apical Inicial instrumentação manual nos comprimentos da patência até lima tipo K 20.Preparo da parte reta do canal  Gates 4, 3, 2 e 1Preparo Apical  manual até lima K 45 de Niti .Irrigação NaOCl a 2,5% (Q-Boa)Obturação Técnica da compactação lateral
  23. 23. Presença de 2 canais!
  24. 24. Paciente: E. S. L. S.Gênero: femininoIdade: 30 anosDente a ser tratado: 37Históra médica: Paciente afirma não possuir, nem ter sido acometida por enfermidade relevante.História dental: Dor iniciada com estímulo frio que aumentou com o tempo tornando-se contínua, pulsátil, não respondendo mais a analgésicos.Tratamento: Biopulpectomia do 37

×