PARÓQUIA SANTO ANTONIO DE SENADOR MELO VIANAFORMAÇÃOEMLITURGIAPor: Jayme Sobrinho
TEMA:MINISTÉRIOS LEIGOSNALITURGIA
ROTEIRO DO ENCONTRO1 - LITURGIA, PALAVRA DE DEUSE MINISTÉRIOS LEIGOS2 - LITURGIA E COMUNICAÇÃO3 - ORIENTAÇÕES PARA O BOMEX...
O INÍCIO DETUDOO MISTÉRIO DA NOSSAFÉ
LITURGIA,PALAVRA DE DEUSEMINISTÉRIOS
LITURGIAO termo “LITURGIA” vem dalíngua grega e tem váriossignificados, sendo um deles“uma ação pública em favordo povo”; ...
PARA NÓS, CRISTÃOS, LITURGIA ÉUMA AÇÃO PÚBLICA, SAGRADA,REALIZADA NA IGREJA E PELAIGREJA, COM RITOS, ORAÇÕES,SÍMBOLOS E CÂ...
SEGUNDO A CONSTITUIÇÃOCONCILIAR SACROSANCTUM CONCILIUMSOBRE A SAGRADA LITURGIA, LITURGIAÉ “UMA AÇÃO SAGRADA PELA QUALATRAV...
FUNDAMENTAÇÃO TEOLÓGICA
• A tradução grega do Antigo Testamento cita aLiturgia como “um serviço religioso prestadopelos levitas a Javé”, começado ...
• No Antigo Testamento foram criados os ritos para ossacrifícios (holocausto, expiação, oblação) dirigidos aDeus no Templo...
LITURGIA DOS SACRAMENTOS• Os sacramentos são sinais sensíveis, visíveis einvisíveis, instituídos por Deus para nossasantif...
• O Sacramento mais importante na vida da Igrejaé o Sacramento da Eucaristia, a Santa Missa. Éo ponto alto de toda a ação ...
• Todos os Sacramentos são muito importantesna vida da Igreja, povo de Deus, pois deles nosvem a graça santificante. Por i...
A TERRA UNE-SE AO CÉU NUMÚNICO LOUVOR
IMPORTÂNCIA DALITURGIA NA VIDA DAIGREJA• Da terra sobe um único louvor a Deus nasalturas!• Pela ação litúrgica, com as mes...
• Pela ação litúrgica os rebanhos se reúnemao redor de seus pastores (os Bispos,sucessores dos apóstolos) e estes grandesr...
A PALAVRA DE DEUS NALITURGIA• A Palavra de Deus escutada e acolhidatransforma. É da escuta e acolhida daPalavra que o home...
O PRÓPRIO DEUS NOS FALA• Deus é Palavra, o Verbo, e da Palavra tudo sefez.• Desde o princípio de tudo Deus fala a seupovo;...
O FILHO NOS EXPLICAAS ESCRITURAS,FAZENDO ONOSSOCORAÇÃOARDER.Lc 24, 13-35
• Atualmente é no culto, na ação litúrgicacom o povo reunido que ouvimos aPalavra de Deus. Ele se faz presentenas proclama...
PALAVRA DE DEUS EEUCARISTIA• A Palavra, o Verbo, se fez carne e habitouentre nós.• O homem tentou calar a Palavra pregando...
AS MESAS DAPALAVRA E DAREFEIÇÃO
• No espaço onde ocorre a celebração litúrgica (espaçocelebrativo), duas mesas se fazem presentes: a mesada Palavra (ambão...
MINISTÉRIOS
• Hoje é bem comum ouvirmos muitas igrejase pessoas usarem a palavra ministério.• A palavra ministério, na Bíblia, na maio...
• Assim, quem tem um ministério é um trabalhador,um servo voltado a agradar a Deus com aquilo quefaz, com seu serviço. Que...
• No documento “Missão e Ministério dosCristão”, a CNBB diz assim sobre osministérios:• 84. Ministério é, antes de tudo, u...
• 85. Nem todo carisma, porém, é ministério...seuportador deve aspirar ao dom maior que é o amor.Mas só pode ser considera...
MINISTÉRIOSPARTICULARES SEGUNDOA INSTRUÇÃOGERAL DOMISSAL ROMANO- ACÓLITO- LEITOROBS: Na ausência do acólito e do leitor in...
MINISTÉRIOS NA LITURGIASEGUNDO O GRAU DEENVOLVIMENTO• MINISTÉRIOS CONFIADOS (TEMPORÁRIOS OUNÃO)• MINISTÉRIOS INSTITUIDOS (...
MINISTÉRIOS LEIGOS• O Concílio Vaticano II, inspirado pelo EspíritoSanto, reconheceu a importância da presença eatuação do...
• O termo “ministério” é amplo e complexo e dentroda Igreja há uma diversidade de ministérios leigos,sendo os mais comuns ...
MINISTÉRIOS LEIGOS NALITURGIA
MINISTÉRIOS LEIGOS NA LITURGIA• Para um bom andamento das ações litúrgicas dos sacramentos, aIgreja conta com a participaç...
LITURGIAECOMUNICAÇÃO
LITURGIA E COMUNICAÇÃO- Comunicar não é só dialogar, conversar ouinformar; é mais um compartilhamento deinformações, que t...
TEOLOGIA DA COMUNICAÇÃO• A comunicação não é simples movimentopsicológico próprio da natureza humana. Trata-se naverdade d...
COMUNICAÇÃO NA LITURGIA- A comunicação na Liturgia é diálogo amoroso de Deus com seu povo pelamediação de Jesus Cristo. Na...
A PRÁTICA LITÚRGICA• Em um contexto de comunicação, a Liturgia é expressão daexperiência de Deus; é oração. É desejável qu...
• A santa missa cura e liberta, sim, mas para que issoaconteça ela tem que ser desejada e participada. A eficáciada missa ...
NIVEIS DA COMUNICAÇÃO NALITURGIAA - comunicação de Deus com o homemB - comunicação entre os homensC - algumas exigências i...
FUNÇÕES DA COMUNICAÇÃONA LITURGIA- INFORMATIVA- CONITIVA OU INCITANTE- ESTÉTICA E PERFORMATIVA.Conitiva: busca mobilizar a...
CÓDIGOS DE COMUNICAÇÃOUSADOS NA CELEBRAÇÃOLITÚRGICAA - COMUNICAÇÃO SONORAB - COMUNICAÇÃO VISUALC – COMUNICAÇÃO MEDIANTEOUT...
IMPORTÂNCIA DACOMUNICAÇÃO NA LITURGIA• Como dito anteriormente, uma boacomunicação na Liturgia contribui para quea Palavra...
ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UM BOMEXERCÍCIO DOS MINISTÉRIOSNesta apresentação veremos algumasorientações para o bom exercício ...
EXERCER UM MINISTÉRIO É:1- Colocar-se como servo da comunidade reunida;2- Colocar seus carismas (dons) a serviço de Deusem...
EXERCER UM MINISTÉRIO É:7- Agir com dignidade, sobriedade e seriedade em relação aosagrado; não se trata de brincadeira;8-...
EXERCER UM MINISTÉRIO É:14- Conhecer o que será lido é fundamental para a corretaproclamação e compreensão pela assembléia...
ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O BOMEXERCÍCIO DOS MINISTÉRIOS1- Passe a impressão de absoluta calma;mantenha a cabeça erguida;2- ...
8 - PARA AS MULHERES:- É conveniente adotar ações que evitem a introdução deruídos na celebração ou que atrapalhem o que i...
MINISTÉRIO DO ANIMADOR• A função do animador com seus comentários é introduzir aassembléia no mistério celebrado, desde o ...
ATUALMENTE COMPETE A QUEMEXERCE O MINISTÉRIO DO ANIMADORFAZER:1 - Comentário inicial ou monição inicial eanunciar alguma i...
3 - Introdução à Liturgia da Palavra4 - Introdução à Liturgia EucarísticaEm algumas paróquias, em consenso com opároco, nã...
1- Peça a Deus para te abençoar no exercíciodo seu ministério;2- Leia ou faça seu serviço dando atenção paraa assembléia; ...
6- Evite palavras de ordem: “de pé”, “todos”,“agora vocês”, “vamos receber”, “vamosacolher”;7- Convide apenas o povo a aco...
MINISTÉRIO DO LEITOR DASLEITURAS BÍLICAS• Esse é um ministério de grande importância e valor dentro deuma celebração litúr...
• A preparação dever ser feita inclusivetirando dúvidas sobre palavrasdesconhecidas ou que gerem dúvidas. Nãoé bom que se ...
1- Entregue seu ministério nas mãos de Deus;2- Prepare-se com a equipe de liturgia;3- Prepare-se pessoalmente com pelo men...
6- Tire dúvidas sobre palavras diferentes oudifíceis de se pronunciar; não suba ao ambãocom dúvidas;7- Evite ser ruído na ...
9- Proclame a Palavra de Deus diretamente doLecionário;11- Não mude as palavras que estão no texto;12- Após a leitura, dig...
MINISTÉRIO DO SALMISTA: LEITOR OUCANTOR DO SALMO• O ministério do cantor/leitor dos Salmos é um dos maisimportantes que po...
PARA CONHECER:- SALTÉRIO: é a coleção de 150 Salmos que estão na Bíblia Sagrada.- SALMO: é a leitura cantada, acompanhada ...
• O salmista realiza um serviço para a assembléia, ajudandopara que a Liturgia flua livremente e conecte-se com osfiéis re...
3- Para bem exercer esse ministério a pessoa devesaber ler, com boa pontuação, boa dicção eentonação, além de ter uma boa ...
8- O canto deve ser ungido, a melodia digna de ser usada naproclamação da Palavra de Deus.9- Cante em tom orante e leve o ...
13- Obedeça as normas litúrgicas, não mude o textonem troque o Salmo por outra leitura. Proclame oSalmo para o dia, como e...
17- Não deve deixar o ambão enquanto a assembléianão concluir a última resposta do Salmo.18- Se optar pelo acompanhamento ...
MINISTÉRIO DA PRESIDÊNCIADA ASSEMBLÉIA REUNIDA• O Concílio Vaticano II reconheceu o sacerdócio régio detodo batizado como ...
• Muitos sacerdotes e ministros leigos, agindo demodo contrário às orientações da Igreja,promovem ou são coniventes com in...
• A celebração dominical deve ser vividacomo uma festa da comunidade e paraque assim ela aconteça, a pessoa que apresidirá...
ORIENTAÇÕES PARA OS MINISTROSEXTRAORDINÁRIOS DA PALAVRA1 - Primeiramente não se esqueça que você é servo dacomunidade e qu...
5 - Você, mais que presidir a celebração, preside um povocelebrante do qual você também faz parte. Portanto,celebre com a ...
9 - Acolha o povo antes da celebração. Normalmente aspessoas gostam de poder se encontrar com quem irápresidir. Isso cria ...
13 - O estilo de presidir as celebrações sejapessoal, seu natural, autêntico, sem ser artificial,excêntrico, extravagante,...
17 - O ministro que preside exerce seu ministériosob confiança da Igreja. Deve, portanto, seguir asorientações e normas li...
21- Cante com o povo no ato penitencial, nalouvação ou no cântico de ação de graças.22- Não esconda a sua voz no momento d...
CONSIDERAÇÕES FINAISPARA O ENCONTRO DE HOJE- SOBRE MATERIAL DE CONSULTA
ORIENTAÇÕESPRÁTICASPARA O BOMUSO DA VOZNA COMUNICAÇÃOLITÚRGICAPRÓXIMOENCONTRO:
FIM DA PRIMEIRAPARTEOBRIGADO PELA ATENÇÃO EATÉ O PRÓXIMO ENCONTRO,SE DEUS NOS PERMITIR.
Formação em Liturgia
Formação em Liturgia
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Formação em Liturgia

27,128 views

Published on

Published in: Lifestyle
  • Be the first to comment

Formação em Liturgia

  1. 1. PARÓQUIA SANTO ANTONIO DE SENADOR MELO VIANAFORMAÇÃOEMLITURGIAPor: Jayme Sobrinho
  2. 2. TEMA:MINISTÉRIOS LEIGOSNALITURGIA
  3. 3. ROTEIRO DO ENCONTRO1 - LITURGIA, PALAVRA DE DEUSE MINISTÉRIOS LEIGOS2 - LITURGIA E COMUNICAÇÃO3 - ORIENTAÇÕES PARA O BOMEXERCÍCIO DOS MINISTÉRIOS4 - ORIENTAÇÕES E EXERCÍCIOSPARA O BOM USO DA VOZ NALITURGIA.
  4. 4. O INÍCIO DETUDOO MISTÉRIO DA NOSSAFÉ
  5. 5. LITURGIA,PALAVRA DE DEUSEMINISTÉRIOS
  6. 6. LITURGIAO termo “LITURGIA” vem dalíngua grega e tem váriossignificados, sendo um deles“uma ação pública em favordo povo”; uma ação feita poralguém em benefício deoutras pessoas ou umacomunidade.
  7. 7. PARA NÓS, CRISTÃOS, LITURGIA ÉUMA AÇÃO PÚBLICA, SAGRADA,REALIZADA NA IGREJA E PELAIGREJA, COM RITOS, ORAÇÕES,SÍMBOLOS E CÂNTICOS, PARA ASANTIFICAÇÃO, SALVAÇÃO DOSHOMENS E A GLORIFICAÇÃO DEDEUS.ATRAVÉS DA LITURGIA, O CRISTÃO ÉINSERIDO NAS REALIDADES DA SUASALVAÇÃO.
  8. 8. SEGUNDO A CONSTITUIÇÃOCONCILIAR SACROSANCTUM CONCILIUMSOBRE A SAGRADA LITURGIA, LITURGIAÉ “UMA AÇÃO SAGRADA PELA QUALATRAVÉS DE RITOS SENSÍVEIS SEEXERCE, NO ESPÍRITO SANTO, OMÚNUS (OFÍCIO) SACERDOTAL DECRISTO, NA IGREJA, PARA ASANTIFICAÇÃO DO HOMEM E AGLORIFICAÇÃO DE DEUS”.
  9. 9. FUNDAMENTAÇÃO TEOLÓGICA
  10. 10. • A tradução grega do Antigo Testamento cita aLiturgia como “um serviço religioso prestadopelos levitas a Javé”, começado na tenda edepois continuada no templo de Jerusalém.• A Catequese dos Apóstolos (Didaquê) traz otermo Liturgia referindo-se à celebração daEucaristia (n.14).
  11. 11. • No Antigo Testamento foram criados os ritos para ossacrifícios (holocausto, expiação, oblação) dirigidos aDeus no Templo.• Jesus não manifestou oposição ao culto. Pelocontrário, segundo as escrituras, ele ia à Sinagoga nosábado (Jesus era judeu) e dele participava, comoestá escrito em Lc 4, 16-21. Consta que o cultojudaico nas sinagogas incluía leituras, cântico dossalmos e a ação de graças a Deus.• Conclui-se, portanto, que a ação litúrgica, com gestos,ritos, orações e cânticos já faziam parte da tradiçãodo povo irmão de Jesus e que a Igreja deucontinuidade, adequando-a cada dia mais, à medidaque o conhecimento sobre Deus crescia.• Nos Livros do profeta Isaías, Is 6 e Ap 4, 8, é citado olouvor eterno feito a Deus no céu, a Liturgia celeste,por isso nós, na terra, juntamos nossas vozes às dosanjos para proclamar “Santo, Santo, Santo...”.
  12. 12. LITURGIA DOS SACRAMENTOS• Os sacramentos são sinais sensíveis, visíveis einvisíveis, instituídos por Deus para nossasantificação e salvação. À medida que osrecebemos nos aproximamos mais de Deus.• Jesus confiou à sua Igreja a administração dossacramentos aos seus seguidores, cabendo aela também criar e zelar pelos ritos, orações,porque na administração deles Deus se fazpresente. Para administração de cadaSacramento há um rito litúrgico.
  13. 13. • O Sacramento mais importante na vida da Igrejaé o Sacramento da Eucaristia, a Santa Missa. Éo ponto alto de toda a ação da Igreja pois nelaestá o centro de nossa fé.• Na Santa Missa, o sacrifício de Jesus érenovado, é tornado novamente real, ou seja, oSenhor novamente é sacrificado sobre nossosaltares diante de nossos olhos, para a salvaçãodos que nele crerem, porém de forma incruenta,sem derramamento de seu preciosíssimoSangue.
  14. 14. • Todos os Sacramentos são muito importantesna vida da Igreja, povo de Deus, pois deles nosvem a graça santificante. Por isso todo respeitoe dignidade devem ser presentes na suaadministração e recepção, pois não se trata deum acontecimento social como tem sido levadoa entender nas celebrações de Batismo,Eucaristia, Crisma, Matrimônio.• Deve ser valorizada a proclamação da Palavrade Deus que deve estar presente em toda açãolitúrgica, as orações e os ritos, como uma açãosagrada e não um momento para “só fotografare ser fotografado” (valores passageiros), maspara receber de Deus a Sua Graça, que valepor toda a vida.
  15. 15. A TERRA UNE-SE AO CÉU NUMÚNICO LOUVOR
  16. 16. IMPORTÂNCIA DALITURGIA NA VIDA DAIGREJA• Da terra sobe um único louvor a Deus nasalturas!• Pela ação litúrgica, com as mesmasorações e cânticos de louvor a Igreja serdirige a Deus Pai. “A uma só voz” a terra seune ao céu num único louvor; o céu desceaté o meio da assembléia litúrgica e Deusse faz presente junto do povo, a quem dirigeSua Palavra e dá Seu Filho no SacrifícioEucarístico.
  17. 17. • Pela ação litúrgica os rebanhos se reúnemao redor de seus pastores (os Bispos,sucessores dos apóstolos) e estes grandesrebanhos, ao redor do Papa, representantede Cristo Bom Pastor na terra.• A Liturgia não tem dono particular; ela é daIgreja Católica e ninguém tem autoridadepara nela fazer qualquer alteração. Nemmesmo o Papa tem autoridade para isso.Portanto, seguir as normas da Igreja para arealização do culto é sinal de humildade,obediência, fidelidade e unidade. Obedeceras normas litúrgicas é sinal de fidelidade auma confiança depositada.
  18. 18. A PALAVRA DE DEUS NALITURGIA• A Palavra de Deus escutada e acolhidatransforma. É da escuta e acolhida daPalavra que o homem se dirige para aIgreja e dela participa em comunhãocom os irmãos, daí a importância doanúncio, porque dele resulta que, quema acolhe passa a buscar as coisas doalto e se põe a serviço dos irmãos.
  19. 19. O PRÓPRIO DEUS NOS FALA• Deus é Palavra, o Verbo, e da Palavra tudo sefez.• Desde o princípio de tudo Deus fala a seupovo; primeiro falou ao homem no Éden (Gn2, 16-18 e Gn 3, 8-19), e mesmo tendo ohomem se afastado, Ele continuou a lhe falare a orientar através dos profetas. E nocumprimento dos tempos, o próprio Deusdesceu do céu e veio pessoalmente falar aopovo.
  20. 20. O FILHO NOS EXPLICAAS ESCRITURAS,FAZENDO ONOSSOCORAÇÃOARDER.Lc 24, 13-35
  21. 21. • Atualmente é no culto, na ação litúrgicacom o povo reunido que ouvimos aPalavra de Deus. Ele se faz presentenas proclamações feitas pelas bocasdos leitores, e o Filho, Jesus Cristo,nos explica as Escrituras, falando doReino de Deus.• Jesus se faz presente no meio daassembléia, porque ele mesmo disse“Porque onde dois ou três estiveremreunidos em meu nome , eu estarei nomeio deles” (Mt 18, 20).
  22. 22. PALAVRA DE DEUS EEUCARISTIA• A Palavra, o Verbo, se fez carne e habitouentre nós.• O homem tentou calar a Palavra pregando-anuma cruz, ma antes que isso acontecesse,a Palavra tornou-se Pão e deixou seuEspírito com pessoas de sua confiançapara continuarem a missão de anunciar oreino de Deus, seu plano de salvação para ahumanidade.
  23. 23. AS MESAS DAPALAVRA E DAREFEIÇÃO
  24. 24. • No espaço onde ocorre a celebração litúrgica (espaçocelebrativo), duas mesas se fazem presentes: a mesada Palavra (ambão) e a mesa do sacrifício (altar).• Estas duas mesas têm idêntico grau de importância enão podem ser separadas, porque da Palavra (Deus)nos foi dado o Pão Vivo, o Corpo de Cristo, aEucaristia.• Toda reverência e respeito devem ser dados às duasmesas. Ao altar por ser onde ocorre o sacrifício deNosso Senhor e Ao ambão, porque é dali que Deusnos fala na proclamação da Palavra.• Os dois móveis são para uso na Liturgia, sãoabençoados e não devem ser usados para outrasfinalidades que não sejam para as quais foramdestinados. Portanto, o ambão não deve ser usadopara dar avisos ou para comentários, mas para aproclamação das leituras bíblicas, do Salmo, doEvangelho e leitura das preces da assembléia.
  25. 25. MINISTÉRIOS
  26. 26. • Hoje é bem comum ouvirmos muitas igrejase pessoas usarem a palavra ministério.• A palavra ministério, na Bíblia, na maioriadas vezes em que aparece, significaserviço. No Novo Testamento a palavragrega para ministério é “diakonia” e indicaa prestação de algum tipo serviço outrabalho.• O ministério padrão para os outrosministérios é o de Jesus Cristo, quetambém teve seu ministério: “Ora, tinhaJesus cerca de trinta anos ao começar oseu ministério….” (Lc 3. 23)
  27. 27. • Assim, quem tem um ministério é um trabalhador,um servo voltado a agradar a Deus com aquilo quefaz, com seu serviço. Quem tem um ministério temo seu foco no próximo, no servir da melhor formapossível com o dom que Deus lhe deu.• Deve-se ter todo o cuidado para não tornar oministério “uma prestação de serviço”, algoobrigatório pois, antes de tudo o ministério é umserviço a Deus e aos irmãos.• Hoje em dia, infelizmente, muitos têm usado essapalavra para mostrar certo status por pertencer aoministério “a” ou “b”, o que foge totalmente doideal bíblico.• Aquele que tem um ministério é comumentechamado de ministro.
  28. 28. • No documento “Missão e Ministério dosCristão”, a CNBB diz assim sobre osministérios:• 84. Ministério é, antes de tudo, um carisma, ouseja, um dom do Alto, do Pai, pelo Filho, noEspírito, que torna seu portador apto adesempenhar determinadas atividades, serviçose ministérios em ordem à salvação.,,• Na verdade, todos os carismas, serviços eministérios de que a Igreja é dotada pelo Espíritopara cumprir sua missão se complementam,cooperam uns com os outros e se integram,como os membros de um corpo; no respeito ao
  29. 29. • 85. Nem todo carisma, porém, é ministério...seuportador deve aspirar ao dom maior que é o amor.Mas só pode ser considerado ministério o carismaque, na comunidade e na vista da missão da Igrejano mundo, assume a forma de serviço bemdeterminado, envolvendo um conjunto mais oumenos amplo de funções...e seja acolhido ereconhecido pela comunidade eclesial.• 86. A recepção ou reconhecimento do ministériopela comunidade eclesial é essencial aoministério, porque este é uma atuação pública eoficial da Igreja, tornando seu portador seurepresentante.
  30. 30. MINISTÉRIOSPARTICULARES SEGUNDOA INSTRUÇÃOGERAL DOMISSAL ROMANO- ACÓLITO- LEITOROBS: Na ausência do acólito e do leitor instituídos, um leigo devidamentepreparado pode assumir o serviço.
  31. 31. MINISTÉRIOS NA LITURGIASEGUNDO O GRAU DEENVOLVIMENTO• MINISTÉRIOS CONFIADOS (TEMPORÁRIOS OUNÃO)• MINISTÉRIOS INSTITUIDOS (LEITOR E ACÓLITO)• MINISTÉRIOS ORDENADOS (EPISCOPADO-PRESBITERADO - DACONADO)
  32. 32. MINISTÉRIOS LEIGOS• O Concílio Vaticano II, inspirado pelo EspíritoSanto, reconheceu a importância da presença eatuação do leigo na vida da Igreja. Reconheceuque este exerce um sacerdócio régio (comum)como batizado em Cristo Jesus, destaca que oleigo tem missão e participação na vida eclesial,cabendo a ele funções de auxílio aos ministrosconsagrados à ordem.• A partir do CVII mais e mais os leigos vêmtomando consciência de que são continuadoresda missão de Jesus como evangelizadores e aomesmo tempo como participantes e servos noculto litúrgico dos sacramentos.
  33. 33. • O termo “ministério” é amplo e complexo e dentroda Igreja há uma diversidade de ministérios leigos,sendo os mais comuns em nossa Paróquia:- Ministérios pastorais: Pastoral Família, Catequese,Pastoral da saúde, Pastoral da criança...- Ministérios sacramentais: Ministério da Palavra,Ministério da distribuição da Comunhão,Ministério do Batismo...- Ministérios de coordenação: coordenadores depastorais e grupos atuantes.- Ministérios litúrgicos: leitor, animador, equipe deliturgia, salmista...- Ministérios de animação: animador do dízimo,animador de comunidade...
  34. 34. MINISTÉRIOS LEIGOS NALITURGIA
  35. 35. MINISTÉRIOS LEIGOS NA LITURGIA• Para um bom andamento das ações litúrgicas dos sacramentos, aIgreja conta com a participação dos fiéis leigos no exercício dosvários ministérios; desde quem cuida da limpeza e organização, dequem prepara a celebração, até quem a preside.• É esperado que quem assume um serviço na liturgia faça bem asua parte e somente o que lhe compete.• Nas celebrações eucarísticas e da Palavra de Deus nascomunidades da Paróquia Santo Antônio, são exercidos pelosleigos os seguintes ministérios:• - Animador (comentarista)• - Leitor (leituras bíblicas e preces)• - animador do canto• - Coroinhas• - Ministério Extraordinário da Palavra e da Distribuição daComunhão• - Equipe de liturgia• - Equipe de acolhida• - Equipe para coleta das ofertas
  36. 36. LITURGIAECOMUNICAÇÃO
  37. 37. LITURGIA E COMUNICAÇÃO- Comunicar não é só dialogar, conversar ouinformar; é mais um compartilhamento deinformações, que tem por finalidade tirar doisolamento, chamando à participação.- Ocorre de forma unilateral ou recíproca;direta ou indireta (Missa pela TV); públicaou privada/ verbal ou não verbal/ empequenos ou grandes grupos.- No processo de comunicação há umemissor (que envia um código ou sinal) eum receptor.
  38. 38. TEOLOGIA DA COMUNICAÇÃO• A comunicação não é simples movimentopsicológico próprio da natureza humana. Trata-se naverdade de uma categoria fundamental da revelaçãocristã. Deus revela sua própria essência: seu amortrinitário. Na encarnação do Verbo podemos dizerque Deus se faz audiovisual. Através desse meio Elese comunica à humanidade. Na vinda de JesusCristo ocorre o maravilhoso encontro entre céu eterra, numa comunicação que ultrapassa limites dotempo e do espaço. É assim que Deus adapta-se àlinguagem que os seres humanos são capazes deentender e aos meios com os quais se comunicam.(padre José Candido - fórum de Liturgia CNBB-L2 setembro/2011)
  39. 39. COMUNICAÇÃO NA LITURGIA- A comunicação na Liturgia é diálogo amoroso de Deus com seu povo pelamediação de Jesus Cristo. Na Liturgia, a comunicação deve criarcomunhão, através da participação no Mistério Pascal. A comunicação naLiturgia se realiza por códigos diferentes: palavras, silêncio, gestos,símbolos, espaço e tempo, luz, cores, pessoas, atitudes, postura, modo devestir, objetos, ornamentação, sons imagens...- Tudo o que é estranho à comunicação, que nela interfere de modo diretoou indireto, é chamado “ruído”.- Ruído, em comunicação, é tudo aquilo que impede a correta veiculação damensagem. Os ruídos vão desde os chiados e microfonias, postura fria dopresidente da celebração, barulho de carros, gente entrando e saindo,crianças correndo, ambiente sujo, conversas colaterais, roupasindecentes e exibicionismos, improvisação, homilia longa e desencarnadada realidade, cânticos inadequados, desconhecidos e desafinados, faltade acolhimento...- A Liturgia que não comunica, não transforma, não liberta, não celebra, nãosalva.
  40. 40. A PRÁTICA LITÚRGICA• Em um contexto de comunicação, a Liturgia é expressão daexperiência de Deus; é oração. É desejável que haja exatamentecontraste entre a dissipação e o barulho do mundo que cansa,estressa, esgota e um clima de paz interna e externa.• Um ambiente predominantemente de recolhimento é quedevemos buscar na casas do Senhor, porém, não tem sidoassim.• A Liturgia não é morta (ou seca como se diz por ai) por sertranqüila, serena e profunda. É morta quando inadequada, semfé e sem compromisso real com a vida cristã.• Liturgia é celebração da vida comunitária.• Neste sentido, na Liturgia, os gestos, a postura, os sinaissignificam o valor que o corpo, a corporeidade, possuemenquanto consagrados e destinados à glorificação.• Nas nossas celebrações vivemos a experiência da gratuidade.Da relação com Deus nós nos damos uns aos outros no serviçodo culto. São gestos feitos em comunidade que nos juntam aosanjos e santos nos louvores ao Pai.
  41. 41. • A santa missa cura e liberta, sim, mas para que issoaconteça ela tem que ser desejada e participada. A eficáciada missa pode ser conseguida a partir das palavras deJesus ao manifestar o desejo de comer a páscoa com seusamigos. Cura e libertação vêm da fé, da escuta da Palavrae do alimento que é o Corpo e Sangue de cristo.• Em nossas celebrações está faltando o silêncio para amanifestação de Deus na assembléia. A ilusão de que abarulheira ali, como é feita nos templos protestantes criamuma falsa ilusão da intimidade com Deus. Vivemos umexcesso de barulho e de intromissões (ruídos) que nosdesviam do caminho na nossa relação com o sagrado.A PRÁTICA LITÚRGICA
  42. 42. NIVEIS DA COMUNICAÇÃO NALITURGIAA - comunicação de Deus com o homemB - comunicação entre os homensC - algumas exigências indispensáveis:fazer bem feito tudo o que é pedido.
  43. 43. FUNÇÕES DA COMUNICAÇÃONA LITURGIA- INFORMATIVA- CONITIVA OU INCITANTE- ESTÉTICA E PERFORMATIVA.Conitiva: busca mobilizar a atenção do receptor produzindo um apelo ou uma vontade.
  44. 44. CÓDIGOS DE COMUNICAÇÃOUSADOS NA CELEBRAÇÃOLITÚRGICAA - COMUNICAÇÃO SONORAB - COMUNICAÇÃO VISUALC – COMUNICAÇÃO MEDIANTEOUTROS SINAIS
  45. 45. IMPORTÂNCIA DACOMUNICAÇÃO NA LITURGIA• Como dito anteriormente, uma boacomunicação na Liturgia contribui para quea Palavra de Deus chegue clara aos ouvidosdos fiéis, seja acolhida nos corações e leveà missão junto aos irmãos.• Se não há uma boa comunicação, não hátransformação, não há libertação nemsalvação; a Liturgia se torna ineficaz.
  46. 46. ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UM BOMEXERCÍCIO DOS MINISTÉRIOSNesta apresentação veremos algumasorientações para o bom exercício dosministérios citados aqui. No material escritohá um maior e melhor destaque para que osenvolvidos possam ter conhecimento doque se espera de sua ação ministerial ebusquem bem exercê-la.
  47. 47. EXERCER UM MINISTÉRIO É:1- Colocar-se como servo da comunidade reunida;2- Colocar seus carismas (dons) a serviço de Deusem favor da comunidade.3- Doar-se com humildade, amor e disponibilidade;4- Ter consciência de estar lidando com o sagrado(a Liturgia) e não com uma coisa qualquer;5- Ser fiel às normas litúrgicas para o serviço que aIgreja lhe confia;6- Saber se portar no espaço celebrativo como umconvidado de Jesus para junto com o povoglorificar a Deus;
  48. 48. EXERCER UM MINISTÉRIO É:7- Agir com dignidade, sobriedade e seriedade em relação aosagrado; não se trata de brincadeira;8- Não se esquecer de que não está num palco, teatro oushow de auditório;9- Não se esquecer de que a ação litúrgica é para Deus, entãodeve-se fazer o melhor;10- Não se esquecer de que exerce um ministério nacelebração litúrgica, mas também faz parte da assembléia;11- “Cante a Liturgia” e não “cante na Liturgia”;12- Preparar-se em formações bíblicas e litúrgicas, ler epraticar a Palavra de Deus;13- Preparar-se com a equipe de celebração, conhecendo oque ocorrerá na ação litúrgica;
  49. 49. EXERCER UM MINISTÉRIO É:14- Conhecer o que será lido é fundamental para a corretaproclamação e compreensão pela assembléia.15- Sanar qualquer dúvida sobre o texto bíblico,principalmente com relação a nomes, termos oureferências. Procure alguém da comunidade ou o própriopadre.16- Não troque palavras do texto bíblico, como:- Isaac por Isac- Antioquia por Antióquia- Abrão por Abraão ou Abraão por Abrão14- Buscar não tornar-se um ruído na celebração, usandotraje inadequado para o ambiente, evitando tudo o que forpossível para não chamar a atenção para a sua pessoa;15- Fazer na celebração litúrgica somente o que lhe compete;16- Chegar mais cedo ao local da celebração, entrar em climade oração e preparação para exercer seu ministério;
  50. 50. ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O BOMEXERCÍCIO DOS MINISTÉRIOS1- Passe a impressão de absoluta calma;mantenha a cabeça erguida;2- Use roupas coerentes com a ocasião.-Não se vai à praia usando terno, assim como não se participa deuma missa usando biquíni ou bermuda e camiseta. O ambiente, aocasião e o que se celebra requer sobriedade no vestir.3- Distribua o peso sobre as duas pernas.-A posição com uma perna para o lado ou para frente ou para trásdenotam um desequilíbrio que chama/desvia a atenção da assembléia.5- Erga a cabeça e mantenha costas retas.-Cabeça baixa, além de dar a impressão de que a pessoa parece estarquerendo se esconder atrás do ambão, leva à compressão das cordasvocais e diminuição da passagem do ar.6- Colocar as mãos sobre a estante-Permaneça com as mãos nos bolsos, ou cruzando os dedos nãocontribuem para diminuir o nervosismo. O melhor é por as mãos sobreo ambão ou sobre o livro litúrgico usando o recurso de acompanhar alinha lida com os dedos.7- Respire o mais tranqüilo que puder.
  51. 51. 8 - PARA AS MULHERES:- É conveniente adotar ações que evitem a introdução deruídos na celebração ou que atrapalhem o que iráfazer.Exemplos:- Use roupas adequadas para o ambiente. Ninguém vai à praiausando terno completo e sapatos, vestido longo; assim, quemvai participar da Santa Missa ou da Celebração da Palavra deDeus deve se vestir de modo adequado pois está indo aoencontro com o Senhor. Afinal, é o dia Dele, festa religiosa e nãouma festa mundana.- Use o cabelos presos, evitando que eles caiam e levem a ficarbuscando acertá-los a toda hora. O cabelo pode deslizar sobre oLecionário e interferir na leitura, além de ser distração para aassembléia.- Evite roupas inadequadas e indecentes que requeiram umajuste a toda hora como as blusas que insistem em mostrar abarriga de fora.- Use discretamente no batom, a maquiagem e os adornospara não chamar a atenção para si.ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O BOMEXERCÍCIO DOS MINISTÉRIOS
  52. 52. MINISTÉRIO DO ANIMADOR• A função do animador com seus comentários é introduzir aassembléia no mistério celebrado, desde o acolhimentoaté a despedida,cabendo-lhe o serviço de fazer pequenas,simples e claras intervenções em determinados momentosda ação litúrgica.• O comentário não é parte essencial da liturgia, poispressupõe-se que a comunidade entenda o que celebra esaiba os momentos que constituem o ato litúrgico e aparte que lhe cabe.• As intervenções ou admoestações feitas pelo animadordentro da celebração devem ser feitas de um lugarapropriado para isto e nunca do ambão.
  53. 53. ATUALMENTE COMPETE A QUEMEXERCE O MINISTÉRIO DO ANIMADORFAZER:1 - Comentário inicial ou monição inicial eanunciar alguma intenção.2 - Motivar a participação da assembléia noacompanhamento da procissão de entrada.MINISTÉRIO DO ANIMADOR
  54. 54. 3 - Introdução à Liturgia da Palavra4 - Introdução à Liturgia EucarísticaEm algumas paróquias, em consenso com opároco, não é feita a introdução à LiturgiaEucarística5 - Comentário final6 - Alguma participação nos ritos doBatismo ou da Crisma dentro da Missa.MINISTÉRIO DO ANIMADOR
  55. 55. 1- Peça a Deus para te abençoar no exercíciodo seu ministério;2- Leia ou faça seu serviço dando atenção paraa assembléia; é para ela que você se dirige;3- Busque não ser profissional, mas um servoque, com seus comentários conduz o povo àvivência do mistério celebrado;4- Aprenda a usar bem o microfone;5- Se tiver dificuldades com leitura, fala oupostura, procure ajuda;ORIENTAÇÕES PARA OSANIMADORES
  56. 56. 6- Evite palavras de ordem: “de pé”, “todos”,“agora vocês”, “vamos receber”, “vamosacolher”;7- Convide apenas o povo a acompanhar aprocissão de entrada, cantando;8- Evite tornar-se um ruído na celebração;9- Mesmo exercendo um ministério nacelebração você faz parte da assembléia;10- Não invente nada a pretexto de estarfazendo algo bonito;ORIENTAÇÕES PARA OSANIMADORES
  57. 57. MINISTÉRIO DO LEITOR DASLEITURAS BÍLICAS• Esse é um ministério de grande importância e valor dentro deuma celebração litúrgica, seja da Santa Missa, celebração daPalavra de Deus ou da celebração de um dos Sacramentos epede uma grande atenção, pelo seu significado. Quem o exercedeve ter a consciência de que está proclamando Palavra deDeus; não está lendo um texto qualquer. É Deus falando aopovo através de sua boca, de modo que, toda a preparação ededicação ainda pode ser pouco diante da dignidade do seuministério.• Quem faz as proclamações das leituras na celebração litúrgicadeve saber ler, com boa pontuação, dicção, ler com calma, demodo pausado, com bom volume de voz para que todos possamescutar e entender o que Deus fala. Deve se preparar combastante antecedência, de pelo menos 5 dias antes, fazendo aleitura por várias vezes, fazendo a leitura orante da Palavra deDeus para que, no exercício do seu ministério leve o povo aorar, atingindo os corações com as palavras.
  58. 58. • A preparação dever ser feita inclusivetirando dúvidas sobre palavrasdesconhecidas ou que gerem dúvidas. Nãoé bom que se dirija ao ambão com dúvidas.• Cabe lembrar aqui que as leituras bíblicasdevem ser proclamadas diretamente doambão, que é a Mesa da Palavra, e não deoutro lugar; devem ser lidas do Lecionário enão do folheto litúrgico ou livreto daLiturgia Diária.
  59. 59. 1- Entregue seu ministério nas mãos de Deus;2- Prepare-se com a equipe de liturgia;3- Prepare-se pessoalmente com pelo menos 5dias de antecedência, lendo e refletindo otexto que proclamará;4- Leia também os outros textos que serãoproclamados;5- Prepare-se pela leitura orante da Palavra deDeus, buscando vivenciá-la;ORIENTAÇÕES PARA OSLEITORES
  60. 60. 6- Tire dúvidas sobre palavras diferentes oudifíceis de se pronunciar; não suba ao ambãocom dúvidas;7- Evite ser ruído na celebração;8- Sirva com amor e humildade;9- Ao fazer uma leitura bíblica na assembléialitúrgica, não se esqueça: você estáproclamando Palavra de Deus;ORIENTAÇÕES PARA OSLEITORES
  61. 61. 9- Proclame a Palavra de Deus diretamente doLecionário;11- Não mude as palavras que estão no texto;12- Após a leitura, diga a aclamação “Palavrado senhor”, do jeito que está no Lecionário;13- Não é preciso anunciar “primeira leitura” ou“salmo responsorial”; proclame somente“Leitura da Carta de São Paulo aosRomanos”.10- Se tiver dificuldades com leitura, fala oupostura, procure ajuda;ORIENTAÇÕES PARA OSLEITORES
  62. 62. MINISTÉRIO DO SALMISTA: LEITOR OUCANTOR DO SALMO• O ministério do cantor/leitor dos Salmos é um dos maisimportantes que podem os leigos exercerem na celebraçãolitúrgica.• Quem percebe em si mesmo esta espécie de luz divina queé a vocação para o serviço litúrgico, como o salmista,busca usar bem esse talento, colocando-o a serviço dopróximo e de toda a comunidade. Esse ministério é paraele um ato de culto e de religião, pronto para estimular opovo na profissão de fé e na prática da piedade.• O salmista tem que acreditar e entender o que estácantando o Salmo, para poder apresentá-lo a Deus comose fosse uma oração ou uma oferenda. Ele vai se formandoe crescendo no seu ministério à medida que vive sua fé.• Os Salmos são uma coleção de cânticos dirigidos a Deus.É Palavra de Deus e deve ser proclamada com toda adignidade que ela merece.
  63. 63. PARA CONHECER:- SALTÉRIO: é a coleção de 150 Salmos que estão na Bíblia Sagrada.- SALMO: é a leitura cantada, acompanhada ou não por um instrumento musical,ou seja, Salmo é a letra que será cantada. O Salmo pode também ser recitado,mas que se cante pelo menos a parte responsorial pela assembléia.Na celebração litúrgica é um prolongamento da primeira leitura, em sentidolírico e meditativo.- SALMODIA: é a parte musical ou a forma de cantar o Salmo.- SALMISTA: é quem exerce o ministério de proclamação do Salmo.- SALMODIAR: é uma arte e quem exerce esse ministério deve ter a consciênciade que está proclamando Palavra de Deus e não simplesmente cantando umamúsica qualquer. Precisa também saber que o Salmo é uma leitura bíblica daLiturgia diária e que não pode ser trocado por uma outra oração, canto ouleitura qualquer. Deve ser mantido e proclamado na íntegra, como as outrasleituras.- A origem dos Salmos e do ministério do salmista remontam a antiguidade dopovo de Israel, onde eram proclamados nas Sinagogas com a mesma missão:levar o povo a orar a Deus pela proclamação cantada de Sua Palavra.
  64. 64. • O salmista realiza um serviço para a assembléia, ajudandopara que a Liturgia flua livremente e conecte-se com osfiéis reunidos em torno de Jesus Cristo. A InstruçãoMusicam Sacram diz no número “15. Os fiéis cumprem asua ação litúrgica mediante a participação plena,consciente e ativa que a própria natureza da liturgiarequer; esta participação é um direito e um dever para opovo cristão, em virtude do seu Batismo”.1- Deve estar sempre em formação e oração (leitura orante),buscando ajuda naquilo que lhe for necessário para bemexercer seu ministério, sabendo que, para cantar com oespírito requer também a conversão, a fé.2- O salmista deve ter formação litúrgica e bíblica adequadapara poder desempenhar perfeitamente sua funçãoreligiosa, não somente acrescentando mais beleza à açãosagrada e dando exemplo aos fiéis, mas levando-os aadquirirem os frutos espirituais advindos da celebração.ORIENTAÇÕES PARA RECITA OUCANTA O SALMO
  65. 65. 3- Para bem exercer esse ministério a pessoa devesaber ler, com boa pontuação, boa dicção eentonação, além de ter uma boa voz e saber cantar.4- Saber ler, cantar bem ou tocar um instrumento nãotorna a pessoa um salmista. Antes, estas qualidadesdevem estar nos caminhos do Senhor e tercompromisso real com a Igreja, ao próximo e amor aDeus, para ser digno de proclamar Sua Palavra.5- O salmista, deve estar em oração permanente e antesde cantar um Salmo na celebração litúrgica, deverefletir e orar, pedindo a Deus que o guie na missãoque Ele está te dando de levar Sua Palavra a toda aassembléia.6- Deve-se evitar o uso de melodias de músicas que nãosejam de ordem sacras, litúrgicas. Não faça paródias.7- Evite o estrelismo. Você proclama cantando paraDeus. Não é show ou apresentação de palco.
  66. 66. 8- O canto deve ser ungido, a melodia digna de ser usada naproclamação da Palavra de Deus.9- Cante em tom orante e leve o povo também a orar durantea proclamação.10- Salmo não é uma música; é Palavra de Deus cantada. Nãotem arranjo, nem improvisações ou entradas de outrosinstrumentos, mas, sim o acompanhamento (somente isso)e é limitado à recitação do texto bíblico. Não cabe naproclamação do Salmo ficar repetindo partes para “torná-lo mais bonito” ou para seguir o instrumentista, nem háparticipação do coral com acréscimos de vozes (uh,uh...ah, ah...). Na sua proclamação somente cantam osalmista e a assembléia. Não é show ou apresentação depalco.11- Terminado o último verso e cantada a resposta, encerra-se a proclamação do Salmo.12- A voz do salmista não deve ser sobreposta pelo som doinstrumento que o acompanha.
  67. 67. 13- Obedeça as normas litúrgicas, não mude o textonem troque o Salmo por outra leitura. Proclame oSalmo para o dia, como está no Lecionário.14- O salmista deve cantar o Salmo desde o ambão emanter-se ali, durante a proclamação, numaatitude de oração profunda, inspirando a todos atambém estarem em oração.15- Não deve nunca dizer palavras de ordem, como“todos” ou “agora vocês”, para indicar ao povoque deve cantar a resposta. Sua entonação de vozao concluir o verso deve sugerir ao povo que é omomento de fazer a sua parte.16- Cante ou recite o que lhe compete. Quemproclama o Salmo não deve cantar ou dizer aresposta, pois esta cabe unicamente à assembléia.O salmista canta ou recita o verso e a assembléiadá a resposta a Deus.
  68. 68. 17- Não deve deixar o ambão enquanto a assembléianão concluir a última resposta do Salmo.18- Se optar pelo acompanhamento de uminstrumento musical, ensaie com quem o tocará.Não use orquestra ou coral, pois quem canta é osalmista e a assembléia responde;19- O instrumento usado deve ser preferencialmentede cordas ou órgão (instrumento oficial da Igreja)e tocado de modo suave somente paraacompanhamento;20- Preferindo, cante sem acompanhamento de uminstrumento musical;
  69. 69. MINISTÉRIO DA PRESIDÊNCIADA ASSEMBLÉIA REUNIDA• O Concílio Vaticano II reconheceu o sacerdócio régio detodo batizado como membro do Corpo de Cristo. Oministro leigo que exerce o ministério da Palavra,devidamente confiado pela Igreja, age na “pessoa deCristo” ao presidir a celebração.• Cerca de 70% delas são privadas da presença de umsacerdote aos domingos e se reúnem para celebrar o diado Senhor sob a presidência de um ministro leigo.• É ele quem proclama e fala ao povo na homilia, comoJesus se dirigia aos que o escutavam.• Para que o ministro leigo possa exercer de modo digno econfiável seu ministério, cabendo a ele a proclamação daPalavra de Deus, deve-lhe ser dada a devida formação,porque tem-se observado a presença de muitas distorçõesem nossas celebrações. Não se entende como e por quê,certas intromissões alterem o sentido delas.
  70. 70. • Muitos sacerdotes e ministros leigos, agindo demodo contrário às orientações da Igreja,promovem ou são coniventes com intromissões eruídos na Liturgia, a pretexto de estarem vivendo ainculturação ou buscando uma maior e melhorparticipação da assembléia. Incentivam certosgestos que não condizem com a índole do povo.• Muita coisa vem das celebrações pela TV, feitaspor presbíteros que não dão a devida atenção aoestrago na Liturgia na vida das comunidades, queadotam as ações mostradas por acharem-nasbonitas, alegres e animadas.• Em muitas delas observam-se gritos, falasdesconexas, gestos e danças que não combinamcom o nosso jeito de Igreja celebrar. E assim osdesvios vão acontecendo e nossos fiéis ficam nomeio de toda essa confusão que é colocada nacabeça do povo.
  71. 71. • A celebração dominical deve ser vividacomo uma festa da comunidade e paraque assim ela aconteça, a pessoa que apresidirá deve ter alguns cuidados.• Deve ter sempre em mente que é aassembléia quem celebra e esta mereceuma celebração digna, sóbria e que oministro que preside é servo, não ator,apresentador de televisão ou animadorde auditório.
  72. 72. ORIENTAÇÕES PARA OS MINISTROSEXTRAORDINÁRIOS DA PALAVRA1 - Primeiramente não se esqueça que você é servo dacomunidade e que é instrumento de Deus napresidência da celebração.2 - Participe da preparação da celebração com aequipe de liturgia e prepare-se pessoalmente fazendoa leitura orante dos textos bíblicos; prepare a homiliacom bastante carinho mas nunca sem pedir as luzesdo Espírito Santo; prepare seu coração para a festa,como o desejo de encontrar o Senhor na celebraçãode Sua Páscoa.3 - Não se deixe dominar por tensões, angústias ouproblemas. Entregue-os ao Senhor para poder presidira celebração com serenidade.4 - Como servo da comunidade, deixe que o EspíritoSanto o guie para que celebre com simplicidade esobriedade. Cante e reze com amor e devoção, falecom calor humano guiado pelo amor de Deus.
  73. 73. 5 - Você, mais que presidir a celebração, preside um povocelebrante do qual você também faz parte. Portanto,celebre com a assembléia e não para ela. Participe! Nãochame a atenção para a sua pessoa; use um tom de vozque inclua o povo.6 - Permita a participação do povo na recordação da vida,no ato penitencial, na oração dos fiéis, no momento delembrar os falecidos...7 - Procure ser humilde como todo servo obediente, nãobuscando aparecer diante da assembléia. Diminua-se paraque Jesus Cristo apareça. É Ele quem se faz presente ali.8 - Como ministro da unidade, acolha e interligue aspessoas, valorize e articule os vários ministérios; uma aassembléia por Cristo, com Cristo e em Cristo, com o Paina unidade do Espírito Santo.
  74. 74. 9 - Acolha o povo antes da celebração. Normalmente aspessoas gostam de poder se encontrar com quem irápresidir. Isso cria um clima de relação, facilita o contato ea empatia necessárias para que a celebração ocorra demodo mais digno e com a participação de todos.10 - Lembre-se: o bom pastor conhece as ovelhas pelonome.11 - Nunca confunda Liturgia com show, com espetáculo.Quem exerce o ministério da presidência numa celebraçãonão deve tomar aparência de um animador de programa dediversão.12 - A Liturgia é uma ação sagrada. A atitude de quempreside deve, a qualquer momento, em tudo o que diz e faz(olhar, gestos, atitudes do corpo, palavras, tom de voz...)deixar transparecer o mistério de Cristo e levar acomunidade à adoração a Deus, à escuta de Sua Palavra, àcomunhão de vida com Ele.
  75. 75. 13 - O estilo de presidir as celebrações sejapessoal, seu natural, autêntico, sem ser artificial,excêntrico, extravagante, requintado ou teatral.14 - Cada pessoa tem sua maneira de ser, deandar, de falar, de orar...As mulheres têmcaracterísticas diferentes das dos homens; osjovens agem diferente dos adultos ou idosos. Nãoé bom imitar outras pessoas (o padre ou outrosministros, por exemplo). Seja você mesmo!15 - Procure não ficar preso ao folheto litúrgico ousubsidio. Busque comunicar-se em tom pessoal,com convicção.16 - Se você tem dificuldade de se expressar (fala,dicção, canto, atitudes e gestos do corpo),procure ajuda.
  76. 76. 17 - O ministro que preside exerce seu ministériosob confiança da Igreja. Deve, portanto, seguir asorientações e normas litúrgicas.18 - Você é ministro da Igreja e não de um grupo,movimento ou pastoral.19 - Festa em sentido litúrgico não significabarulho, movimento, agito, exaltação. Nãoconfunda alegria com excitação; não tire os pésdo chão da realidade. A alegria da ressurreiçãobrota do mistério da cruz.20- Em Liturgia, animar significa dar vida, mantervivo, e não agitar, o que tira da ação litúrgica seucaráter orante, contemplativo, de adoração.
  77. 77. 21- Cante com o povo no ato penitencial, nalouvação ou no cântico de ação de graças.22- Não esconda a sua voz no momento doscânticos, pois ela é um dom que Deus tedeu e Ele quer te ouvir.22- Diminua-se para que Jesus apareça, poisEle é o centro da celebração.23- Procure estar sempre em formação e emoração, para poder bem exercer oministério que a Igreja lhe confia.24- Seu ministério é pura doação e pede todocarinho e amor no seu exercício
  78. 78. CONSIDERAÇÕES FINAISPARA O ENCONTRO DE HOJE- SOBRE MATERIAL DE CONSULTA
  79. 79. ORIENTAÇÕESPRÁTICASPARA O BOMUSO DA VOZNA COMUNICAÇÃOLITÚRGICAPRÓXIMOENCONTRO:
  80. 80. FIM DA PRIMEIRAPARTEOBRIGADO PELA ATENÇÃO EATÉ O PRÓXIMO ENCONTRO,SE DEUS NOS PERMITIR.

×