Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Drogas lícitas, ilícitas e adolescência

10,899 views

Published on

Apresentação da relação entre as propagandas de bebidas alcoólicas, jovens e consumo de drogas ilícitas.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Drogas lícitas, ilícitas e adolescência

  1. 1. Hugo Félix Novembro de 2013
  2. 2. Drogas lícitas, ilícitas e adolescência
  3. 3. Conteúdo Programático Adolescência? Fatores de risco para uso de drogas Drogas? Propagandas
  4. 4. Adolescência? Trata-se de uma etapa de vida marcada por importantes e profundas transformações, as quais produzem desequilíbrios e instabilidades externas (ALVES, 2002, p. 2). O adolescente está em transição entre a fase infantil e adulta.
  5. 5. Adolescência e o isolamento A experiência do rompimento dos laços emocionais com a família, a descoberta da sexualidade e a receosa, e porque não temida e excitante, entrada numa vida nova que lhe acena, é acompanhada de sentimentos de isolamento e fragilidade, o que gera defesas, caracterizando confrontos e oposições ao meio familiar e social (ALVES, 2002, p. 2). Como resultante deste processo de desequilíbrios e instabilidades é comum o famoso enclausuramento do jovem, fuga na qual busca proteger sua fragilidade, afastando-se das pessoas habituais, refugiando-se em si mesmo ou em grupos de pares, na vida de turma (ALVES, 2002, p. 2).
  6. 6. Adolescência e a formação de grupos A vida em grupo, a coesão da turma derruba as dificuldades de comunicação, criando gíria, regras e certos códigos que reforçam o comprometimento e confiança entre eles, substituindo de alguma forma a família. A coesão e uniformidade encontrada no grupo (embora não real) funcionam como proteção à fragilidade do adolescente, particularmente se experimenta incompreensão ou abandono por parte da família (ALVES, 2002, p. 2). O adolescente, na busca de pautas firmadoras, se apóia em idéias e fantasias de correntes ideológicas contestatórias substituindo a unidade familiar que, muitas vezes, ele, por conscientizar-se da hipocrisia e contradições no mito familiar, pretende denunciar (ALVES, 2002, p. 2).
  7. 7. Adolescência e a transgressão A relação adolescência-drogadição é atualmente quase direta, talvez porque a rebeldia e a transgressão sejam inerentes a esta fase de vida e, na antiga e usual atitude por parte deles de se contrapor aos costumes tradicionais da cultura, a droga esteja entre um dos comportamentos transgressivos que os jovens adotam nos dias de hoje (ALVES, 2002, p. 3). No ato de transgredir, o adolescente tenta se provar alguém, provar que é independente, tem valor e uma existência própria (ALVES, 2002, p. 3).
  8. 8. Adolescência e a família A presença da família é importante na ajuda do adolescente em fase de transição biológica, física, social e etc.
  9. 9. Drogas? É toda substância que, ao ser introduzida, inalada, ingerida ou injetada, provoca alterações no funcionamento do organismo, modificando suas funções (CAVALCANTE, 2008, p. 557).
  10. 10. Tipos de Drogas 1- Drogas naturais: ópio 2- Drogas semi-sintéticas: morfina 4- Drogas lícitas: permitidas por leis. 3- Drogas sintéticas: anabolizante 5- Drogas ilícitas: não permitida por lei.
  11. 11. Drogas psicoativas? São drogas ilícitas, não permitida por lei, que provocam alterações do humor, percepção, sensações de prazer e euforia, alívio, medo, dor e etc (CAVALCANTE, 2008, p. 557).
  12. 12. O Brasil e as Propagandas de bebidas alcoólicas A publicidade influencia o consumo de bebidas alcoólicas de acordo com fatores como a exposição, lembrança e apreciação das propagandas. Assim, adolescentes mais expostos às propagandas relataram expectativas mais positivas em relação aos efeitos do álcool, bem como a intenção de beber quando mais velhos (VENDRAME, 2009, p. 359).
  13. 13. Propagandas e o início do consumo de outras drogas Depois do álcool o adolescente passa a usar outras drogas mais fortes e destruidoras.
  14. 14. Fatores de risco para uso de drogas ilícitas  Sociodemográficos (sexo, idade, classe social);  Envolvimento parental ou familiar no consumo de álcool ou drogas;  Não criação por ambos os pais, baixa percepção de apoio paterno e materno;  Amigos que usam drogas;  Ausência de prática religiosa;  Baixa freqüência à prática de esportes. (CAVALCANTE, 2008, p. 557).
  15. 15. Fatores de risco para uso de drogas lícitas  Falta de fiscalização adequada;  Baixo preço;  Conflitos familiares quando o adolescente se utiliza desse artifício como fuga à situação;  Hábito de beber socialmente. (CAVALCANTE, 2008, p. 557).
  16. 16. Família A participação da família é importante para prevenir ações dos adolescentes.
  17. 17. Referências 1) ALVES, Rudinalva; KOSSOBUDZKY, Luís André. Caracterização dos adolescentes internados por álcool e outras drogas na cidade de Curitiba. Interação em Psicologia (Qualis/CAPES: A2), [S.l.], mar. 2005. ISSN 1981-8076. Disponível em: < http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/psicologia/article/view/3195/2558>. Acesso em: 7 Nov. 2013. 2) CAVALCANTE, Maria Beatriz de Paula Tavares; ALVES, Maria Dalva Santos; BARROSO, Maria Grasiela Teixeira. Adolescência, álcool e drogas: uma revista na perspectiva da promoção da saúde. Escola Anna Nery. 2008, 12, 555-559. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141481452008000300024&nrm =iso. Acesso em: 7 de Nov. 2013. 3) VENDRAME, Alan.; PINSKY, Ilana; FARIA, Roberta; SILVA, Rebeca. Apreciação de propagandas de cerveja por adolescentes: relações com a exposição prévia às mesmas e o consumo de álcool. Cadernos de Saúde Pública. 2009, 25, 359-365. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102311X2009000200014&nrm =iso. Acesso em: 7de Nov. 2013.
  18. 18. Obrigado.

×