Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Cb quando a infancia perde o jogo - parte 1

250 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Cb quando a infancia perde o jogo - parte 1

  1. 1. CMYK Campo de futebol na cidade de Caratinga, em Minas Gerais. Treinador comandava rede de exploração sexual COMÉRCIO DE CRIANÇAS NO MERCADO DA BOLA Caratinga — “É só fechar o olho, é fácil”, ameaçava tirá-los do time. Ele também Marco Monteiro/Diario da Manhã - 21/11/09 disse Maguila a Paulo, em uma tarde como usava o medo dos jogadores de ficarem es- outra qualquer. Maguila era treinador de fu- tigmatizados e fazia ameaças de falar so- tebol, funcionário da prefeitura de Caratin- bre os encontros para as namoradas e a fa- ga (MG) e coordenava uma escolinha em mília. “Aí gostoso, vou te ‘caguetar’. Magui- um campo simples. Paulo, na época com 14 la não vai te dar moral”, intimidou certa anos, era um dos melhores atletas do grupo vez um dos menores. e, até por isso, a proximidade entre o profes- O esquema poderia ter continuado du- sor e o pupilo não causava estranheza. Ma- rante anos, não fosse a denúncia de Osval- guila era respeitado na cidade, levava com do e Rosa, pais de Daniel, 13 anos. O jovem, frequência os garotos para testes em clubes ao contrário da maioria dos meninos nesta de expressão nacional, como o Atlético Mi- idade, nunca teve muito interesse por fute- neiro e o Cruzeiro, e nele eram depositadas bol. Desde pequeno, ajudava os pais a “ as esperanças de muitos pais em verem complementar a renda de R$ 2 mil mensais seus filhos como grandes ídolos. A frase ini- que sustentava os três e o irmão mais ve- cial poderia se referir a uma instrução do lho. Havia até interrompido os estudos pa-A prostituição e o professor ou uma orientação sobre um fun- damento de futebol, mas, na verdade, foi a ra vender picolé nas ruas da cidade. Um dia, telefonou para casa pedindo para via- abuso sexual tentativa de Maguila para convencer Paulo jar a Bom Jesus, município vizinho, para jo- a, mais uma vez, realizar programa com um gar bola com um amigo. A mãe estranhou e existem no dos clientes que tinha na região. não autorizou. Daniel foi assim mesmo. Jovens aspirantes a jogadores não estão No dia seguinte, o irmão mais velho, em futebol. Eu já vi sujeitos somente ao abuso de pedófilos, frente ao computador, chamou a mãe: Esquema foi mas também a redes que geram lucro para “Mãe, vem cá ver uma coisa. O Daniel muitos casos, os envolvidos. A exploração sexual se dife- mentiu pra nós. Ele tá no Rio de Janeiro”. descoberto a partir da denúncia cheguei até a re do abuso por haver uma organização, que envolve aliciadores e clientes. A seme- Nas fotos estavam Daniel, um vizinho também de 13 anos e dois homens, que de Rosa, mãe de um dos meninosintervir de outras lhança entre as duas situações está na for- ma de atrair meninos e de conseguir o si- Rosa desconhecia. Os suspeitos eram Cel- so e João Maranhão, apontado pelo inqué- abusadosformas. Não digo lêncio: a promessa de uma carreira bri- rito como o financiador do esquema lide- lhante e lucrativa no esporte e, depois, a rado por Maguila. No caso de Daniel, não que não ameaça de tirá-lo do time, caso o garoto foram necessárias promessas de uma bri- denuncie o crime. lhante carreira. O garoto se encantou com Insistência melhorou do Chefe da rede, Maguila se estabeleceu a possibilidade de conhecer o Rio de Janei- em Caratinga, município de 85 mil habitan- ro e por presentes —óculos caros, tênis e meu tempo de tes no sudeste de Minas Gerais, na busca roupas novas. Quando voltou, após um Trechos de mensagens de celular trocadas por Maguila com dois meninos, interceptadas pela polícia de Caratinga: jogador para cá. por pequenas vítimas. A escolinha onde le- cionava, como funcionário da prefeitura, fim de semana com os abusadores, Daniel justificou: “Mãe, eu menti porque você Mas ainda era vista por garotos da região como a gran- de possibilidade de se tornarem fenômenos não ia deixar se eu falasse que estava indo para o Rio de Janeiro. O Celso bancou tu- Maguila: Ow, vc quer ficar para sair com o David? Menor: Sai fora. Nunca mais converso com aquele cara, véi. existem, em como Ronaldo ou Neymar. A proximidade do”. E já anunciou a programação de via- Maguila: Ele mandou mensagem dizendo que quer falar a a com os meninos, as viagens, não chama- gem, desta vez para o Maranhão. Apavora- pequenos e vam a atenção. Para ser atleta era necessá- da, Rosa procurou a polícia. comigo e que vai tá com vc nesse fim de semana. Que vai te dar um cordão. rio dedicação, os testes e as peneiras exi- grandes times giam deslocamentos e, para os pais, não ha- Silêncio via nada de errado ali. Nem sequer a inexis- Menor: Eu tô perguntando se vai só eu e o cara. ” tência de talentos revelados por Maguila era Quando a queixa chegou à Delegacia Maguila: Por quê? a a motivo de suspeita, já que nenhum de seus da Mulher de Caratinga, os investigadores alunos chegou a um grande clube do país. associaram os nomes a uma denúncia fei- Menor: Porque eu já te falei né… Iarley, Segundo o inquérito da Polícia Civil de ta ao Disque 100, da Secretaria de Direitos Maguila: Bem, ele não gosta. Ele gosta de começar com dois a a jogador de futebol do Caratinga os encontros aconteciam nos Humanos. O inquérito foi montado após aí depois ele manda sair. Goiás Esporte Clube mais variados lugares, desde o motel da ci- meses de investigação e 50 dias de escutas Menor: Aff, é f… o: dade a funerária, onde um dos abusadores telefônicas. Para a delegada Nayara Tra- trabalhava. Em troca, os garotos ganha- vassos, responsável pelo caso, não há dú- Maguila: Sim, mas isso é só ali e acaba ali, véi. Tu sabe disso. vam camisetas de futebol, chuteiras, cor- vidas da existência da rede. Todos os garo- Menor: Mas eu não gosto. o: dões e, às vezes, quantias em dinheiro — tos, no entanto, negaram os abusos. “O Maguila: Cara, ninguém gosta. Mas é só ali na hora. a a nada além de R$ 50. Maguila, no entanto, Maguila era um cara querido. Não sei se é recebia quantias mais vultosas. Chegou, pelo medo, mas todos os menores estão Menor: Pra você, né? Pra mim, não. o: inclusive, a negociar a venda de Paulo por defendendo o treinador.” Maguila: É uma coisa que fica lá. Cara, eu entendo. Quando a a R$ 5 mil para Celso Pereira, professor uni- Seis suspeitos foram indiciados e estão acabar fica lá e você guarda só entre nós, entendeu? versitário do município de Santa Bárbara, presos preventivamente. O caso está sen- Menor: Eu sei, véi. Mas assim é f… portador do vírus da Aids. O dinheiro pago do julgado no Fórum do município. Os ad- garantiria a exclusividade sobre o menino, vogados usam a negativa dos garotos para Maguila: Relaxa, não é coisa de outro mundo. E outra, água a a mas, por causa de um briga com Celso, derrubar as denúncias e não há previsão lava tudo. Lava a boca, lava o corpo, lava tudo. É só fechar o Maguila não fechou o negócio. de uma sentença. Mesmo depois das de- olho, é fácil. Com a proximidade e influência que ti- núncias, o sonho de se tornarem grandes nha com os garotos, Maguila os convencia jogadores de futebol ainda continua na ca- de que os abusos eram normais e necessá- beça de alguns desses meninos, que per- rios para se tornarem grandes jogadores manecem treinando sozinhos, sem treina- de futebol. Caso contrário, o treinador dor, no campinho da cidade. Leia amanhã os abusos denunciados em grandes clubes do país Visite o hot site especial sobre a série de reportagens em www.correiobraziliense.com.br CMYK

×