Trabalho de faculdade celulas tronco

37,887 views

Published on

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
37,887
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,736
Actions
Shares
0
Downloads
361
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho de faculdade celulas tronco

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTACIO DE SÁ COMO OCORRRE A DIFERENÇA CELULARCELULAS TRONCOS E SEU USO NO TRATAMENTO DE DOENÇAS HUDSON ALVES EMERIQUE DE MELO CABO FRIO 2010
  2. 2. HUDSON ALVES EMERIQUE DE MELO COMO OCORRRE A DIFERENÇA CELULARCELULAS TRONCOS E SEU USO NO TRATAMENTO DE DOENÇAS ESTE TRABALHO TEM POR FINALIDADE A CONCLUSÃO DO TRABALHO SOBRE CELULAS REFERENTE A AVALIAÇÃO DA AV2 NA MATERIA DE BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE ESTACIO DE SA CABO FRIO 2010
  3. 3. SUMARIO1. Introdução .............................................................................. 22. Desenvolvimento .................................................................. 33. Conclusão .............................................................................. 114. Anexos ................................................................................... 125. Bibliografia ............................................................................ 14 1
  4. 4. INTRODUÇÃO O objetivo deste trabalho foi de ter um poucos mais de conhecimento desta matériaque e célula-tronco que esta bastantemente discutida em todo mundo. Para tanto, inicialmente, buscaremos entender melhor o que são e para que servem ascélulas-tronco. Para as pessoas sadia, a descoberta desse campo pode representar uma alegria. Maspara os portadores de algum problema de saúde, para ele pode representar a sua ultimaesperança de cura. 2
  5. 5. DESENVOLVIMENTO A célula é a unidade básica da vida. É a unidade estrutural e funcional detodos os seres vivos.Os organismos multiplicam-se, reproduzem-se, sendo estes processos efetuadosatravés das células. A forma de vida mais simples que é capaz de produzir cópias desi mesma, é a célula. As células foram descobertas em 1665 por Robert Hooke, aoexaminar lâminas de cortiça num microscópio rudimentar. Hooke observoucavidades poliédricas, às quais chamou células (do latim cella, pequena cavidade).Na prática observou paredes vegetais de células vegetais mortas.As células são limitadas por uma membrana celular (citoplamática) e no seu interiorcontém uma solução aquosa, o citoplasma. No citoplasma encontram-se dispersasnumerosas estruturas designadas no seu conjunto por organelos.As células podem ser divididas em dois grandes grupos, consoante possuem ou nãouma estrutura designadas por núcleo. De acordo com esta divisão temos as células:procarióticas e eucarióticas.As células procarióticas não possuem núcleo e o prefixo pro, significa anterior ekaryon provém do grego noz ou amêndoa, que é semelhante à forma que um núcleoapresenta numa célula. As células eucarióticas apresentam núcleo, onde o prefixoeu- quer dizer verdadeiro, ou seja, células que apresentam um verdadeiro (eu)núcleo (karyon).As células procarióticas são relativamente simples (comparativamente àseucarióticas) e são as que se encontram nas bactérias e cianófitas ("algas" azuis oucianobactérias). São organismos unicelulares constituídos por uma só célula. 3
  6. 6. As células eucarióticas podem ser encontradas em seres unicelulares epluricelulares. São células complexas que se encontram nos animais, plantas efungos. Existem diferentes tipos de células. Estas apresentam diferenças estruturais ede função. A estrutura principal para classificar uma célula é o núcleo. Os animais,plantas e fungos, possuem todas células com núcleo (eucarióticas), contudo existemdiferenças evidentes nessas células. As bactérias possuem células simples semnúcleo (procarióticas). 4 Tabela com as principais diferenças entre células
  7. 7. Ani Vegetal Bactéria mal Membrana + + +citoplasmática Citoplasma + + + Núcleo + + - Parede celular - + + Vacúolo - + - Plastos - + -(ex:cloroplastos) Cenytriolos + - - Presente ( + ) Ausente ( - )Células-tronco são células capazes de multiplicar-se e diferenciar-se nos maisvariados tecidos do corpo humano (sangue, ossos, nervos, músculos, etc.). Suautilização para fins terapêuticos pode representar talvez a única esperança para otratamento de inúmeras doenças ou para pacientes que sofreram lesõesincapacitantes da medula espinhal que impedem seus movimentos.As células-tronco existem em vários tecidos humanos, no cordão umbilical e emcélulas embrionárias na fase de blastócito. Pesquisas com células-tronco, porém,estão cerceadas pela desinformação ou por certas posições religiosas que vêemnelas um atentado contra a vida em vez de um recurso terapêutico que possibilitarásalvar muitas vidas.Elas funcionam como células curingas, ou seja, teriam a função de ajudar no reparode uma lesão. As células-tronco da medula óssea, especialmente, têm uma funçãoimportante: regenerar o sangue, porque as células sangüíneas se renovamconstantemente. Outra capacidade especial das células-tronco é a auto-replicação, ou seja,elas podem gerar cópias idênticas de si mesmas. São células que têm a capacidade de diferenciar-se em diferentes tecidoshumanos. 5 Existem as células-tronco totipotentes ou embrionárias, que conseguem darorigem a qualquer um dos 216 tecidos que formam o corpo humano; aspluripotentes, que conseguem diferenciar-se na maioria dos tecidos humanos, e as
  8. 8. células-tronco multipotentes que conseguem diferenciar-se em alguns tecidosapenas. Quanto a sua classificação, podem ser: - Totipotentes, aquelas células que são capazes de diferenciarem-se emtodos os 216 tecidos que formam o corpo humano, incluindo a placenta e anexosembrionários. As células totipotentes são encontradas nos embriões nas primeirasfases de divisão, isto é, quando o embrião tem até 16 - 32 células, que correspondea 3 ou 4 dias de vida; - Pluripotentes ou multipotentes, surgem quando o embrião atinge a fasede blastocisto (a partir de 32 -64 células, aproximadamente a partir do 5.o dia devida) - as células internas do blastocisto são pluripotentes enquanto as células damembrana externa do blastocisto destinam-se a produzir a placenta e asmembranas embrionárias. - Oligotentes, aquelas células que se diferenciam em poucos tecidos, aindasão objeto de pesquisas - Unipotentes, estão presentes no tecido cerebral adulto e na próstata, porexemplo. Constitui um mistério para os cientistas a ordem ou comando que determinano embrião humano que uma célula-tronco pluripotente se diferencie emdeterminado tecido específico, como fígado, osso, sangue etc. Porém emlaboratório, existem substâncias ou fatores de diferenciação que quando sãocolocadas em culturas de células-tronco in vitro, determinam que elas se diferenciemno tecido esperado. Um estudo está sendo desenvolvido pela USP para averiguar oresultado do contato de uma célula-tronco com um tecido diferenciado, cujo objetivoé observar se a célula-tronco irá transformar-se no mesmo tecido com que estátendo contato. As células-tronco da pesquisa foram retiradas de cordão umbilical. 6 Quanto a sua natureza, podem ser: Adultas, extraídas dos diversos tecidos humanos, tais como, medula óssea,sangue, fígado, cordão umbilical, placenta etc. (estas duas últimas são consideradas
  9. 9. células adultas, haja vista a sua limitação de diferenciação). Nos tecidos adultostambém são encontradas células-tronco, como medula óssea, sistema nervoso eepitélio. Entretanto, estudos demonstram que a sua capacidade de diferenciaçãoseja limitada e que a maioria dos tecidos humanos não podem ser obtidas a partirdelas. Embrionárias, só podem ser encontradas nos embriões humanos e sãoclassificadas como totipotentes ou pluripotentes, dado seu alto poder dediferenciação. Estes embriões descartados (inviáveis para a implantação) podem serencontrados nas clínicas de reprodução assistida ou podem ser produzidos atravésda clonagem para fins terapêuticos. Podem ser obtidas: - Por Clonagem Terapêutica é a técnica de manipulação genética quefabrica embriões a partir da transferência do núcleo da célula já diferenciada, de umadulto ou de um embrião, para um óvulo sem núcleo. A partir da fusão inicia-se oprocesso de divisão celular, na primeira fase 16-32 são consideradas célulastotipotentes. Na segunda fase 32-64 serão células pluripotentes, blastocisto queserão retiradas as células-tronco para diferenciação, in vitro, dos tecidos que sepretende produzir. Nesta fase ainda não existe nenhuma diferenciação dos tecidosou órgãos que formam o corpo humano e por isso podem ser induzidas para aterapia celular. - Do Corpo Humano as células-tronco adultas são fabricadas em algunstecidos do corpo, como a medula óssea, sistema nervoso e epitélio, mas possuemlimitação quanto a diferenciação em tecidos do corpo humano. - De Embriões Descartados (inviáveis para implantação) e Congelados nasclínicas de reprodução assistida 7 Podem ser utilizadas:Terapia Celular: tratamento de doenças ou lesões com células-tronco manipuladasem laboratório.
  10. 10. Células-tronco: as células-mãe do corpo.As células-tronco encontradas no cordão umbilical e na medula óssea dão origem atodas as células que formam o sangue e o sistema imunológico. Por isso, sãoutilizadas no tratamento de uma série de doenças que necessitam da regeneraçãodesses tecidos.O sangue do cordão é o passaporte para a medicina do futuro. Sangue do cordãoO sangue do cordão umbilical do bebê, que normalmente é descartado após seunascimento, é extremamente valioso por ser rico em células-tronco. Essas célulassão mais jovens que as da medula óssea e ainda não sofreram qualquer exposiçãoa vírus, bactérias e ao meio ambiente. Isso garante uma maior eficiência terapêuticae uma maior probabilidade de compatibilidade.Quando sua utilização for necessária, as células-tronco do sangue do cordãoumbilical serão sempre compatíveis com o bebê e estarão imediatamentedisponíveis, sem a dificuldade das longas e muitas vezes infrutíferas buscas por umdoador compatível.Um benefício adicional destas células é que elas também têm uma probabilidade de25% de compatibilidade entre irmãos de mesmo pai e mãe, estão associadas comuma menor incidência de efeitos colaterais e uma maior sobrevida para quem asrecebe em um transplante, quando comparado ao uso de amostras nãoaparentadas.São obtidas de maneira não-invasiva e indolor, sem necessidade de anestesia geral,como ocorre no caso da medula óssea. Varias áreas da Medicina estão em período experimental de aproveitamentode células-tronco. Uma resenha das principais e mais consistentes experiências como seu aproveitamento será apresentada a seguir: 8 Neoangiogênese – Formação de novos vasos sanguíneos a parti do uso dacélula-tronco está sendo cada vez mais evidenciada. Cardiologia – Tratamento de Cardiopatias
  11. 11. Neurologia – Tratamento de doença neurodegenerativas, tratamento delesões traumáticas. Ortopedia – Engenharia biotecidual, que utiliza o rápido potencial decrescimento apresentado pela células-troncos para obtenção de tecidos Endocrinologia – Pacientes com diabetes tipo 1. PRINCIPAIS INTERESSES NO USO DAS CÉLULAS-TRONCO· Biologia básica do desenvolvimento - compreensão do desenvolvimento humanonormal e anormal;· Estudo das doenças humanas em modelos animais - células-tronco de ratospoderiam incorporar genes humanos mutados (i.e., com erros genéticos) de doençasem particular;· Cultura de linhagens celulares especializadas - poderiam ser utilizadas paraestudos de farmacologia e testes toxicológicos, por exemplo, pela verificação decomo populações puras de células especificas diferenciadas respondem a novosprodutos medicinais;Terapia gênica - as células poderiam ser usadas como vetores para entrega degenes. Uma aplicação prática em estudos clínicos é o uso da célula-troncohematopoiética modificada geneticamente para torná-la resistente ao HIV; · Produção de linhagens celulares específicas para transplantes - esta é aaplicação terapêutica mais promissora das células-tronco. O objetivo maior é dirigir adiferenciação da célula-tronco pluripotente para produção de populações puras esaudáveis de tipos celulares a serem usados para reparar tecidos doentes ouinjuriados, por exemplo, células do músculo cardíaco, células pancreáticas paraprodução de insulina, células hepáticas, células neurais e mesmo células paratratamento de algumas formas de câncer; este é o caminho para MedicinaRegenerativa. 9 Por causa destas duas capacidades, as células-tronco são objeto de intensaspesquisas hoje, pois poderiam no futuro funcionar como células substitutas emtecidos lesionados ou doentes, como nos casos de Alzheimer, Parkinson e doenças
  12. 12. neuromusculares em geral, ou ainda no lugar de células que o organismo deixa deproduzir por alguma deficiência, como no caso de diabetes. FuturoO objetivo primario do trabalho com celulas troncos é identificar como asindiferencidas tornam-se difrenciadas. Os cientistas sabem que “ligar” e “desligar” osgenes é um passo central do processo. Algumas das condições medicas maisserias, tal como câncer e defeitos do nascimento, são devidos a divisão celular ediferenciação anormais. A melhor compreensão do controle genético e moleculardestes processos poderá informa como tais doenças surgem e sugerir novasestratégias terapêuticas. A aplicação mais importante das células-tronco humanas e a geração decélulas e tecidos eu poderiam ser utilizados para terapias. Células-tronco dirigidaspara se diferenciarem em tipos celulares específicos, oferecem a possibilidade deuma fonte renovável de células e tecidos de reposição para tratar algumas doenças,tais como doença de Parkinson, Alzheimer, injurias da medula espinhal, infarto,queimadura, doenças do coração, diabetes,, osteoatrit e artrite reumatoide. Por exemplo, poderá ser possível gerar células de músculo cardiaco saudávelno laboratório e, então, transplanta-la em pacientes com doença cardiaca crônica. Em resumo, as terapias com células-tronco são muito promissoras, masobstáculos técnicos significantes ainda permanecem e poderão ser melhorcompreendidos por meio de intensa pesquisa. 10 CONCLUSÃO
  13. 13. O trabalho realizado de celulas troncos teve seus seguintes objetivos. . Verificar que a célula é a unidade estrutural e de função dos seres vivos. . Conhecer a constituição das células eucarióticas animais e vegetais. . Identificar as diferentes estruturas constituintes das células animais e vegetais. . Distinguir células animais de vegetais.Os países aumentaram o investimento nas pesquisas com células-tronco notratamento de várias doenças, como: doenças do coração, ortopédicos,portadores de leucemia, câncer, medula-osséa, nervos periféricos, doenças dosistema imunológico, anemia falciforme, medula espinhal, doenças genéticas,diabetes, doenças crônico-degenerativa ,portadores de lesões medularescrônicas, lesões de tecidos, doenças vascular cerebral, doenças auto-imunes,esclerose lateral amiotrofica, esclerose múltiplas e diabetes.As células-tronco embrionárias tem um potencial de formar todos os tecidoshumanos. Elas podem ser retiradas de : embriões excedentes que sãodestacados em clinicas de fertilização, pôr não terem qualidade para implantaçãopor terem sido congelados por muito tempo ou pela técnica de clonagemterapêutica.As células-tronco são classificadas como: totipotentes ou embrionárias,pluripotentes ou multipotentes, oligopotentes e onipotentes.Com as intensas pesquisas realizadas em vários países, no estudo comtransplantes de células-tronco, os pacientes terão oportunidades de restitui suasvidas e diminuir as filas intermináveis no transplante de doações de órgãos emtodo o mundo.Espera-se que células lesadas, ou com função pouco eficiente, das mais variadascategorias, possam ser substituídas em qualquer de nossos órgãos por célulasjovens induzidas a desempenhar as tarefas das células originais. O alcance destanova possibilidade terapêutica parece atingir objetivos sem precedentes. Aspesquisas ainda são iniciais. Há necessidade de comprovação de váriosconhecimentos e técnicas ainda iniciais. O caminho é promissor e certamentelongo. 11 ANEXOS
  14. 14. 12
  15. 15. 13
  16. 16. SUMARIO6. Introdução .............................................................................. 27. Desenvolvimento .................................................................. 38. Conclusão .............................................................................. 119. Anexos ................................................................................... 1210. Bibliografia ............................................................................ 14 1
  17. 17. BIBLIOGRAFIAhttp://www.drauziovarella.com.brhttp://www.abcdasaude.com.brhttp://www.ghente.orghttp://www.cordvida.com.brhttp://www.brasilescola.comhttp://www.ahau.orghttp://www.cib.org.brhttp://www.malhatlantica.ptLocateli, Claudia Cinara; Gobbo, Edenilza. A clonagem para fins terapêuticos alternativa paraembriões excedentes. Publicada no júris Síntese nª 49 SET/OUT de 2004 14

×