Mobile UX - MobileConf 2014 - RJ

1,945 views

Published on

Mobile UX: a experiência como vantagem competitiva.
Apresentação utilizada na palestra realizada no dia 31 de maio de 2014, no MobileConf no Rio de Janeiro.

Published in: Mobile
0 Comments
12 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,945
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
22
Actions
Shares
0
Downloads
97
Comments
0
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mobile UX - MobileConf 2014 - RJ

  1. 1. ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! Mobile UX 
 A experiência como vantagem competitiva
  2. 2. @horaciosoares ! Especialista em experiência do usuário, usabilidade, Design e acessibilidade, é consultor da Acesso Digital e da Soyuz e possui 16 anos de experiência no desenvolvimento de soluções Web. Palestrante, professor e editor de artigos, faz parte do Conselho Consultivo do Instituto Intranet Portal e do GT de Acessibilidade na Web do W3C Brasil. Horacio Soares
  3. 3. horacio@mestr.es facebook.com/mestresbrasil (21) 9 9925-5404 - @horaciosoares
 Skype: horacio.soares Horácio Soares
  4. 4. Projetos UX Mobile
  5. 5. Nunca esquecer de duas palavras mágicas no mundo móvel:
  6. 6. Uma delas te rouba tempo:
  7. 7. A outra te faz ganhar tempo
  8. 8. Entretenimento
  9. 9. Utilidade
  10. 10. Como são as experiências dos seus clientes?
  11. 11. O que os clientes esperam?
  12. 12. felicidade
  13. 13. felicidade X
  14. 14. felicidade X
  15. 15. Isso é felicidade
  16. 16. Felicidade…
  17. 17. experiência perfeita
  18. 18. felicidade
  19. 19. e o que as empresas esperam?
  20. 20. Mulher com notebook em sinal de ok Todos querem o melhor osso… Cachorrinho caregando um enorme osso.
  21. 21. mas como?
  22. 22. com qualidade...
  23. 23. com uma experiência de qualidade...
  24. 24. Acertando o tiro certo no alvo certo
  25. 25. Realidade nos projetos digitais:
  26. 26. Para onde vamos? http://voluntariadomococa.files.wordpress.com/2009/09/tarifas-taxi.jpg
  27. 27. Livro: O Tiro e o Alvo Causo 1! Precisamos Construir uma mesa.
  28. 28. CAUSO 1 
 
 - A propósito, que mesa? Livro: O Tiro e o Alvo
  29. 29. De sinuca?
  30. 30. Ping-pong?
  31. 31. Futebol de botão?
  32. 32. Carteado?
  33. 33. Ou seria uma mesa para computador?
  34. 34. Reunião?
  35. 35. Escritório?
  36. 36. Mesa de centro?
  37. 37. Jantar?
  38. 38. Ou seria uma mesa de cirurgia?
  39. 39. De autópsia?
  40. 40. CAUSO 1 (continuação) ! 
 - Isso não interessa, meu filho. Depois a gente vê. Vamos começar logo o trabalho. O prazo é curto, então, mãos à obra! Livro: O Tiro e o Alvo Livro: rework
 37 Signals
  41. 41. Conclusão? ! Retrabalho, desgaste com o cliente e diminuição do lucro.
  42. 42. É a média do tempo gasto em refação nos projetos de TI. 
 Fonte: http://spectrum.ieee.org/computing/software/why-software-fails/0 
 
 Via Curso AI Faber Ludens:
 http://www.slideshare.net/faberludens/curso-ai-i-masters-jan-2013 50%
  43. 43. Mais caro fazer alterações em um projeto finalizado. 
 
 Fonte: http://spectrum.ieee.org/computing/software/why-software-fails/0 
 
 Via Curso AI Faber Ludens:
 http://www.slideshare.net/faberludens/curso-ai-i-masters-jan-2013 100x
  44. 44. Dos projetos são abandonados depois de uma primeira entrega inadequada. 
 Fonte: http://spectrum.ieee.org/computing/software/why-software-fails/0 
 Via Curso AI Faber Ludens:
 http://www.slideshare.net/faberludens/curso-ai-i-masters-jan-2013 15%
  45. 45. É a média da melhoria dos KPI’s em projetos com 10% do orçamento gasto em pesquisa de usabilidade.
 
 Fonte: http://spectrum.ieee.org/computing/software/why-software-fails/0 
 Via Curso AI Faber Ludens:
 http://www.slideshare.net/faberludens/curso-ai-i-masters-jan-2013 83%
  46. 46. Aumento de KPI’s ! Conversões - Tráfego no site - Cadastros - Contatos de novos clientes - Vendas - Fatia de mercado - Transações - Taxa de sucesso em tarefas - Retenção - Produtividade - Pageviews - Uso do sistema - Visitas 
 key performance indicator (KPI) http://en.wikipedia.org/wiki/Key_performance_indicator
  47. 47. Diminuição de KPI’s ! Custos do projeto - Tempo de desenvolvimento do projeto - Custo de treinamento - Erros no uso do sistema - Tempo do usuário - Chamadas em help desk - Refações – Manutenção.
 
 key performance indicator (KPI) http://en.wikipedia.org/wiki/Key_performance_indicator
  48. 48. Afinal, o que é eXperiência 
 do Usuário (UX) ?
  49. 49. eXperiência do Usuário (UX) é a qualidade da experiência que uma pessoa tem ao interagir com algo projetado.
 
 uxnet.org “ ”
  50. 50. Experiências são uma 
 ! ! ! ! ! nova oferta econômica.
  51. 51. Experiências que fazem esquecer o mundo a sua volta
  52. 52. http://semanticstudios.com/publications/semantics/000029.php Colmeia da experiência 
 do usuário? ! ! ! ! HoneyComb User Experience
  53. 53. http://www.sedentario.org/wp-content/uploads/2008/06/cachorrosempata2.jpg
  54. 54. X
  55. 55. http://semanticstudios.com/publications/semantics/000029.php
  56. 56. http://semanticstudios.com/publications/semantics/000029.php
  57. 57. Mas como são 
 nossas experiências no mundo digital?
  58. 58. Como os usuários são vistos?
  59. 59. Para alguns desenvolvedores e designers, é assim que os usuários deveriam ser tratados…
  60. 60. Usuário bom é usuário m…
  61. 61. Usuário bom é usuário m…
  62. 62. Resumo da ópera
  63. 63. E o resultado não 
 poderia ser diferente: experiência ruim = resultado pior ainda
  64. 64. Estratégia = “uma conspiração
 para o sucesso”
  65. 65. Como, na maioria das
 vezes, os projetos Web são desenvolvidos?
  66. 66. 
 Cliente 
 Atendimento
  67. 67. 
 Cliente ? ? ? ? ? ? 
 Atendimento
  68. 68. v 
 
 Cliente Atendimento 
 Designer/Arquiteto ?? ? ?
  69. 69. v 
 Cliente 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto
  70. 70. v 
 Cliente 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ? ? ?
  71. 71. v 
 Cliente 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto OK OK
  72. 72. v 
 Cliente Designer gráfico 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ? ? ? #%$&*@#$%$#
  73. 73. v 
 Cliente Designer gráfico 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ?? ?
  74. 74. v 
 Cliente Designer gráfico 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ?? ?
  75. 75. v 
 Cliente Designer gráfico 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ?? ?
  76. 76. v 
 Cliente Designer gráfico 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ?? ?
  77. 77. v 
 Cliente Designer gráfico 
 
 Atendimento 
 Designer/ArquitetoOK OK
  78. 78. v 
 Cliente Designer gráfico Front End 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ? ? 
 
 Backend ?
  79. 79. v 
 Cliente Designer gráfico Front End 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto ?? 
 
 Backend ? #%$&*@#$%$#
  80. 80. v 
 Cliente Designer gráfico Front End 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto 
 <html> <style> <script> 
 Backend ? ?
  81. 81. v 
 Cliente Designer gráfico Front End 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto 
 
 Backend ? ? ? <% - - %> #%$&*@#$%$#
  82. 82. v 
 Cliente Designer gráfico Front End 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto 
 <html> <style> <script> 
 Backend <% - - %>
  83. 83. v 
 Cliente Designer gráfico Front End 
 
 Atendimento 
 Designer/Arquiteto 
 <html> <style> <script> 
 Backend <% - - %> #%$&*@#$%$# ?? ?
  84. 84. Além dos problemas de comunicação, um outro grande problema é:
  85. 85. Marte 
 Objetivos e metas da empresa Vênus
 Necessidades dos usuários Desafio 2:
 
 Como atender ao mesmo tempo 
 os objetivos e as necessidades?
  86. 86. Objetivos
 e metas 
 do projeto
  87. 87. • Precisa de novos clientes/usuários.  • Quer que os clientes atuais visitem seu site com maior frequencia. • Quer aumentar a margem de lucro. • Você precisa aumentar sua audiência, seu público. • Quer diferenciar sua marca. • Gostaria de melhorar o retorno sobre o investimento (ROI). • Quer que seus clientes gastem mais a cada compra. • Está à procura de novos canais de distribuição. • Quer aumentar sua fatia do mercado (market share). • ...
  88. 88. Reais
 necessidades dos usuários
  89. 89. • Qualidade.  • Simplicidade. • velocidade. • Utilidade. • Usabilidade. • Acessibilidade. • Portabilidade. • Bom custo x benefício. • Resolver seu problema. • ...
  90. 90. Objetivos
 e metas 
 do projeto Reais
 necessidades dos usuários
  91. 91. a busca
 do equilíbrio
  92. 92. empresa usuários Objetivos
 e metas do
 projeto Necessidades dos
 usuários
  93. 93. um case em equilíbrio…
  94. 94. Case apresentado por Rodrigo Tigre, POPULIS - Content Marketing Digitalks Rio de Janeiro Abril2012
  95. 95. Erico Fileno
  96. 96. Case apresentado por Rodrigo Tigre, POPULIS - Content Marketing Digitalks Rio de Janeiro Abril2012
  97. 97. Case apresentado por Rodrigo Tigre, POPULIS - Content Marketing Digitalks Rio de Janeiro Abril2012
  98. 98. Observação e identificação de um problema...
  99. 99. Case apresentado por Rodrigo Tigre, POPULIS - Content Marketing Digitalks Rio de Janeiro Abril2012
  100. 100. Case apresentado por Rodrigo Tigre, POPULIS - Content Marketing Digitalks Rio de Janeiro Abril2012
  101. 101. Observação = Descoberta
  102. 102. desafio 1: 
 identificar objetivos e necessidades…
  103. 103. Por Quê?Por Quê?Por Quê?Por Quê?Por Quê? Precisamos automatizar a Contabilidade Preciso do Balancete dia 5 e não dia 15 como atualmente! Necessito da Conta X do Balancete até o dia 5. Preciso do valor da Conta X para calcular até o dia 7 o valor das Reservas. Precisamos informar o valor das Reservas ao Banco Central até o dia 8! Por que se não informarmos as Reservas seremos multados!! Investigação Baseada em Perguntas
  104. 104. Por que um Novo Sistema de Materiais ? LUCRO! Diretor Presidente ROUBO! Chefe do Almoxarifado JUROS! Diretor Financeiro PARADAS! Diretor de Produção Modelagem Participativa
  105. 105. Uma proposta de briefing baseado em perguntas: 
 http://clearleft.s3.amazonaws.com/client- worksheet.doc ! http://bit.ly/a5tRzF
  106. 106. Work is never finished, only abandoned. Paul Valéry
  107. 107. Mas, na busca por soluções para os problemas, o que maioria dos sites faz?
  108. 108. Ctrl + C à Ctrl + V para quase tudo...
  109. 109. Resultado: replicamos tudo sem questionamentos... !
  110. 110. Código de barras
  111. 111. X
  112. 112. 
 CAPTCHA

  113. 113. Artigo 
 CAPTCHA: herói ou vilão? ! http://acessodigital.net/art_captcha-heroi-ou-vilao.html
  114. 114. Captcha http://sam.zoy.org/pwntcha/

  115. 115. Captcha http://sam.zoy.org/pwntcha/
 X
  116. 116. Captcha 
 (solução inacessível e insegura) (http://www.webvisum.com/en/main/download)
  117. 117. Menu DropDown
  118. 118. X
  119. 119. Clique aqui!
  120. 120. Clique aqui!
  121. 121. “Clique aqui”, “Saiba mais”, “veja Mais”… 41.700.000 respostas para “clique aqui” no Google.
  122. 122. Site da Itautec http://www.itautec.com.br (acesso em setembro 2009)
  123. 123. Site da Itautec http://www.itautec.com.br (acesso em setembro 2009) X
  124. 124. Ou ainda as mais recentes modinhas como paralax, modal, one single page , etc…
  125. 125. http://conversionxl.com/dont-use-automatic-image- sliders-or-carousels-ignore-the-fad/
  126. 126. http://conversionxl.com/dont-use-automatic-image- sliders-or-carousels-ignore-the-fad/
  127. 127. Should I use carousel?
 http://shouldiuseacarousel.com ! Exemplo: ! King Host
 http://www.kinghost.com.br/
  128. 128. Hamburger or not?
  129. 129. http://techcrunch.com/2014/05/24/before-the-hamburger-button-kills-you/ Kill The Hamburger Button
  130. 130. http://exisweb.net/mobile-menu-abtest Mobile Menu AB Tested: Hamburger Not the Best Choice?
  131. 131. http://www.newfangled.com/ user_experience_mobile_menus_and_nav_burgers Mobile Navigation Menus and Great User Experience
  132. 132. Mas por quê?
  133. 133. Porque está na moda, todo mundo usa, porque não temos tempo e somos reativos... ! REWORK: Business book from 37signals
  134. 134. E porque somos preguiçosos…
  135. 135. Qual é o contexto do Mobile?
  136. 136. http://www.slideshare.net/HubSpot/50-mobilefactsdeck62812 - Slide 4
  137. 137. crescimento = oportunidade
  138. 138. http://blog.i2fly.com/wp-content/uploads/2011/04/its-not-about-people-not-device_4.jpg
  139. 139. http://www.slideshare.net/HubSpot/50-mobilefactsdeck62812 - slide 6
  140. 140. http://www.slideshare.net/HubSpot/50-mobilefactsdeck62812 - slide 36
  141. 141. no Brasil
  142. 142. http://services.google.com/fh/files/blogs/our_mobile_planet_brazil_pt_BR.pdf
  143. 143. 1 Os smartphones são indispensáveis no cotidiano
  144. 144. 2 ! Os smartphones transformaram o comportamento do consumidor
  145. 145. 3 Os smartphones ajudam os usuários a navegar pelo mundo
  146. 146. Mas cuidado...
  147. 147. 4 ! Os smartphones mudam o modo como os consumidores fazem compras
  148. 148. 5 ! Os smartphones ajudam os anunciantes a entrarem em contato com os clientes
  149. 149. http://blog.i2fly.com/wp-content/uploads/2011/04/its-not-about-people-not-device_4.jpg
  150. 150. Estatísticas Brasil
  151. 151. GIF
 animado...
  152. 152. No mundo
  153. 153. Vários GIFs
 animados...
  154. 154. http://pt.slideshare.net/wearesocialsg/social-digital-mobile-around-the-world-january-2014
  155. 155. 
 mitos = verdades
  156. 156. X
  157. 157. mitos
  158. 158. mitos X
  159. 159. mitos
  160. 160. mitos
  161. 161. mitos V
  162. 162. mitos do mundo mobile
  163. 163. difícil
  164. 164. é caro
  165. 165. limitador
  166. 166. é demorado
  167. 167. Não atende as pessoas idosas
  168. 168. Muito menos as pessoas com deficiência
  169. 169. é irrelevante
  170. 170. Será?
  171. 171. as pessoas não vão 
 se registrar via mobile
  172. 172. não vão comprar via mobile
  173. 173. http://www.slideshare.net/HubSpot/50-mobilefactsdeck62812 - slide 18
  174. 174. não vão criar conteúdo, fazer reviews, dar opinião, etc.
  175. 175. sempre seremos surpreendidos pelo que as pessoas fazem na experiência mobile
  176. 176. se as perguntas fizerem sentido e a interface tiver um bom design, as pessoas vão responder...
  177. 177. MOBILE TO THE FUTURE
http://www.zeldman.com/2012/07/09/mobile-to-the-future-luke-wroblewski/
 • People are 2x more likely to buy on mobile; • 2.5x more likely to subscribe; • 3x more likely to be engaged.
  178. 178. capacidades/ vantagens
 do mobile
  179. 179. ! GPS
  180. 180. Acelerômetro
  181. 181. Giroscópio
  182. 182. Bluetooth
  183. 183. Bluetooth
  184. 184. ! Áudio, vídeo e imagem
  185. 185. NFC
  186. 186. Sensores multitoque
  187. 187. Em qualquer hora e local.
  188. 188. Novas maneiras de interação e apresentação
  189. 189. Integração com dispositivos externos…
  190. 190. Novos clientes…
  191. 191. https://www.youtube.com/watch?v=4UoE-87I-Hg
  192. 192. Boa compatibilidade entre navegadores Mobile e HTML5
  193. 193. Atualizações frequentes...
  194. 194. limitações/restrições
 do mobile
  195. 195. Muitas vezes, ao interagir com mobile, as pessoas estão em modo: “fritando o peixe e olhando o gato” e com 
 apenas um dos dedos...
  196. 196. @lukew
  197. 197. ‘Desktop is like “diving”…
  198. 198. …while mobile is like “snorkling.”’ 
 by Hinman at Nokia http://www.slideshare.net/Rachel_Hinman
  199. 199. O que 
 todos quando 
 mergulham 
 desejam?
  200. 200. @lukew desktop
  201. 201. @lukew tela grande
  202. 202. @lukew tela grande energia
  203. 203. @lukew tela grande energia rede consistente
  204. 204. @lukew tela grande energia rede consistente teclado
  205. 205. @lukew tela grande energia rede consistente teclado mouse
  206. 206. @lukew tela grande energia rede consistente teclado mouse cadeira
  207. 207. @lukew tela grande energia rede consistente teclado mouse cadeira mesa
  208. 208. tela grande energia rede consistente teclado mouse cadeira mesa caneca de café @lukew
  209. 209. @lukew mobile
  210. 210. tela pequena @lukew
  211. 211. tela pequena bateria @lukew
  212. 212. tela pequena bateria rede inconsistente @lukew
  213. 213. tela pequena bateria rede inconsistente dedo gordo @lukew
  214. 214. tela pequena bateria rede inconsistente dedo gordo sensores @lukew
  215. 215. Slide 107 
 http://www.slideshare.net/cxpartners/web-and-mobile-forms-design-
  216. 216. Como o Luli disse no Digitalks no Rio:
 
 “Nesse mundo Mobile, somos
 todos daltónicos e sofremos do Mal de Parkinson”
  217. 217. https://twitter.com/lukew/media
  218. 218. https://twitter.com/lukew/media
  219. 219. Mobile And Accessibility: Why You Should Care And What You Can Do About It http://www.smashingmagazine.com/2014/05/21/mobile- accessibility-why-care-what-can-you-do/
  220. 220. Outras limitações: # Capacidade de armazenamento e processamento reduzido. # Uma aplicação em HTML5 para mobile pode ser até 100 vezes mais lenta que em desktop. 
 http://spaceport.io/spaceport_perfmarks_2_report_2012_5.pdf
  221. 221. perda de 80% do espaço
  222. 222. @lukew
  223. 223. e isso pode ser ótimo para o negócio...
  224. 224. te força a priorizar...
 
 te força a manter o foco…
  225. 225. Flickr desktop
 60 opções de menu...
  226. 226. @lukew
  227. 227. Flickr mobile
 7 opções de menu...
  228. 228. Less is more...
  229. 229. Restrições são boas para o design, pois te forçam a priorizar, a manter o foco
  230. 230. mas cuidado… No ponto.
  231. 231. 
 Os detalhes do comprador não podem ser visualizados na versão mobile.
  232. 232. Como anda a qualidade dos 
 nossos sites nas versões desktop?
  233. 233. Será?
  234. 234. Uma breve avaliação de conhecidos sites de notícias sobre TI
  235. 235. Independente do caminho escolhido deve-se…
  236. 236. Mobile First Luke Wroblewski Livro: http://www.abookapart.com/products/mobile-first
  237. 237. O Mobile First 
 veio para tirar 
 os sites Desktop 
 do CTI
  238. 238. SIMPLICIDADE
  239. 239. Paradoxo da escolha
  240. 240. Elimine da interface itens que não sejam extremamente necessários...
  241. 241. Desktop first! http://arquiteturadeinformacao.com/2010/06/04/mobile-first/
  242. 242. Mobile First! http://arquiteturadeinformacao.com/2010/06/04/mobile-first/
  243. 243. UX 
 Alguns problemas
  244. 244. UX Designer torna-se especialista na criação de docs como Wireframes, site maps, diagramas de fluxo, inventários de conteúdos, taxonomias, mockups e documentos com especificações, ao invés de projetarem experiências.
  245. 245. Inventário de Conteúdo
  246. 246. Taxonomia
  247. 247. Personas
  248. 248. Storyboard
  249. 249. Casos de Uso
  250. 250. Caso de uso
  251. 251. Benthmarking
  252. 252. Fluxos
  253. 253. 
 protótipo

  254. 254. 
 protótipo navegável…

  255. 255. Quando combinado com metodologias de desenvolvimento, os entregáveis produzidos pelos designers podem gerar um grande desperdício de tempo.
  256. 256. LEAN UX
  257. 257. http://www.slideshare.net/uxconsulting/iaxil-lunch-talk-lean-ux
  258. 258. http://www.slideshare.net/uxconsulting/iaxil-lunch-talk-lean-ux Não é uma UX preguiçosa, mas é sobre minimizar 
 desperdícios.
  259. 259. ! Dev.! Prod. Processos ! Design
 Pesquisa Pessoas ! ! ! ! ! Startup Negócios ! UX ! Agile ! Lean
  260. 260. LEAN
  261. 261. Vem da Lean Startup (Eric Ries)
  262. 262. Só uma bala na agulha…
  263. 263. Lean Starput (Eric Ries)
  264. 264. Quer uma boa interface? 
 Teste…
  265. 265. First clic test.
 
 (um tipo de teste rápido)

  266. 266. 
 First clic test.
  
 Se o usuário não clicar certo a primeira vez, a chance de clicar certo depois será muito baixa.
  
 A técnica muito boa e rápida para testar se os seus links/ botões/arquitetura estão funcionando.
  
 Chame o usuário e crie alguns cenários para testar a homepage, como, por exemplo:
 “Sua senha foi clonada e você precisa mudá-la com urgência... Onde você clicaria para mudar a senha?” 
 E observe o usuário.
 
 

  267. 267. ESPN Brasil– abril 2010 X
  268. 268. • Nada de (re)design, o caminho é o co-design
  269. 269. Parallel Design ! Estudo: Improving System Usability Through Parallel Design By JAKOB NIELSEN
 http://www.nngroup.com/articles/parallel-design/ 
 "In a case study o a screen-based telephone interface, measured usability when going from version 1 to version 2 was improved by 18% when using traditional iterative design and by 70% when using parallel design. In the case study, parallel design was about 73% more expensive than iterative design, so it cannot be recommended for all development projects, but it seems a promising usability engineering method for speeding up time-to-market”.
 
 Parallel Prototyping Leads to Better Design Results, More Divergence, and Increased Self-Efficac https://www.cs.cmu.edu/~spdow/files/PrototypingParallel-TOCHI10.pdf
  270. 270. 
 
 
 
 
 
 $ # @ % ^&* @ $ * ( ) ^+! ˜ % ˆ & $ # @ $ % ˆ Y )@ Y % ˆ & * &*ˆ%$ˆ&(&% %%$#%#$ % $#%$ˆ$%ˆ$ ˆ % ˆ & $ # @ $ % ˆ Y )@ Y % ˆ & * fkdsjkfl jdskf jsdkl fjsdlk fjsdlk fjsdl fksjfklsfj klsjf lksdjk fljsdk fjsdklj fklsdj klfjsdlkjfklsd flksd jklfjksldjflks jdfklj sdklfj sdkljf lksjd fkljsdlkf jsdkl fjskdlj flksdj flkjsd kfjslk fjskdl jfklds jfklsj flkjsd flkjsdkl fjskl fjklsjfklsj flkjsd klgjkldfjglidjoisufd ikzdjfhdkf dhkkj hkudz fhku hzkd khf kh kjzhkjfhz jkdhfkzd jkfhsdiuf howshfjkw hrjkweh fk kjhd kjhkfdh kshf kjhd kjzhf kzhf kjdhfk hkz fhkz hfjk
  271. 271. 
 
 
 
 
 

  272. 272. 
 
 
 
 
 

  273. 273. 
 
 
 
 
 

  274. 274. 
 
 
 
 
 -
 — $%ˆ*W&E& %*@ˆ@#ˆ*$ 

  275. 275. Google X: - Gere 8 versões para resolver o problema em 5 minutos
  276. 276. horacio@mestr.es facebook.com/mestresbrasil (21) 9 9925-5404 - @horaciosoares
 Skype: horacio.soares Horácio Soares Obrigado!

×