Racionalização da terapia cirúrgica periodontal

5,112 views

Published on

Apresentação de slides sobre Racionalização da terapia cirúrgica periodontal

Published in: Health & Medicine
0 Comments
10 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,112
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
98
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
10
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Racionalização da terapia cirúrgica periodontal

  1. 1. Periodontia IIFac.Odontologia - UFJF Prof. Evandro de Toledo Lourenço Júnior Profa. Aneliese Holetz de Toledo Lourenço
  2. 2. Racionalização da Terapia Cirúrgica Periodontal Serão abordados alguns aspectos fundamentais para a realização de cirurgias periodontais em diversas e distintas situações clínicas. Recomendamos a leitura dos livros referenciados nas disciplinas para complementação do aprendizado.
  3. 3. Todo paciente periodontal que necessita de um procedimento cirúrgico deverá ser submetido a umpreparo básico para descontaminação coronário radicular.
  4. 4. PREPARO BÁSICO Antibioticoterapia profilática ( quando indicada) Terapia de emergência (alívio da dor) Descontaminação da superfície radicular *** Terapia química ( sistêmica ou local ) Eliminação dos fatores de retenção de placa Orientação de higienização Pequenos movimentos ortodônticos Ajuste oclusal Fase provisória Reavaliação*** Em função do caso a ordem dos procedimentos pode ser alterada
  5. 5. Antes da Raspagem,Alisamento e Polimento (RAP)3 semanas após RAPrealizada por alunodo 7º. Período UFJF.Uma 2ª. RAP foi feita30 dias após.
  6. 6. REAVALIAÇÃO após preparo básico Idealmente entre 45 e 60 dias -período em que ocorre a transformação do tecido inflamado e “vascular” em tecido fibroso, com consequente redução da mobilidade e, somente nesse momento, avaliaremos a necessidade ou não de uma intervenção cirúrgica.
  7. 7. REAVALIAÇÃO Ausência de inflamação: MANUTENÇÃO ( 3,6, e 12 meses). Persistência de inflamação ou profundidade residual grande: REALIZAR PREPARO BÁSICO NOVAMENTE. Se houver mobilidade, realizamos contenções e ajustes na oclusão Em caso de sucesso parcial, após pelo menos 2 sessões de raspagens na área, realizar acesso cirúrgico para descontaminação com visão direta e tratamento mecânico e químico local.
  8. 8. OBJETIVOS GERAIS DA TERAPIA CIRÚRGICA PERIODONTAL Eliminação do processo inflamatório residual. Eliminação ou redução de bolsas. Correção de contornos não fisiológicos de tecido mole e de tecido duro. Correção de deficiências mucogengivais. Correção de estética desfavorável.**** Exemplos clínicos a seguir:
  9. 9. Região antes do tratamento por preparo básicoA mesma região 30 dias após a 2ª.sessão de raspagem/alisamento epolimento – profundidade desondagem grande e impossibilidadede manutenção da saúde periodontalpor parte do paciente - cirurgia pararedução da profundidade
  10. 10. Acesso por Retalho de Widman ModificadoRemoção do colarinhode tecido marginal
  11. 11. Exposição das superfícies radiculares e margem óssea após remoção do tecidoApós debridamento etratamento mecânico equímico da superfícieradicular
  12. 12. Região no pós-operatório de 7 dias demonstrando redução da profundidadepor recessão tecidual cicatricial, facilitando a manutenção pelo paciente.
  13. 13. Caso clínico no qual os contornosfisiológicos do tecido gengival estavamalterados e a estética encontrava-seprejudicada ( antes do preparo básico)
  14. 14. Pós-operatório imediato trans-cirúrgico demonstrando arecuperação da anatomia do tecido gengival e da estética dosorriso do paciente ( duas sessões de RAP forampreviamente executadas – 60 e 30 dias)
  15. 15. Pós-operatório de 15 dias V e P – diferença nítida entre os arcos superior e inferior
  16. 16. Pós-operatório de 21 dias / estética e função recuperadas
  17. 17. Margem gengival inflamadapor ausência de gengivainserida (recessão pordeficiência mucogengival)Criação de faixa degengiva inserida –pós-operatório 15 dias
  18. 18. ANTES DEPOIS
  19. 19. Faixa de gengiva inseridacriada para otimizar ascaracterísticas de resistênciados tecidos marginais epermitir a movimentaçãoortodôntica
  20. 20. Faixa de gengiva inseridacriada por enxerto gengival
  21. 21. Faixa de gengiva inserida criadacirurgicamente para recuperar a áreamarginal após tratamento ortodôntico
  22. 22. Aumento da faixa de gengiva inserida em região que receberá prótese fixa
  23. 23. Bibliografia recomendada: LINDHE, J. Tratado de Periodontia clínica e Implantologia oral. 5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. (ISBN: 9788527716222) NEWMAN, M.G.; TAKEI, H; CARRANZA, F.A. Periodontia clínica. 10.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. (ISBN: 978853222487) DUARTE, C.A. Cirurgia Periodontal: pré-protética, estética e peri-implantar. 3.ed. São Paulo: Editora Santos, 2009. (ISBN: 9788572887748)

×