Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Imperialismo

4,108 views

Published on

Imperialismo é a prática através da qual, nações poderosas procuram ampliar e manter controle ou influência sobre povos ou nações mais pobres.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Imperialismo

  1. 1.  História http://kaiteos.blogspot.com.br/ Profº Alan
  2. 2.   Imperialismo é a prática através da qual, nações poderosas procuram ampliar e manter controle ou influência sobre povos ou nações mais pobres. Imperialismo
  3. 3.   Algumas vezes o imperialismo é associado somente com a expansão econômica dos países capitalistas; outras vezes é usado para designar a expansão européia após 1870.  Embora Imperialismo signifique o mesmo que Colonialismo e os dois termos sejam usados da mesma forma, devemos fazer a distinção entre um e outro.
  4. 4.  Colonialismo: normalmente implica em controle político, envolvendo anexação de território e perda da soberania. Imperialismo: se refere, em geral, ao controle e influência que é exercido tanto formal como informalmente, direta ou indiretamente, política ou economicamente.
  5. 5.   CONTEXTO HISTÓRICO:  Segunda metade do século XIX quando a expansão dos países europeus industrializados levam as partilhas dos continentes africano e asiático;  Também EUA e Japão exercem atividades imperialistas em suas respectivas regiões de influência... NEOCOLONIALISMO OU “PARTILHA DO MUNDO”
  6. 6.  COLONIALISMO/NEOCOLONIALISMO  COLONIALISMO:  Capitalismo Comercial (mercantilismo);  Objetivos: especiarias, produtos tropicais e metais preciosos;  Continente Americano;  Expansão impulsionada pelo Estado;  NEOCOLONIALISMO:  Capitalismo industrial e financeiro;  Objetivos: mercados consumidores de manufaturas e fornecedores de matérias- primas; busca de colônias para excedente populacional europeu; áreas de investimento de capitais e áreas estratégicas para proteção do comércio marítimo.  Continente africano, Asiático e Oceania;  Expansão impulsionada pela burguesia européia
  7. 7.  COLONIALISMO/NEOCOLONIALISMO  COLONIALISMO: Ideologia legitimadora: Fé católica  NEOCOLONIALISMO:  Ideologias legitimadoras:  Mito da superioridade racial: “Darwinismo Social”  Missão Civilizadora: fardo do homem branco
  8. 8.  O literato inglês Rudyard Kipling (1865-1936) forneceu amplo material de apoio ao imperialismo de seu país. Para ele a Inglaterra podia suportar como nenhuma outra nação “o fardo do homem branco”; em sua obra , The White man’s burden, destaca o dever à filantropia da ação colonizadora inglesa, como se constata nos versos: “O FARDO DO HOMEM BRANCO”
  9. 9.   Assumi o fardo do homem branco  Enviai os melhores dos vossos filhos  Condenai vossos filhos ao exílio  Para que sejam os servidores de seus  Cativos. RUDYARD KIPLING
  10. 10.  O FARDO DO HOMEM BRANCO  Esta propaganda de sabão usa o tema do "Fardo do Homem Branco" para encorajar pessoas brancas a ensinar noções de higiene a membros de outras raças.
  11. 11.  A mensagem era bastante simples:  Kipling justificava o imperialismo não pela busca e exploração dos recursos naturais, mas sim como uma necessidade para levar a “civilização” aos lugares mais “atrasados” do planeta.  A línguas europeias, a religião cristã, as técnicas, a educação, a medicina e até mesmo noções de higiene deveriam ser levadas aos “selvagens”, isto é, os não-brancos. Este era o “fardo”, a missão difícil e pesada do homem branco “civilizado” para os “tristes povos, metade criança, metade demônio”. O FARDO DO HOMEM BRANCO
  12. 12.   O imperialismo do século XIX, permeado pelo ideal da supremacia econômica e cultural, formulou o mito da superioridade racial, incluindo concepções pseudo-científicas que enalteciam os brancos e a exploração imperialista.  Por esse motivo destacou-se a doutrina racista do filósofo inglês H. Spencer, conhecida como “Darwinismo Social”. O DARWINISMO SOCIAL
  13. 13.   Segundo Spencer, a Teoria da Evolução de Darwin, podia ser perfeitamente aplicada à evolução da sociedade.  assim como existia uma seleção natural entre as espécies, com o predomínio dos animais e plantas mais capazes, ela existia também na sociedade.  Na politica o darwinismo social serviu para justificar o domínio ocidental sobre os demais povos. O DARWINISMO SOCIAL
  14. 14.  A luta pela sobrevivência entre os animais correspondia à concorrência capitalista; a seleção natural não era mais nada além da livre troca dos produtos entre os homens; a sobrevivência do mais capaz, do mais forte era demonstrada pela forma criativa dos gigantes da indústria, que engoliam os competidores mais fracos, em seu caminho para o enriquecimento. O DARWINISMO SOCIAL
  15. 15. DIRETA  Com agentes metropolitanos ocupando os principais cargos governamentais.  Ex: Inglaterra na Índia. INDIRETA  Aliança com elites locais, mantendo uma aparente independência política.  Ex: EUA na América Central FORMAS DE DOMINAÇÃO
  16. 16. IMPERIALISMO NA ÁFRICA Início: segunda metade do século XIX Ponto máximo: “Conferência de Berlim Objetivo: delimitar fronteiras coloniais e normas a serem seguidas pelas potências colonizadoras.
  17. 17.  IMPERIALISMO INGLÊS NA ÁFRICA  CANAL SUEZ  controle acionário: França e Egito;  1875:Inglaterra compra as ações do Egito  1904: franceses abandonam o Egito em troca de auxílio inglês para conquista do Marrocos.  GUERRA DOS BÔERES (1899-1902)  Colonos holandeses fundam as Repúblicas de Transvaal e Orange;  Conflito inicia quando se descobre diamantes na região de Joanesburgo, no Transvaal;  Resultado: 1902 Inglaterra vitoriosa anexa as Repúblicas às colônias do Cabo e Natal/ União Sul- Africana
  18. 18.  Cecil Rhodes(1853-1902) Domínio britânico no continente africano
  19. 19.  Presente na África desde 1830, a França dominava as seguintes regiões do continente:  Argélia;  Tunísia;  Marrocos;  Sudão ;  Madagascar;  Somália francesa. IMPERIALISMO FRANCÊS NA ÁFRICA
  20. 20.  Alemanha: Camerun (atual República dos Camarões),Togo, Sudoeste e Oriente da África; Itália: litoral da Líbia, Eritréia, Somália, “Abissínia/Etiópia” são derrotados; Bélgica: Congo (propriedade pessoal do rei); Portugal: Angola, Moçambique, Guiné Bissau e Cabo Verde; Espanha: Rio do Ouro(Gâmbia) OUTROS PAÍSES EUROPEUS NA ÁFRICA
  21. 21.  IMPERIALISMO NA ÁFRICA
  22. 22.  IMPERIALISMO NA ÁFRICA
  23. 23.  ÍNDIA:  1498: chegada dos portugueses com Vasco da Gama;  1763: a vitória da Inglaterra na “Guerra dos Sete Anos(1756/1763)” resulta no predomínio inglês sobre o território;  1848: intensificação do controle com a imposição de uma administração britânica:  Construção de estradas;  Organização de missões políticas e religiosas;  Ruína da economia tradicional (voltada para subsistência e indústria manufatureira); IMPERIALISMO NA ÁSIA
  24. 24.  1857: Guerra dos Cipaios (indianos derrotados passam a condição de colônia britânica) 1876: Ministro Disraeli transforma a Índia em área do Império, sendo a rainha Vitória coroada como “Imperatriz da Índia”. Outras regiões colonizadas pela Inglaterra: Tibete, Afeganistão, Austrália e ilhas vizinhas; 1900: Inglaterra é o maior Império do mundo. IMPERIALISMO NA ÁSIA
  25. 25.   JAPÃO:  Até 1542: isolado do Ocidente;  Grandes Navegações: Portugal e Espanha enviam missões jesuíticas;  1616: extermínio de 37 mil cristãos japoneses e retorno ao isolamento por mais dois séculos;  1648: fecha seus portos aos estrangeiros e organiza-se sob uma estrutura feudal; IMPERIALISMO NA ÁSIA
  26. 26.   1854: EUA força abertura dos portos japoneses ao comércio mundial:  Estratégia: acordo com o clã do Xogunato (família Tokugawa) que possuía comando político do país;  Início da europeização do Japão, este sujeitando-se ao Ocidente;  Oposição ao Xogunato se organiza: clãs rivais unidos ao Imperador se revoltam e voltam centralizar o poder (Império);  Período denominado por “Era Meiji” (industrialização e modernização) que resulta no início do IMPERIALISMO japonês (Ex: guerra contra a China (1894) e contra a Rússia( 1904). IMPERIALISMO NA ÁSIA
  27. 27.   CHINA:  Meados do séc XIX: essencialmente  Essencialmente agrícola  Governo imperial em constantes crises  400 milhões de trabalhadores  1841: Guerra do Ópio  Motivo: em 1839 chineses derramam ao mar 20 mil caixa de ópio dos britânicos (Inglaterra exige indenização que não é paga); IMPERIALISMO NA ÁSIA
  28. 28.   Resultado:  derrota chinesa com assinatura do “Tratado de Nanquin”;  Tratado de Nanquin:  Obrigação de abrir 5 portos ao livre comércio;  Forçada a abolir o sistema de fiscalização;  Hong Kong é entregue à Inglaterra(devolvida em 1997). IMPERIALISMO NA ÁSIA
  29. 29.   1851: “Revolta de Taiping”  Revolta camponesa com apoio da cidade;  Sufocada em 1864.  1900:Guerra dos Boxers (“punhos fechados”)  nacionalistas radicais que buscam libertar o país da dominação estrangeira;  Resultado: reprimidos internacionalmente pela “Força Expedicionária” (ingleses, franceses, alemães, russos, japoneses e estadunidenses)  Derrota da China que é obrigada a reconhecer todas as concessões já realizadas às potências estrangeiras. IMPERIALISMO NA ÁSIA
  30. 30.   1911: Fundação do Partido Kuomitang (nacionalismo chinês:  Fim da monarquia e proclamação da República;  Não obtenção de desenvolvimento autônomo, o que só irá ocorrer em 1949 com a REVOLUÇÃO CHINESA. IMPERIALISMO NA ÁSIA
  31. 31.  “QUINTAL DO MUNDO”
  32. 32.   Meados do século XIX:  Penetração francesa no sudeste asiático;  Ocupação do Vietnã por missionários franceses e após por soldados de Napoleão III  1863: submetem Laos e Camboja;  1887: Criação da União Indochinesa (a qual só irá se libertar em meados do séc XX). PENÍNSULA DA INDOCHINA
  33. 33.  RESULTADO DO IMPERIALISMO  Metrópoles imperialistas:  Lucros e intensificação do desenvolvimento;  Solução parcial para crise (de mercado, de superpopulação...)  Amenizou lutas sociais internas (classe operária)...  Mundo colonizado:  Desestruturação econômica, política, social e cultural;  Fomes, lutas nacionalistas;  Segregação racial e social... CONDUZIU O MUNDO A 1ª GUERRA MUNDIAL.
  34. 34.  As teorias Raciais  As teorias raciais deram “status” cientifico as desigualdades entre os seres humanos.  O conceito de raça classifica a humanidade, fazendo uso de sofisticadas taxonomias( ramo da Biologia e da Botânica que cuida de descrever, identificar e classificar os seres vivos.)  No Brasil o tema é sempre abordado quando se trata no mito da democracia racial.
  35. 35.  Doutrinas raciais européias.  Segundo Léon Poliakov: As bases do arianismo já se encontravam na Europa desde a Idade Média. Os mitos de origem + teorias raciais= surgimento do mito ariano Os mitos de fundação das nações excluía determinados grupos de indivíduos Ex: Espanha visigótica excluía muçulmanos e judeus França: nobreza se intitulava de origem franca para excluir gauleses e romanos.
  36. 36.  François Bernier (1625-1688) (raça no sentido atual)  Existência de 4 ou 5 raças:  Europeus + egípcios e hindus.  Africanos  Chineses e japonês  Lapões (grupo étnico da Europa que se localiza na Noruega, Suécia, Finlândia e Rússia)  Indígenas que se aproximavam dos europeus
  37. 37.  Carlos Lineu( 1707-1778)  Taxinomia baseada na origem geográfica e na cor da pele:  Americanus (teimosos e irritadiços)  Asiaticus ( inatas dificuldades de concentração)  Africanus (lascivos e preguiçosos)  Europeanus (Inteligentes, inventivos e gentis)  Homo ferus (selvagens)  Homo monstruosus ( anormais)
  38. 38.  Buffon (1707-1788)  Misturas raciais causaria a degeneração “...se o branco fosse homem, o negro não seria mais homem, seria um animal a parte como o macaco..” O problema da mistura dos negros e brancos é a diferença de sangue que leva a degeneração. Esta não é irremediável, mas levaria séculos.
  39. 39.  Georges Cuvier ( 1769-1832)  Dividiu a humanidade em 3 subespécies baseadas nas diferenças geográficas e variação da cor da pele:  Caucasiana  Etiópica  Mongólica.  Foram subdivididas por critérios mistos, físicos e culturais
  40. 40.  Blumenbach (1752-1840)  Estabeleceu 5 raças que abriram caminho para as teorias deterministas que buscaram nas “leis da natureza” a explicação para as diferenças físicas e culturais.  Caucasiana  Mongólica  Etiópica  Americana  Malaia
  41. 41.  Iluminismo do século XVIII  Visão unitária da humanidade;  Classificação eurocêntrica;  Padrões de diferenciação com base na religião e na cultura perdem terreno para a taxonomia racial cujos critérios se baseavam na cor da pele, forma do cabelo, tamanho de crânios, entre outros.
  42. 42.  Monogenistas  Baseavam-se na crença de um pai universal, no caso Adão, que seria a gênese de todos os homens.  A diferenciação baseia-se no mito dos irmãos Jafé, Sem e Cam  Jafé, pai dos europeus, persas e indianos, (indo- europeus);  Sem, pai dos semitas, (judeus e árabes).  Cam, pai dos africanos, (negros);
  43. 43.  Poligenistas  Acreditam na existência de vários centros de criação. Ganharam espaço devido ao desenvolvimento da ciências (resultado das leis biológicas e naturais).  Encorajado pelo surgimento da frenologia e da antropometria que passam a interpretar a capacidade humana tomando por conta o tamanho e a proporção do cérebro dos diferentes povos.
  44. 44.  Charles Darwin (1809-1882)  Teoria da evolução  O conceito de raça ultrapassa os problemas estritamente biológicos, adentrando questões de cunho político e social.  Darwinismo social: De acordo com esse pensamento, existiriam características biológicas e sociais que determinariam que uma pessoa é superior Geralmente, alguns padrões determinados como indícios de superioridade em um ser humano seriam a habilidade nas ciências humanas e exatas em detrimento das outras ciências, como a arte, por exemplo, e a raça da qual ela faz parte.  Na politica o darwinismo social serviu para justificar o domínio ocidental sobre os demais povos.
  45. 45.   O darwinismo Social, juntamente com a antropologia e a etnografia do século XIX ajudaram a construir a ideia de “missão civilizatória” das potencias imperiais  O chamado neo imperialismo trazia o fardo do homem branco de levar o progresso e a civilização ao povos primitivos a atrasados.
  46. 46.  Hebert Spencer  Defende a ideia da sobrevivência do mais adaptado e a luta pela sobrevivência.  A marcha do homem para um futuro melhor se desenvolvia em virtude de uma lei universal.
  47. 47.  E.B Tyler (1832-1917)  As sociedades não eram diferentes por natureza, mas representativas de um estágio anterior da evolução no caminho da civilização moderna.
  48. 48.  Gobineau (1816-1882)  Autor do “Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas (1854)”  Defendia a ideia de que a desigualdade das raças humanas não era uma questão absoluta, mas um fenômeno ligado a miscigenação.
  49. 49.  Francis Galton (1822-1911)  Fundador da eugenia- Teoria Eugênica  Tinha como pressuposto a ideia de que os caracteres mentais e, sobretudo, a inteligência eram hereditários ao mesmo título que os caracteres físicos.  Proposta de higiene racial através na intervenção na reprodução das populações, com a proibição de casamentos inter-raciais e a severa restrições a alcoólotras, epiléticos e alienados.
  50. 50.  Zoológicos Humanos  Seculo XIX na Europa- exposição de tipos humanos exóticos.  Um mercado consumidor para a exibição das “raças inferiores” (Londres, Paris, Nova York, Amsterdã, Milão, Barcelona, etc) como pigmeus africanos e neozelandeses, negros da Núbia, apaches, esquimós e nativos de Samoa e Suriname.
  51. 51.
  52. 52.
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56.
  57. 57.
  58. 58.  Racismo à brasileira  O cientificismo na Europa teve grande repercussão no Brasil disputando espaço com a religião.  Neste sentido dá-se larga referencia às Ciências Naturais e a Teoria da Evolução.  Ao lado de Comte( 1789-1857) , recebia vários elogios dos jornais brasileiros do período e dividia a atenção dos eleitores
  59. 59.   Estas mesmas teorias que agradava os brasileiros, serviam os vários viajantes como instrumentos para representar o Brasil como exemplo de nação degenerada de raças mistas.  Assim, apresentava-se o problema de um país de raças miscigenadas, um modelo da falta e atraso em função de sua composição étnica e racial.
  60. 60.  Louis Couty (1854-1884)  Professor da Escola Politécnica do Rio de Janeiro e no Museu Nacional  Vê o Brasil sob a ótica negativa do racismo europeu.  Os males do Brasil são devido a presença africana e por isso clamava o fim da escravidão e a entrada de imigrantes.  Ele acreditava que se o Brasil tivesse aberto as portas para os italianos e alemães desde a Independência talvez o Brasil já estivesse em pé de igualdade com a Australia e com os Estados Unidos.
  61. 61.   Gobineau julgava o Brasil culturalmente estagnado e como um risco permanente para a saúde.  “Desprezava os brasileiros que via como irrevogavelmente manchados pela miscigenação”
  62. 62.  Louis Agassiz (1807-1873)  “Que qualquer um que duvida dos males dessa mistura de raças, e se inclina, por mal entendida filantropia, a botar abaixo todas as barreiras que as separam- venha para o Brasil”  Para ele , o país era o maior exemplo de deterioração decorrente do amalgama(mistura de coisas diversas) de raças, que apaga rapidamente as melhores qualidades do homem branco, do negro e do índio, deixando um tipo indefinido, hibrido, deficiente em energia física e mental.
  63. 63.  COMO CONVIVER COM UMA TEORIA QUE LEVAVA A INVIABILIDADE DE UMA NAÇÃO?  Alguns mestiços (quase que invariavelmente mulatos claros)tinham ascendido ao topo da hierarquia social e politica)  A tese do branqueamento se apoiava na hipótese de que a mistura racial, da forma como ocorria no Brasil, produzia naturalmente uma população mais clara já que as pessoas sempre procuravam parceiros mais claros que ela.
  64. 64.  Silvio Romero ( 1851-1914)  Atacou a miscigenação apoiada nas ideias de Gobineau sobre a decadência da civilização a partir do abastardamento dos arianos.  Ele temia que o Brasil viesse a ser dominado por raças inferiores ou cruzadas.
  65. 65.  Oliveira Viana(1883-1951)  Sua teoria defendia a ideia de que a politica eugenista formaria com o tempo uma nova raça ariana nos trópicos. Suas ideias eram baseadas na superioridade da raça branca, como: a maior reprodução da raça branca; a maior taxa de mortalidade dos negros e mulatos, submetidos a miséria e à fome após a abolição; e no controle politico ideológico deste projeto baseado na imigração europeia.
  66. 66.  Henry Thomas Buckle (1821-1862)  Através de analise da precipitação, topografia, sistema hidrográfico, do regime de ventos do Brasil (sem nunca ter vindo ao Brasil ou ter se baseado em estudo genuinamente cientifico) acreditava que o homem seria levado a insignificância devido a magnitude da vegetação e da fauna.
  67. 67.  Euclides da Cunha (1866-1909)  A concepção euclidiana, a mistura racial no sertão teria sido um fator positivo, favorável à adaptação ao meio, sobretudo através do sangue indígena. Assim , o mestiço sertanejo é um retrogrado, não é um degenerado.  Autor de Os Sertões.
  68. 68.   As doutrinas raciais, introduzidas nos discursos da eleite intelectual brasileira, ajudaram a forjar representações sociais diante dos negros, metiços , indígenas e imigrantes  No século XX, a imagem do “Jeca Tatu” seria o fardo nacional.  Os índios perdem a importância;  Os negros passam a ser identificados como propícios ao crime e ligados à vadiagem.
  69. 69.   O MITO DA DEMOCRACIA RACIAL, QUE VEICULA A IMAGEM DE UM AMBIENTE ISENTO DE PRECONCEITOS DE COR, CRIOU UM AMBIENTE PROPICIO PARA QUE O RACISMO FOSSE REPRODUZIDO NO PAIS DE FORMA OCULTA E VELADA ATE OS DIAS DE HOJE!!

×