Profissões Antigas - 1ª República

9,548 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,548
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
82
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Profissões Antigas - 1ª República

  1. 1. Profissões Antigas da1ª República Portuguesa<br />Trabalho realizado por:<br />Pedro Amaral Soares, Nº22, 6ºC<br />Área de Projecto<br />Ano Lectivo 2009/10<br />
  2. 2. Índice:<br /><ul><li>Introdução</li></ul>- Profissãonº1- Colarinhos Brancos:<br />- O significado do termo Colarinho Branco<br />- As funções profissionais dos Colarinhos Brancos.<br /><ul><li>Profissão nº2- Sapateiros:</li></ul>- O trabalho tradicional dos Sapateiros<br /><ul><li>Conclusão</li></ul>-Webgrafia<br />
  3. 3. Introdução<br /> Este trabalho foi realizado na disciplina Área de Projecto e tem como tema principal “As Profissões Antigas da 1ª República Portuguesa”. O interesse por este assunto surgiu a propósito da comemoração do Centenário da República Portuguesa. Assim, daremos a conhecer algumas profissões tradicionais típicas da sociedade portuguesa do século xx.<br /> Ao longo deste trabalho pretendo:<br /><ul><li>Caracterizar as profissões associadas aos Colarinhos Brancos;</li></ul>-Caracterizar a profissão artesanal de sapateiro.<br />
  4. 4. O significado do termo Colarinho Branco<br /> Colarinho Branco, é um termo que se refere a profissionais assalariados ou um profissional ensinado a executar tarefas semi-profissionais. Estas tarefas são administrativas, burocráticas, ou de gerência, opondo-se às do "colarinho-azul", que desempenhavam trabalhos de mão-de-obra física. Assim, o trabalho de colarinho-brancoé um termo informal, definido em oposição ao termo trabalho de colarinho-azul.<br />
  5. 5. O significado do termo Colarinho Branco<br /> O termo "colarinho branco" primeiro foi usado por Upton Sinclair nas relações modernas clericais, administrativas e de supervisão de trabalhadores em 1930. O uso de Sinclair é relatado com o facto de que durante a maior parte do século XIX e século XX, os trabalhadores masculinos nos continentes América e Europa eram quase sempre vistos utilizando vestuário com colarinho que geralmente era branco. Ainda, no sistema fabril do século XX dos países que falavam a língua inglesa, a cor das coberturas e golas indicavam o status social dos trabalhadores: azul para operários, castanho para supervisores, e branco para a equipa profissional assim como engenheiros.<br />
  6. 6. As funções profissionais dos Colarinhos Brancos<br />Uma pessoa de colarinho branco é alguém que trabalha num escritório ou que não executa esforço físico, tal como construir casas.<br />Os chamados “colarinhos brancos” (contabilistas, contramestres, escriturários, pequenos funcionários do Estado ou do privado, basicamente os empregados de escritório encarregues da correspondência, dos seguros, da contabilidade) desempenhavam actividades leves e limpas que lhes permitiam o uso de um fato, demarcando-se do traje dos operários. Vieram a fazer parte das chamadas Classes Médias.<br />
  7. 7. As funções profissionais dos Colarinhos Brancos<br /> As classes médias são um conjunto de grupos sociais socioprofissionais diversificados que vivem do trabalho assalariado, da gestão de pequenas empresas ou de rendimentos modestos. Não têm contacto com o meio produtivo manual nem controlam os grandes meios de produção. Têm um grau de instrução, um traje e umas maneiras próprias que os distingue do proletariado. <br /> Os funcionários “colarinhos brancos” tinham acesso a contratos anuais de trabalho e a salários mensais. Desde meados dos anos 1930, ocorreram algumas mudanças na hierarquia socioprofissional.<br />
  8. 8. O trabalho tradicional dos Sapateiros<br /> A profissão de sapateiro, como fabricante de sapatos, está praticamente extinta. <br /> A razão desta extinção deve-se à industrialização e produção em série, que tomaram conta do mercado. O sapateiro tradicional confeccionava o calçado do princípio ao fim. Ou seja, procurava e seleccionava os materiais que iria utilizar e produzia as peças com o auxílio de instrumentos rudimentares. Todo o trabalho era manual, artesanal ao mesmo tempo que era um trabalho original.<br />
  9. 9. O trabalho tradicional dos Sapateiros<br /> Ao longo do tempo, os sapateiros deixaram de produzir calçado e passaram a ser requisitados, apenas, para trabalhos de conserto. Actualmente, as pessoas preferem comprar sapatos novos, ao invés de mandar consertar. Por este motivo, a profissão de sapateiro está a extinguir-se.<br /> Entretanto, resta saber se a profissão de sapateiro vai mesmo desaparecer ou se vai ser reinventada. <br />
  10. 10. Conclusão<br /> As profissões vão surgindo ao longo da História como uma forma de responder às necessidades do homem. Assim, existem profissões que, dada a sua importância, permanecem actuais ao longo dos tempos. Estas nunca deixarão de existir. Contudo, existem outras profissões que vão desaparecendo ou que se transformam em outras devido aos avanços tecnológicos e às mudanças das necessidades das pessoas. <br /> O sapateiro artesanal tem vindo a dar lugar à produção industrial do calçado. No entanto, os sapateiros tradicionais que resistem à mudança dos tempos vão sendo valorizados pela sociedade, porque as suas produções são originais, quase verdadeiras obras de arte.<br /> As profissões associadas aos colarinhos brancos têm vindo a dar lugar a novas profissões, tais como, executivos, funcionários administrativos, etc.<br />
  11. 11. Webgrafia:<br /><ul><li>conta-gotas.podomatic.com
  12. 12. wikipedia.org</li></ul>- Revista da Faculd2ad7e d3e Letras E F E I T O S C O L A T E R A I S D O “ F O M E N T O I N D U S T R I A L ”<br />Avelãs, João Paulo, HISTÓRIA Porto, III Série, vol. 8,<br />2007, pp. 273-297 <br />

×