Hsitoria da Arte medieval parte 2

2,572 views

Published on

Arte celta, paleocristã e bizantina

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Hsitoria da Arte medieval parte 2

  1. 1. 1.2. Arte dos Celtas, Paleocristã, Bizantina e Islâmica 1. CONTEXTO HISTÓRICO
  2. 2. “ Arte é uma qualidade que permeia a experiência, não é, salvo por uma figura de linguagem, a experiência em si. A experiência estética é sempre mais do que estética.Nela uma série de matérias e significados, não neles mesmos estéticos, se tornam estéticos quando entram num movimento rítmico ordenado em direção à consumação.[...] O material da experiência estética sendo humana é social. A experiência estética é uma manifestação, um registro e uma celebração da vida de uma civilização, um meio de promover seu desenvolvimento e é o último julgamento da qualidade de uma civilização. Sendo produzida e desfrutada por indivíduos, esses indivíduos são o que são no conteúdo da sua experiência por causa da cultura na qual participam ” (DEWEY, Cap. 14 Arte e Civilização In Arte como Experiência, 2010)
  3. 3. Os povos Celtas: bretões, gauleses, escotos, belgas, gálatas, caledónios, trinovantes Os Celtas Galo agonizando, Grécia, 230- 220 a.C. Hallstatt, S. VI a.C. Expansão S. III a.C. Celtas modernos Contemporãneos falantes da língua celta Ornamento celta da idade de ferro, França
  4. 4. S. VI a I a. C. Tecido para funeral masculino, S. VI a.C. Áustria Jóia, bronze, S.IV a.C, Alemanha Figura de touro, bronze, S. VI, Boêmia, Checoslováquia
  5. 5. Escultura, Inglaterra Cavalo, Westbury, Inglaterra Jóia e detalhe de armadura, bronze, S. I, Inglaterra Celtas se estabelecem em Inglaterra em 300 a.C. e os Romanos tomam Inglaterra em 60 a. C.
  6. 6. Celtas Romanos S. I - IV Bronze pintado, S. I a.C. França Figura em bronze, S. I d.C. França Alto relevo em pedra, S. II a II d.C. Inglaterra, Alto relevo de tumba, 43-49 d.C., Inglaterra
  7. 7. Odin cavalgando em Sleipnir, estela de Tangvid. S. VIII, germano Coroa férrea , S. VII Catdral de Monza, lombardo
  8. 8. O bom Pastor, Catacumba Santa Domitila, S. IV, Roma Arte Paleocristã S. I - V
  9. 9. Sarcófago de Junius Bassus, 359 d.C. Sansão e o leão catacumba de São Pedro e Marcelino, Roma, S. I O Moscóforo, 575 – 570 a.C. Acrópole, Atenas O Bom Pastor S.VI Arte paleocristã (período entre o século IV e VI) não é estilo Artista grego imita natureza, artista medieval imita arte grega Tema pagão adquire sentido cristão
  10. 10. Pinturas em catacumbas S. V O martírio de Cristo, Alexandria Austero, simples, não saturado, não emotivo, simbólico, não monumental
  11. 11. Basílica de São Paulo extramuros Santa Constanza, interior, 350 Santa Sabina, 425, Roma Plano da velha Basílica de São Pedro S. IV Ver Basílica de São Paulo
  12. 12. Maria e menino, S. IV Roma, Catacumba
  13. 13. Maria e menino, Catacumba Priscilla, Roma, S. II
  14. 14. No ano 323 quando o Imperador Romano Constantino converteu-se ao Cristianismo, mudou o Império Romano a um dos domínios romanos de oriente, Bizantium, e chamou-o Constantinopla . Constantino não imaginava que com este ato não só mudava a capital do Império Romano, mas começava a dividir para sempre o mundo em Oriente e Ocidente. Em 395 a divisão completou-se: dois Imperadores, de Oriente em Constantinopla (Império Bizantino) e de Ocidente em Roma reclamavam a legitimidade sobre o Império. A "Decadência de Roma" em Ocidente havia começado e com ela as invasões de tribos germânicas: os Visigodos, Ostrogodos, Lombardos e Vândalos do Norte da Europa . Em 476 o Império Romano de Ocidente desapareceu, Europa ficou desolada e a civilização converteu-se em barbárie. Mas o Império Bizantino de Oriente se manteve rico e forte, de maneira que conseguiu sobreviver aos ataques das tribos do Norte Europeu e sob o Imperador Justiniano (527 - 565) chegou a ter muito poder e estabilidade que durou até o século VII quando perdeu frente ao exército árabe as terras da África e do Oriente Próximo. No século XI os turcos ocuparam uma grande parte da Ásia Menor e o último domínio bizantina de Ocidente, Veneza, caiu em mãos dos normandos. Até 1453, 0 Império Bizantino se reduziu aos Bálcãs e Grécia. Esse ano os turcos tomaram Constantinopla (desde então Turquia)  e o Império Bizantino desapareceu, desaparecendo com ele o último vestígio do Império Romano . Arte Bizantina, século V a XV
  15. 15. Ícone S. VI A arte Bizantina constitui um estilo São Anannias, Século V Grécia Teodora, mosaico San Vitale, Ravenna, 547 d.C.
  16. 16. São Jorge, Constantinopla S. XV Maria e menino, santos e anjos S.VI A procissão de santos, São Apolinário, Ravenna São Apolinário, S.V, São Apolinário , Ravenna ,
  17. 17. O Bom Pastor, mauseleu de Galia Placidia, Ravena, Italia Século V Igreja Bizantina em Cora, Turquia S. XIV, duomo Maria e menino, Hagia Sophia
  18. 18. Hagia Sophia, 532 - 537 d.C. , Istambul, Turquia
  19. 19. Basílica San Marco, Veneza, 1063
  20. 20. Igreja São Apolinário in Classe, Ravenna 533-49
  21. 21. San Vitale, Ravenna, Itália, 526-547
  22. 22. Interior San Vitale, Ravenna, Itália, 526-547
  23. 23. Imperador Justiniano com seus sacerdotes, San Vitale, Ravenna
  24. 24. Teodora e sua corte
  25. 25. Sacrifício de Abel e Melquisedeo
  26. 26. 711 d.C. A arte Islâmica não é um estilo, ela constitui os diversos estilos do mundo islâmico. É também herdeira da tradição greco-romana e da rica tradição árabe, persa, turca e mongol assim como da chinesa. Arte islâmica S. VII –
  27. 27. Mesquita do Omar ou Cúpula do Rochedo, 691 d.C. Jerusalém
  28. 28. Jerusalém virtual http://www.jerusalem.com/ necessita plug in
  29. 29. Mesquita de Córdova, Espanha, S. VIII a X Corte dos leões Alhambra, Granada 1354 -92 Minarete, Mesquita de Samarra, Iraq  848 - 852 d.C
  30. 30. Cúpula interior do minarete da Mesquita de Córdova, Espanha, S. VIII a X Mausoléu do Imperador Akbar Mesquita de Calurão, Tunes, S. IX Taj Mahal, Angra, Índia 1630 - 48
  31. 31. Madrasah de Abdullakhan Mughal Agra
  32. 32. La Alhambra, S. XIV, Granada, Espanha
  33. 33. A arte islâmica segue uma rigorosa tradição estética onde a imagem cria uma trama abstrata e complexa. Gosto pelos objetos ricamente decorados, artesãos de grande habilidade, tradição milenar nos tecidos e na ourivesaria. S. IX, Abbasid Egito, madeira e osso Parte de um capitel, Século X Espanha,  Madinat al-Zahra’
  34. 34. Detalhe do carpete Ardabil, Iran 1539
  35. 35. Tecido, S. XIV, Nasrid, Espanha Fragmento de tapeçaria S. VIII Umayyad, Iraque ou Iran
  36. 36. Vasilha de vidro pintada, Provavelmente Egito, S. X - XI
  37. 37. Taça de vidro, S. IX, Ásia ou Egito Lâmpada, de mesquita, S. XVI, Otomano , ,
  38. 38. Domínio da geometria, tensões entre retas e curvas, padrões e textos Azulejo com arabesco decorativo, S. XV, Otomano Brincos, S. XI, ouro, Síria Prato Nasrid ou Mudéjar, S. XV
  39. 39. Figura Seljuq, S. XIII, Irã Página de muraqqa ,, de manuscrito iluminado, 1590, Otomano Prato, Seljuq , Irâ, S. XII -XIII Atribuído a Shah Quli, desenho de dragão ornamental , Otomano, Istambul A pesar da proibição do Corão a figura aparece em contextos especiais.
  40. 40. Ver Corão do Sultão Baybar Corão do Sultão Baybar, 1304-1306, Cairo
  41. 41. Webteca Arte islâmica , Historia da arte.com.br Arte islâmica , Portal São Francisco Arte Bizantina , Historia da arte.com.br Arte Bizantina , Portal São Francisco Arte Bizantina , Portal da arte Arte Bizantina , da arte história wordpress Arte Cristã primitiva e arte Bizantina , por Claudio Sant´Ana Linha de tempo, mapas, arte e cultura Celta , em inglês Bibliografia GOMBRICH, E. H. A História da Arte. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1999. 16ª ed. JANSON, H. W. História Geral da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

×