Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
INTRODUÇÃO A
ORIENTAÇÃO A OBJETOS
"Qualquer um pode escrever um código que
um computador possa entender. Bons
programadore...
UM POUCO DE HISTÓRIA
 Uso de goto.
 Dificuldade de compreensão do fluxo de execução.
 Programação estruturada.
 Funçõe...
CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A
OBJETOS
 Reflete o mundo real.
 Descreve de maneira mais precisa os dados;
 A decomposição é ...
CLASSES E OBJETOS
 Classe:
 Abstração de algo do mundo real;
 Possuem estado e comportamento.
 Objeto:
 Entidade conc...
CLASSES E OBJETOS
 Se suas classes não representam
abstrações do sistema e são apenas
repositórios de funções, você na
ve...
MODELO ANÊMICO
 Repetição de código, dificuldade de
manutenção, propagação de bugs, e etc.
 Dividido em 3 camadas difere...
MODELO RICO
 “A introdução de abstrações adequadas é a nossa única ajuda
mental para reduzir o apelo à enumeração, para o...
MODELO RICO
When to make a type – Martin Fowler
O que é o modelo anêmico? E por que fugir dele?
- Maurício Aniche
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Introdução a orientação a objetos - Higor Nucci

144 views

Published on

Slides feitos para ajudar novos colaboradores a se adaptarem a orientação a objetos

Published in: Software
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Introdução a orientação a objetos - Higor Nucci

  1. 1. INTRODUÇÃO A ORIENTAÇÃO A OBJETOS "Qualquer um pode escrever um código que um computador possa entender. Bons programadores escrevem códigos que seres humanos possam entender." - Martin Fowler
  2. 2. UM POUCO DE HISTÓRIA  Uso de goto.  Dificuldade de compreensão do fluxo de execução.  Programação estruturada.  Funções.
  3. 3. CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS  Reflete o mundo real.  Descreve de maneira mais precisa os dados;  A decomposição é baseada em um particionamento natural; e  Mais fácil de entender e manter.  Dados juntos com comportamento.  Reutilização de código.
  4. 4. CLASSES E OBJETOS  Classe:  Abstração de algo do mundo real;  Possuem estado e comportamento.  Objeto:  Entidade concreta;  Possui os valores para características da classe;  Realizam comportamentos.  Exemplo:  Gato seria uma classe.  Garfield e Frajola seriam objetos.
  5. 5. CLASSES E OBJETOS  Se suas classes não representam abstrações do sistema e são apenas repositórios de funções, você na verdade esta programando segundo o paradigma estruturado.
  6. 6. MODELO ANÊMICO  Repetição de código, dificuldade de manutenção, propagação de bugs, e etc.  Dividido em 3 camadas diferentes, a  camada de modelo;  a camada de regras de negócio; e  a camada de acesso a dados.
  7. 7. MODELO RICO  “A introdução de abstrações adequadas é a nossa única ajuda mental para reduzir o apelo à enumeração, para organizar e dominar a complexidade.” – Edsger Dijkstra  Favoreça a imutabilidade e simplicidade.
  8. 8. MODELO RICO
  9. 9. When to make a type – Martin Fowler O que é o modelo anêmico? E por que fugir dele? - Maurício Aniche

×