Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O teoria de vitória sobre comunismo

341 views

Published on

O erro do comunismo
O erro do marximo

Published in: Education
  • Be the first to comment

O teoria de vitória sobre comunismo

  1. 1. Capítulo 1. Formação do Marxismo
  2. 2. Condiçãodeestabelecimentodopensamento propósito sujeito objeto pensamento Mentalidade Caráter, Individualidade, Visão de vida, Mundo, Vida do pensador Condição social Ambiente ideológico Karl Marx Inicio do século XIX Europa ocidental Filosofia de Hegel Filosofia de Feuerbach comunismo(familia de rabino do judaismo) 1818 figura
  3. 3. 1. A Vida de Karl Max (1818-1883) Nascimento : Triel (Prússia) em 5 de maio, 1818 Uma família tradicional judía, de rabinos localizado na fronteira com França antes 1815: território da França Movimento do pensamento de iluminismo (Influência da revolução francesa) A liberdade de profissão era permitida para Judeu Pai de Karl Max, Heinrich Max : Advogado Triel Depois de 1815 : Território de Prússia(Cristianismo) opressão sobre movimento de liberalismo 1816 : O decreto do governo….os judeus foram proibido de participar na vida pública (profissão pública)
  4. 4. 1816 : Pai de Karl, Heinrich Max converteu-se ao cristianismo no meio da vida 1824 : Heinrichi converteu ao cristianismo seus 7 filhos por causa da educação dos filhos ( os judeus foram proibidos de receber a educação pública) Mãe de Karl Max opôs a conversão, mas foi forçado a converter por causa da educação das crianças
  5. 5. Ambientefamiliar Marx Conversão do pai para o Cristianismo Volta da mãe para o Judaísmo Discriminação pela Sociedade Alemã Desprezo pela sociedade judaica Experimentou sentimento de solidão, alienação, inferioridade, humilhação e derrota Desejo de resistência, vingança, ódio
  6. 6. “ Embora o mundo de Deus tenha desaparecido totalmente, fica somente ódio….eu quero me vingar ao homem que reina naquela posição superior.” ( oração desesperado. 1837) “ Em uma só palavra, ódio a todos os deuses !” ( Introdução á Tese Doutoral,1841) Marx estava familiarizado com os ideais do cristianismo, não obstante encontrava hipocrisia ao seu redor e odiou a religião que é a causa da discriminação. 1942 : “a religião é o instrumento dos que estão no poder” (Diário um editorial) 1943 : “A religião é o ópio do povo” (Contribuição á Crítica da Filosofia do Direito de Hegel-Introdução)
  7. 7. 2. A Influência de Hegel Pensamento hegeliano 1. Atualização da liberdade 2. O estabelecimento final de uma sociedade ideal 3. O desenvolvimento pela contradição História = o processo de atualização da liberdade pela Razão Absoluta Estado racional Liberdade de todos os cidadãos (Prússia) Mundo de Grécia, Roma liberdade da minoria Sociedade primitiva um indivíduo ( o dono dos escravos) Liberdade ( Deus = Razão absoluta = Liberdade: essência) A burocracia da Prússia seria a instrumento que Deus utilizaria para trabalhar
  8. 8. Divisão da filosofia hegeliana “O que é racional é atual e o que é atual, é racional” (A Filosofia do Direito) Os hegelianos da direita “ o que é atual é racional” Estado de Prússia (atual) é racional Apoiavam a autocracia prussiana incondicionalmente Os hegelianos da esquerda “ o que é racional é atual” Governo de Prússia havia sido instru- mento de opressão e injustiça, e a liberdade nunca seria realizada Prússia deveria ser reformado Bruno Bauer, Strauss, , Feuerbach, Marx
  9. 9. A posição do hegeliano da esquerda David Friedrich Strauss (1808-1874) “Vida de Jesus” (1835) Jesus não existe em fato. Bíblia é produto da fantasia Ludwig Feuerbach (1804-1872) “A Essência do Cristianismo” (1841) Deus é a natureza humana purificada, liberada dos limites do homem individual, Deus é a projeção da essência humana. Deus não é o criador de homem, mas o homem criou Deus A obra de Feuerbach satisfez imensamente a Max. Não somente adotou imediatamente o materialismo Feuerbachiano, mas também seu humanismo no início. Marx começou a fazer uma crítica de Hegel do seu ponto de vista de feuerbachiano
  10. 10. 3.O desenvolvimento da crítica de Marx a Hegel Agosto de 1843: “Contribuição á Crítica da Filosofia do Direito de Hegel” “Desordem da sociedade civil - não podia ser solucionado através do poder Estado Outubro de 1843: “Sobre a Questão Judeu” “A desordem da sociedade civil poderá ser solucionada por indivíduos que tenham restaurado sua essência da espécie original” Dezembro de 1843: “ Contribuição à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel-Introdução” A solução revelada foi a negação da propriedade privada “A religião é o ópio do povo”
  11. 11. 4.Recuperando a Essência da Espécie Original Essência Homem Deus Emoção, ação amor, vontade projetado Feuerbach Crer em Deus = destrói a essência do homem (Alienação do homem por Deus) A recuperação de natureza original perdida do homem = O homem nega a Deus Humanismo: solução = amor, amizade humana (Marx aceitou esta afirmação, mas abandonou o humanismo de Feuerbach) Homem havia perdido algo legal e político, mais do que religiosa Trataria o problema da alienação do homem ao nível da lei e da política A questão de alienação do homem se tornou o motivo das formulações marxistas
  12. 12. Estado psicológico de Marx Tempo de graduação na Universidade de Berlin (1840) A recusa da nomeação como professor pelo Bruno Bauer A frustração de Marx no desejo de se tornar professor de universidade Rebelião contra cristianismo e o governo prussiano
  13. 13. Tempo de editor de Rheinishe Zeitung : um jornal ( 1842) O governo prussiano havia baixado uma lei proibindo aos camponeses recolher lenha para a venda Deixou muitos camponeses sem nenhuma fonte de renda Filosofia não oferecia solução alguma para os problemas da humanidade 1843.3 – 12 : Livro de Crítica de Hegel 1843.11 : fugiu para Paris, França Estudou economia
  14. 14. Tempo de fuga a Paris (1943.11) ➀ Opressão de governo prussiano A suspensão de jornal Rheinishe Zeitung (1843.3) A raiva , ódio, rebelião “ Assim como a filosofia encontra suas armas materiais no proletariado, este encontra suas armas espirituais na filosofia. A cabeça da emancipação é a filosofia, seu coração é o proletariado.” (Contribuição á Critica da Filosofia do Direito de Hegel-Introdução) ➁ Assunto de matrimônio com a Jenny (a filha de aristocrata prussiano) Mãe recusou a divisão de herança para Karl Marx(1842.7) Marx casou com Jenny desafiando a vontade da mãe e irmã (1843.6) Solidão, isolamento, inimizade contra propriedade privada
  15. 15. “ Guerra à condição germânica! Por todos os meios! Eles estão abaixo do nível da história, abaixo de qualquer crítica mas, mesmo assim, são objetos de crítica, como o crime, quem está abaixo do nível da humanidade, é também objeto do carrasco... (objeto da crítica) não é para refutar, mas exterminar.. Seu sentimento essencial é a indignação, sua atividade essencial, a denúncia” (1843. Dezembro. Marx) (Uma Contribuição à Crítica da filosofia do Direito de Hegel-Introdução)
  16. 16. Os sentimentos irados de Marx em relação à Prússia Sua teoria da revolução – a negação da propriedade privada pelo proletariado Formulação do pensamento de Marx
  17. 17. Formulação de teoria da revolução (1843.12: antes de estudar economia ) ➀ Emancipação do homem pelo proletariados ➁ Abolição da propriedade privada pelos proletariados Como Marx, ainda não tinha estudado economia e também não tinha descoberto as “contradições” do capitalismo, chegou a conclusão de que o proletariado devia libertar o homem abolindo a propriedade? (sua meta foi pré fixada) A evidência nos mostra contundentemente que Marx já havia chegado a conclusão e que só buscava uma maneira de justificar estas conclusões. O Capital (1867.9)
  18. 18. Filosofia de Marx : ( Exemplo) Marx não pôde provar por meio de lógica ou da ciência que a verdadeira essência da espécie do homem surgiria depois da abolição da propriedade privada. Não tinha nenhuma base nos fatos ou na ciência
  19. 19. Época de Paris (1843.11-1845.2) Marx estudou ecomonia clássica baseado no “Delineamento De Uma Crítica da Política Econômica” de Engels A. Smith D. Ricardo J. Say S. Sismobdi Criticou a ecomonia capitalista exaustivamente Manuscritos Econômicos e Filosóficos (1844.8) ➀ “O trabalhador se tornou um bem de consumo” ➁ “A sociedade capitalista vive da exploração do trabalhador” Teoria da Alienação marxista
  20. 20. 5.Teoria da Alienação de Marx “Manuscritos Econômicos e Filosóficos” (1844) (1) AAlienação do Trabalhador - Produto de Seu Trabalho ➀ A essência da espécie (natureza original) do homem = trabalho ➁ O que permitia ao homem desenvolver e evoluir, é o trabalho social” O produto de seu trabalho
  21. 21. (2) AAlienação do trabalhador de seu Trabalho Trabalho (3) AAlienação da Espécie - Essência Humana Essência da espécie humana Atividade livre de produção (4) AAlienação do Homem pelo homem
  22. 22. (5) A Raiz da Alienação – A Propriedade privada A Raiz (origem) da Alienação = A propriedade privada Capitalistas haviam tomado para sí o produto de trabalho, transformou-o em sua propriedade privada O único modo de recuperar a natureza humana Abolição da propriedade privada “A abolição da propriedade privada é, portanto, a completa emancipação de todos sentidos e da qualidade humana” (Manuscritos Econômicos e Filosóficos, 1844) Causa fundamental da alienação =
  23. 23. Psicologia de Marx no tempo de exílio em Bruxelas (1845.2) 1. Marx foi exilado de Paris devido a pressões exercidas pelo governo prussiano 2. A situação crítica economicamente 3. Renunciou a nacionalidade prussiana sentimento de solidão, alienação, pressão Ódio, furioso, vingança, inimizade Compromisso final do Marx com a revolução violenta e derrota da ordem estabelecida “Eles (os comunistas) declaram abertamente que podem alcançar sua meta somente com a derrota das forças de todas as condições sociais existentes” (O manifesto comunista.1848)
  24. 24. 6. Desenvolvimento do Marxismo Comunismo humano ( Tempo de Paris) - Comunismo como a aquisição atual da essência da espécie do homem - Solução = Transcendendo ou eliminando a propriedade privada - Não propôs imediatamente soluções radicais ou violentas Comunismo como revolução social violenta (Depois de Brulexas.1845.2~) Brulexas -A conquista do poder político pelos proletaliados -A capotagem violenta da ordem social -A abolição da propriedade privada
  25. 25. 1845.4 “Teses sobre Feuerbach” : separação completa do humanismo de Feuebach 1845.9-46.5 “ A Ideologia Alemã” 1846.12 “ Filosofia da Pobreza” Completaram o fundamento do materialismo e histórico Concluiu que a revolução violenta era a formula definitiva para resolver a alienação humana Formular a luta e revolução violenta filosoficamente 1948.2 “O Manifesto Comunista” 1867.9 “ O Capital . 1ͦ volume”
  26. 26. Marxismo = A arma ideológica poderosamente convincente e inflamatório ➀ Base filosóficas ➁ Esperança e Visão ➂ Um plano de ação
  27. 27. 3 componentes do Comunismo como a arma ideológica (1) Necessitava claramente do julgamento do capitalismo, o veredito de culpado e a sentença de morte para capitalismo Análise do capitalismo capitalismo deve ser destruído Com este propósito, desenvolveu sua teoria econômica, a teoria de valor trabalho e a teoria de mais-valia (2) Uma racionalização filosófica que justificasse para os trabalhadores a matança de capitalistas e reacionários sem ocasionar dor na consciência. Materialismo dialético uma aplicação da origem e o desenvolvimento do universo que nega a existência de Deus e procura demonstrar que só matéria existe e que funciona de acordo com as leis da dialética. Materialismo dialético justifica a matança, caracterizando-a como uma lei da natureza
  28. 28. (3) Uma visão histórica apocalíptica É necessário dar aos revolucionários provas de que o momento para ação é hoje. A oportunidade está alcance de nossas mãos. Com esta ordem da história em diante, quem pode duvidar? Não há nada a perder, e há um mundo a ganhar. Este é o objetivo que impulsionou o desenvolvimento do do materialismo histórico Estes 3 componentes são partes necessárias que incitarão o povo a oferecerem suas vidas no altar da revolução violenta à custa de suas vidas.
  29. 29. 8. Crítica e contra Proposta à Teoria da Alienação de Marx Erro do entendimento sobre essência da alienação humana ➀ Crítica Marx foi materialista tratou a alienação humana só no aspecto material Homem Mente (caráter interno) intelecto, emoção, vontade Corpo (Forma externo) Alienação Alienação da personalidade, valor do homem Alienação da matéria
  30. 30. ➁ Contra proposta pelo Pensamento da Unificação O que foi alienado (perdido) O valor e a personalidade do homem Natureza original do homem ou homem de natureza original Homem que se assemelha a Deus 1. Caráter interno e forma externa 2. Positividade e negatividade 3. Imagem Individual 4. Coração 5. Logos 6. Criatividade Homem de Caráter original =
  31. 31. Homem de caráter original 1.Assemelhar se a caráter interno e forma externa de Deus Homem que leva a vida de verdade, bem e beleza através da ação de dar e receber harmoniosa entre mente divina e mente física 2. Homem que se assemelha a positividade e negatividade de Deus Casal que estão maduros em seus caráteres, tornar-se-ão harmoniosos centralizado no amor de Deus 3. Assemelha se à Imagem Individual Homem que dá mais valor a sua individualidade e de outros
  32. 32. 4. Homem que se assemelha ao coração de Deus Homem que pratica o amor de Deus 5. Homem que se assemelha ao logos Homem que observa a norma 6. Homem que assemelha à criatividade de Deus Homem que faz atividade criativa centralizada no amor de Deus 1 ~ 6 = Natureza original do homem Amor de Deus Homem = um ser de amor
  33. 33. Queda do homem Perda da natureza original Perda do amor original (Amor de Deus) Alienação da natureza original Aconteceu que a personalidade do trabalhador é ignorado e capitalista é dominado pelo desejo das coisas materiais por causa da “perda do Amor de Deus” Alienação do Amor de Deus =
  34. 34. Amor prática Verdade. Bem . Beleza (valor) Amor de Deus (Amor absoluto) prática Valor absoluto Verdade absoluta Bem absoluto Beleza absoluta Homem de valor absoluto Essência da alienação humana = Alienação do Amor de Deus = Alienação do valor absoluto
  35. 35. O caminho para a solução fundamental da alienação Negar Deus : Feuerbach Abolição da propriedade privada pela revolução violenta : Marx Entender a natureza de Deus corretamente e herdar o amor de Deus Caráter Interno ( sujeito)…Reforma da mente pelo amor e verdade Forma externa (objeto)….solução de problemas econômicos
  36. 36. Capítulo 2 Materalismo comunista, Crítica e Contraproposta
  37. 37. 1. Teoria e prática Sócrates : conhecimento ação Vida correta Comunismo : Teoria Prática revolucionária Crítica União de teoria é prática certa, mas o seu conteúdo e direção é o problema teoria prática Realização do comunismo pela revolução violenta Violação dos diretos humanos Erro : provado Afirmação do comunismo sobre isso é sem sentido
  38. 38. Contraproposta teoria prática Realização de reino do céu na terra pelo amor e verdade Realização das 3 Grandes Bençãos dados por Deus Perfeição Individual Perfeição da família Perfeição do domínio
  39. 39. Homem tem a liberdade de escolha do pensamento. Não há problema que alguém acredite no materialismo Mas, tem que opor rigorosamente à filosofia que ignora a personalidade e dignidade humana e justificar o massacre do homem Esta é a razão porque tem que esmerilhar o materalismo comunista
  40. 40. 2. Natureza da facção partidária da filosofia Aristóteles Aristocrata servir Tomás de Aquino Rei, Papa servir Capitalista Materialismo mecânico servir proletaliado Materialismo comunista servir
  41. 41. Crítica ➀ Chefe da soberania usou o pensamento para manter o poder Natureza facção partidária Padrão do pensamento Natureza da Verdade Natureza sem facção partidária Só marxismo é a filosofia que tem a natureza da facção partidária de início
  42. 42. ➁ O desígnio que somente comunismo é único pensamento para libertação dos trabalhadores A natureza sectária Idealismo Materialismo Classe governante Classe governada “O que é a luta entre as facções partidárias ? …. Em essência, isto é o idealismo e o materialismo” (Lenin, materialismo e empirismo-crítico. )
  43. 43. Contraproposta Padrão de filosofia = natureza da verdade Verdade absoluta Filosofia Verdade histórica Verdade relativa Separação de Deus história
  44. 44. 3. Conceito comunista de matéria. Crítica e Contraproposta (1) Conceito de Matéria de Marx, Engels ( Século XIX) “Matéria é considerada o material que se move e consiste na partícula que não pode separar mais.” Materialismo França (séc.XVIII) Materialismo de Feuerbach Dialético de Hegel Materialismo Dialético
  45. 45. (2) Conceito de Matéria de Lênin (Séc. XX) Mudança de conceito matéria pela ciência avançada no início de século XX Desmoronamento do conceito antigo de matéria A.Einstein N.Bohr L.de. Broglie E.Schrodinger W.Heisenberg “A mecânica quântica” E = MC² “A Teoria da Relatividade” Eletricidade tem duas naturezas particular e movimento ondulatório
  46. 46. ConceitodematériadeLênin “O único atributo da matéria é uma realidade objetiva que existe separadamente da consciência do homem…… (Lenin, materialismo e empirismo-crítico. ) Conceito filosófico de matéria Pode aplicar o fenômeno social e histórico Todas as coisas que existe fora da consciência do homem são incluídos pelo o conceito de matéria”
  47. 47. (3) Crítica de conceito comunista (Lênin) de matéria Não resolveu o problema de conceito da matéria Só evitou o problema Lênin problema de ontologia problema de epistemologia Origem do universo é matéria ou espírito Qual é matéria ? Matéria existe como objeto de cognição fora da consciência humana fugiu Realidade objetiva Matéria ou não ? Como pode afirmar que é a matéria?
  48. 48. (4) Contraproposta Conceito da matéria pelo Pensamento da Unificação SSO/HSO SS/HS SS/HS SS/HS SS/HS Encarnação Individual da Verdade Ser material (Partículas, átomos, moléculas, minerais) Ser de Vida ( plantas) Ser instintivo (animais) Ser espiritual (homem) Deus O Sujeito harmonico unificado de SSO/HSO Unicismo
  49. 49. Matéria como união de caráter interno e forma externa Caráter interno original Forma externa original Deus Elemento mental Elemento de energia Mente Energia (força, massa) Elemento mental Corpo Materialismo Idealismo
  50. 50. (5) A ampliação do conceito de matéria no fenômeno Força da produção, relacionamento de produção, Capital, trabalho, revolução, conflito laboral = A matéria
  51. 51. Crítica Todos os fenômenos econômicos são fenômenos unificados de espírito e matéria Mão de obra Conhecimento Tecnologia Resistência física Capital Desejo para ganhar lucro Dinheiro Meio de produção Relacionamento de produção Mente/corpo Mente/corpo Gerente Trabalhador
  52. 52. Contraproposta Os bens econômicos Os bens da produção matéria prima. Máquina, as instalações industriais Os bens de consumo Comida, casa, roupas, combustível etc Vontade social Os bens econômicos Os fenomenos sociais
  53. 53. 4. Conceito comunista da relação entre matéria e espírito cérebro espírito ➀ produto ou ➁ função (mente) = a matéria mais desenvolvida e organizada no universo Espírito (mente) é produzido somente de cérebro do homem que é a matéria mais avançada Quando morre, espírito ou consciência desaparece Não há mundo espiritual
  54. 54. “ Quando as células cerebrais se danificam, as atividades mentais são afetadas . Isto significa que o espírito ou consciência sejam produtos das células.”
  55. 55. Crítica ➀ A mente é o produto do cérebro permitir a mente que é separado de corpo (o espirito) ➁A mente é a função do cérebro Não pode explicar a natureza ativa da mente que faz o cérebro funcionar Autocontradição teórica
  56. 56. Não se pode afirmar que o cérebro é aparelho gerador da mente Rádio SomA onda elétrica X aparelho gerador 〇 aparelho de reprodução de som Cérebro Função mentalMente(espírito)
  57. 57. Contraproposta ( O Pensamento da Unificação) mente divina mente física Mente cérebro Função mental Pensamento Decisão Emoção etc Função de amor, intelecto, emoção e vontade Mente instintiva
  58. 58. Deus corpo Mente espiritual Corpo espiritual Corpo físico Mente física mente Células Cerebrais Consciência , Emoção, Pensamento, Vontade, etc
  59. 59. Cérebro Espírito consciência Meio ambiente Consciência, forma de pensar Super estrutura Fundamento Relações de produção Religião Política Lei Arte derivado determinar (matéria) determinar 5. Superestrutura e Fundamento como espírito e matéria produto Mudar a sociedade pode conseguir somente pela mudança de fundamento (relação de produção) através do meio material que é a luta e da revolução violenta, não é possível através de boa educação, bom político, ética, religião.
  60. 60. 6.Conceito comunistadohomem:CríticaeContraproposta (A) Conceito comunista do homem 1. Homem é essencialmente um animal, embora seja um animal mais desenvolvido 2. O Homem descende do macaco. Sua evolução ocorreu por meio do trabalho 3. Razão, individualdade, liberdade, personalidade, consciência, amor, são resultado do trabalho social, não é a origem absoluta do homem
  61. 61. Ameba Animais inferiores Macaco Homem Trabalho 1.A Essência mais importante do homem é o trabalho ( atividade de produção) 2. O proletariado é absoluto 3. Justificar a revolução violenta Macaco tornou-se Homem por meio do trabalho “Dialético em natureza”(Engels,) língua
  62. 62. Ameba Animais inferiores Macaco Homem Trabalho Macaco tornou-se Homem por meio do trabalho “Dialético em natureza”(Engels) língua macaco Homem Trabalho Desenvolvimento da mão língua Desenvolvimento do cérebro Essência mais importante do homem é trabalho
  63. 63. Crítica ➀ Macaco nunca tornará homem através de trabalho, porque macaco não tem corpo espiritual. ➁ Trabalho e língua desenvolvimento do cérebro mente cérebro língua Precisa o cérebro do homem desenvolvido desde início ➂ O cérebro do macaco desenvolveu homem Cérebro não é o aparelho gerador de espírito (mente) Homem que usa língua tem personalidade e trabalho. (domínio de todas coisas)
  64. 64. ➃ O comunismo não tem fundamento filosófico para assegurar liberdade, personalidade e dignidade humana. Comunismo jamais reconhece a liberdade e personalidade incondicionalmente. Massacre em nome do comunismo = 150 milhões de pessoas ( a revista francesa “Le Figaro”)
  65. 65. A dignidade humana tem origem na sua mente original que veio de Deus. Por isso o homem é um ser de dignidade. Contraproposta A fim de assegurar a dignidade do homem filosoficamente, tem que reconhecer que é um ser de dignidade na sua origem.
  66. 66. Capítulo 3 Materialismo Dialético, Crítica e Contraproposta
  67. 67. Materialismo Dialético Base Ideologica do Comunismo Materialismo Perspectiva filosófica Dialético Método
  68. 68. 3 Leis da Dialética Comunista ➀ A lei da interpenetração dos opostos ( Lei de contradição, ou lei de luta) ➁ A lei da transformação de quantidade em qualidade ➂ A lei de negação da negação
  69. 69. negação união luta Negação da negação (síntese) Condicional, temporário absoluto, essencial Desenvolvimento tese antítese Dentro de todos os corpos Dois elementos opostos Em relação à tese antítese (1) A lei da União e Luta (lei da contradição) afirmação (Lei da Interpenetração dos opostos)
  70. 70. Como surge finalmente o progresso ? O progresso surge quando uma parte destrói a outra. Não há outra maneira. Se há uma disputa entre um sindicato de trabalho e a administração, esta deve ser destruída. Se há uma disputa entre o povo e o governo, é possível sentar e negociar? Não. Não vai funcionar. Uma parte tem que destruir a outra. As negociações no marxismo-Leninismo são meramente extensões de uma luta intransigente Aplicação da prática da dialética
  71. 71. Exemplodecontradição elutaporEngels eLênin -Polo positivo e negativo do ímã -a luz e a escuridão -a vida e a morte -os símbolos de positividade e negatividade na matemática -o diferencial e o cálculo na matemática -cargas positivas e negativas na eletricidade: próton e elétron -combinação e descomposição na química -classe dominante e classe oprimida na ciência social (Engels, “A Dialética da natureza” “ Anti-Duhring”) (Lenin, “Manuscrito de filosofia”) afirmação (a casca, a clara, a gema) negação (O embrião) O pintinho Negação da negação Materialismo Dialético como lei objetiva domina a natureza inteira
  72. 72. União Para ofuscar o olho do povo que não gosta de luta sangrenta e gosta da reforma pacífica e mobilizar eles. Luta Para justificar a revolução violenta O Comunismo afirma que a União é relativa e só a Luta é absoluta. Conspiração da língua: A fim de alcançar o propósito dele (revolução violenta) para ofuscar a capacidade do povo de julgar. Crítica Finalidade comunista não é união, mas a luta e contradição
  73. 73. Crítica sobre exemplos de Engels e Lenin Lenin queria colocar só luta das classes, mas não tem a força de persuasão por si só. A fim de justificar e provar a luta de classe , ele deu fenômeno da natureza como exemplos de contradição. Mas, exemplos citado foram aspecto relativo dos fenomenos ou métodos, também, não tem relação com o desenvolvimento nem luta. Não há a luta nem contradição na natureza
  74. 74. Ação de dar e receber entre as coisas em parceria Embrião ( tornar o pintinho) Sujeito gema clara casca (nutrição) (nutrição, Proteção da embrião) (proteção de ovo) objeto Ação de dar e receber pintinho Casca (tornar-se fina) Contraproposta
  75. 75. Propósito comum sujeito objeto progresso origem divisão união Comunismo afirmação negação Negação da negação Deus : Lei de ODUMaterialismo Dialético Ódio Amor
  76. 76. Lei da união e luta Lei de ação de dar e receber entre as coisas em parceria Lei de contradição Lei de harmonia
  77. 77. Comunismo é errado ! Comunismo é a Ideologia falsa
  78. 78. (2) Lei da transformação de quantidade em qualidade Repentina mudança na qualidade Nova qualidade Mudança gradual na quantidade revolução A luta de estudantes A luta econômica
  79. 79. Crítica “O processo de progresso seguir a lei da transformação da quantidade em qualidade” Para justificar revolução violenta
  80. 80. Stálin “Materialismo dialético e histórico” “ Se a transformação da qualidade em quantidade repentina é a lei de progresso, isto é evidente que a mudança revolucionaria feito pela classe oprimida é o fenômeno completamente natural e inevitável. Isto é a mudança de capitalismo ao socialismo, a libertação de classe de trabalhador da opressão capitalista pode ser realizado somente pela mudança de qualidade do capitalismo, que dizer, revolução”
  81. 81. Materialismo dialético Crítica Gelo Água Vapor de água Aquecer A medida que aquece ( mudança de qualidade – temperatura), gelo se torna água gradualmente, e água se torna vapor de água gradualmente Mudança de estado da água mudança gradual de temperatura Não tem nada a ver com progresso Vapor de água pode voltar a água de novo Repentina mudança Mudança na qualidade
  82. 82. Materialismo dialético Corte da corda Crítica Mudança gradual de peso Corte Não é a mudança de qualidade Só a corda é cortado Tem que aparecer a corda com nova qualidade Repentina mudança Mudança na qualidade
  83. 83. A explosão da caldeira CríticaMaterialismo dialético Explosão Aumenta a pressão do vapor Não é a mudança de qualidade Só a caldeira é explodida A caldeira de nova qualidade não pode aparecer destruição. Repentina mudança Mudança na qualidade
  84. 84. Mudança de relação de governança Materialismo dialético embrião (governado) casca (governante) pintinho (Governante) (governado) casca 21 dias
  85. 85. capitalista proletariado proletariado capitalistas Repentina mudança na qualidade Revolução violenta comunista = Sociedade capitalista Sociedade comunista
  86. 86. No mundo natural, a relação de governante-governado não muda de início até o fim. Na incubação do ovo, embrião é o sujeito de início até fim, e gema, clara e casca são objetos. Crítica Na sociedade humana, acontece de mudança entre sujeito velho e sujeito novo. Mas não acontece a troca entre sujeito e objeto.
  87. 87. Contraproposta Mudança quantidade qualidade (Forma externa) (Caráter interno) mudança simultânea gradual sujeito objeto Lei de desenvolvimento no equilíbrio da quantidade e qualidade Lei de desenvolvimento no equilíbrio do caráter interno e forma externa
  88. 88. (3) A lei de negação da negação A coisa é negado duas vezes no processo de desenvolvimento, e voltar ao estágio inicial em que começou. Isto não significa voltar ao estado original, mas restauração no nível mais superior. Lenin diz esse é o desenvolvimento em espiral Velho estágio Novo estágio 3ͣ estágio negação negação Sociedade primitiva comunal Sociedade classe Sociedade comunista (Sociedade sem classe) (Sociedade sem classe) negação negação
  89. 89. (Engels, “Anti-Duhring”) Engels A borboleta ovo Muitos ovos ovo animais Crescer pela ação de dar e receber entre embrião e gema Muitos ovos Morrer depois que cumpriu sua missão Não morrer pela negação da negação Crítica
  90. 90. matemática a a² aˉ Engels Se a  aˉ,próximo deve ser aˉ  a Este é o truque intencional Para justificar a lei da negação da negação Crítica
  91. 91. Contraproposta A Lei do desenvolvimento afirmativo As todas coisas desenvolvem afirmativamente pela ação de dar e receber harmoniosa entre o elemento subjetivo e o elemento objetivo propósito sujeito objeto desenvolvimento
  92. 92. Movimento do desenvolvimento = o movimento de corpo orgânico = há natureza de finalidade e direção História Humana = História da restauração Sociedade ideal da criação Sociedade pecaminosa Queda restauração
  93. 93. No tempo de Paris, Marx chegou a conclusão de que somente mudança econômica pela revolução violenta pode resolver a contradição social. Marx precisava da teoria filosófica para justificar a revolução violenta. Afinal, o materialismo dialético foi formado como a medida da revolução violenta “Revolução violenta é inevitável” é uma lógica de ficção.
  94. 94. Capítulo 4 Materialismo Histórico, Crítica e Contraproposta
  95. 95. Os características do materialismo histórico ➀ A força motriz do progresso histórico = o progresso da força de produção ➁ O início de história = a sociedade comunal ➂ A direção da história = Alcance à sociedade comunista ➃ Característica da história = História da luta de classe
  96. 96. A fórmula do materialismo dialético (Marx) ➀ Homem estabelece o relacionamento de produção independente da vontade dele na sua vida social ➁ Acima do fundamento ( mecânica econômica), ergue-se estrutura superior (as formas de consciência ) ➂ A forma de produção restringe os processos gerais da vida ➃ O relacionamento de produção alcança o ponto em que se torna aguda a contradição para o progresso da força de produção ➄ A estrutura superior inteiro é derrubada.
  97. 97. Pontos de crítica para materialismo histórico ➀ O progresso da força da produção ➁ Relacionamento de produção ➂ Independência da força da produção, relacionamento da produção separado da vontade do homem ➃ A correspondência do relacionamento da produção para o progresso de produção ➄ O relacionamento de produção alcança o ponto em que se torna aguda a contradição para o progresso da força de produção ➅ O fundamento e a estrutura superior ➆ O estado e revolução
  98. 98. (1) O progresso da força da produção Materialismo histórico “Todo sistema social e atividade social é baseado numa forma de produção” A forma da produção A força da Produção Instrumento de produção Força de trabalho Relacionamento de produção
  99. 99. A força da produção desenvolve constantemente A força motriz de progresso de sociedade “O progresso da força de produção total é a causa fundamental de progresso inteiro” (Cornforth) “Causa do progresso da força da produção é a interação da força de produção e relacionamento da produção como conteúdo e forma” ( Ishchenko)
  100. 100. Crítica Tem que ter a contradição em forma da produção mesmo “A causa fundamental de progresso não está fora das coisas, mas tem que ter nas coisas mesmo” (Mao Tse-Tung) Em materialismo dialético Força da produção Relacionamento da produção Fora de materialismo dialético Força de produção progresso progresso
  101. 101. Contraproposta ( pensamento da unificação) finalidade sujeito objeto Progresso de Força da produção (espírito) (matéria) Desejo da invenção Criatividade conhecimento Condição material e social Finalidade = finalidade para realizar o ideal da criação de Deus Por isso, Deus está trabalhando neste ponto A força de produção desenvolve pela ação de dar e receber entre homem e a natureza
  102. 102. Criatividade Originalidade (artista) Força técnica (O técnico) Força de trabalho ( trabalhador) O instrumento de produção = manifestação de força técnica O força da produção (instrumento + força de trabalho) = manifestação da criatividade O progresso de força da produção = o progresso de criatividade
  103. 103. capacidade para idealizar Força técnica precisa conhecimento científico Progresso de conhecimento causou o progresso de força de produção Porque o conhecimento foi desenvolvido? Porque para o homem foi dado o desejo. Criatividade
  104. 104. (2) O relacionamento da produção Materialismo histórico Relacionamento objetivo, material Relacionamento social mais básico Pensamento de unificação Relacionamento ético é o relacionamento humano mais essêncial , e o relacionamento econômico tem que ser baseado no relacionamento ético Homem mente corpo Relacionamento humano CC …. Relacionamento ética FE .... Relacionamento de produção
  105. 105. desejo Investimento administração capitalista trabalhador desejo trabalho Relacionamento de ética e produção ambos são a união de caráter interno e forma externa Relacionamento de produção é essêncialmente o relacionamento de desejo
  106. 106. (3) Natureza de independencia de força da produção, relacionamento de produção separado da vontade humana “Homem não é livre para decidir as forças de produção” (Marx) “Homem estabelece o certo relacionamento da produção inevitável que é independente da vontade dele.” (Marx)
  107. 107. Crítica Qual é a intenção do comunista de insistir no progresso da força da produção e relacionamento da produção e independente da vontade humana? ➀ Aquela que leva a força da produção na sociedade capitalista é trabalhador na posição de classe dominada ➁ Ninguém pode impedir o conflito de trabalhador pela vontade humana ➂ A chegada da sociedade socialista (comunista) é inevitavel independente e sem relação com vontade humana Para justificar Se a vontade humana é envolvida em progresso da força de produção e relacionamento de produção, piedade pode ser reformada pela reforma do espírito humano, e o mal pode justificar mais revolução
  108. 108. O pensamento da unificação (Providência de Deus) desejo universal dos cientistas condição social condição material Progresso da força de produção finalidade
  109. 109. (Providência de Deus) finalidade Vontade Pensamento de político povo. condição social Condição material Relacionamento da produção
  110. 110. (4) A correspondência da força de produção para com o relacionamento da produção A força de produção Relacionamento de produção O instru mento pedra Todas pessoas Socie dade Comu nal Instru mento Metal escravo Socie dade Escra vista Objeto ferro Servo da greba Socie dade Feudal Máquina Traba lhador Socie dade Capita lista Máquina Todos povos Socie dade Comu nista
  111. 111. Crítica e contraproposta Relacionamento da produção não corresponde para com o desenvolvimento da força de produção. O progresso de relaciona- mento da produção Sociedade socialista Sociedade capitalista O progresso de força de produção Relacionamento de produção foi desenvolvido pela vontade de políticos na posição de líder Realizado pela vontade do partido comunista
  112. 112. (5) O relacionamento de produção alcança o ponto em que se torna aguda a contradição para o progresso da força de produção Progresso de força de produção Aguda a contradição de relacionamento de produção Revolução O processo objetivo e material
  113. 113. Relacionamento da produção (Relacionamento governante) Força de produção (relacionamento governado) Aguda a contradição Revolução
  114. 114. Sociedade comunal Sociedade escrava nobre escravo Sociedade feudal O senhor feudal Servo da gleba Sociedade capitalista trabalhador Sociedade social capitalista trabalhador Vanguarda de proletariado Sociedade comunista
  115. 115. Crítica de contraproposta para aguda a contradiçao Revolução acontece pela colisão dos desejos (Exemplo) Desejo para poder, dominar, posse Desejo para posse, lucro (Rei e nobres) (cidadão) Revolução francesa Pode evitar colisão pelo ajustar dos desejos
  116. 116. A classe que leva a força da produção (o camponês) não foi a força subjetiva da revolução, a classe governada (Revolução da França) A força subjetiva da revolução foi classe média que não foi a classe governada Rei, nobres Classe média Capitalista comercial Manufatura, O senhor feudal O bancárioRevolução francesa
  117. 117. (A ruína do Império Romano) A classe de escravos, que é a origem do progresso de força da produçao, não derrubou a sociedade escrava. Império Romano foi arruinado pelos povos germânicos e o cristianismo Imperador nobres Povo germânico cristianismo A ruína do Império Romano Na verdade foi a luta entre o líder que buscava a nova sociedade e o líder da velha sociedade
  118. 118. “Aguda a contradição de relacionamento de produção para a força de produção” Uma lei de ficção inventada para racionalizar a revolução violenta comunista
  119. 119. (6) Fundamento e a Estrutura superior matéria espírito (ser) (consciência) Relacionamento de produção Sistema econômica político, cultura administração, arte,filosofia Culturas,(várias formas de consciência) O órgão político, judicial..... “A estrutura superior é eliminado com eliminação do fundamento econômico” ( Stálin) reação derivado Manter fortarecer
  120. 120. Crítica (1) Estrutura superior não corresponde ao Fundamento Estrutura superior Cristianismo Budismo Confucionismo Arte grega Lei Romana Fundamento Sociedade escrava Sociedade feudal Sociedade capitalista Existe até hoje Teoria comunista de fundamento e estrutura superior é errado
  121. 121. Contraproposta Materialismo histórico espírito matéria Opinião órgão Relacionamento de produção Vontade do homem Condição social material objeto Vontade de homem Condição social material sujeito Visão da história da unificação
  122. 122. Próposito sujeito objeto Progresso da sociedade Opiniões, órgãos = Desejo em busca de valor da verdade, Beleza e bem Relacionamento de produção = Desejo material de vida( comida roupa)
  123. 123. (7) O Estado (nação) e Revolução Sociedade primitiva comunal Sem classe, sem estado Sociedade de classe O estado apareceu Revolução O estado ditatorial de proletariado Sociedade comunista Sem classe, sem estado (O estado extingue-se) Nação =o órgão de classe governante para oprimir e exterminar a resistência de classe governada
  124. 124. Crítica Contradição lógica da explicação de Engels Progresso de força da produção Nascimento de classe Desaparecimento do estado Sociedade comunista atual Nova classe governante ( partido comunista) Oprimir e explorar povos A Prova que comunismo é Teoria de ficção
  125. 125. Contraproposta Causa da exploração Queda do homem Desejo básico humano tornou se auto-centralizado Funciona através da condição material Sociedade tribal primitiva : não tem condição material para provocar o desejo satánico humano aparecer. Com progresso de força de produção, acumulação de condição material aumentou, e gradualmente desejo satánico (egoísmo) do homem se manifestou O conflito de classes veio da existência por causa de função da mente má do homem
  126. 126. Visão da nação pelo pensamento de unificação O chefe supremo O povo Deus Nação = família Deus = centro Pais de toda humanidade Todos povos = filhos de Deus = Irmãos irmãs Nação Unificado do Céu e Terra A vida ética centralizado no amor Atividade econômica afluente
  127. 127. (8) A Várias formas de sociedade Sociedade mominal primitiva Sociedade escravista Sociedade feudal Sociedade capitalista Sociedade socialista Sociedade comunista Cada indivíduo trabalha de acordo com sua abilidade, e recebe de acordo com seu trabalho Cada indivíduo trabalha de acordo com sua abilidade, e receber de acordo com sua necessidade Reino inevitável Pre-história humana Reino de liberdade (História humana)
  128. 128. Crítica O país subdesenvolvido ( Rússia ) socialismo O país desenvolvido de capitalismo ( Inglaterra) socialismo Revolução socialista não ocorreu num país como Inglaterra em que sua força de produção foi mais desenvolvida, e ocorreu no País como Rússia onde o capitalismo não estava desenvolvido ainda. Realidade da sociedade comunista (sociedade socialista) O país de liberdade O país sem liberdade, O país ditatorial Sociedade com produção estagnado extremamente Uma sociedade ideal falsa
  129. 129. Contraproposta Sociedade tribal Sociedade feudal Sociedade capitalista e sociedade imperialista Sociedade democrática e sociedade socialista Sociedade de interdependência, Prosperidade mútua, e valores universalmente compartilhados
  130. 130. Visão histórico de Hegel O estado racional Ruína de Prússia Ruína de Filosofia de Hegel Visão histórico de Marx Sociedade comunista Ruína da União Soviética Ruína de Marxismo Observação de um aspecto da sociedade capitalista Lei universal de toda históriaAmpliar para aplicar “A autópsia de homem é uma chave para a dissecação do animal. ... Assim, economia burguesa oferece a chave para a economia dos tempos antigos e outras.” ( Marx, Crítica de economia)
  131. 131. Não é a visão histórico científico objetivo que foi estabelecido através da pesquisa na posição objetiva, A visão histórica subjetiva com o propósito para racionalizar e justificar o revolução comunista Materialismo histórico
  132. 132. O Comunismo é Errado !

×