EDEN - Minuta 2workshop

597 views

Published on

Projecto EDEN

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
597
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

EDEN - Minuta 2workshop

  1. 1. Minuta do 2º Workshop do projecto EDEN – PPS6 Local: Hotel SANA - Lisboa Data de realização: 15 de Outubro de 2007
  2. 2. Agenda A ordem dos trabalhos realizada no segundo workshop do projecto EDEN, seguiu a seguinte agenda: Hora N° Sessão Responsável 8:45 Recepção e Inscrição TODOS 9:00 1 Introdução Luck Murray • Vista geral do projecto (IST) • Apresentação da visão 9:15 2 Impactos Tecnológicos da introdução do hidrogénio Hugo Seymour & Francisco Borges • Apresentação dos cenários de hidrogénio objectos de estudo (IST) • Apresentação das cadeias de hidrogénio seleccionadas • Apresentação e discussão dos resultados iniciais do 11:15 modelo TIMES – baixos custos da procura de hidrogénio 09:45 • Discussão em grupo • Sessão aberta 09:55 10:15 3 Impactos ambientais de introdução do hidrogénio Ana Sá • Apresentação dos modelos de emissão (INETI) 10:45 • Discussão em grupo • Sessão aberta 10:55 11:15 4 Pausa para café TODOS 11:40 5 Oportunidades-chave e desafios face à introdução do Pedro Rodrigues hidrogénio, incluindo os nichos de mercados (SRE) • Apresentação dos resultados da análise “Key Changes and Actor Mapping” (KCAM) • Discussão em grupo 12:20 • Sessão aberta 12:30 Minuta do 2º Workshop - EDEN 2/11
  3. 3. Hora N° Sessão Responsável 13:00 6 Almoço Todos 14:30 7 Análise das infra-estruturas para o desenvolvimento do Sílvia Esteves hidrogénio (INEGI) • Apresentação dos resultados preliminares 15:00 • Discussão em grupo 15:10 • Sessão aberta 15:30 8 Revisão dos temas em discussão Rei Fernandes • Revisão dos resultados do workshop (IST) • Desenvolvimento da visão • 16:10 Sessão aberta Encerramento do workshop TODOS 16:30 Moderação: Eng. Rui Pimenta Minuta do 2º Workshop - EDEN 3/11
  4. 4. Ponto 1 - Introdução O Eng.º Rui Pimenta (IST – Instituto Superior Técnico) deu início ao workshop, agradecendo a presença de todos os participantes e explicou, em traços gerais, o objectivo do workshop. De seguida, o Eng.º Luck Murray (IST – Instituto Superior Técnico) realizou uma apresentação elucidando ao participantes os seguintes pontos: • Principais objectivos a alcançar com este projecto; • O porque da escolha do Hidrogénio na análise realizada; • O contexto energético de Portugal; • Roadmap do Hidrogénio na Europa; • Metodologia utilizada no projecto; • Apresentação de uma visão para o futuro do Hidrogénio em Portugal. Ponto 2 - Impactos Tecnológicos da introdução do hidrogénio O Eng.º Hugo Seymour (IST – Instituto Superior Técnico) realizou uma apresentação sobre os “Impactos Económicos e Tecnológicos da introdução do Hidrogénio”. A apresentação começou com a exposição das cadeias de Hidrogénio seleccionadas durante o 1º Workshop, realizado no Porto (ver Tabela 1). Foram também apresentadas as taxas de penetração para diferentes cenários, para o sector dos transportes e para aplicações estacionárias residenciais e comerciais. Minuta do 2º Workshop - EDEN 4/11
  5. 5. Tabela 1 – Cadeias de Hidrogénio seleccionadas no 1º Workshop. Feedstock H2 production CCS 1st H2 Distribution End use conversion transport GH2 filling FC Onsite station / 1 Wind transport / electrolysis distribution stationary centre GH2 filling FC Central station / 2 Wind GH2 truck transport / electrolysis distribution stationary centre Wave Central FC 3 Liquefaction LH2 truck LH2 filling station power electrolysis transport GH2 filling FC Onsite station / 4 Solar PV transport / electrolysis distribution stationary centre GH2 filling FC Thermal Dedicated station / 5 Solar heat transport / conversion pipeline distribution stationary centre FC 6 Biomass Gasification Liquefaction LH2 truck LH2 filling station transport Biological Chemical Hydride Hydride 7 Portable Production Reaction Truck Capsules GH2 filling FC station / 8 Natural gas Onsite SMR transport / distribution stationary centre GH2 filling FC Dedicated station / 9 Natural gas Central SMR CCS transport / pipeline distribution stationary centre GH2 filling FC station / 10 Natural Gas Central SMR CCS GH2 Truck transport / distribution stationary centre GH2 filling FC Dedicated station / 11 Coal Gasification CCS transport / pipeline distribution stationary centre GH2 filling FC station / 12 Coal Gasification CCS GH2 Truck transport / distribution stationary centre GH2 filling FC 13 By-product GH2 truck station transport GH2 filling FC Central Dedicated station / 14 Nuclear transport / electrolysis pipeline distribution stationary centre GH2 filling FC Central Dedicated station / 15 El Grid transport / electrolysis pipeline distribution stationary centre Minuta do 2º Workshop - EDEN 5/11
  6. 6. GH2 filling FC Onsite station / 16 El Grid transport / electrolysis distribution stationary centre GH2 filling FC station / 17 Import H2 Ship transport / distribution stationary centre De seguida, foram apresentados os resultados da base de dados E3 em termos de emissões de CO2 para a atmosfera e custos por cadeia, para o horizonte temporal de 2030, para as cadeias apresentadas. Os resultados foram organizados segundo o tipo de aplicações estudadas: transportes e aplicações estacionárias. Foram também apresentados os resultados do TIMES, que utilizou como ponto de partida dois cenários. Foi utilizados um cenário de alta penetração das tecnologias de Hidrogénio e um cenário de penetração moderada das tecnologias de Hidrogénio. Concluiu-se desta análise que a produção de Hidrogénio será dominada pelas tecnologias dependentes de Gás Natural. A Biomassa terá também um papel importante suprindo cerca de 6% a 8% das necessidades de Hidrogénio. Os resultados obtidos para a produção de Hidrogénio apresentam-se no Gráfico 1. Os resultados do modelo TIMES apresentam-se nos Gráficos 2 e 3. Produção total de hidrogénio (PJ) 70 61.48 Alta penetração 60 Baixa penetração 46.43 50 40 33.42 PJ 30 20.59 18.30 20 5.95 4.29 10 0.73 0 2020 2030 2040 2050 Gráfico 1 – Produção total de Hidrogénio até 2050, para diferentes cenários. Minuta do 2º Workshop - EDEN 6/11
  7. 7. Biomassa (6) Cenário alta penetração - Produção de hidrogénio SMR Central. (9) (10) SMR Onsite (8) 100% 80% 60% 40% 20% 0% 2020 2030 2040 2050 Gráfico 2 – Resultados do modelo TIMES para produção de Hidrogénio, para o cenário de alta penetração. Biomassa (6) Cenário de penetração moderada - Produção de Hidrogénio SMR Central. (9) (10) SMR Onsite (8) 100% 80% 60% 40% 20% 0% 2020 2030 2040 2050 Gráfico 3 - Resultados do modelo TIMES para produção de Hidrogénio, para o cenário de moderada penetração. Minuta do 2º Workshop - EDEN 7/11
  8. 8. Discussão: No final da apresentação surgiram alguns comentários e discussões sobre os resultados obtidos. As grandes questões levantadas incidiram sobre a não inclusão da fontes de energia renováveis na produção de hidrogénio. Foram levantadas dúvidas sobre a segurança do abastecimento de Hidrogénio quando a sua produção é baseada exclusivamente em Biomassa e Gás Natural. Ponto 3 - Impactos ambientais de introdução do hidrogénio A Eng.ª Ana Sá (INETI – Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial) realizou uma apresentação sobre a avaliação do efeito da penetração da tecnologia de Hidrogénio no sector dos transportes rodoviário. Primeiramente foram apresentados os pressupostos desta análise e as conclusões de um estudo sobre a frota de veículos ligeiros e pesados de passageiros ou mercadorias existentes actualmente e a projecção até 2050, assim como as suas emissões gasosas para a atmosfera. O impacto da introdução das tecnologias de Hidrogénio foi realizada segundo três taxas de penetração apresentadas na Tabela 2. Tabela 2 – Taxas de penetração utilizadas na análise do impacto das tecnologias de Hidrogénio no sector dos transportes. Frota automóvel 2005 2010 2020 2030 2040 2050 com TH (%) Cenário base 0 0 0 0 0 0 Penetração 0 * 3.3 23.7 54.4 74.5 alta Penetração 0 * 0.7 7.6 22.6 40.0 moderada *Apenas veículos de demonstração ou frotas experimentais Minuta do 2º Workshop - EDEN 8/11
  9. 9. Como resultado deste estudo apresentam-se os seguintes gráficos: Emis s ão de CO 2 e m lig. pas s age iros a gas olina 14000 12000 11168 10460 9751 10000 8473 8277 10 ton CO2 7765 8000 6707 6000 3 4000 2000 0 2005 2010 2015 2020 2030 2040 2050 Ano Se m T e c . H 2 H 2 - p e n e tra ç ã o mo d e ra d a H 2 - p e n e tra ç ã o a lta Gráfico 4 - Emissões de CO2 em veículos ligeiros de passageiros a gasolina, até 2050, para os três cenários analisados. Emis s ão de CO 2 e m lig. pas s age iros a die s e l 6000 5076 4754 5000 4432 3872 3771 4000 3586 10 ton CO2 3122 3000 3 2000 1000 0 2005 2010 2015 2020 2030 2040 2050 Ano Se m T e c. H2 H2 - p en e traç ão . mo d era d a H 2 - p e n etra çã o a lta Gráfico 5 - Emissões de CO2 em veículos ligeiros de passageiros a diesel, até 2050, para os três cenários analisados. Minuta do 2º Workshop - EDEN 9/11
  10. 10. Discussão: Os grandes temas abordados na discussão resumiram-se ao papel que os novos combustíveis, por exemplo o etanol ou biodiesel, veículos eléctricos e híbridos irão assumir no futuro e como se irão conciliar com o Hidrogénio. Foi também referida a necessidade de medição das emissões gasosas em toda a cadeia do Hidrogénio. Ponto 5 - Oportunidades-chave e desafios face à introdução do hidrogénio, incluindo os nichos de mercados O Dr. Pedro Rodrigues (SRE – Soluções Racionais de Energia) realizou uma apresentação na qual apresentou a metodologia KCAM (“Key Changes and Actor Mapping”) e procedeu-se à validação dos dados já obtidos pelos participantes, através do preenchimento de uns formulários por parte destes. A metodologia KCAM foi desenvolvida pelo IST, no âmbito do projecto HyWays. Esta metodologia consiste em identificar, qualitativamente, as principais barreiras ou principais mudanças relativas à implementação dos sistemas a Hidrogénio, através da recolha de contributos das partes interessadas. Ponto 7 - Análise das infra-estruturas para o desenvolvimento do Hidrogénio A apresentação da análise das infra-estruturas para o desenvolvimento do Hidrogénio ficou a cargo da Eng.ª Sílvia Esteves (INEGI – Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial). Nesta apresentação foram introduzidos os principais objectivos da análise de infra- estruturas que consistem basicamente em identificar os centros consumo e de distribuição de Hidrogénio, analisar as infra-estruturas de produção e distribuição de Hidrogénio. Foi também especificada a evolução da procura de Hidrogénio em Portugal, resultante do modelo TIMES e a evolução das infra-estruturas até 2050. A apresentação concluiu-se com a descrição das próximas etapas a seguir nesta análise. Minuta do 2º Workshop - EDEN 10/11
  11. 11. Discussão: No final desta apresentação todos os grupos concordaram que, a curto prazo, o mix de renováveis irá contribuir para a produção de Hidrogénio, em particular o eólico. Foram levantadas dúvidas sobre a necessidade de existência de uma central nuclear a longo prazo no nosso país. Para a distribuição de Hidrogénio a curto prazo, foi defendido que se podia tirar partido das infra-estruturas já existentes e a médio/longo prazo seria necessário um investimento nesta área de modo a existir uma infra-estrutura dedicada ao transporte de Hidrogénio. Ponto 8 - Revisão dos temas em discussão O encerramento do 2º Workshop realizado no âmbito do projecto EDEN ficou a cargo do Professor Rei Fernandes (IST – Instituto Superior Técnico), o qual resumiu os temas abordados e as principais conclusões da sessão de trabalho. Minuta do 2º Workshop - EDEN 11/11

×