Eden Pps6 2 Cen Rios Para O Hidrog Nio Em Portugal Ruipimenta

504 views

Published on

Projecto EDEN

Published in: Travel, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
504
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Eden Pps6 2 Cen Rios Para O Hidrog Nio Em Portugal Ruipimenta

  1. 1. Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal Rui Pimenta, IST-UTL FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  2. 2. Projecto HI-PO - Estratégia Nacional para o Desenvolvimento do Hidrogénio como Vector Energético em Portugal • Objectivo: desenvolver uma estratégia para o hidrogénio em Portugal através da discussão e avaliação com agentes de cenários futuros Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  3. 3. Resultados esperados • Conjunto de cenários para o futuro do hidrogénio em Portugal • Avaliação do conjunto final de cenários • Identificação de oportunidades e barreiras à concretização dos cenários • Contributos para a definição de um roadmap para o hidrogénio em Portugal Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  4. 4. Resultados preliminares – 1.º workshop • Evento: perto de 50 agentes com interesse na área do hidrogénio, desde académicos a consultores, passando pela administração pública e ONG’s, bem como uma vasta participação de diversos ramos da indústria • Objectivo: identificar e discutir cenários para o hidrogénio em Portugal em 2030-2050 Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  5. 5. Resultados preliminares – 1.º workshop • Principais conclusões: o futuro do hidrogénio em Portugal em 2030-2050 passa pelas energias renováveis como fonte para a sua produção, sendo as pilhas de combustível, essencialmente aplicadas ao sector dos transportes, as principais aplicações desta tecnologia Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  6. 6. Resultados preliminares – 1.º workshop Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  7. 7. Conjunto final de cenários • 5 cenários para o futuro do hidrogénio em Portugal em 2030-2050: •1. Renováveis dominantes •2. Não renováveis e bioenergia centralizadas •3. Electricidade descentralizada •4. Gás natural descentralizado •5. Pequena escala e combustíveis líquidos Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  8. 8. Conjunto final de cenários 1. Renováveis dominantes • Condicionantes - rápida subida dos preços dos combustíveis fósseis, essencialmente do gás natural pela cartelização dos seus principais produtores - questões ambientais, de segurança e a promoção da eficiência regem as políticas energéticas, acentuando a aposta nas renováveis e no hidrogénio - experiências de produção descentralizada de hidrogénio para aplicações domésticas e industriais, bem como nos equipamentos portáteis e nas frotas de transportes urbanos permitiu a disseminação da tecnologia Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  9. 9. Conjunto final de cenários 1. Renováveis dominantes Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  10. 10. Conjunto final de cenários 1. Renováveis dominantes Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  11. 11. Conjunto final de cenários 2. Não renováveis e bioenergia centralizadas • Condicionantes - investimento em renováveis tarda em dar os seus frutos, contrastando com o sucesso das tecnologias de captura e sequestro de carbono associado ao recurso ao carvão e gás - o baixo custo, ainda que acrescido da captura e sequestro de carbono, e a disponibilidade destas fontes, às quais se junta o urânio, leva a que assumam um papel preponderante na produção em larga escala de hidrogénio - renováveis, à excepção da biomassa e biogás, relegadas para segundo plano na produção de hidrogénio, uma vez que os progressos tecnológicos não possibilitaram que se tornassem competitivas nesta área, resumindo o seu papel à produção de electricidade para a rede Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  12. 12. Conjunto final de cenários 2. Não renováveis e bioenergia centralizadas Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  13. 13. Conjunto final de cenários 3. Electricidade descentralizada • Condicionantes - electricidade domina o panorama energético, sendo as energias renováveis as suas principais fontes primárias Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  14. 14. Conjunto final de cenários 3. Electricidade descentralizada Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  15. 15. Conjunto final de cenários 4. Gás natural descentralizado • Condicionantes - gás natural assume um papel cada vez mais importante no mix energético nacional, sendo a principal fonte para a produção de hidrogénio - alastramento do hidrogénio aos diversos sectores contido pelos seus preços elevados, essencialmente devido aos custos associados à captura e sequestro de carbono, quando produzido descentralizadamente a partir de combustíveis fósseis Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  16. 16. Conjunto final de cenários 4. Gás natural descentralizado Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  17. 17. Conjunto final de cenários 5. Pequena escala e combustíveis líquidos • Condicionantes - desenvolvimento tecnológico na área das renováveis não permitiram um significativo abatimento do preço da produção desta energia capaz de competir em larga escala com os preços do gás natural e carvão - dados os elevados custos associados à criação de grandes infra-estruturas para a economia do hidrogénio, o país opta pela sua produção em pequena escala - utilização directa de algumas fontes primárias de energia ainda é mais barata e gera menos emissões do que a sua conversão em hidrogénio para muitas das aplicações Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  18. 18. Conjunto final de cenários 5. Pequena escala e combustíveis líquidos Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  19. 19. Projecto EDEN • Que futuro para o hidrogénio em Portugal? • Que cenários julgam mais realistas? • Há algum cenário claramente a rejeitar? • Podem as renováveis assegurar o monopólio da produção de hidrogénio? • São os transportes o uso final mais óbvio e competitivo para o hidrogénio? Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007
  20. 20. Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal http://www.rgesd-sustcomm.org/hi-po Contactos Tomás Rei Fernandes – reifernandes@ist.utl.pt Rui Pimenta – ruipimenta@ist.utl.pt Desenvolvimento de Cenários para o Hidrogénio em Portugal FEUP, Porto, 28 de Março de 2007

×