Estresse no ambiente corporativo                                               Eleutério Gustavo Correia AlecrimIntrodução...
pessoas e nos fatores psicológicos dos colaboradores, teorias das relaçõeshumanas, estudos comportamentalista e sobre tudo...
Pois, conforme Chiavenato, destaca, sobre o que diz respeito à teoria dascontingências, não existe uma melhor maneira de o...
The Definitive History of the World’s Most Colorful Company, San Francisco,California: No Starch Press, 2004.CHIAVENATO, I...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Estresse corporativo

435 views

Published on

Texto apresentado no curso da FGV online para a cadeira de Psicologia organizacional.

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
435
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estresse corporativo

  1. 1. Estresse no ambiente corporativo Eleutério Gustavo Correia AlecrimIntroduçãoNo mundo contemporâneo, a capacidade de inovação e trabalho mental multiplica-se a necessidade das organizações de buscarem dentro do mercado suasdiferenciações e consequentemente, aumento da receita, fidelização do cliente edescoberta/criação de novos nichos de mercado. Assim, fica inevitável, o estresseocupacional, onde o indivíduo se vê com um grande volume de cobranças sobresuas entregas mentais, que serão insumos para o processo de inovação e criaçãoda empresa.Estudos recentes mostram que a patologia mental é uma das mais preocupantes nomundo atual, onde altos índices de mortalidade associam-se a suicídios na Europa(The Lancet, Vol. 379 No. 9820 pp 1005-1012).Causas e consequências do estresse“A insegurança nas relações de trabalho, as metas super dimensionadas, o nível decobrança excessiva, o quadro de funcionários aquém das necessidades dainstituição e dificuldades nas relações pessoais, bem como algumas das principaiscausas de tensão excessiva no ambiente de trabalho, são situações capazes deexplicar níveis importantes de estresse para esta categoria funcional.” (Revista deCiências da Administração • v. 10, n. 21, p. 175-196, mai./ago. 2008)Tais níveis de estresse cominam de um cenário complexo e altamente exigente,onde níveis de qualidade são necessários, curto espaço de tempo e competiçãoentre setores e empresas, faz com que o indivíduo, principalmente executivos,desperte condições mentais turbulentas e associadas a um agravo sistêmico àsaúde mental. Os estudos já apontam que tais associações são causas deaposentadorias forçadas e invalidez temporária? Levando a perda de produtividadedo indivíduo e consequentemente a falha dos níveis empresariais esperados.As novas escolas de administração estão focadas no desenvolvimento de gestão de 1
  2. 2. pessoas e nos fatores psicológicos dos colaboradores, teorias das relaçõeshumanas, estudos comportamentalista e sobre tudo a teoria geral de sistemas ondesegundo Chiavenato, as organizações são vistas como um sistema abertocompostos de subsistemas e em constante interação com seu meio ambiente.Influências na qualidade de vida dos profissionais e na dinâmicaorganizacionalGrandes corporações, já adotam modelos administrativos mais inovadores, ondebuscam trazer para os seus colaborados, condições psicológicas melhores, como:Melhores ambientes de trabalho, áreas do RH voltadas para um suporte pessoal aocolaborador, como: Psicólogos, Nutricionistas, Dep. Jurídico, áreas de lazer quepossibilitam a interação e participação dos grupos sociais existentes naorganização, e etc...Tais modelos, bem sucedidos, como é o caso do Facebok, Google e Microsoft,mostram que a capacitação, juntamente com tais condições, produzem um negócioaltamente produtivo e rentável. Pois, levemos em consideração que assim como apolítica da Apple em sua reestruturação da Apple em 1997, onde passou a adotarum modelo de negócio mais inovador e agressivo. A empresa demitiu grande partede seus colaboradores e adotou uma nova política de perfil para contratação paraas equipes de criação (Linzmayer, 2004). Onde o perfil científico empreendedor erao alvo para a descoberta de talentos. Assim, com novos talentos, qualidade de vidae fatores ambientais higiênicos e motivacionais remodelados, a empresa se tornoua mais rentável na história da tecnologia.Sugestão de práticas institucionais para solução do problemaOs modelos institucionais, voltados para as novas escolas de administração, que sedesenvolveram com base na teoria das relações humanas, é sem dúvida o maisadequado para as situações no mundo contemporâneo. 2
  3. 3. Pois, conforme Chiavenato, destaca, sobre o que diz respeito à teoria dascontingências, não existe uma melhor maneira de organizar; se uma forma eficientede organizar foi eficiente em uma situação, isso não significa que ela será eficienteem todas as situações. Assim, podemos observar, que desde toda a história daadministração, desde a teoria clássica de Fayol até as conclusões e hipóteses dehoje, que, sempre o ser humano é tema extremamente importante no tema.ConclusãoO estresse hoje faz parte da vida do ser humano. Porém, tal condição, deve seradministrada e gerenciada para ser extinguida no menor período possível. Fazendocom que as condições extremas não prejudiquem o indivíduo. Algumasorganizações já desenvolveram a cultura organizacional e a consciência corporativaa respeito dos níveis de estresse aceitos dentro das empresas. Os própriosfuncionários se monitoram e auxiliam na resolução de problemas, seja profissionaisou pessoais. A cada dia a sociedade dá maior importância ao tema.A retenção de talentos e profissionais chave no plano de negócios da empresadependem, e muito do gerenciamento do estresse dentro da organização.Condições financeiras deixaram de ser o principal interesse dos executivos, visto omundo de oportunidades de mercado, onde as condições de trabalho e a carga decobranças e metas passou a ser parte importante da balança.Acredito que em alguns anos a mais voltemos a olhar para o Homem, seja de formacultural, racional ou intelectual. Passaremos ao período “neoiluminista”.Referências bibliográficasThe Lancet, Vol. 379 No. 9820 pp 1005-1012Revista de Ciências da Administração • v. 10, n. 21, p. 175-196, mai./ago. 2008LINZMAYER, Owen W.: Apple Confidential 2.0: 3
  4. 4. The Definitive History of the World’s Most Colorful Company, San Francisco,California: No Starch Press, 2004.CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos novos tempos. São Paulo: MarkronBrooks, 1999. 4

×