Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Estudo social e parecer social

22,568 views

Published on

Published in: Education
  • Sou estudante de serviço Social e gostaria que mandassem um relatório e u parecer social NÂO favorável pra eu ter uma ideia de como elaborar o meu
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Estudo social e parecer social

  1. 1. SUBJETIVIDADE NA ELABORAÇÃO DOS INSTRUMENTOS TÉCNICOS DO SERVIÇO SOCIAL: ESTUDO SOCIAL E PARECER SOCIAL. MARIA DE FATIMA SILVA DE OLIVEIRA. 1- Navegar e construir o barco ao mesmo tempo. Carlos Sluzki 2 - Não há nada fora de nossas mentes: TUDO SÃO INTERPRETAÇÕES. Humberto Maturana.
  2. 2. GERÊNCIA SOCIAL: FERRAMENTAS DE INTERVENÇÃO HELOISA PRIMAVERA. I - Habilidades PROCESSUAIS do Gerente Social: • Administrar a incerteza; • Articular os recursos existentes em rede de ajuda; • Exercitar permanentemente a capacidade de conciliação; • Utilizar a tecnologia apropriada para cada contexto; • Agir para o compromisso com os resultados desejados.
  3. 3.  II – Habilidades RELACIONAIS do Gerente Social:  Estabelecer relações;  Escutar o outro como legítimo;  Construir consenso para definir a ação; e  Acompanhar, sustentada e responsavelmente, os processos acordados.
  4. 4.  III – Habilidades ATITUDINAIS do Gerente Social:  Mudanças no Paradigma: Tradicional: Novo: Conflitos............................ Diferenças Culpa, justificativas ........... A pergunta sobre minha responsabilidade Jogo de “ter razão”.............Jogo “ter resultados” Problemas ......................... Projetos.
  5. 5. CURIOSIDADE CONSTRUTIVA:O QUÊ DEVEMOS PESQUISAR?  Quem é o educando? O paciente? O Usuário?  Sua história de vida esta pautada em que contexto social, familiar e econômico?  Quais suas principais demandas psicológicas, sociais e físicas?  Qual a sua capacidade de cumprir uma medida sócio educativa, uma terapia, um tratamento de saúde...?  Como esta sendo elaborado seu projeto de vida? Seu projeto terapeutico?  Quais os recursos necessários para execução de seu Projeto de vida? A família está contribuindo material e afetivamente? Como contribuir nesta construção?
  6. 6. COMO PESQUISAR INFORMAÇÕES RELEVANTES?  Entrevistas diretivas (Ferramenta – Relação de Ajuda);  Estudo do prontuário, que deverá estar organizado. Os registros dos profissionais deverá obedecer ordem cronológica;  Visita domiciliar;  Visita e/ou contato Institucional;  Reunião de Equipe multiprofissional (estudo de caso);  Pesquisa de arquivos (eletrônico e ou “morto”)
  7. 7. AO SE REALIZAR UM ESTUDO SOCIAL, QUAIS OS OBJETIVOS A ALCANÇAR E COM QUAIS FINALIDADES?  Em que os registros dos dados irão contribuir?  Quais os profissionais que terão acesso a esses dados? O que é relevante para cada um?  O que devo registrar para que minha sugestão seja acatada pelos demais profissionais, durante o processo de decisão?  Minhas sugestões são viáveis?Quem iria viabilizá-las? Com que recurso? Onde? Quando?  O que a rede social(Políticas Públicas), está oferecendo para que seja atendida as demandas do educando, do paciente ou usuário? 
  8. 8. O QUE ENVIAR? O ESTUDO SOCIAL OU PARECER SOCIAL?  A Equipe de Profissionais deverá decidir, considerando a Missão, a Proposta de trabalho e a Demanda dos atendimentos da Instituição.  Observa-se que: Em todo Estudo Social há um Parecer do ou dos profissional(is) e para se fazer o Parecer Social é necessário a realização do Estudo Social. Estão amalgamados.  Exemplos: Processo de adoção – o ideal é o envio do Estudo Social com Pareceres dos Profissionais tecnicamente fundamentados. Processo de desligamento de um adolescente que já cumpre medida há 3 anos, o ideal é um Parecer da Equipe, atendendo os requisitos básicos exigidos pela Justiça.
  9. 9. COMO RELATAR?  A escrita é um meio de comunicação, portanto irá ser interpretada, os termos deverão ser claros, contextualizados na linguagem técnica do profissional, de forma objetiva.  Os formulários padrões utilizados na Instituição deverão ser analisados, o profissional deverá compreender a razão de cada item e a importância de seu preenchimento.  Os itens que requerem relatos, deverão seguir as normas de uma redação, para que fique claro ao leitor: Introdução – Desenvolvimento – Conclusão (do assunto). Evitar parágrafos longos e confusos. Organizando as informações de forma lógica.  Relatos complexos, o resumo deverá ter uma seqüência temporal, fica mais fácil de se compreender.
  10. 10. COMO RELATAR O PARECER DO PROFISSIONAL.  A escrita é dissertativa, o profissional irá expor seu parecer sobre o que pesquisou, fará uma exposição do que está concluindo, argumentando tecnicamente sua conclusão e sugestão.  Ao iniciar o Parecer, o profissional deverá definir com segurança o que pretende com o seu relato Exemplo – Liberar o adolescente da m.s.e.? Dar continuidade à medida e solicitar que as autoridades competentes tomem uma decisão mais efetiva?
  11. 11. ROTEIRO BÁSICO PARA ESTUDO SOCIAL:  Identificação;  Situação jurídica / saúde ...(área de atuação);  Contexto Social e Familiar;  Aspectos da saúde física e mental;  Desenvolvimento Educativo;  Aspectos comportamentais;  Relacionamento Interpessoal;  Crescimento pessoal e auto-avaliação;  Proposta de atendimento realizados e a realizar;  Encaminhamentos (Incompletude Institucional) para rede social.  Conclusão (apresentar o Parecer da Equipe com Sugestões).
  12. 12. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
  13. 13. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.
  14. 14. SÍNTESE DO ECA: DOUTRINA DA SITUAÇÃO IRREGULAR PARA DOUTRINA DA PROTEÇÃO INTEGRAL
  15. 15. TECENDO A REDE DE ATENDIMENTO: POLÍTICAS PÚBLICAS.
  16. 16. BRASIS GILTON DELLA CELLA E ALEXANDRE MORENO  Nos somos um pais e dois brasis  Um que é a casa-grade e o outro da senzala  Brasil de senhores e plebeus  Um que sabe dize não outro que consente e cala  Brasil de poeta e seresteiro  Do aboio do vaqueiro  O que existe de mais belo  Brasil suas leis e utopias  Pois só prende e sentencia o ladrão pé de chinelo  Brasil de alphavilles e favelas  De obesos e magrelas  Da fome e da feijoada  Brasil que anda na contra mão  Onde o povo tem razão  Ma sem ter direito a nada
  17. 17.  Brasil do batuque e do pandeiro  Repentista e violeiro  Do luar lá do sertão  Brasil de fanático e ateu  Te amar é problema meu  O resto é contradição  Tudo isso é o Brasil e sua gente  Tem que botar fé pra torná-lo diferente  Chega de tristeza, para de sofrer  Deus é brasileiro e a esperança não vai morrer.

×