Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Trab1

1,110 views

Published on

  • Be the first to comment

Trab1

  1. 1. PAULO FREIRE: UM EDUCADOR DE VISÃO POPULAR TRABALHO REALIZADO POR: BEATRIZ FERREIRA DANIELA GONÇALVES UC: SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO PROFSSIONAL I
  2. 2. ÍNDICE
  3. 3. Paulo Reglus Neves Freire, educador brasileiro. Nasceu no dia 19 de setembro de 1921, no Recife, Pernambuco. Filho de Joaquim Temístocles Freire, capitão da Polícia Militar de Pernambuco e de Edeltrudes Neves Freire. Freire teve cinco filhos com a professora primária Elza Maia Costa Oliveira. Após a morte da sua primeira mulher, casou-se com uma ex-aluna, Ana Maria Araújo Freire. Com ela viveu até morrer, vítima de enfarte, no dia 2 de maio de 1997 em São Paulo.
  4. 4. O SEU CONTRIBUTO PARA A EDUCAÇÃO Paulo Freire, tornou-se uma inspiração para gerações de professores devido ao seu empenho em ensinar os mais pobres, especialmente, na América Latina e na África. Pelo mesmo motivo, sofreu perseguição do regime militar no Brasil (1964-1985), sendo preso e forçado ao exílio. Paulo Freire é considerado um dos pensadores mais notáveis na história da Pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica.
  5. 5. O seu talento como escritor, ajudou-o a conquistar um amplo público de pedagogos, cientistas sociais, teólogos e militantes políticos. A partir das suas primeiras experiências no Rio Grande do Norte, em 1963, ensinou 300 adultos a ler e a escrever em 45 dias, Paulo Freire desenvolveu um método inovador de alfabetização, adotado primeiramente em Pernambuco.
  6. 6. A carreira no Brasil foi interrompida pelo golpe militar de 31 de março de 1964. Acusado de subversão, ele passou 72 dias na prisão e, em seguida, partiu para o exílio. No Chile, trabalhou por cinco anos no Instituto Chileno para a Reforma Agrária (ICIRA). Nesse período, escreveu o seu principal livro: Pedagogia do Oprimido (1968).
  7. 7. Em 1969, lecionou na Universidade de Harvard (Estados Unidos), e, na década de 1970, foi consultor do Conselho Mundial das Igrejas (CMI), em Genebra (Suíça). Nesse período, deu consultoria educacional a governos de países pobres, a maioria no continente africano, que viviam na época um processo de independência.
  8. 8. No final de 1971, Freire fez a sua primeira visita a Zâmbia e Tanzânia. Em seguida, passou a ter uma participação mais significativa na educação de Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe. E também influenciou as experiências de Angola e Moçambique.
  9. 9. Em 1980, depois de 16 anos de exílio, retornou ao Brasil, onde escreveu dois livros tidos como fundamentais na sua obra: - Pedagogia da Esperança (1992) - À Sombra desta Mangueira (1995).
  10. 10. Freire recebeu prémios como: - Educação para a Paz (das Nações Unidas, 1986); - Educador dos Continentes (da Organização dos Estados Americanos, 1992).
  11. 11. PEDAGOGIA Paulo Escrito por DA AUTONOMIA Freire em 1996, na cidade de São Paulo. Contendo três capítulos onde são abordados considerações sobre o processo escolar.
  12. 12. PONTOS COMUNS COM OUTRO PEDAGOGO Professor José Pacheco Especialista em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Coordenou desde 1976 a Escola da Ponte da qual é idealizador, instituição que se notabilizou pelo projeto educativo baseado na autonomia dos estudantes. É autor de livros e de diversos artigos sobre educação, definindo-se como "um louco com noções de prática". http://youtu.be/Ad3cRwbI4DU
  13. 13. CONSIDERAÇÕES FINAIS “A Educação não transforma o Mundo. A Educação muda pessoas. Pessoas transformam o Mundo” PAULO FREIRE
  14. 14. BIBLIOGRAFIA Links: http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/mentor-educacao-consciencia-423220.shtml http://www.anped.org.br/reunioes/31ra/1trabalho/gt06-4007--int.pdf http://pensador.uol.com.br/autor/paulo_freire/ http://educampoparaense.org/site/media/biblioteca/pdf/18O_METODO_PAULO_FREIRE.pdf ANDREOLA, Balduíno Antônio.(1984). Contribuição da pedagogia de Paulo Freire para o diálogo intercultural. Educação e Realidade, São Paulo, mai./ago.

×