Funções sintáticas

69,935 views

Published on

Funções sintáticas

Funções sintáticas

  1. 1. AS FUNÇÕES SINTÁTICAS Sujeito – constituinte da frase que controla a concordância verbal Sujeito nulo SujeitoSujeito compostsimples o Sujeito Sujeito Sujeito subentendid o indeterminado expletivo ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  2. 2. FUNÇÕES SINTÁTICAS Sujeito simplesConstituído por um grupo nominal ou por uma oraçãoA Rita escreve bem. Sujeito composto Constituído por uma coordenação de grupos nominais ou de orações • A Inês e a Rita escrevem bem. • Quem leu o livro e viu o filme ficou desiludido. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  3. 3. FUNÇÕES SINTÁTICAS Sujeito nulo Não está realizado lexicalmente através de um grupo nominal ou de uma frase Sujeito Sujeito subentendido Sujeito expletivo ou indeterminado inexistente Não está expresso, mas, pelo Não se sabe Ocorre com contexto, sabe-se quem pratica a verbos quem pratica a ação. ação. impessoais. Adormeceram cedo. Bateram à porta. Chove torrencialmente. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  4. 4. * Predicado Função sintática desempenhada pelo grupo verbal (verbo + complementos e modificadores)A Joana come uma maçã. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  5. 5. FUNÇÕES SINTÁTICAS Funções sintáticas internas ao grupo verbal Complement Complement o direto o agente da passiva Complement o indireto Predicativo do sujeito Complement Predicativo o oblíquo do Modificador complemento direto ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  6. 6. FUNÇÕES SINTÁTICAS Complemento direto Elemento diretamente ligado a um verbo transitivo direto. Pode ser substituído pelo pronome pessoal “o”, “a”, “os”, “as”Ontem vi um ET. Ontem vi-o. Complemento indireto Elemento indiretamente ligado a um verbo transitivo por meio da preposição “a” Pode ser substituído pelo pronome pessoal “lhe”, “lhes”.A Maria deu um livro ao Pedro. A Maria deu-lhe um livro. Complemento oblíquo Constituinte obrigatório que pode apresentar a forma de grupo preposicional (GP) ou de grupo adverbial (GA) . Não pode ser substituído pelo pronome pessoal “lhe”, “lhes”. * O pai viajou de comboio. O pai viajou-lhe. * O pai mora ali. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  7. 7. Complemento agente da passivaGrupo preposicional introduzido pela preposição “por”, que, na fraseativa correspondente, passa a grupo nominal com função de sujeito.A baleia foi encontrada por um pescador.Predicativo do sujeitoSurge na oração junto de verbos copulativos(ser, estar, ficar, permanecer, parecer…) e que estabelece uma relação de sentidocom o sujeito. Pode ser um GN, GP, G Adv ou G Adj.O Rui está contente. Ele está ali.Predicativo do complemento diretoÉ o elemento que se junta ao complemento direto de verbos comoconsiderar e eleger.A assembleia nomeou o João presidente. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  8. 8. Complementos do nomeSão os elementos que, pela íntima relação que têm com o nome lhe alteram osentido, caso sejam retirados; aparecem à direita do nome e são constituintesobrigatórios.* Pode ser formado por grupo preposicional que restringe a realidade do nome:A visita de estudo correu bem.Conheci o autor do livro que me ofereceste* Um adjetivo colocado à direita do nome, formando uma unidade de sentido.A carta topográfica estava errada.. Modificador Constituinte opcional, não selecionado pelo núcleo do grupo sintático de que depende. Os alunos foram ontem a uma visita de estudo. Vi ali um bicho. A professora leu o texto pausadamente. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  9. 9. Modificador do nomeÉ uma função sintática facultativa desempenhada por grupos de palavras quemodifica o nome. Pode ser:* Apositivo – é um constituinte do grupo nominal que presta informação adicional, sempre isolado por vírgulas. Pode um GN, um G adj ou um GP ou uma oração subordinada relativa explicativa.As castanhas, grandes e saborosas, aparecem no outono.O jovem , que era atento e trabalhador, obteve bons resultados.* Restritivo – é um constituinte do grupo nominal que se situa normalmente à direita do nome e que não pode aparecer separado por vírgulas. Pode ser um adjetivo, um grupo preposicional ou uma oração subordinada relativa restritiva.O cão vadio dormia na rua.O passeio de bicicleta foi interessante.Os jornais que li ontem eram de desporto. ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011.
  10. 10. Modificador da fraseIncrivelmente, fui ao cinema.* Não pode ser interrogado (* Onde foste Incrivelmente?)* Não pode ser negado (* Fui ao cinema não incrivelmente, mas felizmente.)Modificador do grupo verbalOntem fui ao cinema.* Pode ser interrogado. (Onde foste ontem?)* Pode ser negado. (Fui ao cinema não ontem, mas anteontem.) ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011
  11. 11. VocativoO vocativo é a função que identifica o interlocutor e que ocorrefrequentemente em frase imperativa, exclamativas e interrogativas.Funciona como aposição ao sujeito, expresso ousubentendido, aparecendo sempre isolado por vírgulas.* Maria, faz-me um favor.* Já te disse, filho, para estudares!* Vais amanhã ao cinema, Júlio? ERMELINDA CORREIA E MARGARIDA CLARO, 11/2011

×