Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Grupo 02 tr15 ana lucia gestã£o comunicativa

1,927 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Grupo 02 tr15 ana lucia gestã£o comunicativa

  1. 1. “ Caminhos da gestão comunicativa como prática da Educomunicação” Ismar de Oliveira Soares Ana Lúcia Mendes Lopes [email_address] GRUPO 2 Luciana, Thaisa, Wania, Ana Lúcia In: Baccega MA, Costa MC, Gestão da Comunicação: Epistemologia e Pesquisa Teórica
  2. 2. Educomunicação <ul><li>“ Conjunto de ações inerentes ao planejamento, implementação e avaliação de processos comunicativos , assim como de programas e produtos com intencionalidade educativa , destinados a criar e fortalecer ecossistemas comunicativos abertos , criativos, sob a perspectiva da gestão compartilhada e democrática dos recursos da informação” </li></ul>Ismar de Oliveira Soares, 2000 1999: Reconhecimento da Educomunicação como campo de intervenção social e do educomunicador como novo profissional
  3. 3. Abrangência de intervenção <ul><li>Políticas públicas </li></ul><ul><li>ONGs </li></ul><ul><li>ler a mídia a partir do lugar social de cada indivíduo </li></ul><ul><li>processos de natureza freiriana dialéticos, construtivistas e participativos </li></ul><ul><li>laboratório de metodologias e procedimentos </li></ul><ul><li>combate à violência </li></ul><ul><li>formação de professores </li></ul><ul><li>empregabilidade, educomunicação socioambiental </li></ul><ul><li>programa de educação continuada </li></ul><ul><li>inter-relação mídia-educação. </li></ul>
  4. 4. ONGs Criado em abril de 2002, o MIDIATIVA é uma associação civil sem fins lucrativos, formada por um grupo multiprofissional e multidisciplinar que atua nas áreas da Comunicação, Cultura e da Educação. A Rede CEP promove, qualifica e dissemina as metodologias das organizações, como forma de influenciar a sua adoção por políticas públicas dirigidas, prioritariamente, a crianças e jovens de todo o Brasil.
  5. 5. Abrangência de intervenção <ul><li>Universidade </li></ul><ul><li>Espaços formais de educação </li></ul><ul><li>Sistema de meios </li></ul><ul><li>presencial e à distância </li></ul><ul><li>o movimento da comunicação e da educação em busca dos saberes instrumentais de cada área </li></ul><ul><li>introdução de temas transversais nos currículos de graduação </li></ul><ul><li>a criação da Licenciatura na ECA </li></ul><ul><li>Cinco gerações de educomunicadores </li></ul><ul><li>TV Cultura </li></ul><ul><li>Canal Futura </li></ul><ul><li>Jornal da Tarde </li></ul>
  6. 6. Educomunicador – possibilidades de atuação <ul><li>Educação para a comunicação </li></ul><ul><li>Mediação educomunicativa das tecnologias </li></ul><ul><li>Expressão comunicativa através das artes </li></ul><ul><li>Gestão da comunicação nos espaços educativos </li></ul><ul><li>Reflexão epistemológica sobre o novo campo </li></ul><ul><li>Usando os elementos inter-relacionais da comunicação: provocar comportamentos, motivar estados de espírito, estímulo à criatividade e à participação. </li></ul>
  7. 7. Criando o ecossistema comunicativo <ul><li>Espaço social a ser construído, intencionalmente, a partir da vontade política das pessoas envolvidas. </li></ul><ul><li>Ecossistemas abertos e participativos </li></ul><ul><li>A sustentação ao ecossistema se dá pela qualidade da presença dos sujeitos sociais e não apenas pela qualidade das tecnologias </li></ul><ul><li>Organização do ambiente </li></ul><ul><li>Disponibilização de recursos </li></ul><ul><li>Modus faciendi dos envolvidos </li></ul><ul><li>Conjuntos de ações comunicacionais </li></ul>
  8. 8. Implicações da intervenção educomunicativa a serem desvendadas <ul><li>Como tornar a prática educomunicativa significativa para as autoridades sociais uma vez que alunos e professores já a reconhecem? </li></ul><ul><li>Como levar a perspectiva de uma comunicação dialógica para espaços de predomínio da educação formal, marcado pela verticalização das ações comunicativas? </li></ul>
  9. 9. A educomunicação possível <ul><li>Educação formal: espaço de desenvolvimento da educomunicação </li></ul>Proposta educomunicativa Administração tradicional Busca de solução <ul><li>Circunstâncias históricas específicas de cada escola </li></ul><ul><li>Natureza dos relacionamentos </li></ul><ul><li>Coerência do processo negociado </li></ul>
  10. 10. Estudo de caso: Educom.rádio (NCE e Prefeitura de São Paulo) <ul><li>Diagnóstico : formar um grande grupo de professores para reduzir a violência em 455 escolas entre 2001 e 2004 </li></ul><ul><li>Definição do conteúdo : universo da prática escolar </li></ul><ul><li>Abordagem :comunicação popular (Paulo Freire) que viabilizasse a autogestão </li></ul><ul><li>Veículo :linguagem radiofônica </li></ul><ul><li>Logística : estudantes,professores, locais, transporte, formação em serviço da equipe,palestrantes, equipamento </li></ul>
  11. 11. Estudo de caso: Educom.rádio (NCE e Prefeitura de São Paulo) <ul><li>Objetivo: diagnosticar a própria realidade , planejando, em equipes multidisciplinares, ações que possibilitariam a criação de políticas públicas expressas pela produção cultural mediada pela linguagem radiofônica, na qual fossem analisados os modos de relacionamento no ambiente escolar </li></ul>
  12. 12. Educomunicador na gestão da comunicação – possibilidades de atuação <ul><li>Criação, implantação e coordenação de políticas de educomunicação no ambiente público e privado </li></ul><ul><li>Assessorar o sistema de meios de informação no desenvolvimento de processos da área da comunicação educativa </li></ul><ul><li>Assessorar o sistema educativo a planejar e implantar métodos tecnológicos facilitadores da produção e difusão de conhecimento </li></ul><ul><li>Pesquisar fenômenos próprios da inter-relação Comunicação/ Educação. </li></ul>

×