Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
GEOMETRIA DESCRITIVA A 11.º Ano Problemas Métricos Ângulo entre Recta e Plano ©   antónio de campos, 2010
GENERALIDADES O  ângulo entre uma recta e um plano  é o ângulo formado entre a recta dada e a projecção ortogonal da recta...
r I p P’ r’ θº P α P’’ θ 1 º I’ r’’ β Se uma recta r faz um ângulo θ com um dado plano α, qualquer recta paralela à recta ...
Ângulo entre uma Recta Horizontal e o Plano Frontal de Projecção Pretende-se a  V.G.  do ângulo formado entre uma recta ho...
Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano Horizontal Pretende-se a  V.G.  do ângulo formado entre uma recta  r  e um plano...
É dada uma recta frontal  f , definida pelos pontos  A  (3; 2; -1) e  B  (-2; 2; 5). Determina a  V.G.  do ângulo entre a ...
É dada uma recta oblíqua  r , definida pelos pontos  A  (2; -1; 2) e  B  (-3; 4; 5). É dado um plano frontal φ, que tem 2 ...
Ângulo entre uma Recta de Perfil e um Plano Frontal Pretende-se a  V.G.  do ângulo formado entre uma recta de perfil  p  e...
É dada uma recta de perfil  p , definida pelos pontos  M  (4; 5) e  N  (2; 1). É dado um plano horizontal υ, que tem 3 cm ...
Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano Vertical Pretende-se a  V.G.  do ângulo formado entre uma recta oblíqua  r  e um...
É dada uma recta oblíqua  r , paralela ao β 1,3 ,  contém o ponto  A  (0; 3; 4) e a sua projecção frontal faz um ângulo de...
α 90º - θº θº θº r p s r’ P P’ I Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano Oblíquo Utilizando o  método geral para a deter...
Pretende-se a  V.G.  do ângulo formado entre uma recta oblíqua  r  e um plano oblíquo δ. r 1 r 2 f δ Utilizando o  método ...
É dada uma recta oblíqua  m  contém o ponto  M  (0; 4; 5). A projecção horizontal da recta  m  faz um ângulo de 30º (a.e.)...
Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano de Rampa Pretende-se a  V.G.  do ângulo formado entre uma recta oblíqua  r  e um...
Uma recta de perfil  p  é definida pelos pontos  A  (1; 1) e  B  (3; 2). É dado um plano de rampa ρ, com o seu traço horiz...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Pmarectaplano

2,380 views

Published on

  • Be the first to comment

Pmarectaplano

  1. 1. GEOMETRIA DESCRITIVA A 11.º Ano Problemas Métricos Ângulo entre Recta e Plano © antónio de campos, 2010
  2. 2. GENERALIDADES O ângulo entre uma recta e um plano é o ângulo formado entre a recta dada e a projecção ortogonal da recta sobre o plano. r I p P’ r’ θº P α
  3. 3. r I p P’ r’ θº P α P’’ θ 1 º I’ r’’ β Se uma recta r faz um ângulo θ com um dado plano α, qualquer recta paralela à recta r fará o mesmo ângulo com qualquer plano paralelo ao plano α.
  4. 4. Ângulo entre uma Recta Horizontal e o Plano Frontal de Projecção Pretende-se a V.G. do ângulo formado entre uma recta horizontal h e o Plano Frontal de Projecção. h 2 h 1 Determina-se o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano. O ângulo entre a recta h e o Plano Frontal de Projecção é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano. αº x F 1 F 2
  5. 5. Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano Horizontal Pretende-se a V.G. do ângulo formado entre uma recta r e um plano horizontal υ. r 1 Determina-se o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano, rebatendo a recta r . O ângulo entre a recta r e o plano horizontal υ é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano, ou seja entre a r r e a r 1r . r 2 (f υ ) ≡ e 1 ≡ e 2 ≡ H r r r ≡ r 1r αº x H 1 H 2 A 1 A 2 A r
  6. 6. É dada uma recta frontal f , definida pelos pontos A (3; 2; -1) e B (-2; 2; 5). Determina a V.G. do ângulo entre a recta f e o Plano Horizontal de Projecção. f 1 f 2 Determina-se o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano. O ângulo entre a recta f e o Plano Horizontal de Projecção é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano. αº x y ≡ z A 1 A 2 B 1 B 2 H 1 H 2
  7. 7. É dada uma recta oblíqua r , definida pelos pontos A (2; -1; 2) e B (-3; 4; 5). É dado um plano frontal φ, que tem 2 cm de afastamento. Determina a V.G. do ângulo entre a recta r e o plano φ. r 1 r 2 (h φ ) Determina-se o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano, rebatendo a recta r . O ângulo entre a recta r e o plano frontal φ é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano. (f υ ) ≡ (e 2 ) e 1 ≡ F r r r αº x y ≡ z A 1 A 2 B 1 B 2 F 1 F 2 B r
  8. 8. Ângulo entre uma Recta de Perfil e um Plano Frontal Pretende-se a V.G. do ângulo formado entre uma recta de perfil p e um plano frontal φ. Primeiro há que rebater a recta de perfil para determinar o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano. O ângulo entre a recta p e o plano frontal φ é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano, ou seja entre a p r e a p 2r . p 1 ≡ p 2 (h φ ) ≡ e 2 ≡ (e 1 ) p r ≡ F 2 ≡ p 2r αº x A 1 B 2 A 2 B 1 A r B r F 1 F r
  9. 9. É dada uma recta de perfil p , definida pelos pontos M (4; 5) e N (2; 1). É dado um plano horizontal υ, que tem 3 cm de cota. Determina a V.G. do ângulo entre a recta p e o plano υ. p1 ≡ p 2 (f υ ) Primeiro há que rebater a recta de perfil para determinar o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano. O ângulo entre a recta p e o plano horizontal υ é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano, seja entre p r e h πr com vértice em H r . (e 1 ) ≡ f π ≡ h π ≡ e 2 ≡ h πr ≡ f πr p r αº x M 1 M 2 N 1 N 2 M r N r H r
  10. 10. Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano Vertical Pretende-se a V.G. do ângulo formado entre uma recta oblíqua r e um plano vertical α. r 2 r 1 f α h α Determina-se o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano. O ângulo entre a recta r e o plano α é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano, ou seja entre r r e r’ r com vértice em I r . p 1 p 2 ≡ r’ 1 r’ 2 ≡ (f υ ) ≡ e 2 ≡ e 1 ≡ P’ r ≡ P r r r ≡ r’ r θº x I 1 I 2 P 1 P 2 P’ 1 P’ 2 I r1 I r
  11. 11. É dada uma recta oblíqua r , paralela ao β 1,3 , contém o ponto A (0; 3; 4) e a sua projecção frontal faz um ângulo de 30º (a.d.) com o eixo x. É dado um plano de topo θ, que faz um diedro de 30º (a.e.) com o Plano Horizontal de Projecção e corta o eixo x num ponto com –2 cm de abcissa. Determina a V.G. do ângulo entre a recta r e o plano θ. r 2 r 1 h θ f θ Determina-se o ponto de intersecção da recta com o plano. Determina-se a projecção ortogonal da recta sobre o plano. O ângulo entre a recta r e o plano α é o ângulo entre a recta e a sua projecção ortogonal no plano, ou seja entre r r e r’ r com vértice em I r . p 2 p 1 r’ 1 ≡ r’ 2 ≡ (h φ ) ≡ e 1 ≡ e 2 ≡ A’ r ≡ A r ≡ r’ r r r αº x y ≡ z A 1 A 2 I 1 I 2 A’ 1 A’ 2 I r1 I r
  12. 12. α 90º - θº θº θº r p s r’ P P’ I Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano Oblíquo Utilizando o método geral para a determinação de ângulos entre rectas e planos resulta numa enorme complexidade de traçados, sendo mais adequado o método do ângulo complementar . Tal solução é sempre preferível quando o plano é não projectante. É conduzida por um ponto qualquer P da recta r , uma recta p ortogonal ao plano α. Determina-se o ângulo formado pelas duas rectas, r e p . 90º - θº é a V.G . entre as duas rectas e o ângulo complementar do ângulo pretendido. θº é a V.G . do ângulo entre e recta r e o plano α.
  13. 13. Pretende-se a V.G. do ângulo formado entre uma recta oblíqua r e um plano oblíquo δ. r 1 r 2 f δ Utilizando o método geral para a determinação de ângulos entre rectas e planos resulta numa enorme complexidade de traçados, sendo mais adequado o método do ângulo complementar . Tal solução é sempre preferível quando o plano é não projectante. É conduzida por um ponto qualquer P da recta r , uma recta p ortogonal ao plano δ. Determina-se o ângulo formado pelas duas rectas, r e p , via rebatimento. 90º - βº é a V.G . entre as duas rectas e o ângulo complementar do ângulo pretendido. βº é a V.G . do ângulo entre e recta r e o plano δ. p 2 p 1 (h φ ) ≡ e 1 e 2 ≡ B r ≡ A r p r r r 90º-βº βº h δ x P 1 P 2 B 1 B 2 A 1 A 2 P r1 P r
  14. 14. É dada uma recta oblíqua m contém o ponto M (0; 4; 5). A projecção horizontal da recta m faz um ângulo de 30º (a.e.) com o eixo x e a sua projecção frontal faz um ângulo de 45º (a.e.) com o eixo x. É dado um plano oblíquo δ, ortogonal ao β 1,3 , intersecta o eixo x num ponto com 2 cm de abcissa e o seu traço horizontal faz um ângulo de 30º (a.d.) com o eixo x. Determina a V.G. do ângulo entre a recta m e o plano δ. m 1 m 2 h δ f δ Utilizando o método geral para a determinação de ângulos entre rectas e planos resulta numa enorme complexidade de traçados, sendo mais adequado o método do ângulo complementar . Tal solução é sempre preferível quando o plano é não projectante. É conduzida pelo um ponto M da recta m , uma recta p ortogonal ao plano δ. Determina-se o ângulo formado pelas duas rectas, m e p , via rebatimento. 90º - αº é a V.G . entre as duas rectas e o ângulo complementar do ângulo pretendido. αº é a V.G . do ângulo entre e recta m e o plano δ. p 1 (h φ ) p 2 ≡ e 1 e 2 ≡ A r ≡ B r m r p r 90º- αº αº x y ≡ z M 1 M 2 A 1 A 2 B 1 B 2 M r1 M r
  15. 15. Ângulo entre uma Recta Oblíqua e um Plano de Rampa Pretende-se a V.G. do ângulo formado entre uma recta oblíqua r e um plano de rampa ρ. Uma vez que que se trata de um plano não projectante, será mais adequado o método do ângulo complementar . É conduzida por um ponto qualquer P da recta r , uma recta p ortogonal ao plano ρ . Determina-se o ângulo formado pelas duas rectas, r e p , depois do processo de rebatimento das rectas. O plano π é o plano de perfil que contém a recta p . A recta i é a recta de intersecção entre os planos π e ρ, definida pelos seus traços, F e H . Para determinar a V.G. do ângulo, existe a necessidade de rebater o plano definido pelos duas rectas r e p , para um plano horizontal υ. 90º - βº é a V.G . entre as duas rectas e o ângulo complementar do ângulo pretendido. βº é a V.G . do ângulo entre e recta r e o plano ρ . r 1 r 2 f ρ h ρ p 1 ≡ p 2 ≡ f π ≡ h π ≡ H 2 ≡ i 1 ≡ i 2 ≡ (e 2 ) ≡ e 1 ≡ h πr ≡ f πr ≡ H r i r p r A r (f υ ) ≡ e’ 2 ≡ A r1 ≡ B r e’ 1 p r1 r r1 90º-βº βº x P 1 P 2 F 1 F 2 H 1 P r F r A 1 A 2 B 2 B 1 P r1 P r2
  16. 16. Uma recta de perfil p é definida pelos pontos A (1; 1) e B (3; 2). É dado um plano de rampa ρ, com o seu traço horizontal de 5 cm de afastamento , e o seu traço frontal de 3 cm de cota . Determina a V.G. do ângulo entre a recta p e o plano ρ. p 1 ≡ p 2 h ρ f ρ Neste caso, o processo mais simples é via o processo de mudança do diedro de projecção. É conduzida por um ponto qualquer P da recta r , uma recta p ortogonal ao plano ρ. O ponto C de f ρ é utilizado para determinar o traço do plano ρ no plano 4 . O ângulo entre a recta p e o plano ρ é o ângulo entre p 4 e f 4ρ . p 4 f 4ρ αº x A 1 A 2 B 1 B 2 2 1 x’ 4 1 C 1 C 2 A 4 B 4 C 4

×