Apresentacao Tmi Gardner

3,303 views

Published on

Teoria das Múltiplas Inteligências

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,303
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
100
Actions
Shares
0
Downloads
91
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentacao Tmi Gardner

  1. 1. Universidade Luterana do Brasil Licenciatura em Pedagogia Tutora: Profª. Flávia Peixoto Introdução à Psicopedagogia Acadêmica: Alessandra Fialho da Silva Setembro, 2009.
  2. 2. Introdução à Psicopedagogia: A aprendizagem diante das Inteligências Múltiplas.
  3. 3. Teoria das Inteligências Múltiplas. • Origem: Surgiu no ano de 1983, a partir dos estudos sobre as estruturas da mente, feitos pelo psicólogo norte-americano Howard Gardner, da Universidade de Harward.
  4. 4. Teoria das Inteligências Múltiplas. • Proposta: Modificar a concepção de inteligência utilizada até o momento (testes de Q.I. e formação acadêmica). Segundo a teoria, inteligência deveria ser entendida como “a capacidade que o sujeito tem de resolver problemas ou de criar produtos que sejam valorizados dentro de um ou mais cenários culturais, tendo como base científica, evidências biológicas e antropológicas”.
  5. 5. Teoria das Inteligências Múltiplas. • Consequências para a educação: Necessidade de os professores buscarem novas maneiras de ensinar, levando em consideração a individualidade de cada sujeito. Lançar um novo olhar sobre as possibilidades de aprendizagem dos alunos e das suas competências como seres humanos.
  6. 6. A inteligência humana. O que é inteligência? • Segundo Armstrong, “inteligência é a capacidade de uma pessoa aprender com suas experiências passadas [...], a partir do contexto, das tarefas e das provocações que a vida apresenta”. Para este autor, inteligência nada tem a ver com pontuação em testes de Q.I. ou com a formação acadêmica do sujeito.
  7. 7. A inteligência humana. O que é inteligência? • Antunes afirma que, “a inteligência é a capacidade que faz de cada sujeito um ser único”.
  8. 8. Teoria das Inteligências Múltiplas, de Gardner.
  9. 9. Tipos de Inteligências. • Inteligência cinestésico-corporal: abrange não apenas os músculos, mas o movimento, a agilidade e a destreza das ações corporais amplas. Bem como, os movimentos finos do corpo e às sensações (tato, paladar, audição e olfato).
  10. 10. Tipos de Inteligências. • Inteligência ecológica: também conhecida como biológica ou naturalista. Está ligada à competência do sujeito em perceber a natureza de forma integral e com sua capacidade de se envolver com profunda empatia nos mundos animal e vegetal.
  11. 11. Tipos de Inteligências. • Inteligência espacial ou visuoespacial: capacidade do sujeito de relacionar o próprio espaço com o espaço que o envolve, percebendo e administrando distâncias, pontos de referência e localizando-se geograficamente.
  12. 12. Tipos de Inteligências. • Inteligência intrapessoal: é a habilidade que o sujeito possui para conhecer a si próprio, seus sentimentos, temperamentos e intenções. • Inteligência interpessoal: facilidade para compreender o outro em seus aspectos emocionais e incluir-se com facilidade em diferentes grupos sociais.
  13. 13. Tipos de Inteligências. • Inteligência existencial: está ligada a reflexões de natureza filosófica. Ela é mais evidente nos sujeitos com forte espiritualidade. • Inteligência sonora ou musical: essa inteligência é a que mais cedo se manifesta no ser humano. Está relacionada à sensibilidade aos diversos tipos de sons.
  14. 14. Tipos de Inteligências. • Inteligência lógico-matemática: está ligada à competência em compreender os elementos da linguagem algébrica e numérica. • Inteligência linguística: é aquela ligada ao dom das palavras. Capacidade acentuada de discutir, persuadir, entreter ou instruir com eficácia.
  15. 15. A ação pedagógica e as múltiplas inteligências. • Segundo Antunes: “[...] não existe uma inteligência global que se busca dividir, mas núcleos cerebrais distintos que operam recursos específicos, ainda que o cérebro humano funcione mais ou menos como uma orquestra e áreas diferentes se envolvam para a apresentação de um resultado específico.”
  16. 16. A ação pedagógica e as múltiplas inteligências. É preciso considerar que: • todos os indivíduos (sem distúrbios severos ou disfunções cerebrais) possuem todas as inteligências, ainda que com potenciais diversificados; • todas as inteligências podem ser estimuladas e, a maior parte delas, encontra-se mais sensível ao desenvolvimento dos 2 aos 6 anos de idade;
  17. 17. A ação pedagógica e as múltiplas inteligências. • um aluno pode apresentar dificuldade de aprendizagem que afete uma ou mais inteligências, sem que isso necessariamente implique em um comprometimento integral; • cada inteligência pode ser identificada por diferentes manifestações; • não existe uma única abordagem sobre o trabalho com as múltiplas inteligências em sala de aula;
  18. 18. A ação pedagógica e as múltiplas inteligências. • existem diversos estilos de aprendizagem (auditivo, visual, tátil e cinestésico). Esses estilos estão ligados as inteligências que o sujeito mais desenvolveu. É importante para alunos e professores conheceram seus respectivos estilos de aprendizagem; • cabe ao professor, identificar e respeitar o estilo de aprendizagem de cada um de seus alunos, bem como, auxiliar no desenvolvimento das demais inteligências.
  19. 19. • Exemplo de atividade para envolver toda a classe. • Nível: 3ª Série • Disciplina: Ciências • Objetivo dos alunos: Aprender o processo da fotossíntese através das oito inteligências. • Material disponível: cartazes ou gráficos do processo da fotossíntese, várias fitas de áudio (ou CDs) musicais, aparelho de som, aquarelas, livros de ciências e mudas de plantas. • Procedimentos relativos às inteligências: • [Linguística] Ler o texto do livro que descreve a fotossíntese e aprender o vocabulário adequado. • [Visuoespacial] Pintar o processo da fotossíntese, utilizando aquarelas. • [Musical] Criar uma colagem musical com diferentes peças musicais que representem a seqüência dos passos envolvidos na fotossíntese. • [Intrapessoal] Escrever um tópico de diário que reflita uma experiência pessoalmente transformadora e compará-la à fotossíntese. • [Lógico-Matemática] Criar uma linha de tempo das etapas da fotossíntese. • [Corporal-Cinestésica] Representar, teatralmente, os “personagens” envolvidos no processo da fotossíntese. • [Interpessoal] Discutir, em pequenos grupos, o papel transformativo dos cloroplastos na fotossíntese e traçar paralelos com a vida dos alunos. • [Naturalista] Comparar mudas que crescem com luz suficiente com outras que crescem sem luz adequada.
  20. 20. “Cada pessoa é um sujeito ímpar. E tem forças cognitivas diferentes, aprende de forma e estilos diferentes de outros sujeitos, mesmo que oriundos de uma mesma sociedade ou meio cultural.” (Howard Gardner)
  21. 21. Referências: • Introdução à Psicopedagogia. [Obra] organizada pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Curitiba: Ibpex, 2009. • http://www.psicopedagogia.com • http://inclusaobrasil.blogspot.com

×