Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

TTPP01

546 views

Published on

Aula de 11 e 12/02 da disciplina de Teoria e Técnica da Publicidade 2 da Universidade Católica de Pernambuco.

Published in: Business, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

TTPP01

  1. 1. Origens da Cultura de Consumo<br />A Revolução Industrial<br />Teoria e Técnica II<br />Fernando Fontanella<br />2009.1<br />
  2. 2. Avenida Strand<br />Londres<br />Século XIX<br />
  3. 3. Thomas Carlyle<br />Cronista escocês<br />Século XIX<br />
  4. 4. “O chapeleiro daavenidaStrand, aoinvés de fazerchapéus de feltromelhores do queosoutroschapeleiros, construiu um enormechapéufeito de madeira e gesso, com setepés de altura, colocadosobrerodas; e colocou um homemparaconduzí-lo pelasruas, esperandoassimchamar a atenção.”<br />
  5. 5. Ele nãotentoufazerchapéusmelhores, comoseria o seupapelnessemundo, e o que com essasuaengenhosidadeelepoderiaprovavelmenteterfeito; mastoda a suaindústriavoltou-se paranospersuadir de queelefazosmelhoreschapéus! Elesabeque a enganação é o novo Deus.”<br />Tomas Carlyle - 1846<br />
  6. 6. Carlyle não entendeu bem <br />a mudança que estava ocorrendo<br />O chapeleiro não estava no negócio para<br />fabricar melhores chapéus<br />Ele fabricava chapéus para ganhar dinheiro<br />E descobriu que para isso<br />precisava chamar a atenção dos londrinos<br />
  7. 7. Com a Revolução Industrial<br />aumentou a competição pelos consumidores<br />Os esforços para atraí-los<br />ficaram cada vez mais sofisticados<br />Não importava mais<br />o que a empresa produzia<br />Mas sim o que ela conseguia vender<br />
  8. 8. Máquinas a vapor<br />Maior capacidade produtiva<br />Divisão do trabalho<br />Maior eficiência produtiva<br />Peças substituíveis<br />Produção mais adaptável<br />
  9. 9. Resultados:<br />Redução dos custos de produção<br />Redução dos custos de transporte<br />Redução dos custos de matéria prima<br />
  10. 10. Quantidade maior de produtos<br />Mais baratos<br />Acessíveis a uma parcela<br />cada vez maior da população<br />Qualidade uniforme<br />Competição entre produtos semelhantes<br />
  11. 11. Prudução massiva<br />Distribuída massivamente<br />Para o consumo massivo<br />
  12. 12. Perspectivas<br />Para as empresas<br />
  13. 13. Necessidade de buscar novos mercados<br />Tornou-se viável enviar produtos<br />a pontos cada vez mais distantes<br />A venda não mais acontecia<br />em um ambiente provinciano onde<br />todos conheciam a origem do produto<br />
  14. 14. Ao ser introduzido em uma nova praça<br />o produto da empresa precisa de<br />atrativos para os novos consumidores<br />
  15. 15. Perspectivas<br />Para os consumidores<br />
  16. 16. Para um número cada vez maior<br />de produtos<br />custava menos comprá-los prontos<br />do que produzí-los por conta própria<br />A demanda cresceu e se diversificou<br />Impacto direto no estilo de vida<br />
  17. 17. Aumentou a demanda por<br />ferramentas de diferenciação competitiva<br />Surgiram gradualmente experiências<br />para a promoção de produtos e serviços<br />
  18. 18. Os próprios empresários empreendedores<br />desenvolveram técnicas<br />mais ou menos toscas<br />para destacar seu seus produtos<br />
  19. 19. Thomas J. Barratt<br />1841-1914<br />
  20. 20. Na passagem do século XVIII para o XIX<br />o barbeiro londrino Andrew Pears<br />desenvolveu um processo de purificação<br />para a fabricação de sabão<br />Ele concebeu o primeiro sabão de glicerina<br />
  21. 21. Até então a maioria dos sabões era<br />produzida com o uso de<br />gordura animal, arsênico e chumbo<br />Eram agressivos para a pele<br />O sabonete de Pears<br />tinha aroma agradável<br />e uma atuação mais suave<br />
  22. 22. Depois de 1860 a empresa foi assumida<br />por Tomas Barrat<br />enteado do neto de Pears<br />Barrat buscou o crescimento através<br />da exploração novos mercados<br />Ele transformou a empresa de sua família<br />em uma das primeiras marcas globais<br />
  23. 23.
  24. 24. Barratt entendeu muito cedo a nova lógica:<br />Tão importante quanto criar oferta<br />era criar consumo<br />Ele foi pioneiro no uso massivo de publicidade<br />para promover a exclusividade<br />do sabonete Pears<br />
  25. 25. A marca Pears foi uma referência<br />em sua categoria<br />até a empresa ser comprada pela<br />Lever Brothers<br />na década de 1910<br />
  26. 26. Qualquer idiota pode fabricar sabão.<br />Mas é necessário um homem esperto<br />para vendê-lo.<br />Thomas Barratt<br />
  27. 27. Técnicas de Thomas Barratt:<br />Idealização de relações familiares<br />Apelo ao cuidado das mães com os filhos<br />Uso de imagens de crianças saudáveis<br />Campanhas para classe média<br />e classes populares<br />Uso de testimoniais<br />

×