Os heróis da Reconquista Cristã
D. Afonso Henriques <ul><li>D. Afonso Henriques foi o primeiro Rei de Portugal, governando de 1128 a 1185.  </li></ul><ul>...
Egas Moniz <ul><li>Egas Moniz, dito « o Aio » foi um rico-homem portucalense, da linhagem dos Riba Douro uma das cinco gra...
D. Dinis <ul><li>Filho de D. Afonso III e de D. Beatriz de Guilhen, D. Dinis nasceu em 1261 e casou com D. Isabel de Aragã...
Martim Moniz <ul><li>Nobre do tempo de D. Afonso Henriques. Participou na Batalha de Ourique, em 1139, e depois no cerco d...
Gonçalo Mendes da Maia “O Lidador”  <ul><li>Valente cavaleiro do tempo de D.Afonso Henriques a que a tradição atribui feit...
D. Teresa <ul><li>Filha ilegítima de D. Afonso VI  de Leão, Castela e Galiza e de Ximena Moniz. </li></ul><ul><li>Desconhe...
Rainha Santa Isabel <ul><li>D. Isabel de Aragão, filha de Pedro III de Aragão e de D. Constança de Navarra, terá nascido e...
Geraldo Geraldes “O Sem Pavor” <ul><li>Guerreiro português, viveu no reinado de D. Afonso Henriques. Pouco se sabe de conc...
Bibliografia <ul><li>Trabalho de H.G.P. – realizado por: </li></ul><ul><li>Adriana Belchior – nº 1 </li></ul><ul><li>Ana R...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Reis 5º Ano

4,066 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Reis 5º Ano

  1. 1. Os heróis da Reconquista Cristã
  2. 2. D. Afonso Henriques <ul><li>D. Afonso Henriques foi o primeiro Rei de Portugal, governando de 1128 a 1185. </li></ul><ul><li>Filho de D. Henrique de Borgonha e de D. Teresa de Aragão. </li></ul><ul><li>Nasceu em Guimarães em 5 de Dezembro de 1109 e casou com D. Mafalda de Sabóia. </li></ul><ul><li>O seu principal objectivo era aumentar o território conquistando terras aos Mouros. </li></ul><ul><li>Após a vitória na Batalha de Ourique, contra os Mouros, D. Afonso Henriques mandou pintar no escudo da Bandeira Nacional cinco pequenos escudos azuis, para se lembrar dos cinco reis Mouros que tinha derrubado e em cada um dos cinco escudos mandou pintar cinco pontos brancos representativos das cinco chagas de Cristo. </li></ul><ul><li>Morreu a 6 de Dezembro de 1185 e foi enterrado no Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra, que ele próprio mandou construir. </li></ul>“ O Conquistador” 1109 - 1185
  3. 3. Egas Moniz <ul><li>Egas Moniz, dito « o Aio » foi um rico-homem portucalense, da linhagem dos Riba Douro uma das cinco grandes famílias do Entre-Douro-e-Minho condal do século XII, a quem Henrique de Borgonha, conde de Portucale confiou a educação do filho, Afonso Henriques, tarefa essa que lhe deu o cognome pelo qual é conhecido. </li></ul><ul><li>Conta esta lenda que, por altura do cerco a Guimarães, Egas Moniz, aio de D. Afonso Henriques, decidiu negociar a paz com o monarca castelhano Afonso VII. A troco da paz prometeu-lhe a vassalagem de D. Afonso Henriques e dos nobres que o apoiavam. Afonso VII aceitou a palavra de Egas Moniz. Um ano depois, D. Afonso Henriques quebrou o prometido e resolveu invadir a Galiza. </li></ul><ul><li>Vestidos de condenados, Egas Moniz e a sua família apresentaram-se na corte de D. Afonso VII em Castela, pondo nas mãos do Rei as suas vidas como penhor de promessa quebrada. </li></ul><ul><li>O Rei castelhano, diante da coragem e humildade de Egas Moniz, decidiu perdoar-lhe. </li></ul><ul><li>Ao entregar-se, Egas Moniz ressalvava a sua honra e também a de D. Afonso Henriques, assegurando através da sua astúcia a futura independência de Portugal. </li></ul>“ O Aio” 1080 - 1146
  4. 4. D. Dinis <ul><li>Filho de D. Afonso III e de D. Beatriz de Guilhen, D. Dinis nasceu em 1261 e casou com D. Isabel de Aragão, também chamada Rainha Santa Isabel. </li></ul><ul><li>D. Dinis foi cognominado de «O Lavrador» por ter promulgado várias medidas que protegiam a agricultura. </li></ul><ul><li>D. Dinis teve uma educação muito cuidada, o que veio influenciar a sua forma de reinar. Foi um dos reis mais cultos do seu tempo. Fundou a primeira Universidade em Lisboa, e foi poeta. Escreveu várias canções e, por isso também era conhecido por Rei Trovador. </li></ul><ul><li>Ordenou que a língua portuguesa passasse a ser utilizada nos documentos oficiais em substituição do latim. Também mandou traduzir a Bíblia para português. </li></ul><ul><li>A sua esposa D. Isabel ficou conhecida pelas suas virtudes e o seu nome é associado ao Milagre das Rosas. </li></ul><ul><li>Conta-se, que certo dia D. Isabel terá transformado pão destinado aos pobres, em rosas. </li></ul><ul><li>D.Isabel fundou o convento de Santa Clara, em Coimbra onde se recolheu após a morte de D. Dinis em 1325. Foi canonizada em 1625 pelo Papa Urbano VIII. </li></ul>“ O Lavrador” 1261 - 1325
  5. 5. Martim Moniz <ul><li>Nobre do tempo de D. Afonso Henriques. Participou na Batalha de Ourique, em 1139, e depois no cerco de Lisboa, em 1147, onde morreu. </li></ul><ul><li>Diz a tradição que, ao perceber o entreabrir de uma porta no Castelo dos Mouros, atacou-a individualmente, sacrificando a vida ao atravessar o seu próprio corpo no vão da mesma, como forma de impedir que a porta se fechasse pelos defensores. </li></ul><ul><li>Esse gesto heróico permitiu o tempo necessário à chegada e o acesso dos seus companheiros cristãos, que assim conseguiram conquistar o castelo. </li></ul><ul><li>Em sua homenagem, esse acesso ficou conhecido como Porta de Martim Moniz . </li></ul><ul><li>Pensa-se que se trata de uma lenda sem fundamento histórico, concebida provavelmente para mitificação do cavaleiro pelos seus descendentes. </li></ul>1??? - 1147
  6. 6. Gonçalo Mendes da Maia “O Lidador” <ul><li>Valente cavaleiro do tempo de D.Afonso Henriques a que a tradição atribui feitos importantes na conquista da independência de Portugal. </li></ul><ul><li>Era fronteiro de Beja, e julga-se que aí terá morrido em 1170, em luta contra os muçulmanos. </li></ul><ul><li>Segundo alguns documentos, contava na altura noventa anos de idade. Nascido na vila do Trastamires (actual Maia), junto à cidade do Porto, D. Gonçalo pertencia à família dos Mendes. </li></ul><ul><li>Na mocidade, pela sua fidalguia e afinidade espiritual, tornou-se um dos maiores amigos do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. A vontade de D. Gonçalo e suas inúmeras e épicas conquistas no campo de batalha – em que o risco à vida era o eterno desafiante – deram-lhe o cognome de &quot;O Lidador&quot;. </li></ul><ul><li>Segundo a lenda popular, no dia em que comemorava 95 anos, Gonçalo Mendes estava na frente de uma batalha contra os muçulmanos , que estava a correr mal para o lado português. De repente, ganhou renovado vigor e, juntando um grupo de combatentes, atacou o inimigo. Este, ao ver um soldado envelhecido atacar com a força de um jovem, julgaram-se perante um acto mágico, o que lhes diminuiu o moral. </li></ul><ul><li>Assim, um dos maiores líderes muçulmanos decidiu enfrentar Gonçalo Mendes, na esperança de reconquistar o moral das suas tropas. Apesar de gravemente ferido, Gonçalo Mendes conseguiu derrotar o seu adversário, pois o exército muçulmano, sem líder, desorganizou-se, e assim, as tropas portuguesas conseguiram ganhar a batalha. </li></ul><ul><li>Após ganhar a batalha, Gonçalo Mendes terá sucumbido aos ferimentos. </li></ul>“ O Lidador” 1079 - 1155
  7. 7. D. Teresa <ul><li>Filha ilegítima de D. Afonso VI de Leão, Castela e Galiza e de Ximena Moniz. </li></ul><ul><li>Desconhece-se a sua data de nascimento, sabendo-se apenas que morreu em 1130. Tornou-se esposa de D. Henrique de Borgonha, sendo-lhes entregue o Condado Portucalense (1095). </li></ul><ul><li>Após a morte de D. Henrique em 1112, e na menoridade de seu filho D. Afonso Henriques, D. Teresa ficou à frente dos destinos do Condado. Influenciada pela família Peres de Trava, tentou prosseguir com a política de independência face a Leão e com o alargamento do território. </li></ul><ul><li>Em desacordo com sua mãe, o infante armou-se a si próprio cavaleiro e, em 1128, derrotou as forças de D. Teresa na batalha de S. Mamede. </li></ul>Condessa de Portugal 1??? - 1130
  8. 8. Rainha Santa Isabel <ul><li>D. Isabel de Aragão, filha de Pedro III de Aragão e de D. Constança de Navarra, terá nascido em Saragoça por volta de 1270 e morrido em Estremoz no ano de 1336. </li></ul><ul><li>Foi Rainha de Portugal pelo seu casamento com D. Dinis, tendo ficado conhecido por Rainha Santa Isabel. </li></ul><ul><li>Desde nova mostrou tendência para a meditação e solidão. </li></ul><ul><li>O contrato de casamento foi concertado em 24 de Abril de 1821 e tinha a particularidade de ser o primeiro celebrado em Portugal. </li></ul><ul><li>Também em Portugal era constante a sua presença junto do marido nas deslocações que este fazia pelo reino; esse facto trouxe-lhe grande popularidade junto do povo, pois nessas alturas dava esmolas aos pobres, a raparigas pobres e distribuía alimentos. Não se alheou dos problemas políticos nacionais, interferindo na guerra civil que opôs o rei ao príncipe herdeiro D. Afonso; acusada pelo marido de favorecer os interesses do filho foi mandada sob custódia para Alenquer. No entanto continuou a interessar-se pelo problema e foi por sua influência directa que se assinou a paz de 1322. </li></ul><ul><li>Depois da mote de dom dinis(1325)recolheu-se nos passos de santa clara de Coimbra. </li></ul><ul><li>Até à sua morte promoveu uma série de obras pias fundando ou ajudando à fundação de hospitais. </li></ul><ul><li>Foi sepultada por sua vontade no Convento de Santa Clara e, no século XVII, o seu corpo foi trasladado para o novo mosteiro fundado por D. João IV em substituição do antigo, ameaçado pelas águas do Mondego, e depositada num cofre de prata e cristal. </li></ul><ul><li>O povo, desde cedo considerou-a santa, atribuiu-lhe inúmeros milagres. </li></ul><ul><li>A pedido de D. Manuel I, foi beatificada por Leão X (15-4-1516) e, em 1625, foi canonizada por Urbano VIII. </li></ul>
  9. 9. Geraldo Geraldes “O Sem Pavor” <ul><li>Guerreiro português, viveu no reinado de D. Afonso Henriques. Pouco se sabe de concreto sobre a sua vida, à parte o facto de ter conquistado ardilosamente a cidade de Évora e de a ter oferecido ao rei, no ano de 1165, julga-se que para o aplacar depois de ter incorrido em desfavor junto do monarca.. Como recompensa pelo feito, que dava aos cristãos um domínio estrategicamente importante e de há muito ambicionado, D.Afonso Henriques nomeou-o alcaide da cidade e fronteiro-mor do Alentejo. Geraldo ficou conhecido pelo terror que infundia às populações muçulmanas, na sua actividade de saltear. </li></ul><ul><li>Ficou também conhecido pelas suas tácticas de guerra e pelo seu modo de conquistar as cidades, que consistia em assaltar os castelos durante a noite, matar o vigia e entrar de surpresa. Deste modo conquistou várias outras praças, como Serpa, Cáceres e Trujillo. Outras vezes, porém, teve menos sucesso, sendo aprisionado e vendo-se na necessidade de se resgatar-se pela entrega de algumas das praças conquistadas. </li></ul>
  10. 10. Bibliografia <ul><li>Trabalho de H.G.P. – realizado por: </li></ul><ul><li>Adriana Belchior – nº 1 </li></ul><ul><li>Ana Rita Santos – nº 4 </li></ul><ul><li>Diogo Luís – nº 9 </li></ul><ul><li>Miguel Fernandes – nº 19 </li></ul><ul><li>Pedro Chula – nº 20 </li></ul><ul><li>Turma 5º B </li></ul>

×