PETIC UFS V1 3

1,102 views

Published on

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação da UFS, em sua versão 1.3

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,102
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

PETIC UFS V1 3

  1. 1. PETIC 2010-2012 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Universidade Federal de Sergipe Centro de Processamento de Dados São Cristóvão Junho 2009
  2. 2. Apresentação A Universidade Federal de Sergipe – UFS – representa a única universidade pública do Estado de Sergipe, e atende a 11.338 alunos de graduação e a 357 alunos de pós-graduação stricto sensu, totalizando 11.695 matrículas. As Unidades Administrativas e Acadêmicas da UFS funcionam, em sua maior parte, na Cidade Universitária "Prof. José Aloísio de Campos". Integram a Cidade Universitária: a Reitoria, a Prefeitura do Campus, o Setor Esportivo, os Centros Acadêmicos (CCBS, CCET, CCSA, e CECH), a Biblioteca Central - BICEN, o Restaurante Universitário - RESUN, o Centro de Processamento de Dados - CPD, o Arquivo Central, o Centro Editorial e Audiovisual - CEAV, e o Colégio de Aplicação - CODAP. Funcionam fora da Cidade Universitária: o Campus da Saúde, o Campus Avançado do Crasto, o Campus Rural, o Campus Avançado de Xingó, o Centro de Cultura e Arte - CULTART e o Museu do Homem Sergipano. O Centro de Processamento de Dados (CPD) é responsável pela implementação da política de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) da Universidade Federal de Sergipe (UFS), prestando suporte às atividades acadêmicas e administrativas, e atuando na elaboração de projetos de TI, criação e adaptação de sistemas, distribuição e manutenção de equipamentos, entre outras. Atualmente, o CPD integra a rede Nacional de Pesquisa - RNP, criada em 1991 com o objetivo de desenvolver a tecnologia da internet, com a integração da UFS à comunidade acadêmica brasileira a partir de Núcleos de Apoio localizados nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e Distrito Federal. Em Sergipe, a RNP atua no POP - Ponto de Presença instalado no centro de Aracaju. Além do CPD do campus de São Cristóvão, existe um CDP no campus Alberto Carvalho no município de Itabaiana e outro no campus da Saúde em Aracaju. Missão “Dar suporte às atividades da Universidade, oferecendo produtos e serviços de informática, com atuação de forma integrada para que ela cumpra sua função”.
  3. 3. Visão “O CPD deverá ser um centro de referência em informática, com estrutura organizacional consolidada, com a presença de pessoal capacitado, qualificado e comprometido, além de máquinas e equipamentos atualizados com infra-estrutura adequada”. Resumo As informações contidas neste documento foram levantadas através de reuniões entre os membros do grupo responsável pela execução do PETIC e os coordenadores de áreas do CPD, sendo este trabalho utilizado para o processo de avaliação da disciplina Sistema de Informações Empresariais pertencente à grade curso de Especialização em Gestão de Projetos de Tecnologias e será de fato adotado pela administração do CPD visto que alguns integrantes do grupo fazem parte desta instituição. As áreas trabalhadas foram: (i) Software, (ii) Dados, (iii) Hardware, (iv) Pessoas, (v) Software e (vi) Telecomunicações. O CPD possui uma primeira versão do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETIC) desenvolvida no ano 2008 e prevista para o período 2009-2012. Este documento foi elaborado por um grupo de alunos da graduação do curso de Sistemas de Informação e sua elaboração veio contribuir muito para disseminar o PETIC neste centro. Vale ressaltar que, embora o levantamento da situação atual tenha sido muito proveitoso, por motivos de limitação de tempo, pouca convivência com o CPD e desconhecimento da legislação da administração pública, o documento deixou poucas propostas de melhorias que pudessem ser adotadas de fato. Para se chegar ao PETIC, primeiramente foram identificadas as vulnerabilidade das áreas propostas. Partido do resultado dessa identificação e de sua análise, foi possível fazer propostas de melhoria visando sua real implementação.
  4. 4. Sumário 1. Software..................................................................................................................................5 1.1. Cenário Atual do Software ..............................................................................................5 1.1.1 Arquitetura do Sistema ..............................................................................................8 1.1.2 Tecnologias Utilizadas ..............................................................................................8 1.2. Cenário Desejado do Software ........................................................................................9 2 Dados .....................................................................................................................................11 2.1. Cenário Atual dos Dados...............................................................................................11 2.2. Cenário Desejado dos Dados.........................................................................................12 3. Hardware ..............................................................................................................................13 3.1. Cenário Atual do Hardware...........................................................................................13 3.2. Cenário Desejado do Hardware.....................................................................................14 4. Pessoas..................................................................................................................................16 4.1. Estado Atual das Pessoas...............................................................................................16 4.2. Cenário Desejado das Pessoas.......................................................................................19 5 Telecomunicação ...................................................................................................................20 5.1. Cenário Atual dos Recursos de Telecomunicação ........................................................20 5.2. Cenário Desejado dos Recursos de Telecomunicação ..................................................21 Conclusão .................................................................................................................................22 Referências ...............................................................................................................................23
  5. 5. 1. Software 1.1. Cenário Atual do Software Existem aproximadamente trinta sistemas de informação sob a responsabilidade do CPD. São em sua maioria projetos desenvolvidos pela própria equipe para gerenciar atividades específicas da instituição, porém ainda temos uma grande demanda reprimida por soluções em sistemas para atender algumas áreas. Com tantos sistemas para gerir o processo de manutenção corretiva e implementações de melhorias se torna muito custoso. A UFS está no caminho do crescimento, com a ampliação da oferta de cursos e vagas, acarretando, conseqüentemente, um aumento no número de alunos e processos internos. Nesse sentido a busca por soluções que facilitem o acesso a informações integradas e agilidade nos processos mais burocráticos do dia-a-dia torna-se vital para dar suporte a este crescimento. Diante deste fato foi iniciado um processo de avaliação de alguns sistemas que pudessem suprir as necessidades da Universidade. Foram analisados projetos que já estão implementados em outras instituições federais a exemplo da Universidade Federal de Santa Maria no Rio Grande do Sul (UFSM), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ao termino das analises concluiu-se que o sistema de gestão integrada implementado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) é o que melhor atende as necessidades da Universidade Federal de Sergipe (UFS). A partir desse resultado foi dado início ao processo de assinatura de um termo de colaboração entre as Instituições de Ensino Superior (IFES) e o Ministério da Educação (MEC), para o repasse do sistema e a transferência de tecnologia. O projeto consiste em implantar Sistema Integrado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte na UFS. O sistema é composto pelos módulos relacionados abaixo:
  6. 6. • O SIPAC (Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos) controla os fluxos da área administrativa através da informatização de todo o orçamento distribuído no âmbito interno e das requisições que demandam este orçamento (Material, passagens, diárias, hospedagens, itens contratados, suprimento de fundos, auxílio financeiro, prestações de serviço pessoa física e jurídica, etc). Informatizam os almoxarifados (centrais e setoriais), todo o controle patrimonial, as compras e licitações, o controle de atas e pedidos em registros de preços, o acompanhamento de entrega de empenhos (liquidação), o controle de obras e manutenções de bens imóveis, a aquisição de livros pela biblioteca, as faturas de água e energia, o controle dos contratos e convênios celebrados, o fluxo de processos e documentos eletrônicos, o registro e pagamento de bolsistas, o acompanhamento das despesas com automóveis e combustíveis. O SIPAC disponibiliza portais de informações para os pró- reitores, para a auditoria interna e para a fundação. • O SIGPRH (Sistema Integrado de Gestão, Planejamento e Recursos Humanos) informatiza os procedimentos de recursos humanos, tais como: marcação/alteração de férias, cálculos de aposentadoria, avaliação funcional, dimensionamento de força de trabalho, controle de freqüência, concursos, capacitações, atendimentos on-line, serviços e requerimentos, registros funcionais, relatórios de RH, dentre outros. A maioria das operações possui algum nível de interação com o sistema SIAPE (sistema de âmbito nacional), enquanto outras são somente de âmbito interno. • O SIGAA informatiza os procedimentos da área acadêmica através dos módulos de: graduação, pós-graduação (stricto e lato sensu), ensino técnico, ensino médio e infantil, submissão e controle de projetos e bolsistas de pesquisa, submissão e controle de ações de extensão, submissão e controle dos projetos de ensino (monitoria e inovações), registro e relatórios da produção acadêmica dos docentes, atividades de ensino a distância e um ambiente virtual de aprendizado denominado Turma Virtual. Da mesma maneira do SIPAC também disponibiliza portais específicos para: reitoria, professores, alunos, tutores de ensino a distância, coordenações lato-sensu, stricto-sensu e de graduação e comissões de avaliação (institucional e docente).
  7. 7. Para que o Sistema Integrado seja implantado na UFS alguma mudança e adaptações se fazem necessárias. No período que estiver ocorrendo à implantação, mudanças e adaptações os sistemas legados não podem ser esquecidos, visto que o tempo previsto para o termino da implantação é de três anos. Abaixo é relacionado o cronograma previsto da implantação. 3.4 Indicador 3.5 Período de 3.2 Etapa/ Físico Execução 3.1 Meta Fase 3.3 Especificação 3.4.1 3.4.2 3.5.1 3.5.2 Unid. de Qtde Início Término Medida 1. Sistemas Agosto/ Agosto/ Integrados de 1. CPD Treinamento da equipe técnica Mês 01 2009 2009 Gestão 2. SIGPRH - Treinamento dos usuários de Mês 01 Set/2009 Set/2009 Sistema Integrado recursos humanos de Gestão, Planejamento e Outubro Dezembro Recursos Humanos Implantação do sistema Mês 02 /2009 /2009 3. SIGAA - Treinamento dos usuários do Sistema Integrado ensino de graduação, pós- Janeiro/ Janeiro/ Mês 01 de Gestão da Área graduação, Turma Virtual e Portal 2010 2010 Acadêmica de Avaliação Preparação, adaptação e Fev/ Abril/ Mês 02 implantação 2010 2010
  8. 8. Treinamento dos usuários do ensino a distância, monitoria, Maio/ Maio/ pesquisa, produção intelectual, Mês 01 2010 2010 avaliação institucional ,extensão e Pós Graduação(Lato Sensu) Preparação, adaptação e Junho/ Agosto/ Mês 01 implantação 2010 2010 Treinamento dos usuários da Set/ Set/ secretaria de apoio ao estudante, Mês 01 2010 2010 ensino fundamental e médio Preparação, adaptação e Outubro/ Outubro/ Mês 01 implantação 2010 2010 Treinamento dos usuários da Nov/ Nov/ Mês 01 Biblioteca e vestibular 2010 2010 Preparação, adaptação e Dez/ Dez/ Mês 01 implantação 2010 2010 Treinamento de todos os usuários do sistema integrado de Janeiro/ Janeiro/ Mês 01 2011 2011 patrimônio, administração e contratos - SIPAC Implantação dos módulos de Requisições e cadastro de Fevereiro/ Fevereiro/ Mês 01 2011 2011 Material, Controle Orçamentário e Almoxarifado Implantação dos módulos de 4. SIPAC - Sistema Março/ Março/ Requisições , Compras e Registro Mês 01 Integrado de 2011 2011 de Preços Patrimônio, Administração e Implantação dos módulos de Abril Abril Mês 01 Controle Protocolo e Patrimônio /2011 /2011 Implantação dos módulos Maio/ Maio/ Liquidação de Despesas, Contrato Mês 01 2011 2011 e Convênios Implantação dos módulos de Junho/ Junho/ Fatura, Infra -Estrutura e Mês 01 2011 2011 transportes Implantação dos módulos de Julho/ Julho/ Mês 01 Restaurante universitário e Bolsas 2011 2011 5. Cooperação Agosto/ Julho/ Cooperação técnica Mês 07 Técnica 2011 2012 1.1.1 Arquitetura do Sistema O projeto de desenvolvimento dos sistemas institucionais possui um grande escopo de atuação, por conseqüência, exige um conjunto de requisitos funcionais e não funcionais complexos demandados à arquitetura de software. Para solução de tal problema, foi modelada uma arquitetura multicamadas utilizando Java/J2EE e um conjunto de frameworks auxiliares visando o incremento de qualidade. 1.1.2 Tecnologias Utilizadas Um conjunto de tecnologias é utilizado para o desenvolvimento das operações dos sistemas institucionais, entre elas:
  9. 9. • Hibernate 3.2: framework utilizado para a realização do mapeamento objeto relacional. O objetivo do Hibernate é diminuir a complexidade entre os programas Java, baseado no modelo orientado a objeto, que precisam trabalhar com um banco de dados do modelo relacional. • Java Server Faces 1.2/ RichFaces 3.2: framework que implementa o padrão MVC (Model, View, Controller) utilizado para o desenvolvimento web com Java. • Struts 1.2: framework que implementa o padrão MVC (Model, View, Controller) utilizado para o desenvolvimento web com Java. No início do desenvolvimento dos sistemas institucionais, Struts era o framework para desenvolvimento Web que estava mais evidente. Dessa forma, escolheu-se esta tecnologia para os desenvolvimentos dos casos de uso. Hoje em dia, todos os casos de uso desenvolvidos usam a tecnologia Java Server Faces. • EJB 2.1: é um dos principais componentes da plataforma JEE (Java Enterprise Edition). É um componente do tipo servidor que corre no container para EJB do servidor de aplicação. Os principais objectivos da tecnologia EJB são fornecer um rápido e simplificado desenvolvimento de aplicações Java baseado em componentes distribuídas, transacionais, seguras e portáveis. Atualmente encontra-se na versão 3.0. Os sistemas institucionais utilizam a versão 2.1 juntamente com o padrão de projetos EJB Command. • Spring 2.5: é um framework open source não intrusivo, baseado nos padrões de projeto inversão de controle (IoC) e injeção de dependência. É utilizado basicamente para que a declaração dos Managed Beans, usados no desenvolvimento com JSF, seja feita através de anotações e também para a simplificação de acesso ao banco de dados com JDBC, usando JDBCTemplate. • JBoss 2.2: é um servidor de aplicação de código fonte aberto baseado na plataforma J2EE implementada completamente na linguagem de programação Java. 1.2. Cenário Desejado do Software O principal objetivo da instituição é o sucesso da implantação do Sistema Integrado e para isso será necessário: • Aumentar sensivelmente a quantidade de profissionais capacitados trabalhando no desenvolvimento de softwares; • Cumprir o cronograma de forma disciplinada;
  10. 10. • Adotar as práticas recomendadas pela metodologia Srum na adaptação do sistema; • Gerenciar a configuração de mudanças; • Fazer testes de forma sistemática; • Participação constante do usuário; • Criação de uma equipe de suporte ao usuário;
  11. 11. 2 Dados Dados envolvem fatos, imagens, sons que são úteis para instituição e, por este motivo, são armazenados e após processados geram informações que podem ser aplicáveis no auxílio da tomada de decisões. 2.1. Cenário Atual dos Dados O Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD) utilizado pela instituição é o DB2 da IBM e está sendo executado em uma máquina servidora que possui uma alta capacidade de processamento para os dias atuais. Porém, com o expressivo crescimento da instituição, cresceu também o volume de dados armazenados e o espaço em disco para armazenamento tem se mostrado insuficiente. De acordo com a polícia de backup do CPD, são realizados backups diariamente onde é armazenado em fitas DATs. Após esse processo, por motivos de segurança, esta fita é baixada em outra máquina e realizado um teste de integridade da mesma. Atualmente está em andamento a implantação de uma sala backup que fica fora do ambiente físico do CPD e é interligado através de links dedicados de alta velocidade. O objetivo da sala é a replicação automática dos dados armazenados nos servidores do CPD. Para resolver problemas de redundância que ainda existem na instituição está sendo realizado um processo de re-modelagem do banco de dados, visto que o mesmo foi criado a cerca de 25 anos atrás e durante esse tempo não foram realizadas as devidas adaptações. A instituição possui a necessidade de passar informações para sistemas desenvolvidos e mantidos pelo governo Federal, mais especificamente a SERPRO, com o intuito de suprir a exigência dos órgãos superiores. Porém tais sistemas não obtêm êxito ao tentar suprir as necessidades de gerenciamento das informações internas da instituição o que acarreta no surgimento de sistemas auxiliares e, conseqüentemente, redundâncias e re-trabalho para os usuários dos sistemas. Além do esforço gasto, as constantes redundâncias ocasionam uma falta de confiança nas informações devido à divergência de informações entre os diferentes sistemas. Com a implantação do Sistema Integrado a base de dados existente será migrada para base de dados proposta pela UFRN e o SGBD será o PostgreSQL.
  12. 12. 2.2. Cenário Desejado dos Dados O principal objetivo é a migração da base de dados existem para a nova base do SIGAA e a criação de um processo de manutenção da base de dados para que os mesmo erros não sejam cometidos. Além da migração é proposta a criação de uma equipe especializada e especifica que irá trabalhar exclusivamente com banco de dados. Esta equipe dever formada por administradores de banco de dados (DBA) e administradores de dados (DA). Outra proposta é o desenvolvimento de um programa de treinamento contínuo para a equipe de banco de dados. Após termino da migração e com reestruturação das informações o próximo objetivo é compartilhar esses dados com a comunidade acadêmica através de novas tecnologias como: • Criação de um data warehouse (armazém de dados), visando facilitar obtenção de informações estratégicas da instituição; • Uso de mecanismos de Business Inteligence para obter, de forma ágil e fácil, informações importantes necessárias à instituição; • Arquitetura orientada a serviço (SOA); • Serviço de mensagens curtas (SMS); • Serviço de troca de mensagens XML para integração com RFID, visto que o SIPAC, módulo do Sistema Integrado, possui gerenciamento de patrimônio.
  13. 13. 3. Hardware Hardwares representam computadores e os equipamentos físicos associados, diretamente envolvidos nas funções de processamento de dados ou comunicação. 3.1. Cenário Atual do Hardware Para a garantia da disponibilidade e qualidade dos serviços prestados pelo CPD, o conjunto tecnológico de máquinas servidoras possui uma capacidade de processamento relativamente suficiente. No entanto, faz-se necessário para estes servidores a instalação de mais placas de memória. Além disso, as estações de trabalho da equipe de desenvolvimento não estão com a configuração apropriada, necessária para uso das ferramentas de desenvolvimento de sistemas. O cenário atual do hardware do CPD é basicamente o seguinte: • Existem em torno de dezesseis servidores (incluindo dez servidores HP e três Dell). Eles ainda possuem uma carência de memória principal. • O número de estações de trabalho atualmente é, em torno de, vinte. São máquinas com processadores Intel e AMD, com memória de até 2GB. Tais estações necessitam de uma atualização para melhoria de suas configurações. Além dos pontos elucidados, cabe destacar os seguintes pontos positivos no tocante ao hardware do CPD: • Existência de gerador de energia com razoável autonomia, garantindo energia para todo o CPD em caso de falta. Além disso, um conjunto de no-breaks evita a ocorrência de desligamento de forma abrupta dos equipamentos por motivo de falta de energia, como também mantêm os serviços em funcionamento. Apesar disso, sabe-se de ocorrências de indisponibilidade de serviço gerada pela falha em no-breaks. • A recente implantação de sala de backup; • A aquisição de dois notebooks, um data-show e um equipamento para vídeo conferência; • O sistema para gerenciamento de solicitações de consertos de hardware foi recentemente aperfeiçoado;
  14. 14. 3.2. Cenário Desejado do Hardware Visando a melhoria das deficiências encontradas, faz-se necessário adquirir novos servidores para hospedar o novo banco de dados e os sistemas integrados que serão repassados. Além disso, vê-se claramente a necessidade de servidor destinado a treinamento, ao desenvolvimento/manutenção e homologação de softwares, que será usado para disponibilizar aplicações em fase de homologação técnica (testes realizados pela equipe técnica: testes integração e sistema) e, possivelmente, para a homologação final (envolvendo testes de aceitação, pelo usuário). Adicionalmente, será necessária a substituição das estações de trabalho de desenvolvimento atualmente existentes. Para atingir a tais objetivos será necessário o seguinte: • Adquirir máquinas para a equipe de desenvolvimento com 4GB de RAM e processador com dois núcleos; • Adquirir os seguintes servidores: o Para ambiente de produção: 1. Servidor de Banco de Dados com 4 a 8 núcleos de processamento e 16 GB de RAM. Disco de 15 mil RPM. 2. Um servidor para balanceamento de carga com alta capacidade de I/O de rede (min. 1 Gbps) e no mínimo 2 núcleos de processamento e 2 GB de RAM. 3. Dois ou mais servidores com no mínimo 4 núcleos de processamento e 6 GB de RAM. o Ambiente de desenvolvimento (incluindo treinamento), homologação técnica e aceitação: 1. Uma máquina com no mínimo 4 GB de RAM e 4 núcleos de processamento. Esta máquina terá os serviços de: SGBD de desenvolvimento, serviço para homologação técnica, serviço para homologação final. Cabe lembrar que o SGBD instalado será o PostgreSQL em sua mais recente versão, o sevidor web será o Apache http Server, o servidor de aplicação será o JBoss e, para o servidor de desenvolvimento, serão instalados os mesmos serviços de produção.
  15. 15. É interessante reforçar a necessidade de um ou mais servidores contingenciais (clusterizados) com o intuito de manter os serviços disponíveis o maior tempo possível. O objetivo aqui é possuir um índice de disponibilidade superior a 95%. Além das melhorias relacionadas a infra-estrutura de servidores e estações de trabalho, deve-se atentar a algumas outras necessidades. A primeira delas é a aquisição de, ao menos, quatro novos no-breaks de melhor qualidade para os servidores de produção visando, assim, resolver problemas relacionados à falta de energia que, em menor escala, ainda têm ocorrido. Outra necessidade importante é a revisão do projeto elétrico do prédio com o intuito de atestar se determinadas ocorrências têm relação com falhas de natureza elétrica.
  16. 16. 4. Pessoas É o recurso humano disponível da instituição. 4.1. Estado Atual das Pessoas Hoje a mão de obra do CPD é composta basicamente por analistas de tecnologia da informação, técnicos de tecnologia da informação, assistentes de administração, terceirizados e estagiários. Os analistas executam tarefas de analise de sistema, desenvolvimento de sistemas, suporte ao usuário, gerência de banco de dados e gerência de redes. Já os técnicos executam basicamente tarefas de manutenção em micro computadores, impressoras e execução de backups. Os terceirizados e estagiários auxiliam a equipe em diversas tarefas. A carência de mão de obra, durante anos foi uma das principais dificuldades para o funcionamento do CPD. Apesar de que ainda não é a quantidade ideal no ano de 2008, o Ministério da educação liberou seis vagas para o cargo de analista de tecnologia da informação. Os analistas foram distribuídos três para coordenação de sistemas e três para coordenação de redes, mas, em decorrência de melhores oportunidades pessoais, três deles pediram exoneração. As vagas em aberto poderão ser substituídas, porém este processo é lento e essa rotatividade de pessoas dificulta o andamento dos projetos. No primeiro semestre de 2009, foi liberada uma vaga de assistente administrativo e atualmente o quadro de funcionários do CPD encontra-se distribuído da seguinte maneira: Setor Concursados Terceirizados Estagiários Direção 1 - - Secretaria 1 - - Coordenação de 7 1 4 Suporte Coordenação de 4 1 - Redes Coordenação de 9 - 8 Sistemas Abaixo segue o organograma atual do CPD:
  17. 17. Além da grande rotatividade dos servidores, motivada principalmente por melhores propostas salariais, outros problemas são encontrados, tais como: • Falta de uma política contínua de capacitação; • Deficiência no ambiente físico, relacionada a: o Mobília inadequada; o Iluminação; o Limpeza; o Refrigeração; • Falta de política de prevenção de doenças do trabalho como LER/DORT (Lesões por Esforços Repetitivos/Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho). Um dos analistas que ingressou no CPD em decorrência do último concurso, tinha experiência prévia como consultor na área de TI, e por isso, iniciou uma análise da situação do CPD. Em conseqüência desta avaliação, foi possível rever alguns papeis e atividades exercidas, como também adotar algumas regras de conduta, propor o uso de uma metodologia de desenvolvimento e sugerir uma reorganização do espaço físico para atender melhor as necessidades da equipe. A seguir algumas mudanças relativas a pessoas: • A recepção de usuário deve ocorrer na sala de reunião para não atrapalhar o restante do grupo;
  18. 18. • Os visitantes não podem entrar nas instalações do CPD por medidas de segurança e deverão ficar na sala da entrada; • A equipe de analistas de sistemas e desenvolvedores não deve ser interrompida por telefonemas ou visitas sem agendamento prévio. • Novas demandas e dúvidas dos projetos em andamento devem ser negociadas em reuniões agendadas e documentadas; • A criação de um setor de atendimento ao usuário que fará o atendimento inicial para filtrar os problemas antes que eles cheguem à equipe de sistemas. • Implantação do sistema SOS manutenção que dá suporte ao atendimento ao usuário; • Re-distribuição física dos integrantes das equipes, onde equipes dos projetos devem estar próximas; • Montar um ambiente adequado onde possam ocorrer às discussões entre membros de um projeto com recursos necessários para treinamentos, como quadro e pincéis; • Foi adotado o método ágil Scrum para o gerenciamento e desenvolvimento de projetos, onde são definidas práticas de trabalho e artefatos que deverão ser produzidos. O Scrum representa um processo de gerenciamento de projetos ágeis, adaptado para a área de desenvolvimento de software, pelo especialista Ken Schwaber. Schwaber define Scrum como: “um processo Ágil ou ainda um framework para gerenciamento de projetos ágeis. É um processo de gerência de projetos, certamente não é uma metodologia, pois isto seria pesado demais”; • Ficou estabelecido que atividades relacionadas à configuração e gerenciamento de servidores será uma atribuição da coordenação de redes; • Toda definição de dados foi centralizada e só pode ser realizado por uma equipe preparada para tal função; Para corrigir a heterogeneidade da equipe, está sendo ministrado um curso de capacitação para equipe da coordenação de sistemas. O curso é composto pelos módulos de: • Processo de Desenvolvimento de Software; • Analise de Sistemas e Projeto; • Banco de Dados Básico; • Banco de Dados Avançado (para administradores de banco de dados); • Java e Tecnologias.
  19. 19. 4.2. Cenário Desejado das Pessoas O primeiro passo deverá ser a contração de mão de obra terceirizada e especializada para auxílio no processo de implantação do já referido Sistema Integrado. Abaixo está listada a quantidade de horas por tipo de serviço que serão necessários: Serviço especializado Horas (3 anos) Arquitetura de software 4800 horas Análise de Sistemas e 28800 horas desenvolvimento Administração de Banco de dados 4800 horas Análise de Redes 9600 horas Atendimento a usuário (suporte) 4800 horas Outras medidas podem ser elucidadas visando a resolução das deficiências encontradas e, portanto, um melhor aproveitamento dos recursos humanos disponíveis: • Auditar internamente a equipe de sistemas para verificar se a metodologia de trabalho está sendo seguida; • A criação de uma equipe de testes de software; • O fortalecimento da equipe de atendimento ao usuário com a introdução de mais um técnico e a disseminação da cultura de atendimento via sistema on-line; • A solicitação e preenchimento de 7 vagas de técnico em tecnologia da informação; • Inserir os ajustes e melhorias que se fizerem necessários na metodologia de trabalho, principalmente referente às atividades de projeto; • Realização de pesquisas de satisfação junto aos servidores; • Avaliar possibilidade de fornecer maior incentivo à qualificação profissional (treinamentos específicos, apoio a certificações nacional e internacionalmente reconhecidas); • Criação de ambientes ainda mais desafiadores, através de maior valorização do potencial humano disponível; • Apesar de conhecer as dificuldades e limitações existentes, propor junto à administração medidas para o crescimento da carreira dos servidores; • Melhoria do ambiente de trabalho, incluindo mobília, iluminação e refrigeração, dentre outros; • Realização da política de prevenção de doenças relacionadas ao trabalho;
  20. 20. 5 Telecomunicação É a transmissão de informações através de algum meio disponível. 5.1. Cenário Atual dos Recursos de Telecomunicação Atualmente a Telecomunicação do Centro de Processamento de Dados da Universidade Federal de Sergipe é gerida pela Coordenação de Redes, os analistas e terceirizados nela lotados ficam responsáveis por prover uma política e estrutura que atendam de maneira eficaz todos os recursos necessários para a transmissão de informações. É bastante perceptível a importância dessa coordenação. Os profissionais que nela atuam ficam responsáveis por toda a política de segurança e qualidade dos serviços específicos. Para que estes serviços possam atender melhor as pessoas, dados, recursos da instituição, é preciso um infra-estrutura adequada e eficiente. E um dos principais projetos em andamento no Centro de Processamento de Dados da Universidade Federal de Sergipe é a sua ampliação e adequação a ligação com outras instituições com links de altíssima velocidade, mais especificamente, fibra óticas. Com essa ligação em alta velocidade, alguns dos serviços que antes não eram imaginados como por exemplo a construção de uma sala de backup fora do ambiente físico do CPD, se torna possível, assim é possível replicar automaticamente os dados armazenados nos servidores. Outra informação interessante de se ressaltar é o fato de o POP (Point of Presence), ponto de presença, que é ligado a RNP (Rede Nacional de Pesquisas), em virtude dessa ampliação da rede, aumentando a sua velocidade, está se mudando para o prédio do CPD, assim o que antes já era gerenciado pela Universidade Federal de Sergipe, agora fisicamente estará em suas dependências assim que for concluída a mudança. Outro Serviço prestado pelo Centro de Processamento de Dados é o serviço de Voz sobre IP, conhecido principalmente por Voip. Por ainda não ser totalmente difundido e ter algumas restrições poucos tem acesso. Mas já é possível usar desse recurso com um pouco de facilidade para transmitir informações. Hoje em dia, os analistas mais novos estão tentando criar uma melhor política de acesso aos serviços existentes, além de manter os serviços com a maior estabilidade possível.
  21. 21. Também se vale ressaltar que com a ampliação do prédio que está localizado o CPD, além de reformar as salas existentes, teve um estudo para definir novos pontos de acesso e novo cabeamento, assim tornou se possível efetuar um melhor balanceamento de carga aos equipamentos de rede existentes. A coordenação de redes do Centro de Processamento de Dados é quem gerencia o acesso a internet no campus, o acesso hoje a internet é de um link de 34Mb, assim para atender toda a população acadêmica é necessário que a equipe sempre esteja monitorando o tráfego de informações e determinando políticas e regras de acesso. 5.2. Cenário Desejado dos Recursos de Telecomunicação É sabido que os recursos são escassos, há uma dificuldade grande em aquisição, consultoria e manutenção de recursos e serviços existentes. Para chegar a um ponto ideal em se tratando de telecomunicações, seria necessário contratação de pessoal, para cuidar de serviços específicos como por exemplo Voip, também seria necessário a aquisição de servidores para balancear acesso a internet, filtrar informações que não são de interesse da instituição, projetar a viabilidade de implantação de Voip para mais e mais setores da universidade. Outra informação interessante é a dificuldade em se comunicar, seja por voz ou por dados com os outros campi da instituição, o cenário ideal seria ligar por fibra ótica estas instituições como o campus de Itabaiana, campus da saúde e o campus de Laranjeiras, além do novo campus que está começando a ser construído o campus de Lagarto. Com a ligação por fibra a estes campi alguns dos serviços que funcionam de maneira precária como o acesso a internet e telefonia poderiam ser totalmente melhoradas.
  22. 22. Conclusão Diante do cenário atual de desenvolvimento das universidades públicas brasileiras, com o intuito de resolver problemas nacionais e atender às demandas de natureza sócio- econômicas, o Centro de Processamento de Dados da UFS vem procurando o aprimoramento contínuo das suas atividades objetivando a melhoria dos serviços fornecidos para a instituição e para a sociedade. A elaboração do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação representa um passo muito importante para a melhoria dos serviços. Como resultado da avaliação da situação atual do CPD da UFS, verificou-se e identificou-se vulnerabilidades e necessidades de melhoria, necessidades estas para as quais foram definidas soluções a serem concretizadas no período informado. Com a realização dos objetivos estratégicos definidos no PETIC, espera-se que o CPD atinja um nível de maturidade altamente satisfatório, especialmente no tocante à integração de sistemas administrativos, disponibilidade de seus serviços, aproveitamento de recursos humanos, dentre outros.
  23. 23. Referências • Plano de Desenvolvimento Institucional 2005-2009, elaborado pela COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO em 2005. • PLANO DE EXPANSÃO 2005 – 2008, elaborado pela COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO em NOVEMBRO DE 2004. • Portal da UFS na internet, acessível através da seguinte URL: http://www.ufs.br. • Artigo Você sabe o que é SCRUM, disponível atravaés da URL: http://www.knowtec.com/index.php?m=ver&id_item=18. • Documentação do Sistema Integrado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

×