Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Web 2.0 + Foco no Usuário

1,192 views

Published on

Minha segunda apresentação na Faculdade Impacta, sobre Web 2.0 e foco no usuário. Agora mais completa.

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Web 2.0 + Foco no Usuário

  1. 4. Mas, vamos ao que interessa...
  2. 5. Ah sim, não se preocupem em anotar, porque segunda-feira esta apresentação estará on-line.
  3. 6. <ul><li>As atualizações são menos freqüentes e são por conta do proprietário do site ou do webmaster; </li></ul><ul><li>Sem interatividade - o usuário apenas lê e navega; </li></ul><ul><li>Poucos sites na Internet e pouca variedade de conteúdo; </li></ul>
  4. 8. O termo WEB 2.0 surgiu em 2004 em uma conferência, e Dale Dougherty (O'Reilly Media) foi o responsável pela criação do termo. Este evento reuniu empresas que sobreviveram à bolha da Internet do ano 2000.
  5. 9. <ul><li>Aproveitamento da inteligência coletiva; </li></ul><ul><li>Conteúdo gerado pelo usuário; </li></ul><ul><li>Sites mais interativos; </li></ul><ul><li>Sistemas web cada vez mais parecidos com sistemas desktop; </li></ul>
  6. 10. <ul><li>Foco no usuário e nas suas necessidades. </li></ul><ul><li>Diferente de programas, o site pode ser atualizado a qualquer hora e todos teremos a mesma versão do site; </li></ul>
  7. 12. <ul><li>Flexibilidade: fácil de alterar; </li></ul><ul><li>Precisa ser leve, para carregar mais rápido; </li></ul><ul><li>Precisa ser acessível a tudo e todos; </li></ul>
  8. 13. “ Segunda geração de serviços baseados na web como sites de redes sociais , wikis , ferramentas de comunicação e folksonomias . Enfatizam a colaboração online e o compartilhamento entre usuários .” Ross Mayfield, CEO, Socialtext
  9. 14. Web 1.0 – Rede de Computadores Web 2.0 – Rede de Pessoas
  10. 17. Você conhece isso e não sabia, quer ver?
  11. 18. Como você classificaria esta imagem?
  12. 20. Folcsonomia nada mais é do que a classificação de informações pelos próprios usuários. Exemplo: Flickr , del.icio.us e YoutTube
  13. 21. Lembra da folha?
  14. 32. <ul><li>Colaborar e compartilhar com conteúdo ; </li></ul><ul><li>Sites interativos; </li></ul><ul><li>Chega de apenas ler, agora vamos participar e opinar; </li></ul><ul><li>“ Conteúdo é o Rei” e o usuário também. </li></ul>
  15. 35. <ul><li>Exemplo claro da força da Internet; </li></ul><ul><li>Grandes empresas investindo em ações de marketing na Internet; </li></ul><ul><li>Usuários mostram seu poder na Internet: basta vermos os números. </li></ul>
  16. 36. 3,178,843 visitas
  17. 37. 3,607,716 visitas
  18. 38. - Nunca fez propaganda; - 220 milhões de usuários; - Vendido por US$4,1 bilhões.
  19. 39. - Não trabalha com a marca diretamente; - Não é apenas vídeo; - O principal meio de propagação é o “boca a boca”
  20. 40. Como as empresas gerenciam seu conteúdo hoje?
  21. 43. O que as empresas ganham com isso?
  22. 44. - Interação entre os funcionários e agilidade; - Compartilhamento de conteúdo e pontos de vista; - Modelo de hierarquia modificado, mostrando a flexibilidade da empresa.
  23. 45. Julho/2006
  24. 46. Julho/2006
  25. 47. <ul><li>Falta de privacidade (Já experimentou buscar seu nome no Google ?); </li></ul><ul><li>Muito conteúdo muitas vezes dificulta achar o que nós REALMENTE queremos; </li></ul><ul><li>Confiança no conteúdo publicado. </li></ul>
  26. 48. <ul><li>Tendências levam a se criar coisas parecidas; </li></ul><ul><li>Saturação do mercado. </li></ul>
  27. 50. APML A ttention P rofiling M arkup L anguage “ Linguagem de marcação de perfil de atenção”
  28. 51. APML Você fala o que gosta e não gosta em um arquivo XML ( eXtensible Markup Language) e se o programa suportar este tipo de tecnologia, você filtra o conteúdo.
  29. 52. Web 2.0 mostra seu poder. Estadão ataca os bloggers, você viu?
  30. 55. Sabe em quantos anos é estimado o fim dos impressos?
  31. 56. 20 anos Não era para eles realmente estarem preocupados?
  32. 57. Novo posicionamento do IG Por que ele mudou de postura?
  33. 58. O que há em comum em todos os sites e portais apresentados até o momento?
  34. 59. Simplicidade e foco no usuário
  35. 60. Quanto mais simples, mais fácil. Quanto mais focado, mais chances de alcançar o objetivo
  36. 61. Quais os maiores exemplos de sites ou portais com foco no usuário e na simplicidade?
  37. 66. Sabe o que as pessoas gostam?
  38. 67. 43% de conteúdo X 33% de comunicação Ou seja, elas gostam mais de ler e trocar informações do que vídeos por exemplo.
  39. 68. Conteúdo responsável por atrair a massa na internet
  40. 69. Entretenimento Vídeos Músicas Esportes
  41. 70. Notícias & Informações Jornalismo Tempo Guia / Mapas Lazer
  42. 71. Educação Universidades Carreiras
  43. 72. Família Saúde Infantil
  44. 73. Será que esta festa pela web 2.0 é realmente necessária? Será que ela é a coisa mais importante?
  45. 74. Adivinha quem é o centro das atenções daqui para frente?
  46. 75. Capa recente da Revista Time . As pessoas são o destaque.
  47. 76. Mas o que é esse tal “foco no usuário” ?
  48. 77. <ul><li>O foco no usuário é composto por: </li></ul><ul><li>Usabilidade; </li></ul><ul><li>Arquitetura da Informação; </li></ul><ul><li>Acessibilidade. </li></ul>
  49. 78. Usabilidade é sinônimo de facilidade de uso, ou seja, se é fácil de usar, o usuário aprende rápido a usar, memoriza as operações, comete menos erros e chega aos seus objetivos.
  50. 79. <ul><li>Ser fácil de aprender; </li></ul><ul><li>Ser eficiente na utilização; </li></ul><ul><li>Ser fácil de ser recordado; </li></ul><ul><li>Ter poucos erros; </li></ul><ul><li>Ser subjetivamente agradável. Jakob Nielsen (2003) </li></ul>
  51. 80. <ul><li>É essencial uma boa usabilidade porque, diferente da TV, na web o usuário tem um comportamento ativo e interage com o site; </li></ul><ul><li>O usuário nunca erra, quem erra é quem projetou o site e não pensou nas prováveis situações de uso e nos possíveis erros dos usuários; </li></ul>
  52. 81. Onde está o botão ou link de download na página a seguir? Você consegue encontrá-lo em menos de 5 segundos ?
  53. 83. Conseguiu achar facilmente? Foi intuitivo?
  54. 85. Qual é mais fácil fazer o download? Este...
  55. 86. Ou este...
  56. 87. Onde posso criar um cadastro no site a seguir? Você consegue encontrá-lo em menos de 10 segundos ?
  57. 89. Bom, vamos clicar em “ Meu cadastro ” e ver o que acontece.
  58. 92. Alguém conseguiu ver onde é possível se cadastrar? Não? Nem eu!
  59. 93. Mas como resolver?
  60. 94. Mais fácil não?
  61. 95. Conhece o efeito Las Vegas?
  62. 97. Links evidentes Resultados visíveis Busca fácil e intuitiva Você sabe onde está
  63. 99. - Conhecendo os usuários e como eles usam o site; - Dando prioridade a estas pessoas ao invés das tecnologias; - Seguindo os estudos e pesquisadores; - Testando em situações reais;
  64. 100. A Arquitetura da Informação organiza os sistemas de informação, para que as pessoas possam encontrar de forma fácil o que desejam.
  65. 101. <ul><li>Fluxo de navegação fácil e lógico; </li></ul><ul><li>Disposição dos elementos na melhor forma possível; </li></ul><ul><li>Pontos importantes visíveis e destacados; </li></ul><ul><li>Nomes de seções, campos e etc., intuitivos para qualquer pessoa; </li></ul><ul><li>Texto direto, fácil e na linguagem do usuário. </li></ul>
  66. 102. A Arquitetura da Informação é uma “aliada” da Usabilidade , ambas trabalham juntas na criação de um site fácil de navegar, atingindo assim as expectativas e objetivos do usuário.
  67. 103. <ul><li>Resultados de busca mal organizados; </li></ul><ul><li>Nomes confusos (campos, seções); </li></ul><ul><li>Página desorganizada; </li></ul><ul><li>Performance lenta; </li></ul><ul><li>Navegação inconsistente. </li></ul>
  68. 104. Exemplo de investimento em Arquitetura da Informação
  69. 105. Nova interface do site da empresa Tecnisa , mais clean e consideravelmente mais organizado. Quer saber os resultados?
  70. 106. <ul><li>Aumento de 96% de visitas em 2007; </li></ul><ul><li>Aumento de 81% em vendas; </li></ul><ul><li>Aumento de 29% de taxa de conversão visita/chat; </li></ul><ul><li>Aumento de 50% de taxa de conversão visita/cadastro. </li></ul>
  71. 107. Exemplo de investimento em Arquitetura da Informação – Parte 2
  72. 108. Sky – e-commerce Taxa de conversão de vendas de 0,2% para 50% em 4 meses
  73. 109. Exemplo de Arquitetura da Informação na prática
  74. 110. Notícia principal em destaque (E que notícia!) Busca visível E-mail visível
  75. 111. Wireframe detalhado
  76. 112. Resultado final
  77. 113. É importante descobrir quais os pontos mais importantes da página e trabalhar em cima deles.
  78. 115. - Criar formulários fáceis e acessíveis; - Elementos importantes devem estar destacados e bem posicionados; - Buscas eficientes; - Poucos cliques para chegar ao conteúdo;
  79. 116. “ Se o consumidor não consegue encontrar o produto, ele não poderá comprá-lo” Jakob Nielsen (2003)
  80. 117. Acessibilidade serve para criar sites que possam ser utilizados por pessoas com algum tipo de deficiência, palms, celulares, qualquer navegador e etc.
  81. 118. <ul><li>Sites devem ser acessíveis para deficientes em geral (Por exemplo: deficientes visuais, ou com problemas de coordenação); </li></ul><ul><li>Também devem ser acessíveis para dispositivos móveis como celulares e palms; </li></ul><ul><li>Navegadores com versões diferentes, versão para impressão e etc, fazem parte de uma boa acessibilidade. </li></ul>
  82. 120. Quem precisa de acessibilidade?
  83. 122. Estas pessoas precisam de acessibilidade... você já imaginou se fosse o contrário?
  84. 123. Agora que você já sabe quem precisa de acessibilidade, vamos adiante...
  85. 125. Com uma boa acessibilidade temos...
  86. 128. - Conhecer as necessidade especiais; - Seguindo os padrões web e diretrizes da WCAG; - Testando em situações reais; - Criando textos diretos, bem escritos e sem erros de português;
  87. 129. Sabe qual é o maior cego na Internet?
  88. 131. Mesmo o Google sendo o maior cego, ele não é 100% acessível, ele pode ser considerado razoavelmente acessível segundo Lêda Lucia Spelta do Acesso Digital .
  89. 132. - As pessoas têm pouco tempo; - A Internet agora está ao alcance de pessoas de qualquer nível social ou de conhecimento; - A concorrência cresceu;
  90. 133. A Internet mudou...você mudou?
  91. 134. Primeiro Passo Trabalhar com padrões web (Web Standards): XHTML + CSS Use cada elemento para o qual ele foi feito!
  92. 135. Segundo Passo Entender seu cliente, seu público alvo e criar soluções fáceis e acessíveis para todos.
  93. 136. Terceiro Passo Acompanhar e entender as mudanças da WEB, AJAX, métricas, RSS, Mashup, acessibilidade, design de interação e por aí vai.
  94. 137. Quarto Passo Desenvolver um modelo de desenvolvimento funcional:
  95. 138. - Trabalhar com planejamento; - Entender as necessidades do cliente e do seu público alvo; - Criar ações e estratégias focadas no usuário; - Entender métricas e utilizá-las da melhor forma. Quarto Passo
  96. 139. Ou você está bem posicionado nos buscadores ou você não existe. URL fácil e campanhas de publicidade de divulgação de site são apenas 20% do total das visitas, adivinha de onde estão vindo os outros 80%? Quinto Passo
  97. 140. Buscadores
  98. 141. “ Google fornece 60% das buscas realizadas no planeta, estudo da ComScore “ Fonte: Blue Bus
  99. 144. Custo baixo para obter dados relevantes sobre o projeto, que podem ser utilizados para melhorar a Usabilidade e Arquitetura da Informação , além de entender o que os usuários querem, criando, assim, ações estratégias focadas no usuários .
  100. 145. Será preciso refazer todos os sites? Grande parte sim, já que seus formatos são antiquados e 97% não estão dentro da lei de acessibilidade.
  101. 146. Foco no usuário dá dinheiro para a empresa e para o desenvolvedor , então não perca tempo, entenda as tendências!
  102. 147. Mas quem ganha com foco no usuário?
  103. 148. 1- Você que é usuário, que alcança seus objetivos;
  104. 149. 2- Você desenvolvedor, que cria projetos bons e será reconhecido;
  105. 150. 3- Sua empresa, que será reconhecida por criar projetos úteis e fáceis;
  106. 151. 4- Seu cliente, que terá retorno de várias formas;
  107. 152. Ou seja, todos ganham!
  108. 153. Mitos sobre o foco no usuário
  109. 154. 1 – Site fácil de usar e acessível, não é sinônimo de interfaces extremamente limpas;
  110. 155. 2 – Acessibilidade não é cara, muito menos demorada e muito menos complexa para ser aplicada;
  111. 156. 3 – Acessibilidade NÃO é apenas para pessoas com deficiência visual;
  112. 157. 4 – Não são poucos os usuários beneficiados pela Acessibilidade;
  113. 158. 5 – Nós achamos que sabemos o que é bom para nosso usuário (Isto serve para o desenvolvedor e para o cliente); Para isto existe os profissionais qualificados
  114. 159. <ul><li>O país com mais cadastros no Orkut ; </li></ul><ul><li>O país onde os internautas ficam mais tempo conectados ( Quase 21 horas por mês em média ); </li></ul><ul><li>o 2º maior usuário do YouTube ; </li></ul>
  115. 160. <ul><li>O 3º maior comprador de computadores ( 6 milhões em 2006 ); </li></ul><ul><li>O 4º maior usuário do Second Life ; </li></ul><ul><li>E o país que possui mais de 30 milhões de internautas. </li></ul>
  116. 161. “ Anunciantes vão investir recorde de 31 bilhões de dólares na web em 2007” Fonte: BlueBus
  117. 162. Isso é muito dinheiro!
  118. 163. Mídias são o futuro e a web será a centralizadora disto tudo.
  119. 164. - Vídeos; - Televisão on-line; - Celulares e palms acessando a web; - Tudo fala a mesma língua.
  120. 165. <ul><li>As empresas deverão sair de sua estrutura hierárquica atual para a estrutura colaborativa (ou seja, todos ajudam na colaboração); </li></ul><ul><li>As empresas que souberem organizar e enxergar a importância de focar nos objetivos de seu usuário estarão à frente da concorrência; </li></ul>
  121. 166. <ul><li>Não confie no formato atual da web e muito menos em seus conhecimentos atuais, basta olhar o número de mudanças nos últimos anos; </li></ul><ul><li>Manter-se atualizado não é mais uma necessidade, e sim uma OBRIGAÇÃO nos dias de hoje; </li></ul>
  122. 167. <ul><li>Criar sites que sejam acessíveis e interajam com o maior número de dispositivos possíveis; </li></ul><ul><li>Entenda de teorias e conceitos antes e técnicas e ferramentas depois. Por a mão na massa hoje em dia não é mais luxo; </li></ul>
  123. 168. Teoria + Prática = Profissional Completo
  124. 169. Mantenha o foco no que você gosta de fazer. Em seguida, busque parceiros que façam o restante! Com certeza os resultados serão melhores!
  125. 170. Grandes empresas (Globo.com, AgênciaClick, 10’Minutos e etc), não contratam os profissionais “fazem tudo”
  126. 171. “ Cada macaco no seu galho”
  127. 172. Grande idéias com pequenos investimentos podem valer milhões, por exemplo, YouTube que foi comprado recentemente pelo Google . Crie, não tenha vergonha de errar, uma hora você pode acertar.
  128. 173. A tecnologia cria a necessidade ou a necessidade cria a tecnologia?
  129. 174. Não se preocupem em anotar, isto vai estar na internet na segunda-feira!
  130. 175. Projetando websites com Usabilidade Jakob Nielsen e Hoa Loranger Design para a Internet Felipe Memória Projetando websites Jakob Nielsen Ergodesign e Arquitetura da Informação Luiz Agner
  131. 176. Não me faça pensar Steve Krug Webwriting Bruno Rodrigues Usabilidade na Web Cláudia Dias A cauda longa Chris Anderson
  132. 177. Design de Interação : Além da Interação Homem-Computador Jennifer Preece Information Architecture Louis Rosenfeld e Peter Morville Projetando website compatíveis Jeffrey Zeldman Mirando Resultados Ricardo Almeida
  133. 178. Usabilidoido: www.usabilidoido.com.br Luiz Agner: www.agner.com.br Complicado: www.complicado.wordpress.com Acesso Digital: www.acessodigital.net FatorW: www.fatorw.com Revolução e Etc: www.revolucao.etc.br Tableless: www.tableless.com.br Planta Baixa: www.plantabaixa.wordpress.com Petitpois: www.lulileslie.com
  134. 180. Acesse www.alexandreformagio.com.br e participe da promoção!

×