Os minerais as plantas os animais e o homem

9,889 views

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,889
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5,415
Actions
Shares
0
Downloads
326
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  •     
  •  
  •  
  •  
  • Os minerais as plantas os animais e o homem

    1. 1. PROJETO: CONHECER, SENTIR, VIVER KARDECMúsica: Outra vez – Richard Clayderman Formatação: um.amigo.em.Deus@gmail.com
    2. 2. OS MINERAIS, ASPLANTAS ,OS ANIMAIS EO HOMEM
    3. 3. 585.Do ponto de vista material existem seresorgânicos e inorgânicos. Do ponto de vista moralexistem 4 grau: O Livro dos Espíritos » os minerais e as plantas – q. 585
    4. 4. ☼ Nota Kardec:A matéria inerte, que constitui o reino mineral, sótem em si uma força mecânica. As plantas, ainda que compostas de matéria inerte, são dotadas de vitalidade. O Livro dos Espíritos » os minerais e as plantas – q. 585
    5. 5. ☼ Nota Kardec:Os animais, também compostos dematéria inerte e igualmente dotadosde vitalidade, possuem, além disso,uma espécie de inteligênciainstintiva, limitada. O Livro dos Espíritos » os minerais e as plantas – q. 585
    6. 6. O homem, tendo tudo o que há nas plantas e nos animais, domina todas as outras classes por uma inteligência especial, indefinida, que lhe dá a consciência do seu futuro, a percepção das coisas extra materiais e o conhecimento de Deus.O Livro dos Espíritos » os minerais e as plantas – q. 585 » Nota de Kardec
    7. 7. 586.As plantas não têmconsciência de que existem,não pensam. Só têm vidaorgânica.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 586
    8. 8.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 587587.As plantas recebem impressõesfísicas, mas não têm a sensação dador.
    9. 9. 588.A força que as atraiumas às outras é mecânica enão depende da vontade delaspois não pensam..  Allan Kardec – LE – Q . 588
    10. 10. PLANTA SENSITIVA PLANTA DIONÉIA PLANTA DIONÉIA589. Existem plantas, como a sensitiva e adionéia, que denotam a transição entre anatureza vegetal e a natureza animal.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 589
    11. 11. 590. As plantas têm o que se podechamar de “instinto” ou operaçõesquímicas que as fazem procurar o quelhes útil ou não.   Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 590
    12. 12. 592. Mesmo que alguns homens secomportem pior do que certos animais,ele está acima destes na escalaevolutiva.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 592
    13. 13. 593. A maioria dos animais agempor instinto, mas existem espéciesem que se pode notar vontade euma certa inteligência. Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 593
    14. 14. ☼ Comentário de Kardec: Alémdo instinto, não se poderia negar acertos animais a prática de atoscombinados que denotam a vontadede agir num sentido determinado ede acordo com as circunstâncias. Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 593
    15. 15. ☼ Comentário de Kardec:  Há neles, portanto, uma espécie de inteligênciamas cujo exercício é mais precisamenteconcentrado sobre os meios de satisfazer às suasnecessidades físicas e proverá sua conservação.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 593
    16. 16. ☼ Comentário de Kardec:  Não há entre eles nenhuma criação nenhummelhoramento; qualquer que seja a arte queadmiramos em seus trabalhos, aquilo que faziamantigamente é o mesmo que fazem hoje, nem melhornem pior segundo formas e proposições constantes einvariáveis.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 593
    17. 17. ☼ Comentário de Kardec:  Se alguns são suscetíveis de uma certa educação, essedesenvolvimento intelectual, sempre fechado em estreitoslimites, é devido à ação do homem sobre uma naturezaflexível, pois não fazem nenhum progresso por si mesmos,e esse progresso é efêmero, puramente individual, porqueo animal, abandonado a si próprio,  não tarda a voltaraos  limites traçados pela  Natureza.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 593
    18. 18. 594.Os animais têm uma linguagem restrita às sua necessidades.Eles se dizem muito mais coisas do que podemossupor.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 594
    19. 19.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 595595. O animal não sofre a consequência de seusatos, por não ter livre-arbítrio, existe liberdaderestrita ao atos materiais. 
    20. 20.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 596 596. A aptidão que possuem certos animais para imitar procede da particular formação dos órgãos e pelo instinto de imitação.
    21. 21. 597. Os animais possuemum princípio que sobreviveà morte, pois possuem umacerta inteligência e umacerta liberdade.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 597
    22. 22. 597ª. Esse princípio é semelhante ao do homem,mas é inferior ao deste. Há, entre a alma dos animais e a do homem, tanta distância quanto entre a alma do homem e Deus.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q .
    23. 23. 598. A alma dos animais conserva após a mortesua individualidade e a consciência de si mesma? R. Sua individualidade sim, mas não a consciência de si mesma. A vida inteligente permanece em estado latente.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 598
    24. 24. 599.A alma dos animais pode escolher aespécie em que prefira encarnar-se?R. Não, ela não tem o livre-arbítrio.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 599
    25. 25. 600.A alma do animal sobrevive à morte. É classificado pelos espíritos encarregados e utilizado imediatamente. Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 600
    26. 26. O LIVRO DOS MÉDIUNS » CAPÍTULO XXV» EVOCAÇÕES DOS ANIMAIS - 28336ª Pode evocar-se o Espírito de um animal?"Depois da morte do animal, o princípio inteligenteque nele havia se acha em estado latente e é logoutilizado, por certos Espíritos incumbidos disso,para animar novos seres, em os quais continua ele aobra de sua elaboração. Assim, no mundo dosEspíritos, não há, errantes, Espíritos de animais,porém unicamente Espíritos humanos."
    27. 27. 601.Animais também estão sujeitos ao progresso,nos mundos superiores os homens os têm comoservidores inteligentes.   Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 601
    28. 28. 602. Os animaisprogridem pelaforça das coisas enão pela vontade,por isso não estãosujeitos à expiação.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 602
    29. 29. 603.Nos mundos superiores os animaisconhecem a Deus?“Não Para eles o homemé um deus, como outroraos Espíritos eram deusespara o homem.”  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 603
    30. 30. 604. Deus não criou os animais para permanecerna inferioridade. Na Natureza, tudo se encadeia. 604ª.A inteligência é um ponto de contato entre os animais e o homem embora a grande diferença entre eles.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 604 E 604A
    31. 31. 605.O homem não tem duas almas, mas duasnaturezas, a animal e a espiritual. 605ª. A alma do animal e a do homem são tão distintas uma da outra, que uma não pode animar o corpo da outra.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 605 E 605A
    32. 32. 606. Donde tiram os animais o princípiointeligente que constitui a alma de naturezaespecial de que são dotados? R. “Do elemento inteligente universal.”  Allan Kardec – LE – Q . 606
    33. 33. 606. a) A inteligência do homem edo animal emanam de um únicoprincípio inteligente. No homem elaestá mais elaborada.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 606A
    34. 34. 607. Onde passa o Espírito na primeirafase do seu desenvolvimento?“Numa série de existências queprecedem o período a quechamais humanidade.”  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 607 HOMINÍDEOS
    35. 35. 607a. Nos seres inferiores danatureza, o princípio inteligente seelabora e se individualiza pouco apouco.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 607A
    36. 36. 607b. O período de humanização começa geralmente em mundos ainda inferiores à Terra. Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 607B
    37. 37. 608. Após a morte, o espírito não tem aconsciência de suas existências anteriores aoperíodo de humanidade.  Allan Kardec - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Q . 608
    38. 38. 612.O espírito que animou o corpo de umhomem não encarna maisem um corpo de animal.Não há retrocesso na lei. O livro dos Espíritos - livro 2, cap. 11 - metempsicose
    39. 39. Podem os animais ser médiuns?A mediunidade é uma faculdade doreino hominal. Os animais não sãomédiuns.
    40. 40. Podem os animais ser médiuns?Sabeis que tomamos ao cérebro do médium oselementos necessários a dar ao nosso pensamento umaforma que vos seja sensível e apreensível; é com oauxílio dos materiais que possui, que o médiumtraduz o nosso pensamento em linguagem vulgar. O Livro dos Médiuns – Allan Kardec » Cap. XXII » 234
    41. 41. Ora bem! Que elementos encontraríamos no cérebrode um animal? Tem ele ali palavras, números, letras,sinais quaisquer, semelhantes aos que existem nohomem, mesmo no menos inteligente? Deveis entãoconcluir que os animais não podem servir deintérpretes. O Livro dos Médiuns – Allan Kardec » Cap. XXII » 234
    42. 42. É certo que os espíritos podem tornar-se visíveis etangíveis aos animais e, muitas vezes, o terror súbitoque eles denotam, sem que lhe percebais a causa, édeterminado pela visão de um ou de muitos Espíritos,mal-intencionados com relação aos indivíduospresentes, ou com relação aos donos dos animais. O Livro dos Médiuns – Allan Kardec » Cap. XXII » 234

    ×