Obsessão doença moral

22,145 views

Published on

Published in: Spiritual
2 Comments
12 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
22,145
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
15,699
Actions
Shares
0
Downloads
705
Comments
2
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Obsessão doença moral

  1. 1. OBSESSÃO:DOENÇA MORAL DAHUMANIDADE
  2. 2. O número de obsidiados é muito maior,do que se pode imaginar.Não mensurada ou detectada comfacilidade, a obsessão campeiadesarvorada, arrebanhando multidõesde vítimas que se deixam consumir,num como noutro plano de Vida.Trilhas de Libertação - Introdução - Philomeno deMiranda
  3. 3. COMO PODEMOSCONCEITUAR A OBSESSÃO?A obsessão é a ação persistente queum Espírito mau exerce sobre umindivíduo. Apresenta caracteres muitodiversos, desde a simples influênciamoral, sem perceptíveis sinaisexteriores, até a perturbação completado organismo e das faculdades mentais.Allan Kardec - O Evangelho Segundo o EspiritismoCapítulo XXVIII – Coletânea de preces espíritas.
  4. 4. Allan Kardec - O Evangelho Segundo o EspiritismoObsessão: é o domínio que alguns Espíritospodem adquirir sobre certas pessoas. Sãosempre os espíritos inferiores que procuramdominar. Os bons não exercem nenhumconstrangimento. Os maus, agarram-se aos queconseguem prender. Se chegarem a dominaralguém, identificam-se com a vítima e a conduzinconscientemente como se faz com uma criança.
  5. 5. Pululam em torno daTerra os maus Espíritos,em consequência dainferioridade moral deseus habitantes.A ação malfazejadesses Espíritos é parteintegrante dos flageloscom que a Humanidadese vê a braços nestemundo.Allan Kardec - A Gênese C. XIV item 45.
  6. 6. “Quase sempre a obsessão exprime vingançatomada por um Espírito e cuja origemfrequentemente se encontra nas relações que oobsidiado manteve com o obsessor, emprecedente existência.” Allan Kardec - A Gênese C. XIV item 46
  7. 7. A obsessão que é um dos efeitos desemelhante ação, como as enfermidadese todas as atribulações da vida, deve,pois, ser considerada como provação ouexpiação e aceita com esse caráter.Allan Kardec - A Gênese C. XIV item 45.
  8. 8. Assim como as moléstias são o resultadodas imperfeições físicas que tornam o corpoacessível às influências perniciosasexteriores.A obsessão é sempre a decorrência de umaimperfeição moral, que dá entrada a ummau Espírito.Allan Kardec - A Gênese - Obsessões e Possessões – item 46.
  9. 9. Allan Kardec - A Gênese - Obsessões e Possessões – item 46.
  10. 10. Para se preservar das moléstias, fortifica-se o corpo.Para garantir-se contra a obsessão, será precisofortificar a alma.Daí resulta, para o obsedado, a necessidade detrabalhar para sua própria melhoria.O que geralmente basta, na maior parte dos casos,para o desembaraçar do obsessor, sem o auxílio depessoas estranhas.“Allan Kardec - A Gênese“ - Obsessões e Possessões – item 46.
  11. 11. Tal socorrotorna-senecessárioquando:A obsessãodegeneraemsubjugaçãoe empossessão.Pois então opacienteperde porvezes a suavontade e oseu livre-arbítrio.Allan Kardec -A Gênese - Obsessões e Possessões – item 46
  12. 12. No caso de obsessão grave, o obsedado está como queenvolvido e impregnado de um fluido pernicioso queneutraliza a ação dos fluidos salutares, e os repele.Allan Kardec - A Gênese“ - Obsessões e Possessões –item 46
  13. 13. É do fluido que será preciso desembaraçar-se.Ora, um mau fluido não pode ser repelido porum mau.Por uma ação idêntica à do médium curador nocaso de moléstia, será preciso expulsar o fluidomau com o auxílio de um fluido melhor.Allan Kardec - A Gênese - Obsessões e Possessões – item 46
  14. 14. Será preciso, também, e acimade tudo, agir sobre o serinteligente ao qual é preciso tero direito de falar comautoridade.E esta autoridade não é dadasenão à superioridade moral;quanto maior é esta, maior aautoridade.Allan Kardec - A Gênese - Obsessões e Possessões – item 46.Esta é a ação mecânica, porém que nem semprebasta.
  15. 15. A tarefa se torna mais fácil quando oobsedado, compreendendo a situação, trazseu auxílio da vontade e de oração.Não é assim quando o doente, subjugadopelo Espírito enganador, se ilude a respeitodas qualidades de seu dominador, e secompraz no erro em que este o mergulhou;pois, então, longe de auxiliar, ele repele todaassistência.Allan Kardec - A Gênese- Obsessões e Possessões – item 46
  16. 16. Allan Kardec - A Gênese - Obsessões e Possessões – item 47.Na obsessão, o Espírito atua exteriormente por meio deseu perispírito, que ele identifica com o do encarnado;este último se encontra então enlaçado como numa teiae constrangido a agir contra sua vontade.
  17. 17. OS SINTOMAS QUECARACTERIZAM A OBSESSÃODesde simples efeitos morais passando pormanias, fobias, alterações emocionais acentuadas,alterações na estrutura psíquica como dificuldadesde concentração, subjugação de órgãos ou de todocorpo físico.Até a completa desagregação da normalidadepsicológica, e em alguns casos produzindo até aloucura.Artigo: Estudando a obsessão /site: consciência
  18. 18. QUE SINAIS A OBSESSÃO APRESENTA?Uma ideia torturanteque teima em sefixar.Uma força psíquicaque interfira nosprocessos mentais.Uma vontade quetente dominar nossaprópria vontade.Uma inquietaçãocrescente semmotivos reais.O impacto dodesalinho espiritualem francodesenvolvimento– eis os sinais deque o indivíduo estáa caminho de umprocesso obsessivo.(Nos Bastidores da Obsessão, de Manoel Philomeno de Miranda, por Divaldo P. Franco- pp. 27 e 28.)
  19. 19. ObsessãoSimplesFascinaçãoSubjugaçãoImpõe, imiscuiIlusão sobre opensamentoConstriçãoDesagradávelimportunoParalisa oraciocínioParalisa avontadeObsessorConstrangimentoObsidiadoNatureza dosefeitosObsessãoVariedade
  20. 20. Influência negativa de um Espírito sobre o outro deforma duradoura.É uma constrição que paralisa a vontade daquele que asofre e o faz agir a seu mau grado.Obsessão SimplesIlusão produzida pela ação direta de um Espírito sobre opensamento do médium e que lhe paralisa o raciocínio.FascinaçãoSubjugação
  21. 21. Na obsessão simples o Espírito inferior procura, atravésde sua tenacidade e persistência, intrometer-se na vidado obsediado, dando-lhe sugestões que, na grandemaioria das vezes, são contrárias a sua forma habitualde pensar.Obsessão SimplesQuando se trata, por exemplo, de um médiumacometido por obsessão simples, o Espírito inferior seintromete nas suas comunicações e o impede de secomunicar com outros Espíritos, ou se apresentasubstituindo e se fazendo passar por outros.
  22. 22. Entretanto, esclarece Kardec, ninguém está obsediadopelo fato de ser enganado por um Espírito mentiroso. Aobsessão consiste na ação persistente de um Espírito,e do qual não se consegue desembaraçar, à pessoasobre quem ele atua.Obsessão SimplesO melhor médium pode ser enganado, sobretudo nocomeço, que lhe falta a experiência necessária, pode-se pois, ser enganado sem ser obsediado.
  23. 23. "A obsessão simples, é uma parasitose comum emquase todas as cria-turas, considerando o naturalintercâmbio psíquico existente em to-dos os setores doUniverso."O Espírito Manoel Philomeno de Miranda afirma-nos:Surgem, assim, como si-nais e sintomas da obsessãosimples, as desconfianças excessivas, os estados deinsegurança pessoal, as enfermidades sem causasdefinidas, etc.Entretanto, o problema reside na fixação, pois o própriosigni-ficado da palavra obsessão, como vimos, revelaideia fixa, o que ca-racteriza o instalação do processoobsessivo.
  24. 24. Podemos incluir nessa categoria os casos de obsessãode efeitos físicos, isto é, a que consiste nasmanifestações ruidosas e obstinadas de algunsEspíritos, que fazem se ouçam, espontaneamentepancadas, ruídos. Pelo que chamamos manifestaçõesfísicas espontâneas ou obsessão de efeitos físicos.Observamos também, mudanças algo súbitas notemperamento habitual do obsediado, em razão dasmensagens telepáticas emitidas pelo obses-sor ereforçadas nos clichês mentais que ressurgem dosarquivos do in-consciente.
  25. 25. Na fascinação, as consequências são mais sérias. Éuma ilusão, produzida pela ação direta do Espíritoobsessor sobre o pensamento, e que, de certamaneira, lhe paralisa o raciocínio e o seu julgamento.O fascinado não acredita que o estejam enganando eo Espírito fascinador tem a capacidade de lhe inspirarconfiança cega.A ilusão pode mesmo ir ao ponto de fazê-lo ver osublime na linguagem mais ridícula.Fascinação
  26. 26. O fascinado não se sente incomodado com a presençae a influência do obsessor, muitas vezes até gosta, eforma-se então o verdadeiro processo de simbiosepsíquica.FascinaçãoO Espírito obsessor nesses casos é hábil, astuto eprofundamente hipó-crita, pois usa uma imagem queesconde suas verdadeiras intenções.Usa com frequência as palavras caridade, humildade eamor a Deus como credenciais, mas, através de tudo,deixa transparecer sinais de inferioridade.
  27. 27. A fascinação é difícil de ser tratada porque oobsediado recusa orientação e tratamento, pois nãoacredita estar sob influência obsessiva, e até, àsvezes, acredita que todos os demais é que seencontram obsediados, magoa-se e afasta-se daspessoas que o podem esclarecer.Fascinação
  28. 28. A subjugação é o tipo de obsessão em que existe aparalisia da vontade do obsediado e o obsessorassume o domínio completo de sua vítima, que éescravizada, perdendo a vontade própria. Asubjugação pode ser moral ou corporal (física).Subjugação
  29. 29. Parasita pertinaz, a obsessão se constitui de toda ideiaque se fixa de fora para dentro – como na hipnose, porsugestão consciente ou não, como pela incoercívelpersuasão de qualquer natureza a que se concedearrastar o indivíduo.Ou, de dentro para fora, pela dominadora forçapsíquica que penetra e se espraia, no anfitrião queagasalha e sustenta, vendendo-lhe as débeisresistências.Estudos espíritas, pelo espírito Joanna de ÂngelisPARASITA PERTINAZ
  30. 30. Toda obsessão decorre daperfeita sintonia entre o agenteperturbador e o pacienteperturbado.Sintonia por comunhão mental namesma faixa vibratória ou poridenrtificação idealista das correntesdo pensamento.Lampadário Espírita - Págs. 123-124 - Divaldo pereira Franco pelo espírito:Joanna de Ângelis
  31. 31. Encarnados DesencarnadosTIPOS DE OBSESSÃO
  32. 32. OS MEIOS DE SE COMBATER A OBSESSÃOVariam de acordo com o caráter que elareveste.Kardec lembra que as imperfeições moraisdo obsidiado constituem, com frequência,um Obstáculo à sua libertação.Nos Bastidores da Obsessão, de Manoel Philomeno de Miranda, por Divaldo P. Franco
  33. 33. OS MEIOS DE SE COMBATER A OBSESSÃOVárias providências são importantes naterapia da obsessão:Alta dose de renúncia e abnegação dosque se oferecem e se dedicam a essemister.Conduta moral elevada dos envolvidos.Oração sincera e fervorosa.Nos Bastidores da Obsessão, de Manoel Philomeno de Miranda, por Divaldo P. Franco
  34. 34. OS MEIOS DE SE COMBATER A OBSESSÃONos Bastidores da Obsessão, de Manoel Philomeno de Miranda, por Divaldo P. FrancoModificaçãoradical decomportamento doobsidiado.Assistência médicapor causa dodesgaste orgânicoe psíquico doenfermo.Ajuda dos Espíritossuperiores; passesmagnéticos.
  35. 35. OS MEIOS DE SE COMBATER A OBSESSÃONos Bastidores da Obsessão, de Manoel Philomeno de Miranda, por Divaldo P. FrancoA assepsia moral doenfermo, a reeducaçãoda sua vontade.A prática da oração, numverdadeiro programa evangélicobem disciplinado, edificam umacidadela moral de defesa emvolta do indivíduo.
  36. 36. Em todos os casos de obsessão, a oração é omais poderoso auxiliar para agir contra o Espíritoobsessor.Allan Kardec - A Gênese- Obsessões e Possessões – item 46
  37. 37. A obsessão, portanto, é quase sempredecorrente de uma imperfeição moral,que permite a associação de ideiasentre o obsessor e o obsedado, emconsequência da Lei de Causa eEfeito.Dizem os Espíritos que Deus permite aação obsessiva, para por o homem àprova da paciência, da perseverança,do aprendizado, do respeito aopróximo e da Fé na Divina Providencia.CONCLUSÃO

×