O homem depois da morte

4,742 views

Published on

2 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
4,742
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,245
Actions
Shares
0
Downloads
168
Comments
2
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O homem depois da morte

  1. 1. 144 - Como se opera a separação da alma e do corpo? opera-se brusca ou gradualmente? R. A libertação se opera gradualmente e com uma lentidão variável, segundo os indivíduos e as circunstâncias da morte. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 144.
  2. 2. 145 - Qual é a situação da alma imediatamente após a morte do corpo? Ela tem, instantaneamente, a consciência de si mesma? Em uma palavra, o que ela vê? O que sente? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 145.
  3. 3. R. No momento da morte, primeiro tudo é confuso; A lucidez das ideias e a memória do passado lhe retornam à medida que se desfaz a influência da matéria. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 145.
  4. 4. A duração da perturbação que se segue à morte é muito variável; pode ser de algumas horas somente, como de vários dias, de vários meses e mesmo de vários anos. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 145.
  5. 5. Ela é menos longa naqueles que, durante a vida, se identificaram com seu estado futuro, porque compreendem imediatamente sua situação; é tanto mais longa quanto o homem tenha vivido mais materialmente. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 145.
  6. 6. Para aquele cuja consciência não é pura e que está mais preso à vida corporal que à espiritual, ela é cheia de ansiedade e de angústias que aumentam à medida que ela se reconhece. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 145.
  7. 7. A sensação que se poderia chamar física é a de um grande alívio e de um imenso bem-estar; sente-se como livre de um fardo, e se está muito feliz por não sentir mais as dores corporais que se sentia poucos instantes antes de se sentir livre. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 145.
  8. 8. 146 - A alma, que deixou o corpo, vê Deus? R. As faculdades perceptivas da alma são proporcionais à sua depuração; não é dado senão às almas de elite gozar da presença de Deus. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 146.
  9. 9. 147 - Se Deus está por toda parte, por que todos os Espíritos não podem vê-lo? R. Deus está por toda parte porque ele irradia por toda parte, e pode-se dizer que o Universo está mergulhado na divindade. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 147.
  10. 10. Mas os Espíritos atrasados são rodeados de uma espécie de neblina que o oculta aos seus olhos, e que não se dissipa senão à medida que eles se depuram e se desmaterializam. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 147.
  11. 11. 148 - Depois da morte, a alma tem consciência de sua individualidade? Como a constata e como podemos constatá-la? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 148.
  12. 12. R. Se as almas não tivessem mais individualidade depois da morte, seria para elas, e para nós, como se não existissem, e as consequências morais seriam exatamente as mesmas. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 148.
  13. 13. 149 - O gênero de morte influi sobre o estado da alma? R. O estado da alma varia consideravelmente segundo o gênero de morte, mas, sobretudo, segundo a natureza dos hábitos que teve durante a vida. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 149.
  14. 14. Na morte natural, o desligamento se opera gradualmente e sem abalo; frequentemente, ele começa mesmo antes que a vida se extinga. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 149.
  15. 15. Na morte violenta por suplício, suicídio ou acidente, os laços se rompem bruscamente; o Espírito, surpreendido pelo imprevisto, fica como atordoado pela mudança que nele se opera e não compreende sua situação. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 149.
  16. 16. 150 - Aonde a alma vai depois de ter deixado o corpo? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 150.
  17. 17. R. Ela não se perde na imensidade do Infinito, como geralmente se figura; ela erra no espaço e, o mais frequentemente, no meio daqueles que conheceu, e sobretudo daqueles que amou, podendo se transportar instantaneamente a distâncias imensas. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 150.
  18. 18. 151 - A alma conserva as afeições que tinha sobre a Terra? R. Ela conserva todas as afeições morais; não esquece senão as afeições materiais que não são mais da sua essência. Por isso, vem com alegria rever seus parentes e seus amigos, e é feliz por dela se lembrarem. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 151.
  19. 19. 152 - A alma conserva a lembrança do que fez sobre a Terra? Se interessa pelos trabalhos que deixou inacabados? R. Isso depende da sua elevação e da natureza dos seus trabalhos. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 152.
  20. 20. Os Espíritos desmaterializados pouco se preocupam com as coisas materiais, das quais são felizes de estarem livres. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 152.
  21. 21. 153 - A alma reencontra no mundo dos Espíritos os parentes e amigos que a precederam? R. Não somente os reencontra, mas reencontra aí muitos outros que havia conhecido nas suas precedentes existências. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 153.
  22. 22. Geralmente, aqueles que por ela mais se afeiçoam vêm recebê-la na sua chegada ao mundo dos Espíritos, e a ajudam a se libertar dos laços terrestres. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 153.
  23. 23. 154 - Qual é, na outra vida, o estado intelectual e moral da alma da criança morta em tenra idade? Suas faculdades estão na infância, como durante a vida? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 154.
  24. 24. R. O desenvolvimento incompleto dos órgãos da criança não permitia ao Espírito se manifestar completamente; liberto desse envoltório, suas faculdades são as que tinha antes da sua encarnação. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 154.
  25. 25. 155 - Que diferença há, depois da morte, entre a alma do sábio e do ignorante, do selvagem e do homem civilizado? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 155.
  26. 26. R. A mesma diferença, aproximadamente, que existe entre eles durante a vida, porque a entrada no mundo dos Espíritos não dá à alma todos os conhecimentos que lhe faltavam sobre a Terra. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 155.
  27. 27. 156 - As almas progridem intelectual e moralmente, depois da morte? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 156.
  28. 28. R. Elas progridem mais ou menos segundo sua vontade, e algumas progridem muito, mas têm necessidade de porem em prática, durante a vida corporal, o que adquiriram em ciência e em moralidade. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 155.
  29. 29. Aquelas que estão estacionárias retomam uma existência análoga à que deixaram; as que progrediram merecem uma encarnação de uma ordem mais elevada. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 155.
  30. 30. 159 - As almas têm ocupações na outra vida? Ocupam-se de outras coisas além das suas alegrias ou seus sofrimentos? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 159.
  31. 31. R. Se a almas não se ocupassem senão de si mesmas durante a eternidade, isso seria egoísmo, e Deus, que condena o egoísmo, não aprovaria na vida espiritual o que pune na vida corporal. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 159.
  32. 32. As almas ou Espíritos têm ocupações de acordo com seu grau de adiantamento, ao mesmo tempo que procuram se instruírem e melhorarem. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 159.
  33. 33. As almas ou Espíritos têm ocupações de acordo com seu grau de adiantamento, ao mesmo tempo que procuram se instruírem e melhorarem. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 159.
  34. 34. 161 - A prece é útil para as almas sofredoras? R. A prece é recomendada por todos os bons Espíritos; por outro lado, ela é pedida pelos Espíritos imperfeitos como um meio de aliviar seus sofrimentos. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 161.
  35. 35. A alma pela qual se ora experimenta alívio, porque é um testemunho de interesse e o infeliz é sempre aliviado quando encontra corações caridosos que se compadecem de suas dores. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 161.
  36. 36. 162 - Em que consistem os gozos das almas felizes? Elas ficam em eterna contemplação? Allan Kardec – O que é o espiritismo, 162.
  37. 37. R. A justiça quer que a recompensa seja proporcional ao mérito, como a punição à gravidade da falta; há, portanto, graus infinitos nos gozos da alma, desde o instante em que ela entra no caminho do bem, até que atinja a perfeição. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 162.
  38. 38. A felicidade dos bons Espíritos consiste em conhecer todas as coisas, não ter nem ódio, nem ciúme, nem inveja, nem ambição, nem nenhuma das paixões que fazem a infelicidade dos homens. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 162.
  39. 39. Um estado de contemplação perpétua seria uma felicidade estúpida e monótona, própria do egoísta, uma vez que sua existência seria uma inutilidade sem limites. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 162.
  40. 40. A vida espiritual, ao contrário, é uma atividade incessante pelas missões que os Espíritos recebem do ser supremo, como sendo seus agentes no governo do Universo; missões que são proporcionais ao seu adiantamento e das quais são felizes, porque lhes fornecem ocasiões de se tornarem úteis e de fazerem o bem. Allan Kardec – O que é o espiritismo, 162.

×