Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

[Palestra AgileTrends 2016] Cerimonias e Praticas Ageis Nao Ortodoxas

882 views

Published on

Agile Trends 2016 - São Paulo, Brazil.
#supertrends2016

Nesta palestra vamos focar na apresentação de cerimônias e práticas Ágeis que vão além das mais conhecidas provenientes de eXtreme Programming, Scrum e outras metodologias. Tambem será abordado alguns cases utilizados em startups, clientes e empresas de pequeno, médio e grande porte e o seus respectivos resultados, sejam eles de fracasso ou sucesso. O intuito é proporcionar uma reflexão aos participantes da palestra e um convite a entender o seu próprio contexto experimentando e avaliando os resultados de novas cerimônias e práticas.

Published in: Software

[Palestra AgileTrends 2016] Cerimonias e Praticas Ageis Nao Ortodoxas

  1. 1. @gfcmotta Cerimônias e Práticas Ágeis Não OrtodoxasSão Paulo - 2016
  2. 2. https://i.ytimg.com/vi/JDYIrVlc0Nc/maxresdefault.jpg @gfcmotta
  3. 3. https://i.ytimg.com/vi/JDYIrVlc0Nc/maxresdefault.jpg cerimônia + prática Clube do Livro para Gestão @gfcmotta
  4. 4. Clube do Livro para GestãoParticipantes: Líderes, Gestores, Executivos da organização quanto a leitura. Desenvolvedores e demais profissionais da TI no processo de sugestão e priorização de livros. Escopo: Time de gestão da organização. Benefícios: Ter um canal de comunicação entre os profissionais da empresa e a gestão. Influência dos profissionais sobre temas e áreas para os gestores estarem acompanhando. Aproximação de indivíduos com experiências e expertises específicas de executivos e gestores. Local: Geralmente dentro da própria organização. Cadência: A cada dois meses ou o prazo que for necessário para leitura e preparação. Tempo: Sessões periódicas para brainstorm e priorização (timebox 1 hora) e o tempo necessário para os gestores realizarem a leitura (trabalhávamos com algo entre 1 e 2 meses). Após a leitura, estes compilam em algum tipo de apresentação o que acharam interessante ou útil para o contexto da organização (1 – 2 horas a cada livro). Custo: $$$$$ Descrição Resumida: Os profissionais da TI da organização faziam sessões de brainstorm para popular um backlog de livros para leitura. Estes mesmos profissionais priorizavam e os gestores recebiam uma copia de algum livro entre os top 3 (acordado entre todos) para leitura com um timebox definido (ex: 2 meses). Após o prazo, os gestores faziam uma “devolutiva” sobre o conteúdo do livro. O que acharam mais interessante, o que poderia ser aplicado na organização e etc. https://i.ytimg.com/vi/JDYIrVlc0Nc/maxresdefault.jpg @gfcmotta
  5. 5. @gfcmotta
  6. 6. Tabatas cerimônia + prática @gfcmotta
  7. 7. TabatasParticipantes: Membros do time de desenvolvimento. Escopo: Geralmente a nível de time. Benefícios: Aproximar os membros do time, rotacionar a responsabilidade pela cerimônia, o time fazer algum tipo de exercício em conjunto e outros. Local: Geralmente na área de trabalho ou em áreas comuns desde que não atrapalhe a atenção e os ouvidos de outras equipes da organização. Cadência: Uma vez por semana. Tempo: Timebox de 4 minutos. Custo: $ Descrição Resumida: Algum membro do time, prepara um treino de Tabata que é composto por séries de 20 segundos de exercícios idealmente de alta intensidade, descansa 10 segundos e repete as próximas 7 séries (totalizando 8, em 4 minutos). @gfcmotta
  8. 8. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fc/Laurentius_de_Voltolina_001.jpg @gfcmotta
  9. 9. Tataki-dai cerimônia + prática @gfcmotta
  10. 10. Tataki-daiParticipantes: Qualquer proponente de alguma idéia, mudança, hipótese, experimento e outros. Escopo: Tende a fazer mais sentido em times ou áreas de conhecimento (ex: Agile Coaches). Benefícios: Exercitar o processo de comunicação de maneira clara, consisa e objetiva. Perder o medo de dar ideias. Justificar, argumentar e convencer outros de suas ideias. Aproximar indivíduos da organização. E outros. Local: Geralmente dentro da própria organização. Cadência: Mensal - dependendo da quantidade de ideias e propostas que surgem. Atualmente utilizamos como prática e não como cerimônia (mas queremos chegar lá!). Tempo: Uma sessão de 1 hora tende a ser suficiente para apresentar uma ideia e dar feedback, mas pode ser ajustado de acordo com os participantes e criticidade/importância da mesma. Custo: $$ Descrição Resumida: Tataki-dai ou Disputatio é uma “dinâmica” de alguem defender e expor uma ideia para um grupo de especialistas, estudiosos, mestres e afins para que eles critiquem ao máximo possível. Se a ideia sobreviver e passar por este processo ela merece ser refinada e trabalhada para se tornar algo mais concreto. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fc/Laurentius_de_Voltolina_001.jpg @gfcmotta
  11. 11. @gfcmotta
  12. 12. Dias Temáticos - Testing Day - Innovation Day - Slack Day - Hackathon ... cerimônia + prática @gfcmotta
  13. 13. Dias TemáticosParticipantes: Times de desenvolvimento (ou alguns de seus integrantes) e/ou departamentos e/ou organização. Escopo: Pode ser a nível de Time ou Departamento ou Organizacional. Benefícios: Visões diferentes de perfis diferentes efetuando o mesmo trabalho com ou sem expertise gerando entregas que dificilmente aconteceriam sem este foco. Local: Tende a ocorrer em espaços diferenciados da área habitual de trabalho, já que a organização (ou time) não para totalmente para este dia. Cadência: Bimestral ou trimestral tendem a ser mais comuns. Tempo: um dia (8+ horas). Custo: $$$ Descrição Resumida: Basicamente um dia com um propósito e objetivos claros para papéis e profissionais que talvez não desempenhem esta função no dia a dia mas podem trazer uma perspectiva inovadora e diferente, proporcionando ganhos significativos para as organizações. Exemplos: Dia da Inovação, Dia da Qualidade... https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fe/Boy%5E_I_sure_did_a_good_day's_work_today%5E_-_NARA_-_534883.jpg @gfcmotta
  14. 14. @gfcmotta
  15. 15. Inception (aka pre-game) cerimônia + prática @gfcmotta
  16. 16. InceptionParticipantes: Desenvolvedores, profissionais de negócio, SMEs (Subject Matter Experts), Especialistas de TI, Generalistas de TI.. Resumindo: profissionais que estejam inseridos na cadeia de valor daquele produto/serviço/plataforma que estará em discussão. Escopo: Tende a conter profissionais de toda organização e pode envolver terceiros (fornecedores, especialistas, usuários finais e etc). Benefícios: Visões complementares. Possíveis descobertas que podem inviabilizar uma iniciativa. Uma visão conjunta e colaborativa. Local: Pode ser dentro da organização desde que os profissionais mantenham-se focados e não acabem se envolvendo em outras atividades em paralelo. Cadência: Sob-demanda. Temos trabalhado com uma concepção composta por múltiplos projetos. Tempo: De dias a semanas. Custo: $$$$$ Descrição Resumida: Uma Inception ou o período de pre-game é a etapa onde profissionais se reúnem para responder algumas perguntas sobre o que será feito: qual o propósito? qual o valor de negócio? qual a prioridade? quem é o nosso usuário? quanto vai custar? quanto vamos entregar? quanto sabemos sobre o que tem de ser feito? quais as nossas dependências? quais as nossas premissas? quais as nossas restrições? Essas e muitas outras perguntas são respondidas nestes “workshops” que duram em geral algo entre alguns dias a 2 semanas. Existem diversos formatos e facilitadores tendem a usar dinâmicas e práticas distintas. Em português o livro “Direto ao Ponto” do Paulo Caroli apresenta uma “receita de bolo” para se executar Inceptions. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/86/PunchCardDecks.agr.jpg @gfcmotta
  17. 17. @gfcmotta
  18. 18. EoD Mail || Braindump cerimônia + prática @gfcmotta
  19. 19. EoD Mail || BraindumpParticipantes: Membros do time de desenvolvimento. Escopo: Geralmente a nível de time, podendo ser individual. Benefícios: Exercitar a reflexão sobre um período de tempo específico (dia). Possuir um “histórico” seja ele digital ou analógico para futuras referências. Local: N/A Cadência: Geralmente diário (eod mail) ou após alguma reunião específica (no caso de Braindump). Tempo: Tende a ser rápido, algo entre 5 e 10 minutos. Custo: $ Descrição Resumida: EoD Mail (End of day email): Um email com um resumo das atividades realizadas naquele dia. Imaginem como um complemento a stand up que ocorre no início do dia e o EoD email sendo um fechamento do dia. Tende a ser mais útil com times distribuídos em diferentes fusos horários. Braindump (aka Diário de Bordo): Bloco de notas, caderno, post-it.. o meio não é importante, o ponto principal é exercitar a escrita do que ocorreu e guardar de alguma forma. O que foi feito, aprendizados, problemas, desafios, fracassos e sucessos para apoiar futuras decisões de iniciativas, abordagens, projetos e etc. https://c2.staticflickr.com/4/3541/3405423384_82e97f39f9_b.jpg @gfcmotta
  20. 20. https://farm3.staticflickr.com/2815/11355224126_7ffe216abb_o.jpg @gfcmotta
  21. 21. T.A.B. Technical Advisory Board https://farm3.staticflickr.com/2815/11355224126_7ffe216abb_o.jpg cerimônia @gfcmotta
  22. 22. T.A.B.Cadência: A cada duas semanas (depende do número de equipes, arquitetos e etc). Participantes: Representantes de cada equipe de desenvolvimento (geralmente Líderes Técnicos ou algum desenvolvedor da equipe). Escopo: Organizacional ou Programa. Benefícios: Alinhamento sobre decisões de tecnologia a nível organizacional. Local: Preferencialmente presencial e na própria organização. Projetor pode ser importante. Tempo: Sugestão de timebox de 1 hora. Custo: $$$ Descrição Resumida: Em algumas empresas, os executivos compõem um conselho consultivo (muitas vezes ‘decisivo’). O princípio desta cerimônia é bem similar, entretanto o escopo é mais definido e com uma granularidade menor e os participantes são distintos. A pauta é alinhada com um propósito específico, como por exemplo, para arquitetura de software, líderes técnicos e arquitetos se reúnem nesta cadência para promover um alinhamento e entendimento organizacional. https://farm3.staticflickr.com/2815/11355224126_7ffe216abb_o.jpg @gfcmotta
  23. 23. https://c2.staticflickr.com/2/1498/23420948433_6ff3f2886e_b.jpg @gfcmotta
  24. 24. Simulação de Incêndio (aka Fire Drill) https://c2.staticflickr.com/2/1498/23420948433_6ff3f2886e_b.jpg cerimônia @gfcmotta
  25. 25. Simulação de incêndioParticipantes: Desenvolvedores da(s) equipe(s) de desenvolvimento. Escopo: Produto (Time ou Programa). Benefícios: Antecipação de incidentes e problemas em produção. Difusão do conhecimento de operações dentro do time. Potencial melhoria quanto a estabilidade do sistema (uptime/sla). Local: Preferencialmente presencial e na própria organização. Cadência: A cada duas semanas. Tempo: Sugestão de timebox de 4 horas. Custo: $$$$ Descrição Resumida: Esta cerimônia (que iniciou como uma prática), consiste de dado uma determinada cadência, os participantes forçam problemas em produção e de uma maneira prática, controlada e apoiada, gera aprendizados para integrantes toda equipe. https://c2.staticflickr.com/2/1498/23420948433_6ff3f2886e_b.jpg @gfcmotta
  26. 26. @gfcmotta
  27. 27. Horas de Codificação (aka Core Hours, Golden Hours...) prática @gfcmotta
  28. 28. Horas de CodificaçãoParticipantes: Todos profissionais da equipe de desenvolvimento. Escopo: Time. Benefícios: Foco coletivo na execução e entrega, reduzindo interrupções. Dedicação e disponibilidade de todos com o mesmo objetivo. Local: Área de trabalho da equipe. Cadência: Dias inteiros ou janelas de tempo específicas. Tempo: Sugestão de dias inteiros ou timebox diários definidos de cerca de 4 horas (para times que trabalham full-time). Custo: $ Descrição Resumida: Dado que a principal atividade da equipe é desenvolver software, em alguns contextos pode ser interessante blindar o time de forma explícita e acordada a nível organizacional. Alguns exemplos seriam: durante as manhãs o time X não faz reuniões com outras áreas ou não atendem outras áreas da organização. Lógico que dependendo do contexto, esta prática pode ser inviabilizada. É comum ver em algumas organizações a cerimônia de “No meetings day” (exemplo: nas quartas-feiras, o time não participa de nenhuma reunião). @gfcmotta
  29. 29. @gfcmotta
  30. 30. Canvas de Interrupções prática @gfcmotta
  31. 31. Canvas de InterrupçõesParticipantes: O profissional ou equipe que sofre interrupções e quem interrompe o mesmo. Escopo: Individual ou Equipe. Benefícios: Conscientizar e dar visibilidade do número e quantidade de interrupções que este profissional ou equipe está tendo. Melhoria da produtividade do(s) interrompido(s). Transparência para todos sobre as interrupções. Local: Área de trabalho do profissional ou equipe. Cadência: Contínuo, é preenchido a todo momento. Tempo: Sempre. Custo: $ Descrição Resumida: Um Canvas nada mais é que uma “tela branca”. No Canvas de Interrupções, queremos mapear de alguma forma (na foto dividido em dias da semana) o número de interrupções que uma equipe ou indivíduo esta recebendo. A dinâmica é simples, quando alguém da organização gerar uma interrupção, o profissional ou a equipe devem pedir que antes de mais nada, o “interruptor” anote em um post-it o nome e porque está gerando a interrupção. O efeito que este processo tende a gerar é uma redução no número de interrupções e até mudanças de canais de comunicação que não gerem interrupções imediatas. @gfcmotta
  32. 32. @gfcmotta
  33. 33. Reunião Externa (aka Get out of the building) prática @gfcmotta
  34. 34. Reunião ExternaParticipantes: Escopo: - Benefícios: Participar de reuniões no mesmo ambiente em que desempenhamos nosso trabalho nos induz a “pensarmos” que estamos trabalhando. Sair deste mesmo ambiente para algumas reuniões podem despertar a criatividade e trazer benefícios em determinados contextos. Local: Fora da área de trabalho, não necessariamente fora da empresa. Cadência: - Tempo: - Custo: $ Descrição Resumida: Auto explicativo. Um ambiente diferente as vezes pode ser suficiente para tirar uma cerimônia da rotina. @gfcmotta
  35. 35. https://pixabay.com/static/uploads/photo/2013/07/12/12/03/user-145176_960_720.png Vagas em aberto: Agile Coach Scrum Master Canvas de Vagas @gfcmotta
  36. 36. https://pixabay.com/static/uploads/photo/2013/07/12/12/03/user-145176_960_720.png Vagas em aberto: Agile Coach Scrum Master Canvas de Vagas Job Rotation prática @gfcmotta
  37. 37. https://pixabay.com/static/uploads/photo/2013/07/12/12/03/user-145176_960_720.png Vagas em aberto: Agile Coach Scrum Master Canvas de Vagas Job RotationParticipantes: Interessados em conhecer mais sobre seus clientes e usuários. Escopo: Pode ser feito a nível individual, equipe e até organizacional. Benefícios: Vivenciar o outro lado, passar pelos problemas, identificar os gargalos, pontos possíveis de melhoria e outros. Local: Pode significar sair da própria área de trabalho e se juntar a outra área ou equipe. Cadência: Sempre que houver oportunidade dado os benefícios. Tempo: Ocorre em períodos que completem um ciclo que faça sentido (Sprint, mensal, bimestral, trimestral, semestral, anual..). Custo: $$$ (pode custar mais ou menos dependendo da posição e de quanto custaria contratar outro profissional do mesmo nível). Descrição Resumida: É uma prática que carece de um grande apoio e envolvimento das áreas de RH e dos gestores da empresa. Necessita um alinhamento e uma abertura para tais atividades (job rotation). Em uma das empresas onde trabalhei, criamos um Canvas com as vagas em aberto antes de divulgar para o mercado possibilitando que caso alguém tivesse conhecimento, experiência, interesse, tivesse a oportunidade de falar com o seu próprio gestor e o gestor da vaga para avaliar se potencialmente seria plausível. Esta mudança poderia ser “timeboxed” por exemplo: 6 meses em outra área ou função e depois retornar a equipe de origem, ou mesmo rotações sem regressar a equipe original. @gfcmotta
  38. 38. @gfcmotta
  39. 39. Fika (aka merenda) cerimônia @gfcmotta
  40. 40. FikaParticipantes: Interessados em fazer uma pausa, comer e socializar com colegas que não necessariamente são os que trabalhamos no dia a dia. Escopo: Pode ser a nível de Time ou Departamento ou Organizacional. Benefícios: Fortalecer relacionamentos entre os colegas de trabalho, socializar com pessoas de outros times e áreas, incluir na rotina pausas e outros. Local: Geralmente em áreas comuns da organização e até mesmo na área de trabalho. Cadência: Tive algumas experiências onde o time fazia cerca de 15 a 30 minutos por semana. A nível organizacional, já trabalhei em empresas que faziam com cadência mensal após as 18 horas (fora do horário de trabalho) e outra empresa fazia com cadência semanal dentro do horário de trabalho. Tempo: Para um time, algo entre 15 e 30 minutos é aceitável. Custo: $ Descrição Resumida: Fika é uma cerimônia comum na Suécia, onde cada parada para café geralmente é acompanhada de algum bulle (bolinho/algo doce e não muito saudável). Trabalhei em diversos times onde emergiu como cerimônia o hábito de com dias e horários bem definidos, o time todo sai da área de trabalho para fazer um “lanche da tarde” em conjunto. Geralmente nas áreas comuns da organização, mas tambem podendo ocasionalmente incluir algum lugar próximo a organização para não gerar muito impacto e deslocamento. Outro aspecto interessante é a rotação de quem é responsável por trazer o “lanche” da semana. O responsável da semana poderia preparar algo, comprar, desde que atendesse as limitações alimentícias de todos (alergias e preferencias dos profissionais do time). @gfcmotta
  41. 41. @gfcmotta
  42. 42. Lunch & Learn (aka brown bag) cerimônia @gfcmotta
  43. 43. Lunch & LearnParticipantes: Aqueles que se interessam pelo o tema a ser apresentado ou discutido. Escopo: Pode ser a nível de Time ou Departamento ou Organizacional mas tende a ser mais proveitoso quando o escopo é definido pelo interesse (ex: Lunch & Learn sobre Big Data, deveriam particiar os profissionais interessados em saber mais sobre o assunto). Benefícios: Difundir alguma prática, conhecimento, tecnologia, ferramenta e etc importante para a organização e/ou seus profissionais. Não gerar impacto em compromissos de trabalho (dado que ocorre em horário de almoço*). Proporcionar um espaço e um ambiente seguro para promover potenciais palestrantes internos a eventos de TI maiores. Local: Geralmente em áreas comuns da organização e até mesmo na área de trabalho. Cadência: Uma vez a cada duas semanas, mensal, sob demanda.. é importante não tornar uma cerimônia diária. Tempo: Algo entre 1 hora e 90 minutos tende a ser suficiente uma ou mais palestras. Custo: $$$ Descrição Resumida: Uma reunião organizacional durante o horário de almoço. Um cuidado a se levar em consideração é a frequência. Muitos lunch & learn’s podem impactar na vida pessoal dos profissionais e no seu engajamento/motivação. * Não é CLT friendly @gfcmotta
  44. 44. @gfcmotta
  45. 45. Lunch Roulette (aka roleta russa do almoço) prática @gfcmotta
  46. 46. Lunch RouletteParticipantes: Interessados em fazer uma pausa, comer e socializar com colegas que não necessariamente são os que trabalhamos no dia a dia. Escopo: Pode ser a nível individual, de Time (para times maiores), departamento ou Organizacional. Benefícios: Conhecer pessoas novas, gerar relacionamentos internos, promover colaboração e outros. Local: Restaurantes próximos a organização. Cadência: A cada duas semanas ou mensal tende a ser proveitoso. Importante observar o engajamento e se os inscritos estão comprometidos com a prática. Tempo: Horário normal de almoço, cerca de 1 hora. Custo: $ Descrição Resumida: De maneira automatizada ou manual, consiste em ter uma lista de participantes e elaborar um sorteio para formar duplas, trios ou quartetos para almoçar juntos. Não existe uma pauta específica, mas a ideia é conhecer pessoas novas e proporcionar uma melhoria na colaboração e no trabalho dentro de uma organização. @gfcmotta
  47. 47. @gfcmotta
  48. 48. Palavra do Dia prática @gfcmotta
  49. 49. Palavra do DiaParticipantes: Membros do time de desenvolvimento. Escopo: Geralmente a nível de time. Benefícios: Aproximar os membros do time, aprender sobre diferenças culturais e idiomáticas. Local: Geralmente na área de trabalho. Cadência: Uma vez por semana, pode ser incluída após alguma cerimônia como por exemplo reunião diária. Tempo: Menos de 5 minutos. Custo: $ Descrição Resumida: Em um quadro branco (ou Canvas), tenha de maneira visível palavras em múltiplos idiomas (ou até mesmo culturas distintas dentro do Brasil) e compartilhe com o time. A ideia é que seja uma prática atrelada a uma cerimônia (como por exemplo: stand up meeting) e a cada dia um membro da equipe traga algo novo para todos (ou novo para a maioria). https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/52/Quadrilingual_danger_sign_-_Singapore_(gabbe).jpg @gfcmotta
  50. 50. @gfcmotta
  51. 51. Dojo Arquitetura (Sw) prática @gfcmotta
  52. 52. Dojo Arquitetura (Sw)Participantes: Membros do time de desenvolvimento. Escopo: Geralmente a nível de time. Benefícios: Difundir conhecimentos técnicos relacionados a arquitetura. Local: Na própria organização, em alguma sala com projetor. Cadência: Uma vez a cada duas semanas, sob demanda e de acordo com o contexto. Tempo: 2 - 3 horas. Custo: $$$ Descrição Resumida: O Dojo é um espaço para praticar. A ideia do dojo de arquitetura é pensar do zero, se tivéssemos que desenvolver uma aplicação parecida com a que desenvolvemos mas que é conhecida e utilizada por todos, como nós desenvolveríamos? Alguem define a aplicação e a problemática, os outros fazem questionamentos e aí iniciam as suas propostas de solução. As soluções são discutidas, apresentadas e melhoradas coletivamente. Após o ciclo, um resumo do que foi discutido e “a melhor solução” era documentada. Desafios, custos, prazos, restrições, limitações são alguns dos pontos abordados. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/52/Quadrilingual_danger_sign_-_Singapore_(gabbe).jpg @gfcmotta
  53. 53. @gfcmotta
  54. 54. Metáfora do Sistema prática @gfcmotta
  55. 55. Metáfora do SistemaParticipantes: Membros do time de desenvolvimento. Escopo: Geralmente a nível de time. Benefícios: Difundir a metáfora do sistema. Auxiliar na propriedade coletiva da solução. Unir a equipe. Auxiliar na melhoria contínua (uma solução de arquitetura que não evolui pode ser ruim). Local: Na área de trabalho. Cadência: Inicialmente diáriamente e pode ser incluída após alguma cerimônia como por exemplo reunião diária. Pode ser feita com uma cadência menor. Tempo: Algo entre 5 e 15 minutos. Custo: $ Descrição Resumida: Metáfora do Sistema é comum. Uma prática que talvez não seja é sempre ter na área de trabalho de forma visível um Canvas com a metáfora do Sistema. A ideia é que todos os dias, algum profissional da equipe redesenhe a metáfora do zero. Isto auxilia no processo de propriedade coletiva do produto e da solução e gera uma integração da equipe com o que é feito. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/95/Schema_of_the_layers_of_the_graphical_user_interface.svg/2000px-Schema_of_the_layers_of_the_graphical_user_interface.svg.png @gfcmotta
  56. 56. @gfcmotta
  57. 57. User Acceptance Testing prática @gfcmotta
  58. 58. User Acceptance Testing Participantes: Preferencialmente membros do time de desenvolvimento (podendo ser do negócio). Escopo: Geralmente a nível de time. Benefícios: Vivenciar ao lado do usuário os problemas e desafios. Identificar oportunidades de melhoria. Entender melhor o cliente/usuário. E outras. Local: Geralmente na área de trabalho do cliente/usuário ou em alguma sala específica para poder observar o usuário. Cadência: Pode estar atrelado a entregas/releases ou ser sob demanda. Tempo: Varia muito de acordo com o objetivo da sessão. Custo: $ - $$$$$ Descrição Resumida: https://www.flickr.com/photos/lucamascaro/4641678391 @gfcmotta
  59. 59. Cerimônias e Práticas Ágeis Não Ortodoxas São Paulo - 2016 Obrigado! gfcmotta@gmail.com

×