Tecnologias e Educação: desafios e possibilidades

1,025 views

Published on

Palestra apresentada à Diretoria Acadêmica da Estácio, 29/07/2014

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,025
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Aqui estão os logos das instituições listadas http://portal.estacio.br/cursos/mestrado-e-doutorado/educacao/intercambios.aspx – não sei se isso está atualizado
  • Tecnologias e Educação: desafios e possibilidades

    1. 1. Tecnologias e Educação: desafios e possibilidades 20 de junho de 2014 Profa. Dra. Giselle M. S. Ferreira Linha de Pesquisas Tecnologias de Informação e Comunicação nos Processos Educacionais – TICPE Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/UNESA
    2. 2. Roteiro • Contexto • Sobre a Tecnologia Educacional (TE) • Dois exemplos: OA e REA • Caso: TE na Open University do Reino Unido • Complementação: ensino e pesquisa com/sobre TE no PPGE/UNESA • Discussão
    3. 3. Contexto • Globalização • Desenvolvimento tecnológico – Rapidez – Eficiência – Custo progressivamente mais baixo • Políticas – Ampliação do acesso – Aprendizagem ao longo da vida
    4. 4. Interseção?
    5. 5. O futuro… • New Media Consortium Horizon Project – http://www.nmc.org/horizon-project, aba Publications (todos os níveis; em PT) • An avalanche is coming (Institute for Public Policy Research, GB, thinktank) – http://www.ippr.org/publications/an-avalanche-is-coming- higher-education-and-the-revolution-ahead
    6. 6. …do presente
    7. 7. Um cenário https://www.youtube.com/watch?v=jZkHpNnXLB0 Um dia feito de vidro (2) (Corning Inc.)
    8. 8. Práticas Educativas Meios e materiais No tocante à Educação… Sítio de aprendizagem Papel do professor Ubiquidade Utilidade Ação transformativa?
    9. 9. Novas concepções
    10. 10. Objetos de Aprendizagem: concepção “Conteúdo” em “unidades reusáveis”
    11. 11. Objetos de Aprendizagem: origens Década de 1960, popularização na década de 1990 Contingências: – Na Computação: desenvolvimento de técnicas de Programação Orientada a Objetos e criação da Web – Na Educação: e-Learning • Educação Corporativa • Mercado Editorial
    12. 12. Objetos de Aprendizagem: desenvolvimentos associados Gestão da informação Content Management Systems (CMS) Learning Management Systems (LMS) Virtual Learning Environments (VLE/AVA) Criação de especificações e padrões industriais Instructional Management Systems Global Consortium (IMS Global)
    13. 13. Objetos de Aprendizagem: críticas 1. David Wiley (2002) Reusabilidade e facilidade de automação (de uso) são inversamente proporcionais 2. Open e-Learning Content Observatory Services (2002, Comissão Européia) - Contingências: lobby e interesses econômicos gerando “soluções” inconsistentes com os propósitos educacionais 3. Norm Friesen (2003) - O que é um objeto de aprendizagem, afinal? - Padrões/especificações de e-learning não se relacionam com aprendizagem: “neutralidade” das abordagens pedagógicas. - Formas de “instrucionismo” derivadas do treinamento militar, i.e., desvinculadas das práticas educativas pertinentes a outros contextos
    14. 14. Objetos de Aprendizagem: reality check COTIDIANO DA EDUCAÇÃO • Concepções e práticas curriculares • Necessidade de adaptação e improvisação • Diálogo professor-aluno
    15. 15. Recursos Educacionais Abertos REA
    16. 16. Recursos Educacionais Abertos: origens MIT OCW (2001) UNESCO (2002) Fundação Hewlett Creative Commons (2001) Computação: Cultura(s) de software livre/aberto Direito: Impacto das tecnologias digitais na área de Direitos Autorais
    17. 17. UNESCO (2002) “o fornecimento de recursos educacionais, possibilitado pelas tecnologias de informação e da comunicação, para consulta, uso e adaptação por parte de uma comunidade de usuários sem fins comerciais”. Recursos Educacionais Abertos: definições Fundação Hewlett (2007) “OER are teaching, learning, and research resources that reside in the public domain or have been released under an intellectual property license that permits their free use or re-purposing by others. Open educational resources include full courses, course materials, modules, textbooks, streaming videos, tests, software, and any other tools, materials, or techniques used to support access to knowledge.”.
    18. 18. Os quatro R (Wiley et al.) • Reusar • Redistribuir • Revisar • Remixar • Direitos autorais • Formatos e interoperabilidade • Localização • Qualidade • Sustentabilidade
    19. 19. Fonte: http://www.oerworldmap.org/ (em 14/06/2014)
    20. 20. Fonte: http://www.mapasdigitais.org/rea/ (em 14/06/2014)
    21. 21. Recursos Educacionais Abertos: exemplos Martin Weller (2010) Big and little OER REA “grandes”: projetos institucionais de vulto (e financiamento externo, esp. da Fundação Hewlett) REA “pequenos”: trabalhos de indivíduos ou pequenos grupos de voluntários; grassroots (“de base”)
    22. 22. Recursos Educacionais Abertos: MIT OCW
    23. 23. Recursos Educacionais Abertos: Connexions (Rice)
    24. 24. Recursos Educacionais Abertos: OpenLearn (Open University)
    25. 25. Open University • Campus central em Milton Keynes, 13 Centros Regionais no Reino Unido e centros locais em todos os países da Europa Ocidental • Aproximadamente 250.000 alunos: a maior universidade da Europa • Aproximadamente 4.500 funcionários: • 1.200 acadêmicos especializados em diversas áreas do conhecimento • Departamentos e centros de apoio (administrativo, legal, editorial, design, etc.) • Quase 8.000 Docentes Associados (Tutores) • Nota 5/5 de satisfação do aluno
    26. 26. A “Universidade do Ar” “ Eu acredito que uma Universidade do Ar, devidamente planejada, poderia fazer uma contribuição imensurável à vida cultural e ao enriquecimento do nosso padrão de vida”. (Harold Wilson, Primeiro-Ministro do Reino Unido, 1970)
    27. 27. Um projeto social • Projeto liderado pela Ministra das Artes, Jennie Lee (Partido Trabalhista) • Fundada em 1969 • Recrutamento de recém-doutores de Oxbridge e outras universidades de “elite” britânicas • 85% financiada pelo governo (inicialmente) • Parceria com a BBC Uma universidade criada para “esnobar os esnobes”
    28. 28. “Abertura” Open as to people, places, methods and ideas
    29. 29. De “Universidade da Segunda Chance” a “escolha da nova geração”
    30. 30. Estrutura: especialização Decano Decano Decano AV (BBC) Faculdades Design Pesquisa interna Serviços de apoio Vice- chanceler Jurídico
    31. 31. Modelo Open: SOL SOL Materiais didáticos Apoio pessoal Tutoria (<25) Student Services Presencial On-line Telefone e correio13 Regiões Central de atendimento Impresso TV e Rádio (BBC) Mídias (VHS a DVD) Web
    32. 32. Componentes
    33. 33. Criando o “pacote” educacional (ótica institucional) 3 Fases: – Desenvolvimento – Produção – Apresentação: 6-9 meses; cursos curtos (10 pontos), 10 semanas
    34. 34. Desenvolvimento
    35. 35. Iteratividade • 4 drafts, mais versão Handover (para edição final) • Em paralelo: desenvolvimento de software, AV, Web, compra de direitos de reprodução, localização de imagens,criação de material promocional, etc. Leitura pela equipe e discussão em grupo Escrita DRAFT FB1 FB2 FBn Revisão
    36. 36. Dispositivos de “qualidade” Planejamento Draft 0: Mapeamento do módulo • Objetivos de Aprendizagem (integração com Mapa Curricular) • Blocos, Partes, Unidades • Mídias integradas Trabalho em equipe • Leitura por pares • Leitura por leigos (e Procedimentos de Testes de Desenvolvimento) • Edição por profissional especializado • Diálogo, com liderança acadêmica, fundamentando a criação de artefatos de software e mídias. Escrita especializada • Autores com conhecimento de questões pedagógicas relativas a sua área do conhecimento Apresentação • Treinamento continuado de tutores • Monitoria (por acadêmicos) • Apoio extra por profissionais
    37. 37. Tendências • Diminuição de custos: financiamento da ES na GB • Centralização e gestão top-down – AVA centralizado(r) versus experimentação – “Enxugamento” do currículo • Expansão da concepção de “abertura”: REA, MOOC, etc. • Padronização: imagem corporativa • Internacionalização: modelos de parceria (Open University Worldwide – http://www.ouworldwide.com/) • Globalização via Internet
    38. 38. TE na Open • Integradas por design: “ensaio e erro” – Gestão de recursos e processos: Documentum eRoom – Criação de recursos: • Structured Authoring (Autoria Estruturada; XML) • Learning Design Templates (Desenho de Aprendizagem) – Produção: Web services • Mídias: popularização/acesso • OA: não (DI apenas nos últimos anos) • AVA: 3 anos de desenvolvimento • REA: estrategicamente integrados – Missão institucional e marketing • MOOC: FutureLearn (https://www.futurelearn.com/) – Risco compartilhado em parcerias
    39. 39. PPG Educação RSPEAlda Mazzotti Mônica Rabello Rita Lima Helenice Maia Tarso Mazzotti Pedro Campos PGFE Laélia Moreira Inês Wânia Gonzalez Alzira Batalha TICPE Márcio Lemgruber Estrella Bohadana Giselle Ferreira
    40. 40. Área de Concentração e Linhas de Pesquisa Políticas, Gestão e Formação de Educadores (Linha PGFE) Tecnologias de Informação e Comunicação nos Processos Educacionais (Linha TICPE) Representações Sociais e Práticas Educativas (Linha RSPE) Área de concentração: Educação e Cultura Contemporânea
    41. 41. Intercâmbios
    42. 42. Nosso trabalho: formação de pesquisadores • Disciplinas: fundamentos téoricos e metodológicos; • Reuniões de grupo: prática e discussão; • Orientação individual: direcionamento das pesquisas, aconselhamento acadêmico e desenvolvimento da voz autoral. Aprender a fazer, fazendo, junto com quem faz.
    43. 43. Defesas
    44. 44. Nosso trabalho: pesquisa • Estrella Bohadana (ebohadana@gmail.com): Filosofia e Educação; Redes Sociais na Educação; EaD • Giselle Ferreira (Coordenação de Linha) (gmdsferreira@gmail.com): TIC e novas abordagens pedagógicas; EaD; metodologia da pesquisa com TIC; Educação, Tecnologia e Filosofia • Márcio Lemgruber (mslemgruber@gmail.com): Filosofia e Educação; EaD; Teoria da Argumentação e a “Novíssima Retórica” • EM PROCESSO DE RECRUTAMENTO!
    45. 45. Integração de TIC
    46. 46. Disseminação
    47. 47. Revista do PPGE
    48. 48. Para saber mais: Site institucional do PPG Educação: http://portal.estacio.br/cursos/mestrado-e-doutorado/educacao.aspx Blog da Linha TICPE: Diálogos sobre TIC e Educação: http://ticpe.wordpress.com Blog do projeto interlinhas TICPE-PGFE, Ateliê de Pesquisa (REA na formação de pesquisadores): http://ateliedepesquisa.wordpress.com Revista Educação e Cultura Contemporânea: http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/index
    49. 49. Sites Creative Commons http://creativecommons.org/ Diálogos sobre TIC e Educação: - vários posts sobre REA - http://ticpe.wordpress.com/category/recursos-educacionais-abertos/ - lista de bibliografia sobre REA em português: http://ticpe.wordpress.com/2013/01/14/recursos-educacionais-abertos-2013-1-ementa-e-leituras/ IMS Global Learning Consortium http://www.imsglobal.org/ MIT OpenCourseware http://ocw.mit.edu/index.htm OpenLearn http://www.open.ac.uk/openlearn Projeto MIRA (mapeamento de projetos REA na América Latina) http://www.mapasdigitais.org/rea/ Projeto REA-Brasil http://www.rea.net.br/
    50. 50. Leituras FRIESEN, N. Three objections to Learning Objects and e-Learning Standards. 2003. Disponível em: http://www.learningspaces.org/papers/objections.html. OKADA, A.; FERREIRA; G. Co-authorship in the age of cyberculture: Open Educational Resources at the Open University of the United Kingdom. Revista Teias (UERJ), 2012. Disponível em: http://www.periodicos.proped.pro.br/index.php/revistateias/article/viewFile/1374/1025. OLCOS. Open Educational Practices and Resources. OLCOS Roadmap 2012. 2002. Disponível em: http://www.olcos.org/cms/upload/docs/olcos_roadmap.pdf. SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N. Recursos Educacionais Abertos. Disponível em: http://www.livrorea.net.br/livro/home.html SANTOS, A. I. Recursos Educacionais Abertos no Brasil: o estado da arte. 2013. Disponível em: http://www.slideshare.net/inamor/recursos-educacionais-abertos-no-brasil-o-estado-da-arte-desafios- e-perspectivas-para-o-desenvolvimento-e-inovaao. WELLER, M. Big and Little OER. In: Proceedings of the OpenEd 2010. 7th Annual Open Education Conference, Novembro 2010, Barcelona. Disponível em: http://oro.open.ac.uk/24702/2/926FFABC.pdf. WILEY, D. The Reusability Paradox. 2002. Disponível em: http://opencontent.org/docs/paradox.html
    51. 51. Créditos das imagens Imagens disponíveis no site Flickr, http://www.flickr.com, sob licença Creative Commons, http://creativecommons.org/licenses/by/2.0/: Alladin´s Lamp: http://bit.ly/1i0O11u Birthday present with a bow: http://www.flickr.com/photos/48424574@N07/4893076714/ Blueprint: http://www.flickr.com/photos/wscullin/3770015203/ Broadcast Antenna http://www.flickr.com/photos/7715592@N03/2177026879/ Innocent girl with laptop: http://www.flickr.com/photos/45688888@N08/5868477998/ Inside out Lego brick: http://bit.ly/1hTz6Ws Puzzle3: http://bit.ly/1pXGEIe What arrived in the post today: http://www.flickr.com/photos/54459164@N00/2812346838/ Mapas: REA no mundo: print de tela (12/06/2014), http://www.oerworldmap.org/ REA no Brasil: print de tela (12/06/2014), http://www.mapasdigitais.org/rea/

    ×