Workshop de Estratégias em Mídias Sociais

498 views

Published on

Workshop da EPNE realizado no SENAC-RN no dia 9/04

Published in: Education, Technology
  • Be the first to comment

Workshop de Estratégias em Mídias Sociais

  1. 1. Workshop  de  Estratégias  em   Mídias  Sociais  Glebe  Duarte  @glebeduarte  Glebejr.net  glebeduarte  
  2. 2. TÁ  TUDO  BEM  AÍ?  
  3. 3. Parte  1  –  Introdução  Parte  2  –  Planejamento  Parte  3  –  Gestão  de  crise  AGENDA  
  4. 4. A  web  Introdução  a  mídias  Sociais  PARTE  1  -­‐  INTRODUÇÃO  
  5. 5. WEB  1.0,  2.0,  3.0...  
  6. 6. Momentos  diferentes   Portais   Usuário   Contexto  
  7. 7. Web  SemânLca  •  Os  dados  são  importantes,  mais  o  foco  é  o   senLdo   –  Empresas  focadas  em  analisar  os  senLmentos   –  Ferramentas  de  clipping,  e  não  só  isso.   –  Vale  a  pena?  
  8. 8. MÍDIAS  SOCIAIS  
  9. 9. Por  que  precisamos  nos  preocupar   com  as  Mídias  Sociais  
  10. 10. Quantos  nós  somos  na  internet  •  81,3  milhões  (F/Nazca)  +12  anos  •  73,9  milhões  (Ibope/Nielsen)  +16  anos  •  Local  de  acesso  é  a  lan  house  (31%)  •  Própria  casa  (27%)  •  Casa  de  parente  de  amigos  (25%,  abril/2010).    •  O  Brasil  é  o  5º  país  com  o  maior  número  de   conexões  à  Internet.  
  11. 11. MoLvos  do  crescimento  da  internet  
  12. 12. O  boom  das  mídias  sociais  
  13. 13. Números  de  hoje  
  14. 14. PARTE  2:  PLANEJAMENTO  PARA  MÍDIAS  SOCIAIS  
  15. 15. 1.  ESTABELECER  SEUS  OBJETIVOS  
  16. 16. Por  quê  estar  nas  redes  sociais?  •  Relacionamento  
  17. 17. Por  quê  estar  nas  redes  sociais?  •  Reconhecimento  
  18. 18. Por  quê  estar  nas  redes  sociais?  •  Venda   –  Social  Commerce   –  F-­‐Commerce   –  Social  Shop   –  Vitrines  On-­‐line  
  19. 19. 1A.  Receber  sugestões  dos   interessados  •  Quem  já  uLliza  •  Quem  quer  colaborar  •  Potenciais  
  20. 20. 2.  ONDE  ESTÃO  SEUS  CLIENTES  
  21. 21. Você  conhece  sua  audiência?  •  IdenLfique  seu  público   –  Classe  Social   –  Formas  de  acesso  (lan  house,  mobile,  etc...)   –  Perfil  de  consumo  
  22. 22. Como  saber  tudo  isso?  •  CRM  (Customer  RelaLonship  Managent)   –  Uma  grande  base  de  dados  mal  uLlizada   –  Não  é  a  ferramenta  é  a  forma  com  que  é  usada   –  Um  simples  banco  bem  organizado  já  pode  ser   uLlizado  •  Social  CRM?  
  23. 23. Como  saber  tudo  isso?  •  Pesquisa!   –  Eventos   –  Formulários   –  Ações  de  cadastro   –  ...  
  24. 24. 3.  MAPEAR  INFLUENCIADORES  
  25. 25. O  que  é  um  influenciador?  
  26. 26. Os  Lpos  de  influenciador  •  Os  populares  •  Os  gurus  •  Os  antenados  •  Os  repórteres/blogueiros  •  Seus  consumidores  
  27. 27. Relacionamento  com  influenciadores  •  Não  se  compra  opinião  •  Crie  relacionamentos/parcerias  
  28. 28. 4.  MAPEAR  RESPONSABILIDADES  
  29. 29. Como  definir  o  Lme  •  Analise  as  ações   –  Sites   –  Artes  gráficas   –  Textos   –  Estratégias   –  Tecnologias  
  30. 30. O  que  pode  ser  terceirizado  •  Estratégia    Parcialmente  •  Criação    Sim  •  Relacionamento   Não  •  Análise   Parcialmente  
  31. 31. 5.  DEFINIR  SEUS  CANAIS  
  32. 32. Onde  você  deve  estar?  •  Estar  em  tudo  não  significa  abrangência  •  Na  pesquisa  de  idenLficação  da  audiência  isso   foi  caracterizado  •  Vá  onde  pode  dar  conta  •  Cada  canal  tem  uma  abordagem  
  33. 33. Facebook  5.  DEFINIR  SEUS  CANAIS  
  34. 34. Facebook  •  Perfil  ou  Fan  Page  •  Grupos  •  AplicaLvos  •  Amigos  ou  Fãs?  •  Relacionamento  •  f-­‐Commerce  •  Ferramentas  
  35. 35. Fan  Page  •  Customização   –  Landing  Page   –  AplicaLvos  que  agregam  conteúdo   •  Youtube   •  Blog   •  Twirer   •  Slideshare   •  Video  ao  Vivo   –  Profile  Pics  
  36. 36. Fan  Page  •  Customização   –  FBML   •  StaLc  FBML   •  hrps://developers.facebook.com/docs/reference/tml/   –  Iframes   •  StaLc  HTML  Plus  
  37. 37. Fan  Page  •  Página  com  FBML   –  IdenLfique  e  use  apenas  os  elementos  realmente   necessários   –  Abuse  do  HTML  e  do  CSS   –  Tags  banidas:   •  Html, head e body
  38. 38. Fan  Page  •  Considerações   –  Vale  a  pena  manter  apenas  a  Fan  Page?   –  “Encontrabilidade”  do  conteúdo   –  Relevância  (básico)  
  39. 39. Grupos  •  Relacionamento  •  Discussão  •  Difusão  de  Conhecimento  e  opinião  •  E-­‐mail  próprio  para  discussão  •  ULlização  de  arquivos,  imagens  e  vídeos  
  40. 40. f-­‐commerce  •  Não  é  novidade  •  Payvment  E-­‐Commerce  Storefront  
  41. 41. •  Possui  R$  •  Pago     (10  $/mês)  
  42. 42. f-­‐Commerce  •  Próximos  passos:  Facebook.com/Deals  
  43. 43. Promoções  •  Promoções  no  Facebook  podem  trazer  mais   engajamento  do  que  no  Twirer  •  Tipos  mais  usados   –  Like  em  foto   –  Like  com  comentário   –  Like  na  Fan  Page  •  AplicaLvos  para  promoções  
  44. 44. Twier  5.  DEFINIR  SEUS  CANAIS  
  45. 45. Twirer  Fale  @converse  D  cochiche  RT:  espalhe  #par`cipe  
  46. 46. Twirer  •  Busca,  Prospecção  e  ferramentas   –  Search.twirer.com   –  TweetDeck   –  Hootsuite   –  Google  
  47. 47. Twirer  •  Promoções   –  TwitRand   –  TwitPromo  •  Cupons   –  TwtQpon  •  Concursos   –  OneKontest     +  hrp://j.mp/9i6Fg0    
  48. 48. Youtube  |  Slideshare  |  Flickr  |  Foursquare  5.  DEFINIR  SEUS  CANAIS  
  49. 49. Plataformas  para  armazenamento  de   conteúdo  e  mais  •  Apresentações  e  documentos  •  Fotos  •  Tudo  junto  ou  tudo  separado?   –  Plugins  ajudam  •  Vídeos  •  Geolocalização  
  50. 50. Vídeos  
  51. 51. Vídeo   62,7% dos internautas acessam sites de vídeo 310 milhões de visitas/mês à sites de vídeo 3 bilhões de minutos/mês gastos em sites de vídeo 12 é o número médio de visitas/usuário na categoria 9,6 min é o tempo médio deComScore  Junho/2010   visitas em sites de vídeo
  52. 52. Sites de vídeos e fotos são amplamenteconsumidos, principalmente pela classe A  
  53. 53. ALvidades  relacionadas  a  vídeos  online   realizadas  nos  úlLmos  6  meses     16-­‐17  anos   18-­‐24  anos   25-­‐34  anos   35-­‐44  anos   45-­‐54  anos   STREAMING  DE  UM  VÍDEO  CURTO   69   80   72   71   67   54   STREAMING  DE  UM  FILME   39   BAIXEI  UM  VÍDEO  “PIRATA”   38   57   48   35   28   25   STREAMING  DE  UM  JORNAL   37   STREAMING  DE  CONTEÚDO  ESPORTIVO   35   STREAMING  DE  SÉRIES   35   51   38   35   28   25   ASSISTI  UM  VÍDEO  SOB  DEMANDA   32   STREAMING  DE  UM  SHOW   29   COMPREI  UM  VÍDEO  ORIGINAL  P/  BAIXAR   10  Q12.  Falando  especificamente  sobre  vídeos  online,  responda  as  seguintes  perguntas:  Quais  das  aLvidades  listadas  abaixo  você  realizou  nos  úlLmos  6  meses?  (RM)  (RODÍZIO)  
  54. 54. Horários  em  que  pessoas  costumam  assisLr  a  vídeos   online  têm  pico  entre  20hrs  e  01hr   Média  total   % 41   38   34   24   24   17   18   18   14   6   05:00  às   09:00  às   12:00  às   15:00  às   18:00  às   19:00  às   20:00  às   21:00  às   22:00  às   01:00  às   08:59   11:59   14:59   17:59   18:59   19:59   20:59   21:59   00:59   04:59  Q.16.  De  forma  geral,  em  que  horário(s)  você  costuma  acessar  a  Internet  para  ver  vídeos  online?    (RM)  
  55. 55. Usuários  não  tem  rejeição  à  propaganda  em  vídeo,  mas   querem  que  o  vídeo  varie  Q.11.Abaixo  estão  algumas  afirmações  sobre  propaganda  online.  Por  favor,  indique  o  quanto  você  concorda  ou  discorda  com  as  frases  abaixo,  uLlizando  uma  escala  de  5  pontos,  onde  1  significa  “Discordo  totalmente”  e  5,    “Concordo  totalmente”.  (RU  por  linha)  
  56. 56. Tipo  de  propaganda  que  usuário  mais     lembra  de  ter  visto   PROPAGANDAS  ANTES  DO  VÍDEO  COMEÇAR   Sempre lembrem que o usuário 30   abriu o vídeo para ver o LOGOMARCA  DE  PATROCINADORES   conteúdo e não uma propaganda. 27   PROPAGANDAS  EM  BANNERS   21   PROPAGANDAS  EM  POP-­‐UPS   21   PROPAGANDAS  DE  CAMADA  TRANSPARENTE   18   PROPAGANDAS  DEPOIS  DO  VÍDEO   15   PROPAGANDAS  NO  MEIO  DO  VÍDEO   8   OUTROS   1   NÃO  LEMBRO  DE  TER  VISTO  PROPAGANDA   29  Q22.  Que  Lpo  de  propagandas  você  lembra  de  ter  visto  quando  você  assisLu  este  úlLmo  vídeo  online?  (RM)  (RODÍZIO)  
  57. 57. Lembrança  de  marca  relacionada  a  vídeos  online  LEMBRO  DA  MARCA  E  DO  PRODUTO/SERVIÇO   Associar o vídeo a consumidores fiéis em redes 19   sociais com certeza gera maior lembrança e, conseqüentemente, compartilhamento do vídeo que está anunciandoLEMBRO  SOMENTE  DA  MARCA   19  LEMBRO  SOMENTE  DO  PRODUTO/SERVIÇO   14  NÃO  ME  LEMBRO  DE  NADA   47  
  58. 58. Ações  relacionadas  a  propagandas  com  associação  aos   vídeos  online  VISITOU  O  SITE  DA  MARCA  OU  PRODUTO  ANUNCIADO   19  CLICOU  NA  PROPAGANDA  PARA  MAIS  INFORMAÇÕES   15  COMENTOU  SOBRA  A  PROPAGANDA  OU  PRODUTO  COM  ALGUÉM   10  PROCUROU  POR  MAIS  INFORMAÇÕES  SOBRE  O  PRODUTO  OU  MARCA  ANUNCIADA   9  COMPROU  ALGO  DA  MARCA  OU  O  PRODUTO  ANUNCIADO   6  OUTRAS  AÇÕES   2  NÃO  TOMOU  NENHUM  TIPO  DE  AÇÃO   60  
  59. 59. Já  deram  um  check-­‐in  na  sua   empresa?  •  Ações  de  geolocalização   –  Publicação  do  seu  estabelecimento   –  Buzz  espontâneo   –  EsLmular  o  check-­‐in   –  Promoções   –  Falhas?  
  60. 60. Blog  5.  DEFINIR  SEUS  CANAIS  
  61. 61. Blog  CorporaLvo  •  Sua  empresa  precisa  de  um  blog?  •  Ferramentas   –  Wordpress   –  Blogspot  
  62. 62. Publicação  de  conteúdo  em  Blogs   CorporaLvos  •  Definir  qual  é  o  papel  do  blog  dentro  da   comunicação  •  Que  linguagem  será  usada  •  Quem  serão  os  publicadores  •  No}cias  ou  conteúdo  próprio  
  63. 63. Disseminando  o  conteúdo  •  Plugins  básicos   –  ComparLlhamento  •  SEO  Básico   –  Título  do  post,  já  pensou  nisso?  •  Parcerias  com  outros  blogs  
  64. 64. 6.  DEFINIR  SUA  ESTRATÉGIA  DE  CONTEÚDO  
  65. 65. ...  •  A  fragmentação  aumentou,  tanto  das  mídias  quanto  do   público  no  uso  dessas  mídias.  É  preciso  contar  uma  estória   fragmentada,  mas  que  ainda  assim,  faça  senLdo,  passe   valores,  esLmule  a  emoção  do  público  em  relação  à  marca.   Portanto,  é  preciso  criar  conteúdos  digitais,  nas  mais  diversas   plataformas,  que  deem  conta  de  transmiLr  as  estórias  das   marcas,  construindo  sua  imagem  e  relacionamento  com  o   público.    Martha  Gabriel  
  66. 66. ...  •  Não  existe  estratégia  de  marca  sem  estórias,  e  não  existem   estórias  sem  conteúdos.  A  técnica  de  se  orquestrar  os   conteúdos  para  contar  estórias  por  meio  de  diversas  mídias  é   chamada  de  transmídia  storytelling,  essência  do  markeLng   360º  e  uma  das  principais  tendências  de  branding.  Martha  Gabriel    
  67. 67. Conteúdo  •  Qual  a  natureza  da  Empresa?  •  O  que  ela  faz?  •  Em  que  área  atua?  •  Vende  algum  produto/serviço?  •  Que  áreas  estão  relacionadas?  
  68. 68. Publicadores  •  Quem  publica?  •  De  onde  publica?  •  Que  horários  fará  isso?  
  69. 69. Plataformas  para  publicação  de   conteúdo  •  Quem  são  os  hubs  e  aLvadores  do  seu   conteúdo?  •  Como  definir?  
  70. 70. 7.  DEFINIR  SUAS  MÉTRICAS  
  71. 71. Por  que  medir?  •  Avaliar  invesLmento  e  retorno;  •  Prestação  de  contas;  •  Demonstrar  o  impacto;  •  Avaliar  a  necessidade  de  recursos;  •  Testar  hipóteses  
  72. 72. Abordagens  possíveis  •  Visibilidade   –  Visualizações  de  Página   –  Visitantes  Únicos   –  Posts/Tópicos   –  QuanLdade  de  Grupos   –  Tempo  de  Visita   –  Novos  Visitantes   –  Visitantes  Recorrentes   –  Fontes  de  Tráfego   –  Conversões   –  Avaliação  de  visitantes:  geográfica,  idioma,  rejeição  etc.  
  73. 73. Abordagens  possíveis  •  Influência   –  RaLngs  /  Rankings   –  Referrals   –  Membros   –  Conexões  
  74. 74. Abordagens  possíveis  •  Engajamento   –  Comentários  e  Trackbacks   –  Perfis  Preenchidos   –  Membros  ALvos   –  Menções   –  Frequência  de  Publicação   –  Favoritos  
  75. 75. Analisar  o  Contexto  do  Cliente  •  Sociais  •  Histórico;  •  Pontos  fortes  e  fracos,  especificidades;  •  Ameaças  e  Oportunidades;  •  Concorrência  (caracterísLcas,  diferenciais  etc);  •  Público-­‐alvo;  •  ObjeLvos  Gerais  de  Comunicação;  •  Estratégia  de  MarkeLng.  
  76. 76. Deixe  tudo  com  a  sua  cara  8.  CUSTOMIZE  SEUS  CANAIS  
  77. 77. Deixe  tudo  com  a  sua  cara  
  78. 78. Deixe  tudo  com  a  sua  cara  
  79. 79. É  peciso  parLcipar  e  ter  foco  9.  DEFINIR  SEU  FRAMEWORK  DE  ENGAJAMENTO  
  80. 80. Focando  o  seu  perfil  alvo   Fazem  o  markeLng  social  para  você  com  o   capital  social  deles  –  Fãs   Se  relaciona  muito  com  a  sua  marca   (entusiasta)   Já  fizeram  algum  contato   Te  Conhecem,  mas  não  se  relacionam   Não  te  conhecem  
  81. 81. 10  DESENVOLVER  SUA  POLÍTICA  DE  MÍDIA  SOCIAL  
  82. 82. 10.  Desenvolver  sua  políLca  de  Mídia   Social  •  Hub  ou  aLvador  •  Ação  •  Recursos  •  Responsáveis  •  Quem  vai  falar  •  Tom  •  Pré-­‐requisitos  •  Regras  de  uso  
  83. 83. Definindo  as  estratégias  para  publicação  11.  PUBLICAR  SEU  CONTEÚDO  INICIAL  
  84. 84. Definindo  as  estratégias  de  publicação  •  Avaliar  em  quais  mídias  o  conteúdo  será  visto  •  Quais  as  formas  para  se  interagir  com  ele  •  Como  poderá  ser  medido  estas  interações  •  Se  existe  redundância  nos  canais  (pensar  em   Transmídia)  
  85. 85. Medindo  e  avaliando  os  resultados  12.  MONITORAR  E  MENSURAR  
  86. 86. Medindo  e  analisando  os  resultados  •  Para  se  medir  é  preciso  antes:   –  Ter  objeLvos   –  Ter  metas   –  Ter  indicadores  
  87. 87. Ferramentas  •  Excel/Google  docs   –  Armazenar  as  informações   –  Se  não  possui  uma  ferramenta  específica  será   muito  úLl  para  registro  
  88. 88. Ferramentas  •  AnalyLcs   –  Rastreamento  de  informações  em  blogs,  sites  e   algumas  redes  sociais   –  Facebook  Insights   –  Youtube  Insight   –  Google  AnalyLcs    
  89. 89. Ferramentas  •  So‚ware  de  Monitoramento   –  Scup   –  Radian6    
  90. 90. Ferramentas  •  Ferramentas  de  busca   –  SocialMenLon    
  91. 91. Ferramentas  •  Classificação  de  Perfis   –  Kout    
  92. 92. Ferramentas  •  Alcance   –  Tweetreach    
  93. 93. PARTE  3:  GESTÃO  DE  CRISE  
  94. 94. O  que  vamos  ver  aqui  •  Nada  de  números  apenas  comportamento  
  95. 95. Reputação  •  As  marcas  levam  anos  para  construir  uma   reputação  •  É  preciso  apenas  um  post  para  destruí-­‐la  
  96. 96. Reputação  •  É  preciso  ouvir  mais  •  Monitorar  constantemente  •  Saber  avaliar  cada  evento  
  97. 97. Por  que  tudo  isso  •  Quanto  sua  empresa  gasta  criando  seus   produtos/serviços?  •  Quanto  ela  gasta  para  divulgá-­‐los?  •  Quanto  ela  gasta  na  construção  de  sua   imagem?  
  98. 98. Caso  recente  
  99. 99. Um  exemplo  simples   Todos  que  te   conhecem   Você  discute   querem   com   saber  quem   fulaninho   é  o  fulaninho   e  por  que  ele  Um  fulaninho   está  diz  q  seu   brigando  produto  é  ruim  
  100. 100. Um  exemplo  simples  •  Analisar  quem  gera  a  críLca  é  ponto   fundamental  •  Não  potencializar  a  discussão  •  Saber  analisar  quando  e  onde  resolver  
  101. 101. Um  novo  consumidor   Coloca  sua  opinião  em  um  blog   ComparLlha  esta  opinião  em  twirer/facebook   Faz  vídeos  depoimentos  
  102. 102. Como  sua  reputação  online  é  criada   Onde  te   encontram   (Buscas)   Mídia  de  massa   O  que  falam  de   você  (Mídias   Sociais)  
  103. 103. Como  transformar  quem  te  odeia  em   um  fã?   Origem   Mensure   suas   Monitoramento   Respostas   Meça  o   Responda   Impacto   Analise  a   Alerte   Influência  
  104. 104. Analise  individualmente     (post  negaLvo)  •  O  pessoa  é  influente?   –  Sim   •  Pouco  influente  –  Telefonema  ou  E-­‐mail  pessoal   •  Influencia  Média  –  Resposta  pública  no  mesmo  canal   •  Bastante  Influente  –  Dar  destaque  a  resolução,  video,   página  inicial,  etc...   –  Não   •  Acompanhar  o  caso   •  Começou  a  repercuLr?   –  Fazer  a  análise  anterior  
  105. 105. Analise  individualmente     (post  posiLvo)  •  O  pessoa  é  influente?   –  Sim   •  Pouco  influente  –  apresente  os  demais  canais   •  Influencia  Média  –  Valorize-­‐o  e  o  diferencie   •  Bastante  Influente  –  Brindes,  valorize-­‐o  em  canal   aberto,  convites  para  eventos  da  empresa...   –  Não   •  Passar  a  acompanhar  e  avaliar  as  ações  
  106. 106. VAMOS  RESUMIR  TUDO  
  107. 107.    DÚVIDAS,  PERGUNTAS,  CRÍTICAS  
  108. 108. hrp://glebejr.net  @GlebeDuarte  Facebook.com/glebeduarte  CONTATO  

×