Successfully reported this slideshow.

Projeto eleições 2010 neli helena

15,131 views

Published on

PROJETO ELEIÇÕES 2010

Published in: Education
  • Be the first to comment

Projeto eleições 2010 neli helena

  1. 1. E.E. “PROFESSORA NELI HELENA ASSIS DE ANDRADE” PROJETO ELEIÇÕES - 2010 Introdução: Estamos em ano de eleições… Será que os alunos sabem o que fazem aqueles políticos que querem o voto dos eleitores? Será que também estão preocupados com os problemas do seu país? Da sua escola? Do seu bairro? Assim pensando na consciência cidadã organizamos este projeto para que nossos alunos tenham uma visão politizada de conceitos, conteúdos e reconhecimento das ações daqueles que nos representam na política pública. Para tanto, vários recursos da mídia, veículos de comunicação e informação nos auxiliam nesta tarefa. Ainda, a realização de uma uma eleição para escolher um representante, aquele que irá representar os alunos da escola. Podemos ter como base nosso Grêmio Estudantil “Coruja de Ouro”, que sob a orientação da nossa Professora Marcia Tito, tem realizado e organizado ações de cidadania. Lembrando que a forma de eleição se dá de maneira semelhante nas eleições políticas quando as pessoas elegem seus representantes. Os candidatos deverão apresentar suas propostas em sala de aula ou no coletivo de acordo com a organização do grupo de professores para, então, se submeterem à eleição na escola. O candidato que demonstrar maior envolvimento com as causas sociais e atividades que desenvolvam o senso de cidadania, provavelmente, será a escolhido. Desta forma, o voto se faz instrumento de transformação social, onde os eleitos estarão nos representando. Devemos cobrar deles atitudes honestas que beneficiem toda essa sociedade. Será que nossos alunos têm consciência do que é votar? Com o desenvolver do projeto as crianças poderão aprender mais sobre a importância do voto e também escolher um candidato para representar seus interesses da sua classe e escola.
  2. 2. Justificativa A cidadania só tem sentido como testemunho e prática de conhecimentos que levam à ação. É urgente levantar as bandeiras cidadãs da preservação ambiental, dos direitos humanos, da incorruptibilidade, da paz, enfim, quantas forem necessárias para formarmos cidadão conscientes do seu papel na sociedade e comprometidos com a transformação de nosso país em uma “casa” boa de se viver. Aprender a mobilizar conhecimentos para fazer intervenções solidárias na realidade é um direito dos nossos alunos. Respeitá-los como cidadãos é franquear a eles a porta do universo cognitivo e afetivo: o conhecimento significativo. Através do desenvolvimento deste projeto, pretende-se despertar nos nossos alunos noções de cidadania e respeito à opinião do outro e a consciência de seu papel na sociedade. Objetivos: ● Levar os alunos a compreender seus direitos e obrigações; ● Compreender características fundamentais das eleições, construindo a noção de identidade nacional; ● Aprender a questionar a realidade; ● Construir o conceito de: democracia; eleição; deputado (estadual e federal), senador e governador; convenção, comício, assembléia; urna, voto; título de eleitor; ● Identificar os candidatos, seus partidos políticos e siglas. ● Despertar a consciência cidadã das crianças, para que compreendam a cidadania como participação social e política; ● Proporcionar aos alunos oportunidades para que possam pensar, questionar, criticar, dar opiniões do que seria preciso mudar para que possamos viver num país e num estado melhor; ● Incentivar o aluno, desde já, a participar da política de forma ativa, mostrando a importância de bons governantes para qualquer país; ● Observar de forma crítica as promessas dos candidatos, verificando se realmente há possibilidade de cumpri-las; ● Incentivar a conversa em família sobre a política, conhecendo o significado do voto consciente; ● Ajudar na formação de cidadãos conscientes de suas potencialidades, conhecedores de seus direitos e responsabilidades; ● Pesquisar o funcionamento dos três poderes em nível federal, estadual e municipal, bem como os cargos a serem disputados nas eleições 2010;
  3. 3. ● Conhecer as propostas de governo dos candidatos à presidência da República verificando as necessidades do povo brasileiro e a pertinência dessas propostas no contexto brasileiro atual; ● Respeitar as opiniões dos colegas de intercâmbio e da escola fazendo comentários construtivos sobre suas produções textuais; ● Estimular o exercício de cidadania quanto à realidade que vivemos e nossa responsabilidade enquanto agentes transformadores, tanto nas eleições, quanto no dia a dia da sociedade. ● Tirar suas dúvidas, pesquisando: » Calendário » Cola do voto » Justificativa do voto » Locais de votação » Mesários » No dia da eleição » Novas regras do TSE » Obrigatoriedade » Propaganda eleitoral » Telefones úteis » Título eleitoral » Urna eletrônica » Voto no exterior Nesta eleição, os eleitores poderão escolher o Presidente, os Senadores, Deputados e Governador que governarão nosso estado e país. É permitido levar uma “cola” para o dia da votação, para ajudar a lembrar o número dos candidatos. Se o eleitor quiser votar apenas na sigla, deve colocar apenas os dois primeiros digitos e apertar no botão CONFIRMAR. Depois da pesquisa será possível expor no pátio da escola de forma que todas as outras turmas possam apreciar e conhecer o que cada série pesquisou. Cronologia: ● Início do projeto: agosto de 2010 ● 1 aula por semana até o fim do processo eleitoral. Avaliação: ● Será feita durante todo o processo através da observação das atividades desenvolvidas, dos textos produzidos. PARA SABER MAIS Eleição é todo processo pelo qual um grupo designa um de seus integrantes para ocupar um cargo por meio de votação. Na democracia representativa, é o processo que consiste na escolha de determinados indivíduos para exercerem o poder soberano, concedido pelo povo através do voto, devendo estes, assim, exercerem o papel de representantes da nação. A eleição pode se processar com o voto de toda a comunidade ou de apenas uma parcela da comunidade, os chamados eleitores.
  4. 4. DESENVOLVIMENTO: ATIVIDADES: Em duplas, trios ou grupo de alunos deverão: 1. Criar um nome e um partido para o seu candidato; 2. Criar um logotipo para o partido (não podendo ser de um partido já existente. Deve ser feito à mão livre) 3. Explicar quem é esse político e o que ele pretende fazer (uma proposta de governo com sugestões e medidas que poderão ser tomadas para minimizar problemas da comunidade escolar, do clube, do condomínio); 4. Criar um slogan para a Campanha; 5. Detalhar as prioridades do seu governo (ex: saúde, educação, meio ambiente); 6. Justificar por que devem votar no seu candidato. PRODUÇÃO FINAL: 1. Disponibilizar os candidatos, siglas dos partidos e propostas de cada um deles 2. Realizar uma eleição 3. Organizar debates com os alunos da escola, onde cada candidato terá oportunidade de esclarecer suas propostas; 4. Confeccionar título de eleitor; 5. Promover um concurso de charges sobre as eleições; 6. Organizar um dia da eleição (mesários, apuradores, local da votação e apuração, horário, fiscal de boca de urna); 7. Apurar os votos dos candidatos; 8. Divulgar da apuração em cartazes, gráficos expostos no pátio da escola, identificando a série e professora; 9. Realizar uma cerimônia de posse do presidente eleito.
  5. 5. O QUE PODE SER TRABALHADO COM ESTE PROJETO? ● LÍNGUA PORTUGUESA: - Leitura e escrita informal; - Elaboração de discursos orais e escritos; - Produção de textos; - Tirinhas e quadrinhos alusivos ao tema. ● ARTE: - Orientação na confecção de cartazes, faixas para a campanha, urnas, botons, Cédula Eleitoral, Título de Eleitor. ● HISTÓRIA/GEOGRAFIA: - História das Eleições; - Estudo dos Três Poderes; - Poluição sonora e visual. ● MATEMÁTICA: - Número de candidatos - Número de eleitores e de vagas; - Horários dos programas eleitorais; datas e horários das eleições; - Gráficos e planilhas dos resultados das pesquisas do IBOPE, DATAFOLHA, SENSUS E FOX POPULI refernte à candidatos da Eleição 2010. - Tabela dos resultados da turma, na votação da classe. - Problemas e situações problemas pertinentes ao tema. SUGESTÕES PARA TRABALHAR COMO TAREFA DE CASA: Sugestão 1 - HINO NACIONAL E ILUSTRAÇÃO Conheça a letra e a música do Hino Nacional , visitando o site: http://www.lions.org.br/lionnet/hinonaccantado.htm Divida o Hino Nacional em partes e organize a turma em grupos para ilustrá-las. Sugestão 2 – BRASÕES E SÍMBOLOS DA NOSSA PÁTRIA A Bandeira, o Selo, o Brasão e o Hino Nacional são símbolos da nossa Pátria. Que tal você presentear o nosso País com a criação de um novo símbolo que represente seu sentimento pela Pátria. Sugestão 3 – ELABORAÇÃO DE CAMPANHA ELEITORAL Os programas e as campanhas eleitorais estão acontecendo, e os candidatos estão apresentando suas propostas. Imagine que que você é o mais novo candidato ao Governo de São Paulo ou à Presidencia do Brasil - por isso não perca tempo, apresente sua proposta de governo de maneira criativa, criando um panfleto ou cartaz para sua campanha. Sugestão 4 - CHARGES Represente através de Charges e Caricaturas o momento atual das propagandas eleitorais.
  6. 6. Sugestão 5 – ORGANIZAÇÃO DA SALA DE VOTAÇÃO 1- Presidente da seção 2- 1º mesário 3- 2º mesário 4- Secretário 5- Urna e cabina Sugestão 6 – PESQUISA Como surgiu a Urna eletrônica. A partir das eleições de 1996, urnas eletrônicas passaram a ser adotadas. Naquele ano, 57 municípios utilizaram este tipo de urna. Desde 2000, todos os eleitores brasileiros votam em urnas eletrônicas. Podemos visualizar um bom futuro para os sistemas de voto eletrônico. A adoção deste sistema eliminou vários tipos de fraudes que antes eram feitas facilmente com o voto tradicional. Porém, abriu brechas para outros tipos de fraudes. Por outro lado, o uso de um sistema unificado diminuiu o número de pessoas a se subornar para viciar todo o sistema eleitoral, pois basta ter acesso à Central para se mudar o resultado das apurações. Em resumo, ainda há muito a se pesquisar nesta área. Podemos ter um sistema totalmente seguro e inviolável do ponto de vista do sistema, do envio dos dados e da apuração, porém, por mais que se tente, nenhum sistema é completamente protegido contra fraudes de pessoas diretamente envolvidas no processo eleitoral, que, tendo acesso ao sistema, podem alterar os dados. Assim, não basta termos um sistema dito "perfeito", mas também são válidos uma seleção mais restritiva quanto às pessoas envolvidas no processo de votação e um trabalho de educação para que estas pessoas não sejam enganadas por terceiros.
  7. 7. Sugestão 7 -BANDEIRA DO BRASIL EM ALTO RELEVO
  8. 8. Sugestão 8 – BANDEIRA DO BRASIL EM PARTES Sugestão 9 – CÉDULA ELEITORAL
  9. 9. Sugestão 10 – CONHECENDO A HISTÓRIA DO VOTO E DAS ELEIÇÕES Durante a Colônia, não existia cédula eleitoral. Os representantes eram escolhidos através de declaração oral dos eleitores. O voto era dado de viva voz. A cédula eleitoral surge no Império, a partir da primeira lei eleitoral (1824). Os eleitores depositavam na urna uma lista com os nomes e profissões dos candidatos escolhidos. Na década de 1840, o eleitor passou a entregar a lista, que era numerada, rubricada e depositada na urna por um funcionário da mesa eleitoral. Com a lei de 1846, os eleitores voltam a depositar pessoalmente o voto na urna. A Lei Saraiva, de 1881, entre outras alterações no processo eleitoral, determinou que o voto fosse escrito em papel branco ou azulado. Depois de dobrado, deveria ser fechado e colocado em envelope, também fechado e depositado na urna. A República Velha não introduziu alterações significativas no processo de votação. O voto continuou facultativo e passou a ser a descoberto, embora a Constituição consagrasse o voto secreto. No dia da eleição, o eleitor levava duas cédulas e as assinava diante da mesa eleitoral. Os mesários conferiam e datavam as cédulas, colocando-as em envelopes. Um era depositado na urna e o outro era devolvido ao eleitor, como comprovante da votação. A mesa apurava os votos e lavrava as atas, forjando resultados, na maioria das vezes, através das famosas “atas falsas” – as eleições da República Velha ficaram conhecidas como eleições “a bico-de-pena”. Entretanto, não bastava ser eleito – muitas vezes através de fraude. Na ausência de uma Justiça Eleitoral, funcionava no Senado a Comissão de Verificação de Poderes, que ratificava ou não a eleição de deputados e senadores. Firmemente controlada pela elite governista, a comissão impedia que a oposição tivesse sua eleição reconhecida -- era o mecanismo conhecido como “degola”. (A Comissão de Verificação de Poderes era firmemente controlada pelo senador Pinheiro Machado. ) Voto secreto, moralização das eleições, fim do “bico-de-pena” e criação de instância autônoma para administrar as eleições constituíram importantes bandeiras da Revolução de 30. Com a vitória da Revolução, muitas de suas bandeiras foram implementadas, mas as cédulas eleitorais permaneceram individuais e confeccionadas pelo candidato ou pelo próprio eleitor – era o chamado “voto marmita”, porque o eleitor já trazia praticamente pronto, de casa, o envelope onde estavam as cédulas dos seus candidatos. Mas foram adotados alguns mecanismos para aumentar o sigilo do voto, protegendo a independência do eleitor. Embora as cédulas continuassem individuais, foi exigido o envelope oficial no qual o eleitor inseria sua cédula. O envelope era rubricado pelos mesários antes de ser depositado na urna. O objetivo era evitar os envelopes coloridos fornecidos pelos partidos, que permitiam o controle do voto. O segundo mecanismo foi a adoção da cabine indevassável para garantir a privacidade do eleitor na hora de votar.
  10. 10. No início da década de 50, as cédulas passaram a ser impressas e distribuídas pelos partidos. Como o PSD era o único a possuir diretórios em todos os municípios do país, isto lhe dava enorme vantagem. Cédulas de seus candidatos chegavam a todos os recantos do Brasil. Para anular esta vantagem, surgiu na campanha presidencial de 1955 o projeto da cédula oficial, apresentado pela UDN: as cédulas seriam impressas e distribuídas pela Justiça Eleitoral, em vários lotes de um milhão, variando a ordem em que apareciam os candidatos. Com este artifício, a UDN contava anular milhares de votos dos eleitores semi- analfabetos do interior, que seguiam as ordens do “coronel” de votar, por exemplo, no primeiro nome da cédula. Sem ordem fixa, aumentaria o risco de anulação, o que supostamente beneficiaria a UDN. A cédula oficial teve apoio da Igreja e das Forças Armadas, mas o PSD contra- atacou com a cédula única, de autoria de José Maria Alkmin, Ulysses Guimarães e Renato Archer: cédula impressa segundo modelo do TSE e distribuída pelos partidos. Apoiada pelo TSE, a cédula única foi transformada em lei e utilizada já nas eleições presidenciais de 55. O lugar do candidato na cédula foi determinado pela ordem de registro da candidatura no TSE: Juarez Távora, Ademar de Barros, Plínio Salgado e Juscelino Kubitschek. De lá para cá, uma única modificação substancial ocorreu com as cédulas eleitorais: sua impressão e distribuição passou à responsabilidade exclusiva da Justiça Eleitoral.De 1964 em diante a Justiça Eleitoral passou a se encarregar da elaboração e distribuição das cédulas de votação. FORMAS DE ELEIÇÃO: 1. Eleição direta É aquela em que os candidatos a exercer mandatos políticos são eleitos diretamente pelo povo. Este é o modelo utilizado na democracia representativa. Este também e modelo utilizado atualmente no Brasil. 2. Eleição indireta É aquela em que os candidatos a exercer mandatos políticos não são eleitos diretamente pelo povo, mas por um colégio eleitoral, composto por delegados escolhidos pelo povo, para que, em nome deste, elejam seus governantes. LISTA DE TODOS OS PRESIDENTES DO BRASIL: Lista dos presidentes do Brasil por mandato: Nº - Presidente - Início do mandato - Fim do mandato - Partido – Vice-presidente(s) 1 - MARECHAL DEODORO DA FONSECA - 15/11/1889 - 23/11/1891 - militar - Floriano Peixoto 2 - FLORIANO PEIXOTO - 23/11/1891 - 15/11/1894 - militar – nenhum 3 - PRUDENTE DE MORAIS - 15/11/1894 - 15/11/1898 - Partido Republicano Federal - Manuel Vitorino 4 - CAMPOS SALES - 15/11/1898 - 15/11/1902 - Partido Republicano Paulista - Rosa e Silva
  11. 11. 5 - RODRIGUES ALVES - 15/11/1902 - 15/11/1906 - Partido Republicano Paulista - Silviano Brandão e Afonso Pena 6 - AFONSO PENA - 15/11/1906 - 14/06/1909 - Partido Republicano Mineiro - Nilo Peçanha 7 - NILO PEÇANHA - 14/06/1909 - 15/11/1910 - Partido Republicano Fluminense - nenhum 8 - HERMES DA FONSECA - 15/11/1910 - 15/11/1914 - Partido Republicano Conservador - Venceslau Brás 9 - VENCESLAU BRÁS - 15/11/1914 - 15/11/1918 - Partido Republicano Mineiro - Urbano Santos - RODRIGUES ALVES — Partido Republicano Paulista - Delfim Moreira 10 - DELFIM MOREIRA - 15/11/1918 - 28/07/1919 - Partido Republicano Mineiro - nenhum 11 - EPITÁCIO PESSOA - 28/07/1919 - 15/11/1922 - Partido Republicano Mineiro - Delfim Moreira e Bueno de Paiva 12 - ARTUR BERNARDES - 15/11/1922 - 15/11/1926 - Partido Republicano Mineiro - Estácio Coimbra 13 - WASHINGTON LUÍS - 15/11/1926 - 24/10/1930 - Partido Republicano Paulista - Melo Viana - JÚLIO PRESTES - Partido Republicano Paulista - Vital Soares AUGUSTO FRAGOSO, ISAÍAS DE NORONHA E MENA BARRETO - 24/10/1930 - 03/11/1930 - militares – nenhum 14 - GETÚLIO VARGAS - 03/11/1930 - 29/10/1945 - Aliança Liberal - nenhum 15 - JOSÉ LINHARES - 29/10/1945 - 31/01/1946 - nenhum - nenhum 16 - EURICO GASPAR DUTRA - 31/01/1946 - 31/01/1951 - PSD - Nereu Ramos 17 - GETÚLIO VARGAS - - 31/01/1951 - 24/08/1954 - PTB - Café Filho 18 - CAFÉ FILHO - 24/08/1954 - 8/11/1955 - PSP - nenhum 19 - CARLOS LUZ - 08/11/1955 - 11/11/1955 - PSD - nenhum 20 - NEREU RAMOS - 11/11/1955 - 31/01/1956 - PSD - nenhum 21 - JUSCELINO KUBITSCHEK - 31/01/1956 - 31/01/1961 - PSD - João Goulart 22 - JÂNIO QUADROS - 31/01/1961 - 25/08/1961 - PTN - João Goulart 23 - RANIERI MAZZILLI - 25/08/1961 - 07/07/1961 - PSD – nenhum
  12. 12. 24 - JOÃO GOULART - 07/07/1961 - 01/04/1964 - PTB - nenhum 25 - RANIERI MAZZILLI - 02/04/1964 - 15/04/1964 - PSD - nenhum 26 - CASTELO BRANCO - 15/04/1964 - 15/03/1967 - ARENA (militar) - José Maria Alckmin 27 - COSTA E SILVA - 15/03/1967 - 31/08/1969 - ARENA (militar) - Pedro Aleixo - JUNTA GOVERNATIVA PROVISÓRIA DE 1969 - 31/08/1969 - 30/10/1969 - militar - nenhum 28 - EMILIO MEDICI - 30/10/1969 - 15/03/1974 - ARENA (militar) - Augusto Rademaker 29 - ERNESTO GEISEL - 15/03/1974 - 15/03/1979 - ARENA (militar) - Adalberto dos Santos 30 - JOÃO FIGUEIREDO - 15/03/1979 - 15/03/1985 - PDS (militar) - Aureliano Chaves - TANCREDO NEVES - PMDB - José Sarney 31 - JOSÉ SARNEY - 15/03/1985 - 15/03/1990 - PMDB - nenhum 32 - FERNANDO COLLOR - 15/03/1990 - 29/12/1992 - PRN - Itamar Franco 33 - ITAMAR FRANCO - 29/12/1992 - 01/01/1995 - PMDB - nenhum 34 - FERNANDO HENRIQUE CARDOSO - 01/01/1995 - 01/01/2003 - PSDB - Marco Maciel 35 - LUÍS INÁCIO LULA DA SILVA - 01/01/2003 - 01/01/2011 - PT - José Alencar

×