Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO E OS CUIDADOS QUE DEVEM SER TOMADOS AO SE ADMINISTRAR FÁRMACOS A UMA LACTANTE

3,033 views

Published on

Esta apresentação mostra alguns fármacos que podem e os que não podem ser adrministrados a uma lactante.

Published in: Education, Technology
  • Be the first to comment

A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO E OS CUIDADOS QUE DEVEM SER TOMADOS AO SE ADMINISTRAR FÁRMACOS A UMA LACTANTE

  1. 1. A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO E OS CUIDADOS QUE DEVEM SER TOMADOS AO SE ADMINISTRAR FÁRMACOS A UMA LACTANTE Aluna: Gilce de Souza Vieira Ferreira Curso: Editor de Apresentação
  2. 2.  Amamentação é a forma mais garantida de sobrevivência do ser humano;  A OMS recomenda o aleitamento materno até dois anos, ou até o sexto mês de vida, quando exclusivo.  Identificação de fatores - desmame precoce.  Uso de fármacos por prescrição ou automedicação é um hábito entre as nutrizes.  Conhecimento sobre efeitos da droga no lactente é limitado .  A prescrição de medicamentos baseia-se no risco e benefício.
  3. 3.  Traz benefícios à saúde do ser humano;  Proteção contra infecções se a amamentação for exclusiva;  Aporte de nutrientes em quantidades e qualidades necessárias;  Segundo a OMS (2008), o aleitamento materno pode salvar mais de 3500 crianças por dia; IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO
  4. 4.  Colostro é o leite produzido nos primeiros dias, e é a primeira vacina do bebê;  O leite anterior às mamadas são ricos em proteínas, lactose, vitaminas, minerais e água;  Leite posterior é rico em gordura;  Benefícios são mais evidentes em bebês amamentados exclusivamente;
  5. 5.  PARA O BEBÊ • Proporciona uma nutrição superior e um ótimo crescimento; • Fornece água adequada para hidratação; • Protege contra infecções e alergias; • Favorece o vínculo afetivo e o desenvolvimento ; VANTAGENS DA AMAMENTAÇÃO
  6. 6. PARA A MÃE E FAMÍLIA • Protege a saúde da mãe; • Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal reduzindo o risco de hemorragia; • Reduz o risco de câncer de mama e de ovário; • Ajuda a retardar uma nova gravidez; • Melhor saúde e nutrição; • Vantagem econômica; • Menor gasto com cuidados médicos;
  7. 7.  PARA O HOSPITAL • Ambiente emocional mais calmo e tranqüilo; • Não exige berçário, mais espaço para o hospital; • Menos infecção neonatal; • Menos trabalho para a equipe; • Melhor imagem e maior prestígio; • Menos crianças abandonadas; • Mais seguro em emergências;
  8. 8. FARMACOLOGIA NA FASE DE LACTAÇÃO  A maioria dos medicamentos passam para o Leite Materno em quantidades pequenas;  A exposição de um bebê a um medicamento pode ser minimizada;  O nível plasmático do fármaco é o fator mais importante; para a determinação na sua presença no leite materno;
  9. 9. OUTROS FATORES QUE TAMBÉM PODEM INFLUENCIAR NA LACTAÇÃO  Vias de administração;  Dose administrada;  Duração do tratamento;  Biodisponibilidade oral;  Meia-vida do fármaco;  Peso molecular;  Grau de ionização;  Solubilidade;  Ligação às proteínas;  pH do meio;
  10. 10. A QUANTIDADE DE FÁRMACO QUE É RECEBIDO POR UMA CRIANÇA É DETERMINADO POR:  Idade da criança;  Freqüência das mamadas;  Esvaziamento das mamas;  Tempo decorrido entre a tomada do medicamento e a mamada  A prescrição de medicamentos só deve ser efetuada quando for notado que os benefícios ultrapassam os riscos inerentes a saúde do recém-nascido e da mãe;
  11. 11. FÁRMACOS MAIS UTILIZADOS E SEUS EFEITOS DURANTE A LACTAÇÃO  ANALGÉSICOS • Paracetamol: atinge concentrações pequenas no leite; É compatível com a amamentação; Boa opção para analgesia em nutrizes; • Ácido acetil-salicílico: se encontra em baixas concentrações no leite materno; Risco de síndrome de Reye no recém-nascido ;
  12. 12. SÍNDROME DE REYES
  13. 13.  ANALGÉSICOS NARCÓTICOS • Quando administrados em dose única, são excretados no leite em pouca quantidade; • A codeína e a morfina são consideradas medicamentos compatíveis com a amamentação; • A meperidina e a petidina devem ser evitadas;
  14. 14.  ANALGÉSICOS EPIDURAIS <ul><li>É seguro na amamentação: uso epidural de bupivacaína, </li></ul>lidocaína, morfina e fentanil; <ul><li>Os efeitos das medições epidurais são difíceis de interpretar devido a problemas de aferição, falta de grupos-controle, amostras pequenas e à grande diversidade de fármacos e doses utilizadas nos estudos existentes; </li></ul><ul><li>A segurança de anestésicos epidurais na lactação depende de estudos bem-delineados; </li></ul>
  15. 15. AINES NÃO – ESTERÓIDES • Atingem pouco as concentrações no leite materno, • O uso intermitente é considerado compatível com a amamentação; • O ibuprofeno apresenta maior evidencia de segurança na lactação; • Os AINES de maior meia-vida, têm menor evidência de segurança ;
  16. 16.  ANTIBIÓTICOS <ul><li>Não é aconselhável; </li></ul><ul><li>Os níveis no leite materno variam com as características físico-químicas do fármaco; </li></ul>• Alteração da flora gastrintestinal da criança;  FÁRMACOS CARDIOVASCULARES • Deve-se observar a ligação à proteínas e a hidrossolubilidade de cada agente; • O propranolol, o metoprolol e o labetalol são considerados compatíveis com a amamentação; <ul><li>Atentar-se para os efeitos adversos; </li></ul>• O atenolol se liga fracamente às proteínas,aumentando sua concentração no leite;
  17. 17.  ANTIDEPRESSIVOS E PSICOFÁRMACOS • Não são recomendados mas deve-se considerar o risco-benefício, avaliado em cada caso.  ANTICONVULSIVANTES • É aceitável o uso, pois seus níveis são mínimos. • Nutrizes que os recebem em quantidades substanciais são transmitidos via leite materno.
  18. 18. • Deve-se seguir uma abordagem criteriosa ; • Ter conhecimento sobre os fármacos potencialmente perigosos ao lactente, • A maioria dos fármacos são detectados no leite materno. • Os fármacos sem dados sobre segurança durante a lactação devem ser evitados, ou a mãe deve suspender o aleitamento enquanto estiver tomando tal fármaco. FÁRMACOS CONTRA-INDICADOS NA LACTAÇÃO
  19. 19. FÁRMACOS EFEITOS OBSERVADOS NA CRIANÇA E/OU LACTAÇÃO Anfetamina Irritabilidade, transtornos do sono Ciclofosfamida Imunossupressão, neutropenia, efeitos desconhecidos sobre o crescimento ou associação com carcinogênesel Ciclosporina Possível imunossupressão, neutropenia, efeitos desconhecidos sobre o crescimento ou associação com carcinogênese. Cocaína Intoxicação: irritabilidade, tremores,diarréia, vômitos e convulções. Doxorrubicina Possível imunossupressão, neutropenia, efeitos desconhecidos sobre o crescimento ou associação com carcinogênese. Feniciclidina Alucinógeno potente. Heroína Tremores, hiperatividade, vômitos e anorexia. Maconha Presente no leite, efeitos adversos não-relatados. Metotrexato Possível imunossupressão, neutropenia, efeitos desconhecidos sobre o crescimento ou associação com carcinogênese.
  20. 20. ( Apub CHAVES e LAMOUNIER, 2004 ) Fatores relacionados ao leite materno: Composição do leite (teor de lipídios e proteínas). Fatores relacionados à nutriz: Eliminação hepática e renal; Dose e duração do tratamento; Via de administração. Fatores relacionados ao lactente: Idade; Absorção da droga; Eliminação hepática e renal; Volume de leite ingerido; Segurança da droga para o lactente. Fatores relacionados à droga: pKa (constate de dissociação); Solubilidade em água e lipídeos; Tamanho da molécula; Biodisponibilidade oral; Toxidade; Efeito no suprimento lácteo; Drogas de ação curta x longa.
  21. 21. CONCLUSÃO As vantagens e a importância do aleitamento materno são bem conhecidas, deve-se sempre frisar que a amamentação somente deve ser interrompida se houver evidências de que o fármaco utilizado pela nutriz é nocivo para o lactente, assim conclui-se que a necessidade freqüente de uso de medicamentos durante a lactação deve ser vista como motivo de preocupação devido à conhecida relação entre o uso de fármacos e o desmame. Por isso, é necessário, o conhecimento de características farmacológicas e a consulta adequada a publicações sobre o tema como instrumentos na escolha do fármaco, permitindo uma melhor avaliação e podendo compatibilizar o tratamento medicamentoso com a amamentação.
  22. 22. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  ALMEIDA, João Aprigio Guerra de. Amamentação : um híbrido natureza-cultura. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1999.  AMERICAN Academy of Pediatrics, Work Group Oon Breastfeeding. Breastfeeding and the use of human milk. Pediatrics, v.100, p.1035-9, 1997.  CESAR, J.A., KUHN, D., DEVENS, E.S., MARTINS JR, E., AGUIAR, M.R.C., HOLTHAUSEN, R.S., et al. Prescrição de chás para crianças menores de seis meses: a opinião dos médicos de uma cidade de porte médio no sul do Brasil. J Pediatr (Rio J.), v.72, p.27-31, 1996.  CHAVES, Roberto G; LAMOUNIER, Joel A. Uso de medicamentos durante a lactação. J. Pediatr. (Rio J.) v. 80, n.5 suppl. Porto Alegre Nov. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572004000700011 > Acesso em: 8 jun 2008.  CHAVES, Roberto Gomes; LAMOUNIER, Joel Alves; CÉSAR, Cibele Comini. Medicamentos e amamentação : atualização e revisão aplicadas à clínica materno-infantil. Rev. paul. pediatr . v.25 n.3 São Paulo set. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822007000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt > Acesso em: 8 jun 2008.  GIUGLIANI, Camila; GIUGLIANI, Elsa Regina Justo. Uso de fármacos e outras exposições na lactação. In: DUCAN, Bruce B. Medicina ambulatorial : condutas de atenção primária baseadas em evidências. 3ed. Porto Alegre: Artmed, 2004, p.423-430.
  23. 23. THE END

×