Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Independencia das colônias espanholas

4,185 views

Published on

Síntese da matéria sobre Independência das colônias espanholas.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Independencia das colônias espanholas

  1. 1. A INDEPENDÊNCIA DA COLÔNIAS AMERICANAS DA ESPAPANHA Natania A. Silva Nogueira nogueira.natania@gmail.com www.historiadoensino.blogspot.com
  2. 2. A Guerra da sucessão e as reformas bourbônicas  A guerra da sucessão foi a disputa pelo trono espanhol entre Felipe V (Bourbon) e Carlos II (Habsburgo), ocorrida no século XVIII, que terminou com a vitória de Felipe V que assumiu o trono espanhol.  Seus filhos realizaram uma série de mudanças com o objetivo de modernizar a administração e a economia.  Tais medidas eram inspiradas em ideias iluministas mas, da mesma forma que ocorreu em Portugal, elas fortaleciam o Estado e o poder do rei.  Os Bourbons permaneceram no poder até a invasão de Napoleão.
  3. 3. Felipe V
  4. 4.  As reformas bourbônicas não agradaram a todos.  A Espanha tinha muitas dívidas com a Inglaterra e a França, pois importava produtos, já que seu desenvolvimento industrial ainda era atrasado.  Para contornar a situação, a Coroa espanhola, aumentou os impostos e restringiu ainda mais o comércio colonial.  Tais medidas desagradaram os colonos, em especial os criollos. Além dessas restrições econômicas, os criollos também eram proibidos de tomar decisões políticas, pois o controle estava nas mãos dos Chapetones.
  5. 5.  A independência da América espanhola está relacionada às transformações que ocorreram no século XVIII na Europa e que levaram à ruína o Absolutismo: - A independência das colônias inglesas na América do Norte. - A Revolução Industrial. - O Iluminismo - A Revolução Francesa.
  6. 6. Napoleão ajudou, mesmo sem querer  O processo da independência da América Hispânica está diretamente relacionado com a deposição de Fernando VII em 1808, quando as tropas francesas ocuparam a Espanha.  Napoleão Bonaparte nomeia seu irmão, José Bonaparte, como o novo rei da Espanha, desencadeando uma forte reação nas colônias, que passaram a formar as Juntas Governativas - com caráter separatistas e lideradas pelos criollos.
  7. 7. Fernando VII José Bonaparte
  8. 8.  Antes dos movimentos separatistas ocorreram revoltas coloniais contra o domínio espanhol, destacando-se a revolta dos índios do Peru, liderados por Tupac Amaru.
  9. 9. A independência do México  A primeira tentativa de emancipação ocorreu no México, em 1810, sob a liderança do padre Miguel Hidalgo.  Hidalgo era criollo, padre, acadêmico, estudioso do Iluminismo e defensor das causas dos grupos explorados, por isso contava com a admiração de indígenas e mestiços.  Em 16 de setembro de 1810, Hidalgo convocou as massas populares para lutar contra o domínio espanhol. Esse episódio passou à história como o Grito de Dolores, marcou o início da luta pela Independência do México e transformou Miguel Hidalgo y Costilla no primeiro líder desse processo, à frente de milhares de indígenas e mestiços.  A revolta não recebeu apoio dos criollos, que temiam que fossem realizadas grandes reformas sociais.
  10. 10. Miguel Hidalgo y Costilla
  11. 11.  No ano de 1821, o General Augustin Itúrbide proclama a independência do México.  Agustin de Iturbide foi um oficial monarquista na Guerra de Independência Mexicana que combateu o líder insurgente Vicente Guerrero. Tendo falhado em derrotar a insurreição, Iturbide adotou a causa da independência e aliou-se a Guerrero.  Em 24 de fevereiro de 1821, Iturbide promulgou o Plano de Iguala, declarou a independência Setentrional (México).  Após a proclamação da independência, ele prosseguiu com a criação do "México Imperial. "  A independência do México foi consumada após a entrada de Iturbide na Cidade do México, no comando de suas tropas, em 27 de setembro de 1821.  Mas o Império Mexicano teve vida curta. O governo de Iturbide durou até 1823, quando ele foi deposto e foi proclamada a República.
  12. 12. Augustin Itúrbide
  13. 13. A Independência do Haiti  Este foi um caso único na América.  Em 1791, uma mobilização composta por escravos, mulatos e ex-escravos se uniu com o objetivo de dar fim ao domínio exercido pela ínfima elite branca que controlava os poderes e instituições políticas do local.  Sob a atuação do líder negro Toussaint Louverture, os escravos conseguiram tomar a colônia e extinguir a ordem vigente  Mas as lutas não terminariam aí.  O reconhecimento da independência daquele país só aconteceria no ano de 1825, quando o governo francês recebeu uma indenização de 150 milhões de francos.  A notícia da independência no Haiti inspirou a revolta de escravos em diferentes regiões do continente americano.
  14. 14. Independências na América Centra e América do Sul  A partir de 1823, as colônias da América Central proclamarem a independência, surgindo as Províncias Unidas da América Central, que fragmentou-se em diversas Repúblicas: Costa Rica, Honduras, El Salvador, Guatemala e Nicarágua. Cuba e São Domingos só tiveram a independência no final do século XIX.  No ano de 1818, sob a liderança de Símon Bolívar surge a Grã- Colombia, que em 1830 se separam, formando a Colômbia e a Venezuela.  Em 1822 é proclamada a independência do Equador ( Sucre e Bolívar).  Bernardo O'Higgins liberta o Chile, com a ajuda de San Martín, no ano de 1817; San Martin e Bolívar libertam o Peru em 1821; em 1825 foi a vez da Bolívia, sob o comando de Sucre.  Na região do Prata o grande libertador foi San Martín (Argentina, 1816; Paraguai 1811 e Uruguai em 1828).
  15. 15. Característas gerais dos movimentos de independência das colônias espanholas  O processo de independência da América Hispânica contou com forte participação popular e com o apoio da Inglaterra, interessada em ampliar seu mercado consumidor.  Uma outra característica foi a grande fragmentação territorial, em virtude do choque entre os diversos interesses das elites coloniais.  Do ponto vista econômico, a independência não rompeu com os laços de dependência em relação às potências europeias.  As novas nações continuavam a ser exportadoras de matérias-primas e importadoras de produtos manufaturados. No plano político, os novos dirigentes excluíram qualquer forma de participação popular nas decisões políticas.
  16. 16.  Síión Bolívar defendia a unidade política interamericana, com a proposta da criação de uma Confederação de países latino-americanos (Bolivarismo), que contou com a oposição da Inglaterra e dos Estados Unidos.  Estados Unidos: desejava a fragmentação política para a consolidação norte-americana sobre a região ( Doutrina Monroe)  A Inglaterra: a fragmentação consolidaria sua hegemonia econômica. Ou seja, dividir para melhor controlar.  O principal fenômeno político destas novas nações americanas foi o surgimento do caudilhismo.
  17. 17. O Caudilhismo  O caudilho era um chefe político local, grande proprietário de terra ou militar e que procurava manter as mesmas estruturas sociais e econômicas herdadas do período colonial. Foi responsável pela grande instabilidade na formação dos Estados Nacionais.  O caudilhismo contribui para a fragmentação política e territorial da América Hispânica. Outros fatores para a fragmentação: ausência de vínculos econômicos entre as colônias e atividades econômicas voltadas para atenderem as exigências do mercado externo.

×