Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Tipos de rochas sedimentares

66,542 views

Published on

Tipos de rochas sedimentares

  1. 1. Universidade Federal de Sergipe Disciplina: Princípios de Sedimentologia e Estratigrafia Profa. : Talita Fernanda TIPOS DE ROCHAS SEDIMENTARES
  2. 9. Classificação das Rochas Sedimentares <ul><li>As rochas sedimentares podem ser constituídas por três componentes: </li></ul><ul><li>a) Terrígenos = substâncias minerais proveniente da erosão de uma área fora da bacia (Qz, Fds, etc); </li></ul><ul><li>b) Aloquímicos = compostos minerais derivados do retrabalhamento de substâncias químicas precipitadas dentro da bacia (conchas, etc); </li></ul><ul><li>c) Ortoquímicos = precipitados químicos produzidos na bacia e sem evidências de transporte ou agregação (calcita, dolomita, etc). </li></ul>
  3. 10. <ul><li>Baseada nos componentes fundamentais as rochas sedimentares podem ser classificas em: </li></ul><ul><li>Rochas terrígenas (T); </li></ul><ul><li>Rochas aloquímicas impuras (Al); </li></ul><ul><li>Rochas aloquímicas (A); </li></ul><ul><li>Rochas ortoquímicas impuras (Ol); </li></ul><ul><li>Rochas ortoquímicas (O). </li></ul>
  4. 11. Diagrama triangular de classificação geral das rochas sedimentares (Folk, 1968).
  5. 12. ROCHAS SEDIMENTARES ALÓCTONES <ul><li>São rochas compostas por fragmentos minerais provenientes de fora da bacia de sedimentação. Podem ser subdivididas em: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Rochas sedimentares epiclásticas – material terrígeno transportados por vários meios (água, vento e gelo); </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Rochas sedimentares piroclásticas ou vulcanoclásticas – material vulcânico de explosões, seguidas de deposição. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  6. 13. Rochas sedimentares epiclásticas <ul><li>Essas rochas são formadas pela acumulação natural de materiais, como cascalhos, areias e siltes, que representam basicamente fragmentos de rochas preexistentes. </li></ul><ul><li>Rochas rudáceas; </li></ul><ul><li>Rochas arenáceas; e </li></ul><ul><li>Rochas lutáceas. </li></ul>
  7. 15. Rochas Rudáceas Depósitos de matacões, calhaus, seixos e grânulos inconsolidados são denominados de cascalho e quando endurecidos de conglomerados ou brechas, conforme os fragmentos sejam predominantemente arredondados ou angulosos, respectivamente.
  8. 16. Feições descritivas da Rochas Rudáceas <ul><li>A) Tamanho, distribuição e forma de partículas; </li></ul>B) Tipo de estratificação Planar Cruzada Maciça
  9. 17. C) Camadas gradacionais D) Forma dos corpos conglomeráticos Normal Inversa S/ Gradação
  10. 18. Classificação dos conglomerados Conglomerado é uma rocha formada por clastos rolados, de tamanho superior à 2 mm, agrupados por um cimento, formando um depósito consolidado. GRUPO CONGLOMERADO ARENÍTICO Ortoconglomerado Ortoquartzítico (Oligomítico) Petromítico (Polimítico) Ortoquartzítico Lítico Paraconglomerado Tilóide (Diamictito) Tilito Grauvaca Intraformacional Conglomerado e brecha intra-formacionais Calcarenito e etc. Piroclástico Conglomerado e brecha vulcânicos Tufos e arenitos tufáceos
  11. 19. Características Ortoconglomerado é quando a rocha é suportada pelo arcabouço (grãos);  Paraconglomerado é suportado pela matriz, como mostra a figura (Harms et al ., 1975).
  12. 21. Rochas Arenáceas Depósitos de areia consolidados denominam-se de arenitos e, embora normalmente formados por minerais de sílica, podem apresentar composição mineralógica complexa, unindo minerais detríticos, como minerais de sílica (predominantemente quartzo); minerais de argila e minerais placóides (micas, clorita, etc.); minerais pesados e finalmente, fragmentos líticos ou de rochas.
  13. 22. Feições descritivas da Rochas Arenáceas A) Composição mineralógica; B) Minerais detríticos; C) Minerais químicos; D) Aspectos texturais (forma e o arredondamento); E) Estruturas sedimentares (biogênicas, químicas...);
  14. 23. Classificação dos Arenitos – Classificação de Petijonh et al. (1972) Critérios básicos; Proporções de Qz, Feld. e Fragmentos de Rocha. Critérios Secundários: Frequência de Matriz argilosa no arenito (arenitos limpos menos de 15% de matriz e arenitos sujos mais de 15% de matriz).
  15. 24. Descrição dos arenitos mais comuns GRAUVACAS = São arenitos de cor cinza, compostos de grãos de vários tamanhos de areia e matriz pelítica (silte + argila). As grauvacas são geralmente de origem marinha.
  16. 25. ARENITO QUARTZOSO – Eles constituem os produtos finais de evolução de sedimentos arenosos, apresentando na fração detrítica mais de 95% de quartzo. Sua cor é em geral branca (figura ao lado), podendo ser rósea ou avermelhada (devido ao revestimento de hematita que envolve os grãos). Geralmente são de origem litorânea. ARENITOS ARCOZIANOS OU ARCÓZIOS – Contêm mais de 25% de feldspato de origem detrítica. O arcósio típico é uma rocha de granulação grossa e coloração cinza ou rósea-avermelhada (figura ao lado), esta última atribuída a fragmentos de feldspatos potássicos.
  17. 26. ARENITOS LÍTICOS – São caracterizados por conter mais de 25% de partículas detríticas de fragmentos de rochas, e por ter pouca ou nenhuma matriz. Apresentam em geral cor cinza (figura ao lado) e abundantes partículas líticas, constituídas principalmente de rocha sedimentares (folhelho, siltito, arenito), metamórficas de baixo grau (ardósia, filito, mica-xisto) e ígneas.
  18. 27. Rochas Lutáceas São formadas pela litificação de sedimentos sílticos e, principalmente, argilosos. Compreendem os sedimentos cuja granulação predominante está compreendida nos intervalos de silte (de 0,062 a 0,004mm) e argila (menores que 0,004mm), de acordo com a escala granulométrica de Wentworth (1922).
  19. 28. ARGILITOS – granulação fina, de coloração cinza até preta, amarela, verde ou avermelhada. Os principais constituintes destas rochas são os minerais argilosos (aluminossilicatos). A presença de argila faz com que o sedimento produza o cheiro característico de moringa nova. FOLHELHO – são rochas que possuem grãos de tamanho argila. Diferenciam-se dos argilitos porquê possuem lâminas finas e paralelas esfoliáveis, enquanto os argilitos apresentam as argilas com aspecto mais maciço.
  20. 29. Rochas Lutáceas de grande importância <ul><li>FOLHELHOS CARBONOSOS (FOLHELHOS NEGROS) </li></ul><ul><ul><ul><li>Excepcionalmente ricos em matéria orgânica; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O folhelho comum possui 1% de matéria carbonosa, os foflelhos negros apresentam entre 3% e 15%; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ricos em sulfetos, principalmente pirita; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dificilmente contém fósseis e, quando presentes, constituem uma fauna pobre; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>São formados em condições redutoras e anaeróbicas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O Mar Negro e os fundos fiordes atuais (Noruega, Dinamarca, etc.) são ambientes propícios à sedimentação desses depósitos lutáceos; </li></ul></ul></ul>
  21. 30. <ul><li>FOLHELHOS SILICOSOS </li></ul><ul><ul><ul><li>Alto teor de sílica, geralmente superior a 85%; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Outros componentes, tais como, ferro ferroso e os carbonatos, estão ausentes ou são muito raros. </li></ul></ul></ul><ul><li>FOLHELHOS ALUMINOSOS </li></ul><ul><ul><ul><li>Média de 15,4% de Al 2 O 3 e podendo ser denominado de aluminosos quando exceder 22%; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A origem desses folhelhos não está compreendida, porém acredita-se que folhelhos contendo minerais bauxíticos ou folhelhos ricos em caulinita apresentam essa propriedade. </li></ul></ul></ul><ul><li>FOLHELHOS CALCÍTICOS E MARGAS </li></ul><ul><ul><ul><li>O Conteúdo de CaCO 3 da maioria dos folhelhos é baixo e a média de CO 2 é de 2,63%, que corresponde a 6% de CaCO 3 . </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Marga – É quando os sedimentos argilosos possuem entre 35 3 65% de carbonato de cálcio, formando misturas semifriáveis de materiais argilosos e calcário, tem-se a marga. </li></ul></ul></ul>
  22. 31. EXEMPLOS
  23. 39. Rochas sedimentares piroclásticas <ul><li>Essas rochas resultam da acumulação natural de materiais vulcânicos de explosões e, portanto, possuem origem mista (ígnea e sedimentar). Podem ser subdivididas em: </li></ul><ul><li>Rochas piroclásticas primárias; </li></ul><ul><li>Rochas piroclásticas secundárias. </li></ul>
  24. 40. Rochas piroclásticas primárias São caracterizadas pela presença de ignimbritos . Este tipo de material é formado porque, quando os fragmentos componentes dessas rochas são depositados, parte ainda apresenta-se quente em estado de fusão.
  25. 41. Rochas piroclásticas secundárias Resultam da desintegração, erosão, transporte e sedimentação de rochas piroclásticas. Podem exibir qualquer granulação, mas as mais comuns apresentam granulação fina.
  26. 42. Algumas Rochas piroclásticas primárias Brechas Vulcânicas
  27. 43. Blocos de queda de &quot;tufo de lapilli&quot; - Ribeira do Porco - Boaventura - Madeira Tufos ou tufitos de “lapilli” Tufos - Deserta Grande
  28. 44. Revestimento em “feijoco ou fajoco” (bombas vulcânicas) Rochas vulcânicas - Ribeira Brava - Madeira Tufos ou tufitos vulcânicos

×