Successfully reported this slideshow.
1      UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB      DEEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - CAMPUS II     CURSO DE LICENCIATURA EM EDUC...
2            RICARDO DA SILVA FIGUERÊDONÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA ENTRE OS ALUNOS DO CURSO DE  LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍS...
3                               AGRADECIMENTOS       Se eu não começar a agradecer pela criação que eu tive e pelaoportuni...
4que participaram dessa jornada complicada, cansativa e intensa da minhaformação.
5“Não viva para que a sua presença seja notada,       mas para que a sua falta seja sentida...”                           ...
6                                  RESUMOUma das preocupações atuais do mundo é o crescimento do sedentarismo. Porisso, es...
7                                   ABSTRACTOne of the worlds current concerns is the growth of sedentary lifestyle. So, i...
8                             LISTA DE GRÁFICOSGRÁFICO 1 - Classificação em quanto nível de atividade física.      25GRÁFI...
9                                 SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO                                               102 OBJETIVOS         ...
101- INTRODUÇÃO       "O sedentarismo é o hábito de não realizar esforço físico ou realizá-lo demaneira insuficiente para ...
11escadas rolantes, elevadores, computadores, etc. Segundo o Ministério daSaúde (2010) mostram que 40% dos adultos passam ...
12Para tanto, existem estudos na Europa indicando que professores desta áreatem nível de atividade física maior em compara...
132 – OBJETIVOS2.1 – GERAL   Identificar o nível de atividade física dos discentes do Curso de     Licenciatura em Educaç...
143 REFERENCIAL TEÓRICO3.1 Conceitos: Saúde, Atividade Física, Sedentarismo.       Antes de qualquer abordagem mais profun...
15aspectos que podem mudar esse estado de saúde como alimentaçãoadequada, moradia, saneamento básico, trabalho, educação, ...
16      Outra nomenclatura que deve ser definida neste tópico pela suarelevância e crescimento com o passar das décadas é ...
17dos problemas de saúde”. Essa ciência aplica-se em qualquer tipo depopulação e localidade, seja ela numa cidade, país ou...
18índice entre as mulheres (33,3%), mostrando que a tecnologia continua sendouma forte rival para o aumento da inatividade...
19porcentagem de ativos fisicamente não muda muito em relação ao tempo depermanência desses alunos nos cursos. Seguindo es...
20dos anos 50, quando em Londres ao se pesquisar quais doenças atingiam osfuncionários aposentados da companhia de ônibus ...
21corrida ou bicicleta ou natação associados a exercícios de fortalecimentomuscular e de equilíbrio, por duas vezes de 15 ...
224 – METODOLOGIA4.1 Modelo de estudo      A metodologia utilizada neste estudo foi de caráter quantitativo, usandouma pes...
234.3. Local do estudo      No último censo do IBGE (2010), o município e Alagoinhas localizado noLitoral Norte do estado ...
24      Empregou-se a técnica de Dados Primários, que não sofreram estudo ouanálise, sendo os dados coletados por meio de ...
255 - RESULTADOS E DISCUSSÃO             Como início da descrição dos resultados foi analisado o nível deatividade física ...
2620,2%. Já em Sergipe na Universidade Federal de Sergipe (2010) comestudantes do curso de Educação Física e na Universida...
27      Sabendo também que o Instituto Nacional de Estudos e PesquisasEducacionais (INEP) realizou estudos para saber o pe...
28Gráfico – 3; Nível de Atividade Física x Gênero.      Salles-Costa (2003) reintera que os objetivos e características da...
29Gráfico – 4; Horas por semana de trabalho.      Segundo o Gráfico 4, 35% dos estudantes analisados não mantémnenhum vínc...
30Gráfico – 5; Nível de Atividade Física x Trabalho Remunerado.      Observa-se que houve uma contradição nos resultados p...
31Gráfico – 6; Percepção de saúde dos estudantes.      Perguntou-se aos estudantes como se sentiam em relação ao seuestado...
32Gráfico – 7; Percepção de saúde dos estudantes x Atividade Física.      Em termos de saúde, o domínio que houve maior fr...
33Gráfico –8; Tempo gasto sentado por um dia da semana.      O gráfico – 9, nos mostra que os estudantes, durante o fim de...
34       É necessário então que a cada uma hora sentada, o indivíduo façaalongamentos simples, realize uma leve caminhada,...
35Gráfico – 10; Nível de Atividade Física x Tempo gasto sentado por um dia daSemana.      Como era de se esperar os alunos...
36não basta apenas fazer exercícios físicos mas também tem que diminuir otempo sentado durante o dia.Gráfico – 11; Faixa e...
37superior, empenhada pelo Ministério da Educação, com a ampliação das vagasnas instituições estaduais e federais, utiliza...
38de alunos no segundo semestre decorre do fato de haver desistência durante avida acadêmica, e devido a alguns alunos de ...
396 – CONSIDERAÇÕES FINAIS      Este trabalho monográfico se propôs a diagnosticar o nível de atividadefísica dos alunos d...
40REFERÊNCIASA Saúde. 2010. Disponível em:<http://www.coladaweb.com/biologia/saude/a-saude > Acesso em 15 denovembro de 20...
41Corrida pela inclusão. 2010. Disponível em:< http://revistaensinosuperior.uol.com.br/textos.asp?codigo=12125 > Acessoem ...
42<http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2010/09/16/interna_ciencia_saude,213186/index.shtml> A...
43<http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_NOTICIA=10817> Ac...
44PIHL, E., MATSIN, T., JURIMAE, T. Physical activity, musculoskeletaldisorders and cardiovascular risk factors in male ph...
45RIBEIRO, M.A., ANDRADE, D.R. OLIVEIRA, L.C. BRITO, C.F.D.A. MATSUDO,S.M.M. ARAUJO, T.L. ANDRADE, E. FIGUEIRA Jr, A. Brag...
46Saúde: conceito e atribuições do Sistema Único de Saúde. 2005.Disponível em:< http://jus.com.br/revista/texto/7378/saude...
47                                     ANEXO A      QUESTIONÁRIO INTERNACIONAL DE ATIVIDADE FÍSICA – QUIAF –              ...
48      ( ) Sim       (     ) Não – Caso você responda não Vá para seção 2:TransporteAs próximas questões são em relação a...
49       ________dias por SEMANA            ( ) nenhum - Vá para questão 2c2b.   Quanto tempo no total você usualmente gas...
503c.   Em quantos dias da última semana você fez atividades moderadas por pelo      menos 10 minutos como carregar pesos ...
514e. Em quantos dias da última semana você fez atividades vigorosas no seu tempolivre    por pelo menos 10 minutos, como ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Nível de atividade física entre os alunos do curso de Licenciatura em Educação Física - UNEB - Alagoinhas -BA

5,533 views

Published on

Ricardo da Silva Figueredo

  • Be the first to comment

Nível de atividade física entre os alunos do curso de Licenciatura em Educação Física - UNEB - Alagoinhas -BA

  1. 1. 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - CAMPUS II CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICANÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA ENTRE OS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNEB- ALAGOINHAS RICARDO DA SILVA FIGUERÊDO ALAGOINHAS – BA 2012
  2. 2. 2 RICARDO DA SILVA FIGUERÊDONÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA ENTRE OS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNEB- ALAGOINHAS Monografia apresentada, como pré- requisito de conclusão do Curso de Licenciatura de Educação Física, da Universidade do Estado da Bahia, Alagoinhas- Bahia Orientador: Prof.Ms. Valter Abrantes Pereira da Silva ALAGOINHAS-BA 2012
  3. 3. 3 AGRADECIMENTOS Se eu não começar a agradecer pela criação que eu tive e pelaoportunidade que meus queridos pais me deram para chegar aonde chegueiseria clichê da minha parte, por isso que eu agradeço a Deus pela família queme deu. Ao meu pai Edmilson que apesar de tantas dificuldades que nóspassamos ele nunca desistiu de nossos ideais, minha amada mãe Floraciembora termos passarmos por tantas batalhas ela nunca teve capacidade epetulância de abdicar do nosso futuro e sonhos, aos meus irmãos de sangueAdri e Vini que mesmo morando longe sempre me apoiaram e me defenderamem tudo que eu quis para minha vida, mesmo sabendo que a carreira que euescolhi seria difícil, aos meus tios (a), primos (a), avô e avó. Aos amigos? Acredito que não existe isso, apenas amigos porconveniência, mas sim, irmãos de coração como aqueles que na horanecessária sempre estiveram do meu lado para me dar conselhos, broncas esoluções necessárias para minha sobrevivência, exemplos eu tenho alguns,pois irmãos de coração não te julgam, não te trai, abdica do seu próprio bempara te ajudar e fazer feliz, por isso que trago no meu coração irmãos comoNana, que mesmo morando em Santa Luz (ô lugar longe da peste) nuncaesqueceu do pobrezinho careca aqui, Nessa, Naty, Victoria, Leni, asimaculadas Isadora Resende e Daiane Rios que sempre me aturaram nos diasmais tristes e desconfortantes que tive, Aos irmãos de infância que sempre surgem com histórias hilárias parame fazer sorrir como Neto, Danilo Tiago (amarelo), Thiago e Tacinho, aosirmãos instantâneos como Vanessa Rodrigues e Mauricio Victor, Marcelão queno final dessa batalha me fizeram abrir os olhos para realidade da vida que meespera. Mas, se eu renegar aos meus professores seria uma indelicadeza daminha parte, porque todo o meu conhecimento adquirido foi socializado poreles. Então, meus sinceros agradecimentos vão para Martha Benevides, porme dar oportunidade na minha iniciação científica, ao professor ValterAbrantes, por orientar e mostrar em que caminho seguir, e a Paulo César pelaoportunidade de estagiar na área que eu decidi me especializar. Enfim, a todos
  4. 4. 4que participaram dessa jornada complicada, cansativa e intensa da minhaformação.
  5. 5. 5“Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida...” Bob Marley
  6. 6. 6 RESUMOUma das preocupações atuais do mundo é o crescimento do sedentarismo. Porisso, está surgindo várias medidas de políticas públicas ligadas a saúde, paraminimizar o avanço deste problema. um crescente interesse da sociedade emtermos de pesquisa é o aumento do sedentarismo, pois já está sendoconsiderada como “mal do século” devido ao grande desenvolvimento dedoenças relacionadas à falta de uma atividade física como: problemascardiovasculares, artrose, osteoporose, obesidade, hipertensão, diabetes,dentre Este estudo tem como finalidade diagnosticar a saúde de universitáriosdo curso de Licenciatura em Educação Física da UNEB, Campus II,Alagoinhas-BA, obtendo o perfil destes alunos no âmbito da atividade física esaúde. A amostra total foi de 43 voluntários, distribuídos nas quatro turmas docurso e os dados foram obtidos na aplicação de questionários, utilizando oIPAQ (Questionário Internacional de Atividade Física), versão longa. Osresultados foram tabulados no software Windows Excel 2010 e pelo programaestatístico SPSS Statistics para Windows® versão 17.0. As informações nostrazem os seguintes aspectos: são em sua maioria ativos fisicamente, formadapelo sexo feminino, de idade entre 19 anos a 24 anos, tendo um maior númerode alunos do 2° semestre. Destes, 35% não tem nenhum vínculo empregatícioe uma pequena parcela deles classificam em sua auto-avaliação, em relação àsaúde, um estado ruim ou regular, passam cerca de 7 horas sentados num diada semana e de 3 horas sentados num dia do fim de semana. Nestaconfiguração, o presente estudo não só trás informações sobre o estado físicodos universitários, mas dados para que possam ser comparados com outrasrealidades, trazendo soluções para que o sedentarismo não seja mais umproblema sem saída.Palavra – chave: Atividade física – Saúde - Sedentarismo
  7. 7. 7 ABSTRACTOne of the worlds current concerns is the growth of sedentary lifestyle. So, isemerging several public policy measures related to health, to minimize thegrowth of this problem. a growing interest of society in terms of research is theincrease in sedentary lifestyle, as is already being regarded as "evil of thecentury" because of the large development of diseases related to lack ofphysical activity such as cardiovascular problems, arthritis, osteoporosis,obesity, hypertension, diabetes, among This study aims at diagnosing thehealth of university students from the Bachelors Degree in Physical EducationUNEB, Campus II, Alagoinhas-BA, obtaining the profile of these students inphysical activity and health. The total sample consisted of 43 subjects dividedinto four classes of the course and the data were obtained from questionnaires,using the IPAQ (International Physical Activity Questionnaire), the long version.The results were tabulated in Excel 2010 and Windows software for thestatistical program SPSS version 17.0 for Windows ®. The information brings usthe following aspects: they are mostly physically active, formed by the female,ages 19 years to 24 years, with a greater number of students in secondsemester. Of these, 35% have no formal employment and a small portion ofthem are classified in their self-assessment in relation to health, a state fair orpoor, spend about seven hours sitting on a weekday and three hours a daysitting weekend. In this configuration, the present study not only bringsinformation about the physical state of the university, but data so they can becompared with other realities, bringing solutions to the more sedentary lifestyleis not a dead issue.Key - words: Physical Activity - Health - Physical inactivity
  8. 8. 8 LISTA DE GRÁFICOSGRÁFICO 1 - Classificação em quanto nível de atividade física. 25GRÁFICO 2 - Gênero da amostra. 26GRÁFICO 3 - Nível de Atividade Física x Gênero. 28GRÁFICO 4 - Horas por semana de trabalho. 29GRÁFICO 5 - Nível de Atividade Física x Trabalho Remunerado. 30GRÁFICO 6 - Percepção de saúde dos estudantes. 31GRÁFICO 7 - Percepção de saúde dos estudantes x Atividade Física. 32GRÁFICO 8 - Tempo gasto sentado por um dia da semana. 33GRÁFICO 9 - Tempo gasto sentado por um dia do Fim de Semana. 34GRÁFICO 10 - Nível de Atividade Física x Tempo gasto sentado 35por um dia da Semana.GRÁFICO 11 - Semestres da amostra. 36GRÁFICO 12 - Faixa etária da amostra. 37GRAFICO 13; Semestres da amostra x Classificação do 38nível de atividade física.
  9. 9. 9 SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO 102 OBJETIVOS 13 2.1 Objetivo Geral 13 2.1 Objetivos Específicos. 133 REFERENCIAL TEÓRICO 143.1 Conceitos: Saúde, Atividade Física, Sedentarismo. 14 3.2 Dados Epidemiológicos de Atividade Física 16 3.3 Doenças relacionadas ao Sedentarismo 194 METODOLOGIA 22 4.1Modelos de estudo 22 4.2 População e Amosta 22 4.3 Local do Estudo 23 4.4 Método de Procedimento 23 4.5 Coleta de Dados 23 4.6 Análise de Dados 235 RESULTADOS E DISCUSSÃO 256 CONSIDERAÇÕES FINAIS 39 REFERÊNCIAS 40ANEXO A – QUESTIONÁRIO INTERNACIONAL DE ATIVIDADE FÍSICA 47QUIAF - VERSÃO LONGA.
  10. 10. 101- INTRODUÇÃO "O sedentarismo é o hábito de não realizar esforço físico ou realizá-lo demaneira insuficiente para a demanda que o organismo exige, não mantendo oequilíbrio entre o consumo energético e dispêndio de energia" Domínguez, etal., (2009). A partir do século XX, surgiram muitas pesquisas pautadas à atividadefísica, sedentarismo e doenças relacionadas à ausência de exercícios físicoscontínuos. Por este motivo o Ministério da Saúde promove frequentespesquisas para diagnosticar a saúde da população. Em um estudo divulgadopela Organização Mundial da Saúde (OMS) (2007), apenas 14,7% dosbrasileiros praticam atividades físicas com regularidade. De acordo com aOMS, para ser classificado como ativo fisicamente é preciso que o indivíduofaça alguma atividade leve ou moderada, por pelo menos 30 minutos por dia,cinco vezes por semana, ou 20 minutos diários de atividade vigorosa, em trêsou mais dias da semana. Segundo dados do IBGE (Brasil, 2006), cerca de 70%da população brasileira pratica pouco ou quase nenhuma atividade físicaregular, e que hábitos sedentários são responsáveis por 54% do risco de mortepor infarto e 37% por câncer. Esse índice ainda pode ser classificado emrelação ao gênero, pois dos sedentários no Brasil, cerca de 29,5% são homense 23,5% mulheres, ultrapassando os 50% a partir dos 65 anos de idade deambos os sexos, (VIGITEL, 2008). Assim sendo, o sedentarismo passaconsiderado como a “doença do século”. Um estudo realizado com a população no município de Alagoinhas(2008) obteve resultados que não se afastam da realidade nacional, pois amaioria da população encontrava-se sedentária, com 68% indivíduos inativosfisicamente contra 32% sujeitos ativos. Os fatores demonstrados para adeficiência da prática de atividade física relacionam-se com a falta de tempo,de segurança, de espaços públicos, grau de instrução (escolaridade) e estadocivil. (Severo; Jesus; Victória, 2010) Um dos fatores para que a situação tenha chegado a este nível é odesenvolvimento tecnológico, pois cria facilidades para a vida da população,diminuindo assim o gasto calórico para realização das atividades cotidianas.Citando alguns exemplos presentes em muitos lugares temos: controle remoto,
  11. 11. 11escadas rolantes, elevadores, computadores, etc. Segundo o Ministério daSaúde (2010) mostram que 40% dos adultos passam pelo menos três horas emfrente à TV durante cinco dias da semana ou mais. Reações políticas positivas em resposta a esta conjuntura foram criadas,como o manual sobre Política Nacional de Promoção da Saúde, desenvolvidopelo Ministério da Saúde em 2006. Este documento discute a Divulgação eImplementação da Política Nacional de Promoção da Saúde, AlimentaçãoSaudável, Prática Corporal/Atividade Física. Em 2007, realizou-se umapesquisa no município de Pelotas/RS com 2096 indivíduos de 10 anos ou maisde idade. Nesta pesquisa, perguntou-se se acreditam que a mídia influência namudança do comportamento em relação à prática de atividade física, obtendoresultado onde 89,6% afirmaram positivamente de que apenas 22,3%relataram ter tido mudança de conduta. Seguindo estes dados, as diversasformas de mídia podem aumentar ainda mais a promoção de saúde nos seusprogramas e propagandas, sabendo que são um dos maiores propagadoresdas ideias de uma vida saudável para a população. Exemplo disso foi a criaçãode alguns programas de televisão que expõem apenas assuntos relacionados àsaúde, exibindo fatores de risco para quem não pratica atividade física, dicaspara ter uma alimentação adequada, mesmo para quem tem um ritmo de vidaacelerado, doenças relacionadas a inatividade física e soluções para que esserisco diminua. A educação física escolar contribui para a formação do indivíduo, poistem como objetivo a psicomotricidade, conhecimento sobre o corpo, ocoletivismo, entre outros pontos. Contudo, atualmente tem sido proposto que oaprendizado adquirido pelos alunos nas aulas de educação física consigacontribuir na sua vida na idade adulta, nos mais variados aspectos. Nestecontexto, conseguir fazer com que o aluno tenha consciência de ser ativofisicamente na idade adulta pode ser mais um legado da educação físicaescolar. Nesta perspectiva, o comportamento do professor para com aatividade física e suas orientações de incentivo a ser ativo fisicamente podeexercer uma maior influência sobre estes alunos, uma vez que o professor éuma referência para eles. É censo comum que futuros educadores da área de Educação Físicatenham uma vida mais ativa fisicamente do que os alunos de outros cursos.
  12. 12. 12Para tanto, existem estudos na Europa indicando que professores desta áreatem nível de atividade física maior em comparado aos colegas que lecionamem outras disciplinas (Zamai; Rodrigues; Bankoff; Delgado; Braga; Filocomo;2007). Por tudo exposto, para esta pesquisa foram selecionados alunos doCurso de Licenciatura em Educação Física da Universidade do Estado daBahia Campus II – Alagoinhas, para trazer resultados sobre a situação docorpo discente desta universidade nos quesitos, gênero, idade, frequência porsemestre, se estes alunos trabalham quando estão estudando e quantas horasdiárias exercem em funções empregatícias, quanto tempo é gasto sentado porum dia no fim de semana e durante a semana. O principal objetivo será definircomo está o nível de atividade física destes estudantes, partindo dopressuposto que estes acadêmicos serão, no futuro, professores de educaçãofísica escolar no qual serão responsáveis em disseminar as informações daárea, por possuírem maior conhecimento relacionado aos malefícios causadospor uma rotina ausente de atividade física e terão que lidar com esta situaçãoque se torna cada vez mais um problema de saúde pública.
  13. 13. 132 – OBJETIVOS2.1 – GERAL  Identificar o nível de atividade física dos discentes do Curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade do Estado da Bahia/Alagoinhas.2.2 - ESPECÍFICOS  Correlacionar o nível de atividade física dos alunos do curso de Educação Física da UNEB-Alagoinhas em relação ao gênero;  Identificar o perfil desses alunos nos domínios: horas de trabalho, percepção do estado de saúde, semestre e tempo sentado entre os estudantes classificando-os em ativos e sedentários.
  14. 14. 143 REFERENCIAL TEÓRICO3.1 Conceitos: Saúde, Atividade Física, Sedentarismo. Antes de qualquer abordagem mais profunda, devemos identificar osprincipais conceitos mais frequentes durante a pesquisa, dentre eles saúde,atividade física e sedentarismo, segundo Pitanga (2002, p. 49-54): saúde tem sido definida não apenas como a ausência de doenças. Saúde se identifica como uma multiplicidade de aspectos do comportamento humano voltados a um estado de completo bem-estar físico, mental e social. Sob o olhar da Constituição do Sistema Único de Saúde (SUS), a Saúdetem que ser levada mais a sério não apenas num conceito superficial, a autoraLenir Santos (06/2005, p.1) discute que: saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Pois a saúde não é a penas um evento biológico, mas há por trásdiversas interferências ocorridas no meio em que se vive, podendo ser medidaatravés da temperatura, pulso, pressão sanguínea, altura, peso, acuidadevisual e auditiva, etc. Segundo Lira (2010), “saúde pode ser, portanto, a capacidade que oorganismo apresenta de funcionar em completa harmonia com seu ambiente, oque envolve a aptidão para enfrentar física, emocional e mentalmente astensões cotidianas.” Pois se o indivíduo não estiver bem consigo mesmo (físicoe mental), isso será refletido no estado de funcionamento do seu organismo,tanto para o lado bom quanto para o lado ruim. Porém, também existem outros
  15. 15. 15aspectos que podem mudar esse estado de saúde como alimentaçãoadequada, moradia, saneamento básico, trabalho, educação, transporte, lazer.Caspersen (1985) define atividade física como “qualquer movimento corporalproduzido pelos músculos esqueléticos que resulta em gasto energético maiordo que os níveis de repouso”. Podemos acrescentar ainda que consiste emqualquer esforço muscular pré-determinado, destinado a executar uma tarefa,seja ela um "piscar dos olhos", um deslocamento dos pés e até um movimentocomplexo de finta em alguma competição esportiva. Matsudo e Matsudo (2000) afirmam que os principais benefícios à saúderespaldada com a prática de atividade física estão ligados aos aspectosantropométricos, neuromusculares, metabólicos e psicológicos. Inclusive é relevante comentar que existe diferença entre AtividadeFísica e Exercício Físico. Neste sentido, Ribeiro (2009) classifica o exercíciofísico como “qualquer atividade física que mantém ou aumenta a aptidão físicaem geral e tem o objetivo de alcançar a saúde e também a recreação”. Assim,pode-se obter o reforço da musculatura e do sistema cardiovascular; oaperfeiçoamento das habilidades atléticas, entre outras formas. Pitanga (2004,p.16), define exercício físico como “atividade repetitiva, planejada eestruturada, que tem como objetivo a manutenção e melhoria de um ou maiscomponentes da aptidão física”, em relação à atividade física Pitanga (2004)afirma que: A Atividade física é definida como qualquer movimento corporal, produzido pela musculatura esquelética, que resulta em gasto energético, tendo componentes e determinantes de ordem biopsicosocial, cultural e comportamental. Pitanga (2004, p.16)De acordo com Montt (2005, p.1): Atividade física é definida como um conjunto de ações que um indivíduo ou grupo de pessoas pratica envolvendo gasto de energia e alterações do organismo, por meio de exercícios que envolvam movimentos corporais, com aplicação de uma ou mais aptidões físicas.
  16. 16. 16 Outra nomenclatura que deve ser definida neste tópico pela suarelevância e crescimento com o passar das décadas é o sedentarismo, porqueo indivíduo que possui tal agravante poderá acarretar algumas doençasassociadas a esse estilo de vida. Segundo Leite (2010,p.1): O sedentarismo é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física. Na realidade, o conceito não é associado necessariamente à falta de uma atividade esportiva. Do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais....o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana em atividades físicas. Contudo, o sedentarismo não se relaciona necessariamente apenas aosexercícios físicos como destaca Leite (2010). A pessoa sedentária que realizaalgumas atividades diárias rotineiras como caminhada ao deslocar-se para otrabalho, maior do que 10 minutos, ou que faça alguma atividade doméstica nasua residência (lavar prato, varrer a casa, limpar jardim ou quintal), já estaráfora da classificação de sedentário. Tais atividades, mesmo que por poucotempo, contém um gasto calórico cujo acúmulo do trabalho ao final do diaconsidera-se substancial.3.2 Dados Epidemiológicos de Atividade Física É necessário definir a Epidemiologia, discutir seu significado e comoesse estudo pode influenciar na nossa vida. Segundo a AssociaçãoInternacional de Epidemiologia (1973), epidemiologia é o estudo dos fatoresque determinam a frequência e a distribuição das doenças nas coletividadeshumanas. Esta ciência originou-se em meados do século XIX, quando JohnSnow realizou um estudo sobre o risco de contrair a cólera ao consumir águaproveniente de uma rede de abastecimento em 1954 em Londres. Porém, a epidemiologia pode ser definida segundo Last (2001) como “oestudo da distribuição e dos determinantes de estados ou eventos relacionadosà saúde em populações específicas, e sua aplicação na prevenção e controle
  17. 17. 17dos problemas de saúde”. Essa ciência aplica-se em qualquer tipo depopulação e localidade, seja ela numa cidade, país ou região. No Brasil, oSistema de Vigilância Epidemiológica foi instituído pela lei nº 6.259 de 1975que traz um banco de dados denominado de DATASUS, onde o Ministério daSaúde o define como “um órgão da Secretaria Executiva do Ministério daSaúde com a responsabilidade de coletar, processar e disseminar informaçõessobre saúde”. Não somente o Ministério da Saúde possui bancos de dados paraquantificar o índice de sedentarismo no Brasil, mas também a SociedadeBrasileira de Cardiologia (SBC) realiza pesquisas para determinar a causa doaumento do risco de morte por infarto, cujo índice alcança 54%, e do risco demorte por derrame cerebral, com 50%. Assim, descobriu-se que no país apopulação já não gasta tantas calorias como se gastava há 100 anos, uma vezque atualmente o índice de sedentários está em cerca de 70% da populaçãobrasileira. No Brasil, o Ministério da Saúde mantém um sistema de dados sobre asprincipais doenças crônicas que possam interferir na saúde pública. OVIGITEL (Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas porinquérito telefônico), no âmbito da atividade física e saúde, demonstra dadospreocupantes sobre a população do Brasil. Esta pesquisa busca quantificar aincidência na frequência da prática de atividade física no tempo livre (lazer), notrabalho, e no deslocamento. Consta no censo realizado pelo Ministério daSaúde (2009), que a capital com maior índice de sedentarismo é Maceió, entreadultos maiores de 18 anos, destes 22,8% do sexo masculino e 18,2% do sexofeminino. Trazendo os dados para a realidade baiana, segundo Sampaio (2009)em Salvador no ano de 2009, 14,2% da população são fisicamente inativos e13,8% dos adultos maiores de 18 anos praticam a atividade física no tempo delazer, sendo sua maioria homens. No estudo, observa-se que quanto maior aidade do indivíduo, menor o nível de atividade física e quanto maior aescolaridade, melhor a probabilidade de ser ativo fisicamente. Outro quesitodesta pesquisa indica a incidência de adultos maiores de 18 anos que assistemtelevisão por mais de 3 horas consecutivas. Salvador possui um dos maioresíndices relacionados a este fato, apresentando mais de 30%, sendo o maior
  18. 18. 18índice entre as mulheres (33,3%), mostrando que a tecnologia continua sendouma forte rival para o aumento da inatividade física. (VIGITEL, 2009) Em 2010, realizou-se um estudo com estudantes do curso deLicenciatura em Educação Física – UNEB/ Alagoinhas, cuja parcela da suapopulação reside no município, mostrando que a epidemiologia desta cidadenão há variações dos resultados quando relacionados com os índicesestaduais e nacionais, pois a maioria desta população se encontra sedentária,com os resultados apontando 30% dos indivíduos ativos fisicamente e 68%sedentários. Os determinantes deste estudo para a ausência da prática deatividade física foram: falta de espaço público destinado à prática de atividadefísica (39%), deficiência de segurança nos espaços públicos (15%), grau deinstrução (escolaridade) (31%) e estado civil (15%). O referente projeto tentaviabilizar uma visão geral de como anda a prática de atividade física dosestudantes de Educação Física da UNEB – Alagoinhas, empregando o mesmoprincípio utilizado pela Universidade Federal da Paraíba em 2007 cujo estudoencontrou um baixo nível de atividade física entre todos os seus alunos,apresentando cerca de 31,2%, nos trazendo alguns dados importantes comoas causas para este índice encontrado. Vejamos: Os estudantes com maior tempo de ingresso na universidade, os que estudam no período noturno e aqueles que passam menos tempo na universidade tiveram maior prevalência de baixo nível de atividade física. Também maior renda e classe social mostraram-se associados a maior prevalência de baixa atividade física. (Fontes; Vianna, 2009, p.20-29) Do mesmo modo, encontra-se no estudo realizado na UniversidadeTrás-os-Montes e Alto Douro – UTAD, Portugal, onde Nagem et al. (2007) nosrevelou que: “é elevado o número de acadêmicas do curso de educação físicaque não praticam atividade física”. Os índices de atividade neste gênero,segundo a pesquisa, são ínfimos. Outra pesquisa realizada em 2004 nos cursos das áreas desaúde/biológica da Faefid-UFJF em Juiz de Fora - MG demonstra que osestudantes de Biologia (86,9%) e Educação Física (90%) se mostraram maisativos fisicamente que os da Farmácia (56%) e Odontologia (61,1%) cuja
  19. 19. 19porcentagem de ativos fisicamente não muda muito em relação ao tempo depermanência desses alunos nos cursos. Seguindo essa mesma linha dehipótese sobre estudantes de Educação Física serem, em sua maioria, ativosem relação à prática de atividade física, existe outra observação publicada em2010 realizada em uma instituição de ensino com alunos do curso de EducaçãoFísica em Belo Horizonte. Este estudo demonstra um resultado pouco divergente aos outrosdiscutidos, pois “a porcentagem de indivíduos que atingem a recomendaçãoatual de atividade física para saúde entre os estudantes foi de 62,7% e o índicede sedentarismo foi de 5,4%.”, sendo os índices em relação ao gêneromasculino se sobrepõe ao feminino, uma vez que os homens são menossedentários em relação às mulheres. Não basta apenas que esses alunos de Educação Física façam parte dealguma rotina de atividade física para não serem classificados comosedentários, se eles mesmos não possuem competência de repassar essasinformações adequadamente para quem realmente necessite. Por este motivo,entre 1996 e 1998 elaborou-se um estudo com 653 alunos do curso deEducação Física das Faculdades da Capital de São Paulo, colhendo dadospara quantificar a qualidade de informação que esses alunos disseminavampara os seus ouvintes. Observou-se que o nível de conhecimento foiinadequado entre os alunos, comparado com as especificações do programaAgita São Paulo (2010). Portanto, sugeriu-se que o “curso superior deeducação física sejam oferecidos maiores conhecimentos sobre a relaçãoatividade física e promoção da saúde, se possível numa disciplina específica.” Por acreditarem que é de suma importância um maior conhecimentodestes alunos ao menos sobre a freqüência adequada, modo e intensidadeideal para a prática de qualquer atividade física.3.3 – Doenças relacionadas ao Sedentarismo Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (2006), a relação entreexercícios físicos e doenças relacionadas começou a ser discutida em meados
  20. 20. 20dos anos 50, quando em Londres ao se pesquisar quais doenças atingiam osfuncionários aposentados da companhia de ônibus (motoristas) comparadascom os dos correios (carteiros), determinaram que os motoristas possuíammais doenças do coração, devido ao esforço físico que os carteiros tinham paraexercer o seu trabalho.Segundo M. Matsudo (2009), a atividade física trás para as pessoas váriosfatores que venham causar benefícios para a sua saúde, como diminuição dagordura corporal, melhoria da flexibilidade, manutenção da massa muscular edensidade óssea, diminuição da frequência cardíaca em repouso, do risco dedepressão, estresse e ansiedade, melhora da auto-estima, força muscular,volume de sangue. Matsudo (2009) ainda afirma que os benefícios maisimportantes com a prática de atividade física são “diminuição do risco dedoença cardiovascular, acidente vascular cerebral tromboembólico,hipertensão, diabetes tipo 2, osteoporose, obesidade, câncer de cólon e câncerde útero”. Devido à preocupação causada pelo aumento das internações pormotivo da falta de exercício físico, a OMS definiu a data de 06 de abril como oDia Mundial da Atividade Física, a fim de proporcionar uma maiorconscientização à população. A Folha de São Paulo, em 2003, exibe umamatéria mostrando os gastos da prefeitura em relação às internaçõeshospitalares relacionadas com problemas afins à inatividade física, indicandoem 2002 foram investidos R$ 93,7 milhões dos cofres públicos paulistanos emgastos com internações, sendo 85% deste relacionado às doençascardiovasculares. Um valor exorbitante em relação ao gasto que poderiam tercaso esta verba pública fosse aplicada em projetos para prevenção, pois apopulação teria uma saúde melhor. Para se ter uma ideia sobre a mudança de hábito da populaçãobrasileira durante o passar do tempo, Abade (2008) demonstrou que no ano de1930 as doenças cardiovasculares eram responsáveis por 12%, pois quasemetade da população morria de doenças infecciosas e parasitárias. Com opassar dos anos, em 2006 esse resultado ultrapassou os 27%, em 2008alcançou os 30% de óbitos relacionados a doenças cardiovasculares. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (2011), para começar ater uma vida mais saudável, o censo comum de atividade física seria,“exercícios aeróbicos por 4 vezes semanais ao redor de 60 minutos/vez :
  21. 21. 21corrida ou bicicleta ou natação associados a exercícios de fortalecimentomuscular e de equilíbrio, por duas vezes de 15 a 20 minutos, a mais ou dentrodos 60 minutos.” Sintomas como falta de ar, dores do peito ou costas, tonturas,palpitações ou outras manifestações fora do habitual durante ou após aatividade física, devem ser comunicados ao médico. Contudo, para o programa“Agita São Paulo”, basta praticar atividade física no mínimo de 30 minutosdiários ou ter um dispêndio calórico semanal acima de 2.200 kcal. Porém como a população pode proceder para começar a ter uma vidasaudável sem correr riscos? Basicamente, a primeira coisa que precisa serfeita é a realização de consulta ao cardiologista a fim de realizar todos osexames necessários. Mas pode-se começar mudando alguns hábitos básicosligados às ações diárias como: subir escadas em vez de elevador, dispensar ointerfone e o controle remoto, estacionar o automóvel intencionalmente numlocal mais distante, dispensar a escada rolante no shopping center. Paramanter a atividade física mais saudável é necessário tomar algumas devidasprecauções para praticar o exercício físico com mais segurança como: utilizarroupas adequadas, proporcionando um conforto térmico, hidratar-se antes,durante e após o exercício, a fim de não desenvolver um quadro dedesidratação, escolher um exercício que traz prazer, bem estar físico e mentalregulando sempre a intensidade, ter sempre por perto profissionais qualificadospara avaliar o condicionamento físico elaborando programa de treinamento.Como afirma Leite (2010) “a atividade física regular e realizada com prazer éum recurso insubstituível na promoção de saúde e qualidade de vida.”
  22. 22. 224 – METODOLOGIA4.1 Modelo de estudo A metodologia utilizada neste estudo foi de caráter quantitativo, usandouma pesquisa descritiva que, segundo (THOMAS; NELSON; SILVERMAN,2007), “tem por premissa buscar a resolução de problemas melhorando aspráticas por meio da observação, análise e descrições objetivas, através deentrevistas com peritos para a padronização de técnicas e validação deconteúdo”. Para Severino (2002) a pesquisa descritiva procura descobrir, comprecisão possível, a freqüência com que um fenômeno ocorre, sua relação econexão com outros, sua natureza e características.4.2 População e Amostra O procedimento utilizado foi o de estudo de campo, tendo como objetivoanalisar a realidade de uma população específica, neste caso os alunos dasquatro turmas do Curso de Licenciatura da Universidade do Estado da Bahia,Campus –II, Alagoinhas. O critério utilizado para a escolha dos candidatos paraa pesquisa foi de forma universal, voluntariosa, tendo em vista que para apesquisa ser válida é preciso no mínimo 10% do total de alunos matriculados efrequentes. Avaliou-se 43 estudantes do curso de Educação Física, de ambos ossexos, variando entre 19 anos a 50 anos de idade. Os indivíduos foramentrevistados no período de 18 de julho de 2011 a 12 de agosto de 2011, noturno matutino, horário em que os alunos estão nas dependências daUniversidade. A aplicação dos questionários transcorreu com todos os alunosna sala de aula, sendo explicado como seria a pesquisa e sua finalidade. Osalunos não interessados em participar poderiam se retirar da sala de aula,entregando assim os questionários para os alunos restantes e respondidoseguindo as orientações do aplicador que se manteve no local da coleta dosdados, para a eventual necessidade de tirar dúvidas que surgissem..
  23. 23. 234.3. Local do estudo No último censo do IBGE (2010), o município e Alagoinhas localizado noLitoral Norte do estado da Bahia, com distância de 119 km da capital Salvador,tem população estimada em 2010 de 141.949 habitantes, com extensãoterritorial de 752Km², com a administração de mais três distritos sendo elesAraçás, Boa União e Riacho da Guia. Neste município localiza-se o Campus-II da Universidade do Estado daBahia, situado a Rodovia Alagoinhas/Salvador – BR 110, Km 03, numa área deaproximadamente 50 hectares, a 5 km do centro da cidade de Alagoinhas,disponibilizando 07(sete) cursos de graduação.4.4 Análise dos dados Empregou-se o método Estatístico que segundo Fachin (2001, p. 46),“se fundamenta nos conjuntos de procedimentos apoiados na teoria daamostragem e, como tal, é indispensável no estudo de certos aspectos darealidade social em que se pretenda medir o grau de correlação entre dois oumais fenômenos”. Foi utilizado a estatistica descritiva, os resultados foram apresentados naforma percentual. O tratamento destes questionários foi realizado no softwareWindows Excel 2010 e pelo programa estatístico SPSS Statistics paraWindows® versão 17.0., possibilitando visualizar os resultados em gráficos etabelas para um melhor entendimento.4.5 Coleta de Dados Critérios de inclusão: ser aluno regular do curso de educação física naUNEB. O critério utilizado para a escolha dos candidatos para a pesquisa foi deforma universal, onde foi oportunizado a todos os alunos a possibilidade departicipar da pesquisa e responder o questionário. Sendo, portanto aparticipação espontânea.
  24. 24. 24 Empregou-se a técnica de Dados Primários, que não sofreram estudo ouanálise, sendo os dados coletados por meio de questionário, utilizando oQuestionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) (ANEXO A), versãolonga, que foi proposto pela Organização Mundial da Saúde (1998), pois eranecessário, “a mensuração do nível de atividade física em grandes grupospopulacionais requer instrumentos de fácil aplicação, boa precisão e de baixocusto.” Rev. Bras. Ciên. e Mov. 9 (3): 45-51, 2001. Traz-nos dados relacionados à duração da atividade, freqüência,intensidade e tipo de atividade, nos âmbitos do trabalho, transporte, atividadefísica em casa e atividade física de recreação, esporte, exercício e de lazer,possibilitando a classificação desses indivíduos como Muito Ativo, Ativo,Irregularmente Ativo e Sedentário. O questionário IPAQ também permite aestimativa do gasto calórico das atividades através da estimativa doequivalente metabólico (MET), em que segundo Diniz e Meneghelo (2010),MET “é a unidade que utilizamos para quantificar a intensidade da atividadefísica realizada.”, ou classificada de acordo com o tempo de exercício realizadonuma determinada duração e frequência. Além de classificar os indivíduos em relação ao nível de atividade física,foi utilizado neste trabalho as respostas do IPAQ relacionadas a horas detrabalho por dia, percepção do estado de saúde e tempo gasto sentado. Apartir destas respostas foi feito um agrupamento considerando ativos osclassificados como muito ativos e ativos e como sedentários os classificadoscomo irregularmente ativos e sedentários.
  25. 25. 255 - RESULTADOS E DISCUSSÃO Como início da descrição dos resultados foi analisado o nível deatividade física entre os universitários, para uma melhor visualização dosresultados foi feito um agrupamento dos domínios em: Ativo (Muito ativosomado ao Ativo), e Sedentário (Irregularmente Ativo somado ao Sedentário),esses resultados seguem no gráfico 1.Gráfico – 1; Classificação em quanto nível de atividade física. A aplicação do questionário IPAQ, versão longa, nos trouxe os seguintesresultados, do total de estudantes a maioria deles são classificados como Ativo,estes resultados semelhantes foi encontrado em estudantes de umaUniversidade de Lubango em Angola (2008), onde 86,2% dos estudantes deEducação Física de lá relataram praticar alguma atividade física. Outros resultados utilizando o mesmo questionário só que apenas nodomínio lazer traz resultados de inatividade física com percentuais não muitodiferentes do que nesta pesquisa que foi de 18% (irregularmente ativo somadoao sedentário), estudo realizado na Universidade Federal de Pelotas (2010),identificou que 15,6% dos universitários eram inativos fisicamente, naUniversidade Estadual de Santa Cruz, Bahia (2008), essa prevalência foi de
  26. 26. 2620,2%. Já em Sergipe na Universidade Federal de Sergipe (2010) comestudantes do curso de Educação Física e na Universidade Federal da Paraíba(2009) com todos os estudantes da universidade, o nível de sedentários já foium pouco mais alto em relação a esta pesquisa, pois chega à marca dos45,2% e 31,2% respectivamente. Um estudo realizado com a população no município de Alagoinhas(2008) obteve os seguintes resultados: com 68% indivíduos inativos fisicamentecontra 32% sujeitos ativos. Por isso que em comparação com outras pesquisasenvolvendo universitários os estudantes de Educação Física da UNEB, nãomanifesta resultados muito preocupantes, pois o número de sedentários nãoteve um índice muito elevado.Gráfico – 2; Gênero da amostra. A amostra foi composta por uma maior quantidade de estudantes dosexo feminino, na qual 67% dos entrevistados foram do sexo feminino e 33%do sexo masculino. Este resultado não foge aos padrões em confronto com oCenso Demográfico realizado em 2010, onde amostras indicam que há noNordeste, 95,3 homens para cada 100 mulheres respectivamente, fato essedecorrente pela razão das correntes migratórias, iniciadas principalmente nadécada de 1940.
  27. 27. 27 Sabendo também que o Instituto Nacional de Estudos e PesquisasEducacionais (INEP) realizou estudos para saber o perfil dos estudantes dasuniversidades públicas e particulares, encontrando que, em 2010, dentre osestudantes matriculados, 57% das vagas foram ocupados pelo sexo feminino edaqueles que conseguiram concluir o curso, 60,9% são mulheres. Como podemos notar no Gráfico - 3 observa-se que foi encontrada umadiferença muito pouca entre os resultados, pois em relação ao gênero aporcentagem de ativos só teve uma leve diferença de 5% que também podeser observado no domínio relativo ao sedentarismo, pois 20,7% das mulheres e14,3% dos homens são sedentários, podemos observar que os homens sãomais ativos fisicamente do que as mulheres. Estes resultados não sediferenciam muito em comparado a outros estudos com este mesmo caráter,como na investigação realizada em uma universidade de Pelotas em 2010, quehomens foram mais ativos que as mulheres com 89,7% e 79,6%respectivamente, não havendo assim uma diferença muito grande entre osresultados. Outros estudos apontam para uma maior inatividade física para osexo feminino como nos mostra uma pesquisa realizada com a população dacidade de Lauro de Freitas (2007), trazendo a informação que 39% doshomens e 40% das mulheres são inativos, dando para perceber que o nível desedentários tem uma frequência bem maior do que nossos resultados.
  28. 28. 28Gráfico – 3; Nível de Atividade Física x Gênero. Salles-Costa (2003) reintera que os objetivos e características dasatividades procuradas de ambos os sexos são diferentes, pois, “os homensprocuram atividades físicas coletivas e de caráter competitivo e as mulheresem atividades individuais, que solicitem menos força física”.
  29. 29. 29Gráfico – 4; Horas por semana de trabalho. Segundo o Gráfico 4, 35% dos estudantes analisados não mantémnenhum vínculo empregatício sua maioria, cerca de 65% dos estudantestrabalham variando entre 2 horas a 8 horas diárias, sendo os alunos quetrabalham próximas de 8 horas diárias possuem sua carga horária divididaentre vespertino e noturno, diferente dos alunos da Universidade Federal daParaíba (2009), que aproximadamente 60,5% dos estudantes não realizavamtrabalho remunerado além da universidade. Estes resultados não se diferemdos estudos realizados pelo INEP durante a aplicação do Exame Nacional deDesempenho dos Estudantes (ENADE), revelando que 53,7%, tanto dos alunosegressos quanto dos que concluem o ensino superior, trabalham ou játrabalharam em tempo integral.
  30. 30. 30Gráfico – 5; Nível de Atividade Física x Trabalho Remunerado. Observa-se que houve uma contradição nos resultados porque onúmero de ativos foi maior na porção dos que trabalham, índice que deveriaser contrário por eles terem que trabalhar, restando pouco tempo livre duranteo dia. Deveria então criar mais opções de atividade física dentro do campus dauniversidade, com a finalidade de ocupar o tempo ocioso destes universitários,com o objetivo de melhorar este índice de sedentarismos que chega aos 26,7%dos que não trabalham.
  31. 31. 31Gráfico – 6; Percepção de saúde dos estudantes. Perguntou-se aos estudantes como se sentiam em relação ao seuestado de saúde. A maioria, 44%, definiu como Boa, 33% como Muito Boa,16% Excelente e 7% como Regular. Podemos comparar esses resultados comalguns outros que tiveram os mesmos procedimentos de classificação um delesfoi realizado como na Universidade de Santa Cruz – BA (2008), quedemonstram que a frequência dos sujeitos classificados com nível de saúdenegativa foi de 14,3%, com maior frequência para o sexo feminino (17,8%). Já na Universidade Federal da Paraíba (2009), a auto-avaliação doestado de saúde foi descrito como excelente ou bom por 74,9% da amostra, eapenas 2% dos estudantes se classificaram como tendo estado de saúde ruim.Trazendo para o contexto dos professores formados em Educação Física doensino básico de Pelotas (2011), eles se consideram em termos de saúdecomo excelente e muito boa com 62,6%, já com moradores do distrito deErmelino Matarazzo, Zona Leste de São Paulo (2010), enquanto suapercepção de saúde, 55,8% consideraram sua saúde boa ou ótima.
  32. 32. 32Gráfico – 7; Percepção de saúde dos estudantes x Atividade Física. Em termos de saúde, o domínio que houve maior frequência deuniversitários foi relatado no estado de saúde relativo Boa com 45,7% sendoclassificado como Ativo. Observando-se, também, que o maior índice desedentários foi no domínio Bom, discutindo este resultado de que este índicepoderia diminuir caso estes alunos fossem mais ativos fisicamente, apercepção de saúde relacionada ao Boa, poderia diminuir entre os sedentários.
  33. 33. 33Gráfico –8; Tempo gasto sentado por um dia da semana. O gráfico – 9, nos mostra que os estudantes, durante o fim de semana,passam muito tempo sentados ao longo do dia, na qual a maioria permanecesentada entre 5hs até 12hs, por motivos de estudo, trabalho ou no lazer emfrente ao computador ou assistindo televisão. Bassilio (2010) afirma que ficarsentado por muito tempo pode acarretar sérios riscos a saúde comodesenvolvimento de hérnia de disco devido à má postura quando sentado,comprometimento da circulação sanguínea por compressão dos vasos eredução do gasto metabólico trazendo risco para desenvolver obesidade. FrankHu (2011), da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, afirma que para cadaduas horas de televisão diária, o risco de diabetes aumenta 20%, enquanto orisco de doença cardíaca, 15%, e o risco de morte, 13%. O educador físico Luciano D´Elia (2010) afirma que “o corpo humanonão foi desenhado para ficar sentado o tempo todo”, e, também, os “músculosparados perdem elasticidade, flexibilidade, força e resistência; além disso, oresto do corpo tem de fazer um esforço bem maior, o que leva a uma mápostura e desequilíbrio muscular”.
  34. 34. 34 É necessário então que a cada uma hora sentada, o indivíduo façaalongamentos simples, realize uma leve caminhada, a fim de promover maioroxigenação no corpo todo. Como explica Raul Santo (2010), "é importante quea pessoa crie o hábito de alongar-se para reposicionar o corpo, tentandoalcançar o equilíbrio postural”. Dados mostrando o tempo gasto sentado durante um dia do fim desemana, distancia-se em relação ao mostrado anteriormente, uma vez que osdados mostram menos tempo sentados, supondo que esse tempo foi utilizadopara o seu lazer.Gráfico – 9; Tempo gasto sentado por um dia do Fim de Semana.
  35. 35. 35Gráfico – 10; Nível de Atividade Física x Tempo gasto sentado por um dia daSemana. Como era de se esperar os alunos que passam 1h até 4h sentados teveum índice de inatividade física muito baixa, outro resultado que houve umadiferença elevada foram os alunos que ficam sentados de 12h até 20h por diacom uma diferença entre eles de 26,2%, sendo que o maior índice foi os dosinativos, nos outros resultados esta diferença não foi significante. Não bastaapenas ser ativo fisicamente se maior parte do dia esses universitários ficamsentados, pois segundo MELO (2010) foi realizada uma pesquisa americanadesenvolvida durante 14 anos com adultos pela Sociedade Americana deCâncer observou que “entre os que praticavam atividades físicas, maspassavam boa parte do dia sentados, a incidência de doenças também foimaior, embora não tão grande quanto entre aqueles que, além depermanecerem sentados, não se exercitavam”, a dica que ele sugere é que
  36. 36. 36não basta apenas fazer exercícios físicos mas também tem que diminuir otempo sentado durante o dia.Gráfico – 11; Faixa etária da amostra. Em relação à idade dos universitários analisados, 64% estão entre 19 e24 anos, 22% entre 25 e 30 anos e 14% entre 31 e 50 anos. Foi realizada naUniversidade de Santa Cruz - BA em 2008 que indicava uma equivalência nosresultados com esta amostra, pois os estudantes de lá em sua maioria tinha aidade de 21 a 30 anos (58,0%). Observa-se a existência de um significativo crescimento em relação aosestudantes universitários acima dos 25 anos, uma vez que a soma alcançaperto da metade dos estudantes. Segundo o Instituto Nacional de Estudos ePesquisas Educacionais (INEP), esse crescimento vem sendo observadodesde 2000, onde 15,9% dos novos estudantes tinham a idade acima dos 25anos, atingindo em 2006 o percentual de 39,73%. É provável que este fatoesteja ligado aos efeitos da política de ampliação do acesso à educação
  37. 37. 37superior, empenhada pelo Ministério da Educação, com a ampliação das vagasnas instituições estaduais e federais, utilizando programas para facilitar esseacesso, como o Financiamento Estudantil (FIES) e o Programa Universidadepara Todos (PROUNI). Ademais, o aumento da oferta de cursos a distânciapode ser outra causa, pois continua a ser uma das modalidades que maisabsorvem alunos que voltaram há estudar alguns anos após a conclusão doensino médio. De acordo com o Censo 2006, a idade média dos estudantes de EAD éde pelo menos dois anos a mais do que na presencial, podendo chegar a umadiferença média de até seis anos para alguns cursos. Vale ressaltar que o fatoda maioria ter até 25 anos é um fato mais natural, considerando o término doensino médio e ingresso no ensino superior.Gráfico – 12; Semestres da amostra. A pesquisa trouxe resultados de aproximadamente 42% dos estudantescursando o 2° semestre, 14% o 4° semestre, 14% dos estudantes do 6°semestre e por fim 30% dos estudantes do 8° semestre. O curso deLicenciatura em Educação Física Campos II- UNEB abriga ao mesmo tempoapenas quatro turmas por vez, por razões de déficit no espaço físico dainstituição e quadro de docentes. A provável justificativa para um maior número
  38. 38. 38de alunos no segundo semestre decorre do fato de haver desistência durante avida acadêmica, e devido a alguns alunos de semestres mais avançadosestarem desemestralizados.Gráfico – 13; Semestres da amostra x Classificação do nível de atividadefísica.Segundo o gráfico-13 existiu uma maior evidência de alunos sedentários nasturmas do 2° semestre e no 6° semestre com porcentagem que chega a 38,9%e 16%, enquanto nas turmas do 4° semestre e 8° semestre não houve nenhumcaso. Ao contrário do resultado encontrado aqui na Universidade Federal daParaíba (2009), os estudantes de lá com maior tempo de ingresso nauniversidade tiveram uma tendência de diminuição da intensidade da atividadefísica realizada.
  39. 39. 396 – CONSIDERAÇÕES FINAIS Este trabalho monográfico se propôs a diagnosticar o nível de atividadefísica dos alunos do curso de Licenciatura em Educação Física da UNEB –Campus II no âmbito da atividade física, e também traçar o perfil destes alunosem nível de gênero, idade, semestre, trabalho remunerado, tempo sentadodurante um dia da semana e tempo sentado durante um dia do fim de semana,percepção de saúde, comparando algum destes resultados com a classificaçãodo nível de atividade física. Para diagnosticar alguns possíveis problemas queuma vida agitada de universitários pode trazer exemplo: falta de tempo para aprática de alguma atividade física. A pesquisa trouxe resultados respondendoaos objetivos estabelecidos desde o início deste estudo, na qual demostra quemesmo fazendo um curso ligado à saúde, o índice de sedentários entre osuniversitários foi relativamente baixo comparado com outras pesquisas quetiveram o mesmo caráter, apenas devemos alertar aos universitários que essesresultados não se alterem somente no âmbito da diminuição do sedentarismoporque, como foi explicada, uma vida sedentária pode trazer vários malefícios àsaúde. Este trabalho tem o intuito de contribuir para uma maior conscientizaçãodas pessoas não só deste grupo específico, mas de todos que possam teracesso a estes resultados, para que tenham um maior conhecimento dosproblemas causados pelo sedentarismo, assim como conhecer as váriasopções de atividades que possam contribuir para ter uma vida mais saudável. Mostrar que todos podem reivindicar para uma melhoria das estruturasfísicas da UNEB, oportunizando que todos os cursos desta universidadepoderão utilizar os conhecimentos desses futuros professores em atividadesque possam ajudar a ter uma vida mais saudável. E a partir daí, solicitaralgumas ações de melhoria das políticas públicas ligadas à saúde, de modoque todos tenham acesso à informação e uma vida mais saudável.
  40. 40. 40REFERÊNCIASA Saúde. 2010. Disponível em:<http://www.coladaweb.com/biologia/saude/a-saude > Acesso em 15 denovembro de 2011.A difícil vida universitária. 2010. Disponível em:< http://revistaensinosuperior.uol.com.br/textos.asp?codigo=12127> Acesso em23 de janeiro de 2012.A Saúde dos Brasileiros Piorou. 2010. Disponível em:< http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI148770-15366,00-A+SAUDE+DOS+BRASILEIROS+PIOROU.html> Acesso em 27 de janeiro de2012.A importância da atividade física em sua vida diária. 2010. Disponívelem:<http://www.knobel.com.br/site/atividade-fisica/ > Acesso em 12 de fevereiro de2012.BARROS; Turibio - Exercício, Saúde e Desempenho Físico. - 1ª edição.Editora Atheneu, São Paulo, Brasil, 1997.CRUZ, I. R. D. ; LESSA, K. B. Q.; NAGEM, M. P.; DURAES, G. M.; LESSAJUNIOR, A. Nível de Atividade Física Habitual de Estudantes Portugueses.In: 11 Simpósio Internacional de Atividades Físicas do Rio de Janeiro, 2007,Rio de Janeiro. Revista de Educação Física. Rio de Janeiro p. 116.
  41. 41. 41Corrida pela inclusão. 2010. Disponível em:< http://revistaensinosuperior.uol.com.br/textos.asp?codigo=12125 > Acessoem 23 de janeiro de 2012.Definição de Exercício Físico 2009. Disponível em: <http://exerciciofisicoduodifusao.blogspot.com/2009/03/definicao-de-exercicio-fisico.html > Acesso em 16 de novembro de 2011.Doenças modernas matam mais. 2008. Disponível em:<http://www.ibvivavida.org.br/noticias.asp?id=4325> Acesso em 7 de janeiro de2012.Doenças Cardiovasculares no Brasil. 2004. Disponível em:< http://www.unifesp.br/denf/NIEn/CARDIOSITE/dados.htm > Acesso em 19 dejaneiro de 2012.Doenças cardiovasculares são principal causa de mortes por enfermidadeno mundo. 2011. Disponível em:< http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3506797,Doencas-cardiovasculares-sao-principal-causa-de-mortes-por-enfermidade-no-mundo.html > Acesso em 15 de janeiro de 2012.FONTES, A.C.D., VIANNA, R.P.T. Prevalência e fatores associados aobaixo nível de atividade física entre estudantes universitários de umauniversidade pública da região Nordeste-Brasil. Revista Brasileira deEpidemiologia 2009; 12(1): 20-29.Ficar muito tempo sentado é tão perigoso quanto comer comidasgordurosas. 2010. Disponível em:<http://mdemulher.abril.com.br/blogs/dieta-nunca-mais/2010/02/ficar-muito-tempo-sentado-e-tao-perigoso-quanto-comer-comidas-gordurosas/> Acessoem 9 de fevereiro de 2012.Ficar muito tempo sentado pode causar diabetes e malescardiovasculares. (2010) Disponível em:
  42. 42. 42<http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2010/09/16/interna_ciencia_saude,213186/index.shtml> Acesso em 5 demarço de 2012.GHORAYEB, N., BARROS, T. O exercício - Preparação Fisiológica,Avaliação Médica - Aspéctos Especiais e Preventinos. -1ª edição. EditoraAtheneu, São Paulo, Brasil, 1999.GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO – Secretaria de Estado da Saúde.Programa Agita São Paulo - Manifesto de São Paulo para a promoção daSaúde das Américas. São Paulo – SP, 2000.Importância da atividade física. 2005. Disponível em:<http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4772&ReturnCatID=1774> Acesso em 20 de dezembro de 2011.MATSUDO S.M.M.; MATSUDO V.K.R.; NETO, T.L.B.; ARAÚJO T.L. Evoluçãodo perfil neuromotor e capacidade funcional de mulheres fisicamenteativas de acordo com a idade cronológica. Revista Brasileira Medicina doEsporte. V.9, n.6, 2000.MIELKE, G.I., RAMIS, T.R., HABEYCHE, E.C., OLIZ, M.M., TESSMER,M.G.S., AZEVEDO, M.R., HALLAL, P.C. Atividade física e fatoresassociados em universitários do primeiro ano da Universidade Federal dePelotas. Rev Bras Ativ Fís Saúde 2010; 15: 57-64.Ministério da Saúde; Brasil 2009 Disponível em:http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/reportagensEspeciais/default.cfm?pg=dspDetalhes&id_area=124&CO_NOTICIA=10081; Acesso em 3 de setembrode 2011.Mortes por doenças cardiovasculares caem 20,5% no Brasil. 2009.Disponível em:
  43. 43. 43<http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_NOTICIA=10817> Acesso em 15 de janeiro de2012.Núcleo de Estudo e Coordenação de Ações para a Saúde do Adolescente.2006. Disponível em:<http://www.proec.ufg.br/necasa/estatisticas.php> Acesso em 19 de janeiro de2012.Ocupação das vagas indica a predominância das mulheres. 2011.Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17241> Acesso em 19 de janeiro de 2012.MARCONDELLI, P., COSTA, T.H.M., SCHMITZ, B.A.S. Nível de atividadefísica e hábitos alimentares de universitários do 3º ao 5º semestres daárea da saúde. Revista de Nutrição 2008; 21(1):39-47.PARDINI, R. MATSUDO, S.M. ARAÚJO, T. MATSUDO, V. ANDRADE, E.BRAGGION, G. ANDRADE, D. OLIVEIRA, L. FIGUEIRA Jr., A. RASO, V.Validação do questionário internacional de nível de atividade física (IPAQ- versão 6): estudo piloto em adultos jovens brasileiros. Rev. Bras. Ciên. EMov. 9 (3): 45-51, 2001.PITANGA FJG, Epidemiologia, atividade física e saúde. Rev. Bras. Ciên. eMov. Brasília v.10 n. 3 p49-54, julho 2002.PITANGA, F. J. G. PITANGA, C. P. S. Epidemiologia da Atividade FísicaSaúde e Qualidade de Vida. Revista Baiana de Educação Física, 2001. 2, 2:22 – 28.
  44. 44. 44PIHL, E., MATSIN, T., JURIMAE, T. Physical activity, musculoskeletaldisorders and cardiovascular risk factors in male physical educationteachers. J Sports Med Phys Fitness. 2002;42(4):466-71.PITANGA, F. Epidemiologia da Atividade Física, Exercícios Físicos eSaúde, capitulo 1. Conceitos e definições, Pag., 16.PEREIRA, S.D.; Conceitos e Definições em Epidemiologia importantespara Vigilância Sanitária. São Paulo, março de 2007.Portal da Saúde, Atividade Física. 2010. Disponível em:< http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/atividade_fisica_16_08_2010.pdf> Acesso em 22 de dezembro de 2011.Passar muitas horas em frente à TV aumenta risco de morte. 2010.Disponível em:<http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/930392-passar-muitas-horas-em-frente-a-tv-aumenta-risco-de-morte.shtml> Acesso em 6 de fevereiro de2012.Passar muito tempo sentado prejudica o corpo e o organismo. 2010.Disponível em:<http://www.minhavida.com.br/saude/materias/11440-passar-muito-tempo-sentado-prejudica-o-corpo-e-o-organismo> Acesso em 6 de fevereiro de 2012.Política Nacional de Promoção da Saúde. 2005. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/PNPS2.pdf > Acesso em 3 desetembro de 2011.Problemas Causados pelo Sedentarismo. 2005. Disponível em:< http://www.fisiculturismo.com.br/artigo.php?id=191> Acesso em 14 de janeirode 2012.
  45. 45. 45RIBEIRO, M.A., ANDRADE, D.R. OLIVEIRA, L.C. BRITO, C.F.D.A. MATSUDO,S.M.M. ARAUJO, T.L. ANDRADE, E. FIGUEIRA Jr, A. Braggion, G.; Matsudo,V. Nível de conhecimento sobre atividade física para a promoção dasaúde de estudantes de educação física. Rev. Bras. Ciên. e Mov. 9 (3): 31-37, 2001.Rodrigues H.W.G.; Borges M. J.; Wilke N.; Nível de atividade física emestudantes do curso de Educação Física: um estudo de caso.;EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 15, Nº 148, Septiembre de2010RIBEIRO, M.A., ANDRADE, D.R., OLIVEIRA, L.C. BRITO, C.F.D.A.,MATSUDO, S.M.M., ARAÚJO, T.L. ANDRADE, E. FIGUEIRA, Jr, A.,BRAGGION, G., MATSUDO, V. Nível de conhecimento sobre atividadefísica para a promoção da saúde de estudantes de educação física. Rev.Bras. Ciên. e Mov. 9 (3): 31-37, 2001.SIMAO, M., HAYASHIDA, M., S.C.B. Hypertension among undergraduatestudents from Lubango, Angola. Rev Lat Am Enfermagem, 2008; 16(4): 672-8.SILVA, G.S.F.S., BERGAMASCHINE, R., ROSA, M., MELO, C., MIRANDA, R.,FILHO, M.B. Avaliação do nível de atividade física de estudantes degraduação das áreas saúde/biológica. Revista Brasileira de Medicina doEsporte 2007; 13(1): 39-42.SOUSA, T.F. Fatores de risco à saúde em estudantes de Educação Físicada Universidade Estadual de Santa Cruz, Bahia. Lect Educ Fís Deportes (B.Aires) 2008; 127.SALLES-COSTA, R., HEILBORN, M.A. WERNECK, G.L, FAERSTEIN, E.LOPES, C.S. Gênero e prática de atividade física de lazer. Cad. SaúdePública, Rio de Janeiro, 19(Sup. 2):S325-S333, 2003.
  46. 46. 46Saúde: conceito e atribuições do Sistema Único de Saúde. 2005.Disponível em:< http://jus.com.br/revista/texto/7378/saude-conceito-e-atribuicoes-do-sistema-unico-de-saude > Acesso em 15 de novembro de 2011.Sedentarismo. 2011. Disponível em:< http://emedix.uol.com.br/doe/mes001_1f_sedentarismo.php > Acesso em 20de dezembro de 2011.SILVA, G.S.F. BERGAMASCHINE, R., ROSA, M., MELO, C., MIRANDA, R.,BARA, F. Avaliação do nível de atividade física de estudantes degraduação das áreas saúde/biológica. Rev. Bras. Med.Esporte vol.13 no.1 Niterói Jan./Feb. 2007.Sinopse do Censo Demográfico. 2010. Disponível em:http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1866&id_pagina=1> Acesso em 19 de janeiro de 2012.Sedentarismo custa R$ 93,7 mi a SP. 2003. Disponível em:<http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u2845.shtml>Acesso em 10 de fevereiro de 2012.Universidade do Estado da Bahia. O Departamento, 2011.Disponível em: < http://www.uneb.br/alagoinhas/dcet/sobre/ > Acesso em 3 desetembro de 2011.ZAMAI, C.A., RODRIGUES, A.A., BANKOFF, A.D.P., DELGADO, M.A.,BRAGA, L.E.S., FILOCOMO, M. Análise do nível de atividade física deestudantes do curso de educação física da Universidade Paulista. RevistaMovimento e Percepção, 2007.
  47. 47. 47 ANEXO A QUESTIONÁRIO INTERNACIONAL DE ATIVIDADE FÍSICA – QUIAF – VERSÃO LONGA QUESTIONÁRIO INTERNACIONAL DE ATIVIDADE FÍSICA.Nome:_________________________________________________ Data: ___/ ___ /___Idade : ____ Sexo: F ( ) M ( ) Você trabalha de forma remunerada: ( ) Sim ( ) Não.Quantas horas você trabalha por dia: __ Quantos anos completos você estudou:____De forma geral sua saúde está: ( ) Excelente ( ) Muito boa ( ) Boa ( ) Regular ()RuimNós estamos interessados em saber que tipos de atividade física as pessoas fazemcomo parte do seu dia a dia. Este projeto faz parte de um grande estudo que estásendo feito em diferentes países ao redor do mundo. Suas respostas nos ajudarão aentender que tão ativos nós somos em relação as pessoas de outros países. Asperguntas estão relacionadas ao tempo que você gasta fazendo atividade física emuma semana ultima semana. As perguntas incluem as atividades que você faz notrabalho, para ir de um lugar a outro, por lazer, por esporte, por exercício ou comoparte das suas atividades em casa ou no jardim. Suas respostas são MUITOimportantes. Por favor, responda cada questão mesmo que considere que não sejaativo. Obrigado pela sua participação!Para responder as questões lembre que: Atividades físicas VIGOROSAS são aquelas que precisam de um grande esforço físico e que fazem respirar MUITO mais forte que o normal Atividades físicas MODERADAS são aquelas que precisam de algum esforço físico e que fazem respirar UM POUCO mais forte que o normal SEÇÃO 1- ATIVIDADE FÍSICA NO TRABALHOEsta seção inclui as atividades que você faz no seu serviço, que incluem trabalhoremunerado ou voluntário, as atividades na escola ou faculdade e outro tipo detrabalho não remunerado fora da sua casa. NÃO incluir trabalho não remunerado quevocê faz na sua casa como tarefas domésticas, cuidar do jardim e da casa ou tomarconta da sua família. Estas serão incluídas na seção 3.1a. Atualmente você trabalha ou faz trabalho voluntário fora de sua casa?
  48. 48. 48 ( ) Sim ( ) Não – Caso você responda não Vá para seção 2:TransporteAs próximas questões são em relação a toda a atividade física que você fez na últimasemana como parte do seu trabalho remunerado ou não remunerado. NÃO inclua otransporte para o trabalho. Pense unicamente nas atividades que você faz por pelomenos 10 minutos contínuos:1b. Em quantos dias de uma semana normal você anda, durante pelo menos 10 minutos contínuos, como parte do seu trabalho?Por favor, NÃO inclua o andar como forma de transporte para ir ou voltar do trabalho. _______dias por SEMANA ( ) nenhum - Vá para a seção 2 - Transporte.1c. Quanto tempo no total você usualmente gasta POR DIA caminhando comoparte do seu trabalho ? ____ horas ______ minutos1d. Em quantos dias de uma semana normal você faz atividades moderadas, por pelo menos 10 minutos contínuos, como carregar pesos leves como parte do seu trabalho? _______dias por SEMANA ( ) nenhum - Vá para a questão 1f1e. Quanto tempo no total você usualmente gasta POR DIA fazendo atividades moderadas como parte do seu trabalho? _____ horas ______ minutos1f. Em quantos dias de uma semana normal você gasta fazendo atividades vigorosas, por pelo menos 10 minutos contínuos, como trabalho de construção pesada, carregar grandes pesos, trabalhar com enxada, escavar ou subir escadas como parte do seu trabalho: _______dias por SEMANA ( ) nenhum - Vá para a questão 2a.1g. Quanto tempo no total você usualmente gasta POR DIA fazendo atividades físicas vigorosas como parte do seu trabalho? _____ horas ______ minutos SEÇÃO 2 - ATIVIDADE FÍSICA COMO MEIO DE TRANSPORTEEstas questões se referem à forma típica como você se desloca de um lugar paraoutro, incluindo seu trabalho, escola, cinema, lojas e outros.2a. O quanto você andou na ultima semana de carro, ônibus, metrô ou trem?
  49. 49. 49 ________dias por SEMANA ( ) nenhum - Vá para questão 2c2b. Quanto tempo no total você usualmente gasta POR DIA andando de carro,ônibus, metrô ou trem? _____horas _____minutos Agora pense somente em relação a caminhar ou pedalar para ir de um lugar a outro na última semana.2c. Em quantos dias da última semana você andou de bicicleta por pelo menos 10 minutos contínuos para ir de um lugar para outro? (NÃO inclua o pedalar por lazer ou exercício) _____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para a questão 2e.2d. Nos dias que você pedala quanto tempo no total você pedala POR DIA para irde um lugar para outro? _______ horas _____ minutos2e. Em quantos dias da última semana você caminhou por pelo menos 10 minutos contínuos para ir de um lugar para outro? (NÃO inclua as caminhadas por lazer ou exercício) _____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para a Seção 3.2f. Quando você caminha para ir de um lugar para outro quanto tempo POR DIA você gasta? (NÃO inclua as caminhadas por lazer ou exercício) _______ horas _____ minutos SEÇÃO 3 – ATIVIDADE FÍSICA EM CASA: TRABALHO, TAREFAS DOMÉSTICAS E CUIDAR DA FAMÍLIA.Esta parte inclui as atividades físicas que você fez na última semana na sua casa e aoredor da sua casa, por exemplo, trabalho em casa, cuidar do jardim, cuidar do quintal,trabalho de manutenção da casa ou para cuidar da sua família. Novamente pensesomente naquelas atividades físicas que você faz por pelo menos 10 minutoscontínuos.3a. Em quantos dias da última semana você fez atividades moderadas por pelomenos 10 minutos como carregar pesos leves, limpar vidros, varrer, rastelar no jardimou quintal. ________dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para questão 3b.3b. Nos dias que você faz este tipo de atividades quanto tempo no total você gasta POR DIA fazendo essas atividades moderadas no jardim ou no quintal? _______ horas _____ minutos
  50. 50. 503c. Em quantos dias da última semana você fez atividades moderadas por pelo menos 10 minutos como carregar pesos leves, limpar vidros, varrer ou limpar o chão dentro da sua casa. _____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para questão 3d.3d. Nos dias que você faz este tipo de atividades moderadas dentro da sua casa quanto tempo no total você gasta POR DIA? _______ horas _____ minutos3e. Em quantos dias da última semana você fez atividades físicas vigorosas no jardim ou quintal por pelo menos 10 minutos como carpir, lavar o quintal, esfregar o chão: _____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para a seção 4.3f. Nos dias que você faz este tipo de atividades vigorosas no quintal ou jardimquanto tempo no total você gasta POR DIA? _______ horas _____ minutos SEÇÃO 4- ATIVIDADES FÍSICAS DE RECREAÇÃO, ESPORTE, EXERCÍCIO E DE LAZER.Esta seção se refere às atividades físicas que você fez na última semana unicamentepor recreação, esporte, exercício ou lazer. Novamente pense somente nas atividadesfísicas que faz por pelo menos 10 minutos contínuos. Por favor, NÃO incluaatividades que você já tenha citado.4a. Sem contar qualquer caminhada que você tenha citado anteriormente, emquantos dias da última semana você caminhou por pelo menos 10 minutoscontínuos no seu tempo livre?_____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para questão 4b4b. Nos dias em que você caminha no seu tempo livre, quanto tempo no total vocêgasta POR DIA?_______ horas _____ minutos4c. Em quantos dias da última semana você fez atividades moderadas no seu tempolivre por pelo menos 10 minutos, como pedalar ou nadar a velocidade regular, jogarbola, vôlei, basquete, tênis :_____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para questão 4d.4d. Nos dias em que você faz estas atividades moderadas no seu tempo livre quantotempo no total você gasta POR DIA?_______ horas _____ minutos
  51. 51. 514e. Em quantos dias da última semana você fez atividades vigorosas no seu tempolivre por pelo menos 10 minutos, como correr, fazer aeróbicos, nadar rápido, pedalarrápido ou fazer Jogging:_____ dias por SEMANA ( ) Nenhum - Vá para seção 5.4f. Nos dias em que você faz estas atividades vigorosas no seu tempo livre quantotempo no total você gasta POR DIA?_______ horas _____ minutos SEÇÃO 5 - TEMPO GASTO SENTADOEstas últimas questões são sobre o tempo que você permanece sentado todo dia, no trabalho,na escola ou faculdade, em casa e durante seu tempo livre. Isto inclui o tempo sentadoestudando, sentado enquanto descansa, fazendo lição de casa visitando um amigo, lendo,sentado ou deitado assistindo TV. Não inclua o tempo gasto sentando durante o transporte emônibus, trem, metrô ou carro.5a. Quanto tempo no total você gasta sentado durante um dia de semana? ______horas ____minutos5b. Quanto tempo no total você gasta sentado durante em um dia de final desemana? ______horas ____minutos CENTRO COORDENADOR DO IPAQ NO BRASIL– CELAFISCS - INFORMAÇÕES ANÁLISE, CLASSIFICAÇÃO E COMPARAÇÃO DE RESULTADOS NO BRASIL 011-42298980 ou 42299643. celafiscs@celafiscs.com.br www.celafiscs.com.br IPAQ Internacional: www.ipaq.ki.se

×