UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA    DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/ CAMPUS II – ALAGOINHAS         CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCA...
RODRIGO BARROS DE FREITASA UTILIZAÇÃO DOS CARBOIDRATOS PELOS JOGADORES DE FUTEBOL E  SEUS NÍVEIS DE CONHECIMENTO SOBRE A I...
DEDICATÓRIA     Dedico este trabalho a toda a minha família, principalmente a minha mãe,a minha vó e ao meu pai (in memori...
AGRADECIMENTOS       Queria agradecer primeiramente a Deus, por me dar a oportunidade derealizar mais um sonho, além de me...
“Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo devencer.”                                      ...
RESUMOIntrodução: A nutrição no futebol é um fator essencial que contribui positivamenteno desempenho dos jogadores de fut...
SUMÁRIO1INTRODUÇÃO...........................................................................................................
7INTRODUÇÃO     Uma alimentação saudável e a atividade física sempre foram componentesimportantes para se adquirir uma boa...
8     Apesar de todo conhecimento descrito acima sobre a importância doscarboidratos (CHO) na performance do jogador de fu...
92 OBJETIVOS       2.1 GERAL:   Avaliar os níveis de conhecimentos de jogadores de futebol sobre a importância    dos car...
103 REFERENCIAL TEORICO     3.1 NUTRIÇÃO ESPORTIVA     A nutrição esta associada ao esporte como uma ferramenta indispensá...
11os atletas consumam uma alimentação adequada e variada em nutrientes.(MENDONÇA, 2009).     Brouns (2005 apud MARINS E FE...
12físico. Segundo o Corpo Perfeito (2011) os principais suplementos a base decarboidratos são:   As barras energéticas qu...
13       Portanto, feito a sua reposição adequada de glicose e uma alimentaçãobalanceada, vai evitar diminuição na sua per...
14basear pelos índices glicêmicos dos alimentos, onde o consumo adequado ajudarátanto no armazenamento das reservas de gli...
15MOLINA, 2010). Segundo esses autores o glicogênio muscular são os substratosmais importantes para os jogadores de futebo...
16porque o futebol é um esporte coletivo, na qual os jogadores diminuem as suasreservas de glicogênio rapidamente devido à...
174 METODOLOGIA4.1 MODELO DO ESTUDO     A metodologia que foi utilizada nesse estudo foi exploratória por meio deinvestiga...
184.4 INSTRUMENTOS     Para a coleta de dados os instrumentos utilizados foi um modelo dequestionário (anexo) relacionado ...
194.6 ANÁLISE DE DADOS      Os dados coletados foram analisados através de estatísticas descritivas(porcentagem) no Micros...
205 RESULTADOS E DISCUSSÃO      De acordo com o gráfico 01, ao serem questionados se sabiam o que eramcarboidratos, 61% do...
21      Conforme pode ser verificado no gráfico 02, verificou-se que 96% dos atletasidentificaram as massa e 65% as frutas...
22         Os resultados a seguir, apresentados no gráfico 03 revelaram que o pão com78% e as frutas com 48%, são os alime...
23      Em relação aos alimentos que contém carboidratos consumidos no almoço,no gráfico 04 foi detectado que 100% dos atl...
24      No gráfico 05 foi observado que 57% dos jogadores de futebol consomem pãodurante o lanche, e 35% ingerem frutas co...
25      Os resultados apresentados no gráfico 06 demonstram que os alimentos maisconsumidos no jantar foram o macarrão com...
26      Quando colocado em questão se os jogadores utilizavam algum suplemento àbase de CHO, os gráficos 07 e 08 apresenta...
27                                   39%                                                                          sim     ...
28      Os resultados encontrados no gráfico 09 revelam que a maioria dos jogadoresde futebol não se preocupa em termos de...
29      Quanto à utilização de alguma forma de carboidratos nos treinos, foramdemonstrados no gráfico 10 que a maltodextri...
30      De acordo com os gráficos 11 e 12 foi constatado que a maioria dosfutebolistas não utilizava nenhum carboidrato 2 ...
31                                                               43%                             sim                      ...
32       Os dados encontrados no gráfico 13 e 14 identificaram que 65% dosjogadores utilizam alguma forma de carboidrato n...
33      Nos gráficos 15 e 16, foi constatado que 74% dos atletas afirmou utilizarfontes de carboidratos após o jogo, a mai...
34      De acordo com os gráficos 17, 18, 19 e 20 os avaliados acreditam que oconsumo desse nutriente melhora o seu desemp...
35                                 13%                                                                        sim         ...
36                                     9%                                                                              sim...
37                                                 30%                                                                    ...
38       Ao analisarmos o gráfico 23, os sucos aparecem com 74% das bebidas queos atletas acreditam ter carboidrato, segui...
395. CONSIDERAÇÕES FINAIS         As relações entre a nutrição, o treinamento e o estado de saúde sempre foium dos princip...
40                                 REFERÊNCIASARAÚJO, A. N. Nível de Conhecimento e utilização de Carboidratos emCorredore...
41FERREIRA, F. G. et al. Nível de conhecimento e práticas de hidratação ematletas de futebol de categoria de base. Rev. Br...
42MATTOS, M.G.; ROSSETO JÚNIOR, A. J.; BLECHER, S. Teoria e Prática daMetodologia da Pesquisa em Educação Física: construi...
43RG        NUTRI.        Nutrição        no       futebol.      Disponível      em:<http://www.rgnutri.com.br/sp/esportes...
44                                              ANEXOSQuestionárioSexo: ( ) Masculino ( ) feminino           Idade: ( )Qua...
45Na janta?( ) macarrão     ( ) feijão    ( ) arroz    ( ) outrosAlgum suplemento a base de CHO?( ) sim     ( ) nãoQuais:4...
46Melhora o desempenho?( ) sim              ( ) nãoDiminui o cansaço?( ) sim              ( ) nãoRepõe só energia?( ) sim ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A UTILIZAÇÃO DOS CARBOIDRATOS PELOS JOGADORES DE FUTEBOL E SEUS NÍVEIS DE CONHECIMENTO SOBRE A IMPORTÂNCIA DESSES NUTRIENTES NA PERFORMANCE DESPORTIVA

6,262 views

Published on

RODRIGO BARROS DE FREITAS

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
6,262
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
56
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A UTILIZAÇÃO DOS CARBOIDRATOS PELOS JOGADORES DE FUTEBOL E SEUS NÍVEIS DE CONHECIMENTO SOBRE A IMPORTÂNCIA DESSES NUTRIENTES NA PERFORMANCE DESPORTIVA

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/ CAMPUS II – ALAGOINHAS CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA RODRIGO BARROS DE FREITASA UTILIZAÇÃO DOS CARBOIDRATOS PELOS JOGADORES DE FUTEBOL E SEUS NÍVEIS DE CONHECIMENTO SOBRE A IMPORTÂNCIA DESSES NUTRIENTES NA PERFORMANCE DESPORTIVA Alagoinhas - BA 2011
  2. 2. RODRIGO BARROS DE FREITASA UTILIZAÇÃO DOS CARBOIDRATOS PELOS JOGADORES DE FUTEBOL E SEUS NÍVEIS DE CONHECIMENTO SOBRE A IMPORTÂNCIA DESSES NUTRIENTES NA PERFORMANCE DESPORTIVA Projeto de monografia apresentado como requisito parcial para a conclusão do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade do Estado da Bahia – Campus II. Orientador: Prof. Ms. Valter Abrantes Co-orientador: Prof. Dr. Francisco Gondim Pitanga Alagoinhas - BA 2011
  3. 3. DEDICATÓRIA Dedico este trabalho a toda a minha família, principalmente a minha mãe,a minha vó e ao meu pai (in memorian) por ter depositado toda a confiança em mim na conquista desse objetivo.
  4. 4. AGRADECIMENTOS Queria agradecer primeiramente a Deus, por me dar a oportunidade derealizar mais um sonho, além de me iluminar e abençoar todos os dias da minhavida. A minha família, especialmente a minha mãe, Eneida, e a minha vó Maria,que sempre estiveram ao meu lado, e que se não fosse por elas, sem os seusmelhores conselhos e apoio, não estaria aqui conquistando mais uma missão, alémde ter me dado uma educação de qualidade, mesmo diante de todas as dificuldades.Mãe, vó, amo vocês. Ao meu pai, Wellington (in memorian), que não estar maisentre nós, mas vai está sempre presente em meu coração, e onde quer que vocêesteja meu pai, as suas lembranças serão inesquecíveis na minha vida e mesmoque o tempo passe, nada mudará entre nós, você sempre será o meu pai, e vousempre ser o seu filho. A minha namorada, Daiane, pela compreensão, paciência epelo apoio durante todo esse processo e a sua mãe, Olga, pela grande colaboraçãonesta etapa da minha vida. A Cintia, Meire, Cris, por me aturar nesses quatro anos de convivência, eterem tornado grandes amigas que vão fazer parte da minha vida pra sempre,principalmente, Helder, que além de companheiro de sala, se tornou um grandeirmão, um amigo pra todas as horas, e por dividir todas as alegrias, tristezas,angustias e dificuldades, que só você sabe parceiro o que passamos durante todoesse tempo. Agradeço a Rafael pela disponibilização, paciência a me ajudar naconstrução dos gráficos e aos meus amigos de Salvador e de Alagoinhas que meapoiaram nessa jornada. Aos meus colegas de sala pela participação na minha formação acadêmica ea equipe do “mal”, André, Carlos Henrique o “bujão”, Cleidison, Helder, João,Raimundo e Raul, pelas resenhas, alegrias, confusões, e por ter me ensinado queamigos são aqueles que jamais o abandonarão nos momentos mais difíceis, além deter contribuído para a minha formação, tanto acadêmica como humana. Agradecertambém a Tiago Ipirá, Mineiro, Bruno, Alex, Bigjonh, Lucas, Gil, pelo apoio dado. O meu agradecimento ao Mestre Ubiratan, o “Bira”, por ter contribuído naminha formação acadêmica, como um grande incentivador na busca de novosdesafios e por ter me propiciado momentos dentro da universidade, experiênciasmaravilhosas que levarei para sempre comigo. Ao meu orientador Prof. ValterAbrantes pelo acompanhamento desde o inicio do projeto, e pela confiança dada deque eu podia realizar essa pesquisa, além de passar o seu aprendizado de formaclara e objetiva para nós e ao Prof. Francisco Pitanga pela ajuda durante todo esseprocesso e por acreditar neste trabalho. Não poderia deixar de agradecer tambémaos professores Mauricio, Mônica, Alan, Viviane e a todos os outros, por passarseus conhecimentos e contribuir para o nosso crescimento intelectual.
  5. 5. “Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo devencer.” Mahatma Gandhi
  6. 6. RESUMOIntrodução: A nutrição no futebol é um fator essencial que contribui positivamenteno desempenho dos jogadores de futebol. Objetivos: O presente artigo pretendeavaliar de como se dá a utilização dos carboidratos e suplementos pelos jogadoresde futebol de um clube do interior da Bahia, e seus níveis de conhecimento sobreesses nutrientes. Metodologia: Este estudo tem como característica ser exploratóriopor meio de uma investigação descritiva, por proporcionar uma maior familiaridadecom o problema, sendo aplicado um questionário com 11 perguntas abertas efechadas. Resultados: Os resultados encontrados nesse estudo mostram que 61%dos jogadores de futebol sabem o que são os carboidratos, porém ainda há umagrande confusão em identificar fontes de carboidratos, de fontes de proteína, a carne(39%) e o frango (26%) e o suplemento BCAA (43%). Contudo 70% desses atletasnunca tiveram nenhuma orientação sobre a importância do consumo decarboidratos. Conclusão: Conclui-se que a maioria dos jogadores de futebolconhece quais alimentos são carboidratos, destacando as massas como osalimentos mais consumidos por eles, embora uma parte dos atletas confunda fontesde carboidratos com fontes de proteína, portanto, a presença de um profissional denutrição no clube se faz necessária, afim de acompanhar e orientar esses atletas aimportância de se obter uma alimentação adequada.Palavras chaves: Nutrição esportiva, carboidratos, performance no futebol. ABSTRACTIntroduction: Nutrition in football is an essential factor that contributes positively tothe performance of football players. Objectives: This article aims to evaluate howdoes the use of carbohydrates supplements by soccer players in a club in the interiorof Bahia, and their levels of knowledge about these nutrients. Methodology: Thisstudy was feature by being an exploratory descriptive research by providing a greaterfamiliarity with the problem, and a questionnaire with 11 open and closed questions.Results: The results of this study show that 61% of football players know what theyare carbohydrates, but still there is confusion in identifying sources of carbohydrates,protein sources, meat (39%) and chicken (26%) and BCAA supplementation (43%).However 70% of these athletes have never had any guidance on the importance ofconsuming carbohydrates. Conclusion: We conclude that most football playersknow which foods are carbohydrates, highlighting the masses as the foods mostconsumed by them, although some athletes confuse sources of carbohydrates withprotein sources, therefore, the presence of nutrition in a professional club is requiredin order to educate and guide these athletes the importance of obtaining adequatefood.Keywords: Sports nutrition, carbohydrates, performance in football.
  7. 7. SUMÁRIO1INTRODUÇÃO...........................................................................................................72 OBJETIVOS..............................................................................................................9 2.1 OBJETIVOS GERAIS.................................................................................9 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS.......................................................................93 REFERENCIAL TEÓRICO......................................................................................10 3.1 NUTRIÇÃO ESPORTIVA...........................................................................11 3.2 CARBOIDRATOS......................................................................................11 3.2.1 Classificação dos Carboidratos...............................................13 3.3 CARBOIDRATOS E PERFORMANCE NO FUTEBOL..............................144 METODOLOGIA.....................................................................................................17 4.1 MODELO DE ESTUDO.............................................................................17 4.2 CARACTERÍSTICAS DA AMOSTRA........................................................17 4.3 CARACTERÍSTICAS DO CLUBE..............................................................17 4.4 INSTRUMENTOS......................................................................................18 4.5 COLETA DE DADOS.................................................................................18 4.6 ANALÍSE DE DADOS................................................................................195 RESULTADOS E DISCUSSÃO..............................................................................206 CONSIDERAÇÕES FINAIS....................................................................................39REFERÊNCIAS..........................................................................................................40ANEXOS....................................................................................................................44
  8. 8. 7INTRODUÇÃO Uma alimentação saudável e a atividade física sempre foram componentesimportantes para se adquirir uma boa qualidade de vida. A nutrição associado aotreinamento se torna indispensável para melhoria do desempenho, contribuindopositivamente quando uma dieta equilibrada acontece de forma adequada. Noesporte, uma dieta traz muitos benefícios para os atletas, portanto, uma boa nutriçãooferece condições ideais para uma boa performance, retardando a fadiga eotimizando o desempenho. Entende-se como dieta, uma alimentação frequente deuma pessoa ou grupo (XIMENES, 2000). Os nutrientes mais utilizados como forma de obtenção de energia para acontração muscular são os carboidratos. Os carboidratos são definidos “comocompostos químicos formados a partir de carbono, hidrogênio e oxigênio” (VIEBIG;NACIF, 2006, p. 5). Esses alimentos são armazenados no fígado e no músculo naforma de glicogênio, entretanto, suas reservas são limitadas em nosso organismo. Para Guerra, Soares e Burini (2001, p. 201): O glicogênio muscular desempenha papel-chave na produção de energia durante o exercício e a fadiga está freqüentemente associada à depleção de seus estoques, sendo a exaustão evitada na presença de concentrações adequadas do mesmo. Segundo a literatura, o futebol se constitui numa atividade depletora deglicogênio e que sua taxa de volume de trabalho é influenciada pelos níveis deglicogênio muscular (KIRKENDALL, 1993 apud SCHANDLER; NAVARRO, 2007). Por isso, a educação nutricional para jogadores de futebol se torna importantepara que os mesmos possam selecionar uma alimentação de qualidade,principalmente rica em carboidratos, onde profissionais especializados usarãoestratégias adequadas no consumo desses nutrientes, antes dos treinos e jogospara armazenamento, durante para a manutenção evitando que seus depósitos deglicogênio sejam depletados, permitindo um melhor rendimento nas competições, edepois para uma melhor recuperação das reservas, já pensando nas atividadesfuturas.
  9. 9. 8 Apesar de todo conhecimento descrito acima sobre a importância doscarboidratos (CHO) na performance do jogador de futebol, é possível que taisconhecimentos ainda não sejam do conhecimento de todos os atletas,principalmente considerando a estrutura do clube e localização geográfica eclassificação deste nas competições regionais e nacionais. Por esta razão se faznecessário a conhecer a alimentação e suplementação, assim como o grau deconhecimento destes atletas sobre os carboidratos e a sua importância para umamelhor performance desportiva. O presente estudo tentará responder como questão de investigação. Como sedá a utilização dos carboidratos pelos jogadores de futebol e Qual o nível deconhecimento de jogadores de futebol sobre os carboidratos?
  10. 10. 92 OBJETIVOS 2.1 GERAL: Avaliar os níveis de conhecimentos de jogadores de futebol sobre a importância dos carboidratos na performance desportiva. 2.2 ESPECÍFICO: Avaliar a utilização dos carboidratos nos alimentos e suplementos em jogadores de futebol.
  11. 11. 103 REFERENCIAL TEORICO 3.1 NUTRIÇÃO ESPORTIVA A nutrição esta associada ao esporte como uma ferramenta indispensável parase obter um melhor resultado e adquirir uma boa qualidade de vida. È um fatorpreponderante que contribui de maneira significativa quando a utilização dosnutrientes e quando uma dieta balanceada acontece de forma adequada, sendoacompanhada por profissionais especializados onde ajudará muito no exercício, “adificuldade de acesso por parte dos atletas ao profissional de nutriçãoadequadamente preparado para prescrever uma dieta adequada às exigências doesporte.” (GONÇALVES; CHELOTTI; RODRIGUES, 2007, p. 13). Uma alimentaçãosaudável e a atividade física sempre foi um dos principais componentes para seadquirir uma boa qualidade de vida. No esporte, uma dieta balanceada pode trazermuitos benefícios para o atleta, bem que as necessidades energéticas de um atletasão completamente diferentes de uma pessoa que realiza atividade físicaregularmente. Segundo Carvalho e Mara (2010) indivíduos que praticam atividadefísica de natureza não competitiva, uma dieta é balanceada conforme orecomendado para a população em geral, é suficiente para manutenção da saúde epossibilitar um bom desempenho físico. Entretanto, “no caso do atleta, anecessidade energética é calculada pela soma da necessidade energética basal e ogasto energético em treino”. (CARVALHO; MARA, 2010, p.142) Segundo Grandjean (1997 apud PAULA, 2008) há relatos de 580 a.c sobreatletas gregos que adotavam dietas especiais. Porém, nessa época não existiamestudos científicos sobre a nutrição no esporte. Para Rebello et al (1999, p.174) “a influência do alimento é determinante parao funcionamento metabólico adequado do atleta atendendo as suas solicitações dedemanda física que o exercício físico impõe durante as realizações dos treinamentoe competições". Segundo Mendonça (2009) a nutrição, o treinamento e o estado desaúde dão aspectos imprescindíveis para um bom desempenho esportivo. A autoraafirma também que a demanda energética nos treinos e nas competições requer que
  12. 12. 11os atletas consumam uma alimentação adequada e variada em nutrientes.(MENDONÇA, 2009). Brouns (2005 apud MARINS E FERREIRA, 2005) cita que no esporte, apreocupação com uma correta abordagem nutricional que vise aprimorar odesempenho atlético é fundamental, uma vez que uma boa nutrição oferece ascondições básicas para uma boa performance, retardando a fadiga e otimizando odesempenho. 3.2 CARBOIDRATOS Os carboidratos são definidos como pequenas partes de uma substância quecontem carbono, hidrogênio e oxigênio. (GATORADE SPORTS SCIENCEINSTITUTE, 2009). Já para Silva, Miranda e Liberali (2008) carboidratos são hidratosde carbono que pode ser conhecido também como glicídios, suas moléculas sãoformadas de carbono e água onde átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio secombinam entre si para formar a composição desse nutriente. Para McArdle (2008, p. 08) são: .Átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio que se combina para formar uma molécula básica de carboidrato (açúcar) com a fórmula geral (CnH2nOn,) onde n varia de 3 a 7 átomos de carbono, com os átomos de hidrogênio e de oxigênio unidos por uma única ligação Os carboidratos apresentam um papel importantíssimo no fornecimento deenergia para o exercício físico, onde a sua ingestão adequada poderá melhorar odesempenho e a qualidade de vida. Para Delavier (2009) os carboidratos são asnossas primeiras fontes de combustíveis durante o esforço físico. O autor afirmatambém que eles apresentam uma vantagem de disponibilização nos músculos maisrápido que a energia que vem das gorduras (DELAVIER, 2009). Portanto é umacategoria de alimentos que contém açúcares, amidos e fibras presentes em cereais,pães, frutas, leite, arroz, etc. Além dos suplementos alimentares a base decarboidratos utilizados como auxiliadores na melhora do desempenho durante aatividade física, visto que a necessidade de utilização desses suplementos vaidepender das necessidades energéticas de cada individuo impostas pelo exercício
  13. 13. 12físico. Segundo o Corpo Perfeito (2011) os principais suplementos a base decarboidratos são: As barras energéticas que são barras ricas em carboidrato que tem uma boa forma prática em aumentar sua energia durante o dia nas atividades físicas. Os energéticos em gel que contém carboidratos e eletrólitos onde fornece e repõe energia para a atividade física rapidamente e por ser de fácil digestão. Sports drinks que tem a função de aumentar a absorção de fluídos e otimizar o desempenho por meio do fornecimento de carboidratos e eletrólitos ao organismo. A Maltodextrina que é um carboidrato complexo de absorção gradativa, ou seja, fornece energia durante o exercício físico de longa duração, retardando a fadiga devido à liberação constante de glicose no sangue. A Dextrose que é um carboidrato simples e que possui um alto índice glicêmico de 100 no ranking por ser de rápida digestão fornecendo energia rápida onde permitirá uma recuperação mais rápida das reservas de açúcar no organismo. O uso desses suplementos ajudará na melhora do desempenho, desde queseja consumido adequadamente e orientados por profissionais especializados. Os carboidratos estão armazenados no músculo na forma de glicogêniosendo utilizados como combustíveis energéticos durante a contração muscular e sãoarmazenados também no fígado com o objetivo de fornecer energia para o cérebro,sistema nervoso, etc. Ferreira, Ribeiro e Soares (2001) explica que o glicogêniomuscular é utilizado somente pelo músculo e que o glicogênio hepático além deproduzir energia para o cérebro, sistema nervoso e outros tecidos, é usado tambémpara a manutenção da glicemia. Para Viebig e Nacif (2006) os estoques doscarboidratos no músculo e no fígado (glicogênio) são limitados em nosso organismo.
  14. 14. 13 Portanto, feito a sua reposição adequada de glicose e uma alimentaçãobalanceada, vai evitar diminuição na sua performance em treinamentos ecompetições. Os carboidratos consistem na principal fonte de energia para oexercício físico, sendo que as suas reservas são limitadas. Por isso, é necessário ouso adequado desse nutriente acompanhado de profissionais capacitados para queos seus estoques não venham a faltar, e, portanto, prejudicar o desempenho. 3.2.1 Classificação dos carboidratos De acordo com Silva, Miranda e Liberali (2008) os carboidratos sãosubdivididos em: 1) Monossacarídeos que possui um açúcar por molécula, 2)Dissacarídeos que possuem dois açúcares por moléculas e 3) Polissacarídeos comtrês ou mais açúcares por molécula. Sapata, Fayh e Oliveira (2006) cita comoexemplo de monossacarídeo a glicose e a frutose, os dissacarídeos há a sacarose,maltose e a lactose e os que fazem parte dos polissacarídeos com destaque para oscarboidratos complexo, onde se incluem os polímeros de glicose (maltodextrina). Quanto a esta classificação podemos dizer que os carboidratos são simples(monossacarídeos e dissacarídeos) que são encontrados em algumas frutas, pãobranco, arroz, açúcares, entre outros. E os carboidratos complexos (polissacarídeos)que são encontrados em alguns alimentos como pão integral, maçã, leite, cereais,feijão, etc. A ingestão desses alimentos estará influenciada pela velocidade que essesalimentos serão absorvidos pelo organismo, que são chamados de índice glicêmicoonde determinará os níveis de respostas glicêmicas, e os efeitos dos carboidratossobre a glicose sanguínea (SILVA; MIRANDA; LIBERALI, 2008, SAPATA; FAYH;OLIVEIRA, 2006). Alimentos com alto índice glicêmico (simples) vão elevar com mais rapidez osníveis de glicose no sangue e os alimentos com baixo índice glicêmico (composto)vão elevar lentamente os níveis de glicose sanguínea. A utilização desses alimentosantes, durante e depois do exercício, principalmente para os esportistas devem-se
  15. 15. 14basear pelos índices glicêmicos dos alimentos, onde o consumo adequado ajudarátanto no armazenamento das reservas de glicogênio como na recuperação pósexercício.3.3 CARBOIDRATOS E PERFORMANCE NO FUTEBOL Segundo Kiss (2003, apud MARQUES et al., 2009) performance oudesempenho é a execução ótima de um trabalho de movimento, sendo umcomponente integral do esporte. A performance esportiva é conceituado comoprocesso e resultado (FRIEDRICHI et al., 1988, apud MARQUES et al., 2009). JáMartin et al. (1991, apud MARQUES et al., 2009) refere-se ao desempenho comoresultado final da ação esportiva. Portanto, no futebol para se obter um bom desempenho é preciso queexistam fatores como o treinamento e a nutrição para um melhor rendimento dosatletas nos treinos e durante a competição. Para jogadores de futebol, a nutrição e otreinamento são algumas ferramentas indispensáveis para se obter um bomdesempenho. (GUERRA; SOARES; BURINI, 2001, SIQUEIRA, 2011, GUERRA;BARRETO, TIRAPEGUI, 2004). De acordo com Reilly e Willians (2003 apud BARRETO et al., 2009) o futebolé o esporte mais popular e praticado por todos os países sem exceção. É umesporte que tem como característica exercícios intermitentes com intensidadesvariáveis que envolvem aproximadamente 88% de uma partida de futebol asatividades aeróbias, e 12% as atividades anaeróbias com intensidades elevadas.(GUERRA; SOARES, BURINI, 2001). As elevadas distâncias percorridas em um jogo de futebol, em partes, requeruma elevada produção de gasto energético durante a partida, sendo que aexecução, em cerca de 30 a 50 corridas, 10 a 15 metros de alta intensidade é oponto principal para causar uma redução brusca dos estoques de energia do jogadorque devem ser recuperadas por uma alimentação adequada (GONZÁLEZ; COBOS;
  16. 16. 15MOLINA, 2010). Segundo esses autores o glicogênio muscular são os substratosmais importantes para os jogadores de futebol. Para isso, as refeições devem ser bem planejadas na dieta desses atletas,principalmente no que diz respeito a uma alimentação rica em carboidratos. Alimentos como os cereais, pães, massas, sucos, frutas, arroz, feijão precisamser consumidos em grandes quantidades na dieta desses atletas. Além do consumodos suplementos a base de carboidrato que são importantes auxiliadores para ummelhor desempenho, os mais utilizados por jogadores de futebol são: amaltodextrina, o gel de carboidrato e as bebidas de recuperação que tem comoobjetivo fornecer energia, como também possibilitar a queima de gordura erecuperar as reservas de energias no musculo (REVISTA CORPO A CORPO, 2005). A maltodextrina é um suplemento de carboidrato de média absorção peloorganismo, liberando energia lentamente e constante para o musculo e os géis decarboidratos são de rápida digestão e absorção na qual oferece energia imediatapara o musculo. Podem ser ingeridos esses suplementos antes do aquecimento enos intervalos para aumentar os estoques de glicogênio nos estágios iniciais dojogo, diminuindo assim, o cansaço no final da partida e melhorando o desempenhono jogo. “Infelizmente, as reservas corporais de açúcar são limitadas”. (DELAVIER,2009, p. 19). As reservas de glicogênio são muito limitadas, por isso é indispensávela sua ingestão antes para armazenamento, durante para amenizar os efeitos dadepleção e depois a recuperação para repor os carboidratos que foram utilizadosdurante o jogo. Segundo Bacurau (2009, p. 138) “O objetivo do consumo de carboidratosantes do exercício é aumentar o conteúdo de glicogênio muscular/hepático e adisponibilidade de glicose no sangue”. Para jogadores de futebol é preciso queexistam estratégias para que o consumo de carboidratos aconteça de uma formagradual para que ajudem a diminuir os riscos de depleção do glicogênio antes dapartida. O efeito da ingestão de carboidratos para jogadores de futebol, 4 horasantes do jogo aumenta 15% no desempenho físico e há 10 minutos antes da partidadiminui e aumenta a distância e a velocidade de corrida em 30%. (RG NUTRI, 2010). Já durante a partida o seu consumo ameniza a fadiga, fazendo com que oatleta tolere mais o cansaço. A importância da ingestão durante a partida é inevitável
  17. 17. 16porque o futebol é um esporte coletivo, na qual os jogadores diminuem as suasreservas de glicogênio rapidamente devido às corridas continuas e de altasvelocidades. O consumo de carboidrato durante exercícios contínuos e prolongadosvai garantir a disponibilidade de glicogênio para os estágios finais do exercício.(GATORADE SPORTS SCIENCE INSTITUTE, 2009). Para Barreto et al (2009, p. 243) “o consumo de carboidratos após o exercíciotem sido associada a reposição dos estoques de glicogênio”. Silva, Miranda eLiberali (2008) destacam que após o treino o principal objetivo da dieta é ofertarenergia e carboidratos necessários para repor as reservas de glicogênio no músculoe garantir uma rápida recuperação. A síntese de glicogênio se torna muito eficientedurante as primeiras horas após o exercício (BROUNS, 1993). É importante ressaltar, que é preciso consumir os carboidratos de alto índiceglicêmico como batatas, massas, aveias, bebidas esportivas, para a síntese deglicogênio muscular, visto que esses alimentos promovem mais rapidez narecuperação do que os alimentos que tem índice glicêmico baixo (MIRANDA; SILVA;LIBERALI, 2008). A preparação nutricional para um empenho futuro se inicia instantaneamenteapós o termino de um treinamento ou uma competição (DELAVIER, 2009). Depois de um jogo de futebol extenuante, as concentrações de glicogêniomuscular estarão depletadas, e a ingestão de carboidratos nas primeiras horas apósa partida, permitirá que os atletas tenham uma recuperação mais eficaz, repondoseus estoques já pensando nas atividades futuras.
  18. 18. 174 METODOLOGIA4.1 MODELO DO ESTUDO A metodologia que foi utilizada nesse estudo foi exploratória por meio deinvestigação descritiva. Segundo Gil (2002, p.41) “estas pesquisas têm comoobjetivo proporcionar maior familiaridade com o problema, com vistas a torná-lo maisexplícito ou a constituir hipóteses.” Para Mattos, Júnior e Blecher (2004) suafinalidade é familiarizar-se com o fenômeno e obter uma nova percepção a seurespeito, descobrindo assim novas ideias em relação ao objeto de estudo.4.2 CARACTERÍSTICAS DA AMOSTRA Participaram deste estudo 23 atletas do sexo masculino de um clube de futebolque disputou o Campeonato Baiano 2011. Com média de idade de 27,0 + 5,88. Aescolha desse clube se deu a partir da proximidade dos indivíduos com opesquisador por estagiar no espaço e por ser um clube de grande torcida na cidade.4.3 CARACTERÍSTICAS DO CLUBE O clube estudado é um clube de futebol baiano, fundado no dia 2 de abril de1970 com sede em Alagoinhas, no estado da Bahia, Brasil. O “Carcará”, como échamado pela sua torcida, manda seus jogos no Estádio Antônio FigueiredoCarneiro, o Carneirão, que possui capacidade de 12 mil torcedores
  19. 19. 184.4 INSTRUMENTOS Para a coleta de dados os instrumentos utilizados foi um modelo dequestionário (anexo) relacionado aos carboidratos, com base em estudos anterioressobre hidratação em atletas universitários (MARINS; FERREIRA 2005), atletas demountain bike (CRUZ; CABRAL; MARINS, 2009) e atletas de futebol da categoria debase (FERREIRA et al., 2009). É importante ressaltar que: Por questionário entende-se um conjunto de questões que são respondidas por escrito pelo pesquisador. Entrevista, por sua vez, pode ser entendida como a técnica que envolve duas pessoas numa situação “face a face e em que uma delas formula questões e a outra responde”. (GIL, 2002, P.114).4.5 COLETAS DE DADOS A coleta de dados realizou-se no município de Alagoinhas, cidade do interior daBahia, localizado a cerca de 120 km de Salvador. Foi aplicado um questionário com11 perguntas (anexo), sendo elas abertas e fechadas (podendo ser assinaladasmais de uma alternativa). Sua aplicação ocorreu nos dias 5 e 6 de abril de 2011 emdiferentes horários. No momento da aplicação do questionário foram questionadasinformações a respeito da idade, sexo, tempo de prática no esporte, se sabiam oque eram carboidratos, em quais alimentos eram encontrados, o que consumiam decarboidrato no café da manhã, almoço, lanche, janta, se utilizavam algumsuplemento a base de carboidrato (CHO), utilização antes, durante e depois, setiveram alguma orientação, entre outras perguntas (anexo). Mattos, Júnior e Blecher(2004) afirmam que o questionário pode ser composto de perguntas abertas,destinadas à obtenção de respostas livres, ou de perguntas fechadas, comalternativas determinadas que limitam as respostas, pois são mais padronizadas ede fácil aplicação.
  20. 20. 194.6 ANÁLISE DE DADOS Os dados coletados foram analisados através de estatísticas descritivas(porcentagem) no Microsoft Excel 2007 e os seus resultados foram mostrados naforma de tabela e gráficos.
  21. 21. 205 RESULTADOS E DISCUSSÃO De acordo com o gráfico 01, ao serem questionados se sabiam o que eramcarboidratos, 61% dos atletas informaram que sabem o que é carboidrato. Essedado justifica que, apesar da maioria ter o conhecimento do que são carboidratos,39% não sabiam sobre esse nutriente, revelando um dado preocupante, isso podeser justificado pelo fato de que a falta de conhecimento dos atletas de futebol, podeestar atrelado à baixa escolaridade dos mesmos, onde muitos abandonam a escolapara se dedicar ao futebol e a inexistência de uma educação nutricional nos clubesde base a até a sua formação profissional. A importância de um profissionalcapacitado para este tipo de orientação é indispensável para uma melhora dodesempenho como também na obtenção de hábitos saudáveis. No estudo deNicastro et al (2008), feito com atletas profissionais e amadores de atletismo, osdados obtidos não corroborou com o nosso estudo onde mostrou que o tempo deestudo dos atletas amadores, composto exclusivamente por mulheres apresentouum alto grau de escolaridade, portanto, teve uma melhor correlação com oconhecimento nutricional do que os profissionais, entretanto, o tempo de inclusão noesporte dos atletas profissionais tiveram uma baixa correlação com o conhecimentonutricional, porém positiva, onde o tempo médio de prática esportiva é superior aodos atletas amadores. 39% SIM NÃO 61% Gráfico 01. Representação em percentual se os atletas sabem o que é carboidrato.
  22. 22. 21 Conforme pode ser verificado no gráfico 02, verificou-se que 96% dos atletasidentificaram as massa e 65% as frutas, 39% afirmaram a carne, o feijão e o mel,seguido de frango e iogurte com 26%, como alimentos que contém carboidratos.Esses dados revelam que os atletas identificam as massas e as frutas comoalimentos ricos em carboidratos. Portanto, há uma dificuldade de diferenciar fontesde proteínas com alimentos que contém fonte de CHO. No estudo feito por Araujo (2011), com corredores masculinos de prova defundo reforçaram os resultados encontrados em nossa pesquisa onde os corredoresidentificaram as massas como o macarrão com 95%, o pão e a batata com 88%como fontes principais de carboidratos sendo que a minoria desses esportistasapontou o filé de frango que é uma fonte de proteína como alimentos que contémcarboidratos, corroborando com o nosso estudo de que ainda há certa dificuldadeem distinguir esses alimentos. outros 4 mel 39 iogurte 26 frango 26 frutas 65 carne 39 refrigerante 9 feijão 39 96 massas 0 20 40 60 80 100 Porcentagem (%) Gráfico 02. Representação em percentual de onde os carboidratos são encontrados.
  23. 23. 22 Os resultados a seguir, apresentados no gráfico 03 revelaram que o pão com78% e as frutas com 48%, são os alimentos mais consumidos no café da manhã. Asfrutas são indispensáveis na alimentação, além de fornecer agua para o organismo(NUNES; JESUS, 2010), portanto, como na maioria das vezes, o café da manhãantecede o treinamento, o consumo de carboidrato precisa ser adequado para queaumente as reservas de glicogênio antes dos treinamentos. (CYRINO; ZUCAS,1999). Mesmo que o consumo do leite e o iogurte apareçam no gráfico como fontede carboidrato no café da manhã, entretanto, o aparecimento do leite, fonte deproteína se dar pelo fato do brasileiro no período da manhã ter hábitos de consumo,o leite, o pão e o café. (ARAUJO, 2011) outros 17 iogurte 9 bolos 13 frutas 48 batata 22 leite 9 biscoito 13 pão 78 0 20 40 60 80 100 Percentagem (%) Gráfico 03. Representação em percentual dos carboidratos consumido no café damanhã.
  24. 24. 23 Em relação aos alimentos que contém carboidratos consumidos no almoço,no gráfico 04 foi detectado que 100% dos atletas consomem o macarrão, issomostra que as massas são os alimentos mais consumidos pelos atletas no almoço.Portanto, a pesquisa revela que os atletas de futebol reconhecem as fontes decarboidratos consumidas por eles na sua rotina. Resultados parecidos, encontradospor Araújo (2011), feitos com corredores de elite de prova de fundo, cita que 97%das mulheres e 95% dos homens destacam o macarrão como fonte principal decarboidrato. outros 39 refrigerante 4 feijão 43 arroz 52 100 macarrão 0 20 40 60 80 100 Porcentagem (%) Gráfico 04. Representação em percentual dos carboidratos consumidos no almoço.
  25. 25. 24 No gráfico 05 foi observado que 57% dos jogadores de futebol consomem pãodurante o lanche, e 35% ingerem frutas como alimentos com fontes carboidratos.Resultados como estes, aparecem no gráfico 03 deste mesmo estudo, onde osatletas consomem mais pães e frutas no café da manhã. Tanto o café da manhãcomo o lanche, dependendo dos horários de treinamento, são refeiçõesindispensáveis que antecedem treinos e competições. Barreto et al (2009) diz que oconsumo de carboidratos antes do exercício exerce papel importante para asreserva de glicogênio, entretanto, é preciso ficar atento com a ingestão dessesnutrientes em relação ao tempo que antecede a prática. (SILVA; MIRANDA;LIBERALI, 2008) sucos 13 frutas 35 pão 57 biscoito 17 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 05. Representação em percentual dos carboidratos consumido no lanche.
  26. 26. 25 Os resultados apresentados no gráfico 06 demonstram que os alimentos maisconsumidos no jantar foram o macarrão com 87%, o feijão com 43% e o arroz com35%, esse resultado confirma a preferência das massas como principal alimento decarboidratos consumido pelos jogadores de futebol, apresentados nos gráficos 05,04, 03, 02. Os dados obtidos nos resultados anteriores apresentados nos gráficosnão corroboraram com o estudo de Russo et al (2009) quando questionado aosatletas de judô, qual principal nutriente deve estar presente em uma dieta quando setrata de exercício físico, revelando que 75% das mulheres e 46% dos homensidentificam os carboidratos na dieta. Os autores ainda afirmam que há uma noçãogeneralizada de que as dietas com elevadas quantidades de proteínas sãonecessárias ao exercício físico. arroz 35 feijão 43 macarrão 87 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 06. Representação em percentual dos carboidratos consumido no jantar.
  27. 27. 26 Quando colocado em questão se os jogadores utilizavam algum suplemento àbase de CHO, os gráficos 07 e 08 apresentaram que 61% dos atletas afirmaramutilizar suplementos a base de carboidratos, 43% afirmaram BCAA, seguido porcreatina com 36% e a maltodextrina com 29%. Fica claro que esse resultadoevidencia que os atletas têm certas dificuldades de diferenciar as fontes decarboidratos das fontes de proteína, principalmente nos suplementos nutricionais,pode ser justificado pela falta de um profissional de nutrição para orientá-losadequadamente, entretanto, no meio esportivo a falta de uma educação nutricional,tem sido a principal dificuldade encontrada pelos atletas e técnicos sobre o tipo dealimentação adequado as suas demandas energéticas impostas por sua atividadeespecifica (REBELLO et al, 1999). Apesar de fazerem uso de suplementos, o clubenão tinha este profissional no seu quadro de funcionários. Em um estudo feito porPereira (2009), com jogadores de uma equipe de futebol de Criciúma, constatou queos suplementos mais consumidos pelos atletas foram os repositores energéticoscom 69,2%, logo em seguida os BCAAs com 38,5% e o terceiro de maior consumoforam os isotônicos com 30,8%. Já nos resultados de Canuto e Salum citado porPereira (2009), realizado com atletas amadores de futebol de Santa Catarina, oconsumo de suplemento a base de carboidratos aparecem em ultimo lugar.Resultados como estes foram encontrados em nosso estudo, fortalecendo aindamais a participação e a importância do profissional de nutrição nos clubes de futebolpara um melhor encaminhamento das informações nutricionais a estes atletas.
  28. 28. 27 39% sim não 61% Gráfico 07. Representação em percentual da utilização de algum suplemento a basede carboidrato. Aminoácidos 7 Polivitamínicos 7 Creatina 36 BCAA 43 Malto 28 0 20 40 60 80 100 Porcentagem (%) Gráfico 08. Representação em percentual dos suplementos utilizados a base decarboidrato.
  29. 29. 28 Os resultados encontrados no gráfico 09 revelam que a maioria dos jogadoresde futebol não se preocupa em termos de quantidade de carboidrato no dia do jogo,isto pode estar relacionado à falta de um acompanhamento e orientação nutricional,onde as informações e preocupações podem ser levadas através destes, fazendocom que os atletas se conscientizem sobre a sua importância para um melhordesempenho durante os jogos. Em pesquisas anteriores, feito com jogadores de futebol revelam que osatletas não consomem quantidades adequadas de carboidrato (GOMES; RIBEIRO;SOARES, 2005). sim 52% 48% não Gráfico 09. Representação percentual da mudança de rotina e preocupação emtermos de quantidade de CHO no dia do jogo.
  30. 30. 29 Quanto à utilização de alguma forma de carboidratos nos treinos, foramdemonstrados no gráfico 10 que a maltodextrina (malto) é o principal carboidrato queos atletas utilizam nos treinos, esses dados se justificam pelo fato da malto ser deótima absorção pelo organismo proporcionando uma velocidade moderada nofornecimento de energia para o músculo, entretanto, as frutas ingerida durante ostreinos pode acarretar desconforto gástrico (SILVA; MIRANDA; LIBERALI, 2008)podendo assim, diminuir o desempenho dos atletas nos treinamentos. Barreto et al (2009) afirma que durante o exercício, o consumo da glicose,sacarose e a maltodextrina apresentam efeitos positivos sobre a performance. Noestudo de Araújo (2011), o principal alimento utilizado pelos atletas nos treinos é aagua, entretanto, nesse mesmo estudo 24% dos homens e 46% das mulheresutilizavam a malto como estratégias ao longo de treinos e competições. massa 0 sucos 4 frutas 22 malto 48 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 10. Representação em percentual da utilização de carboidratos nos treinos.
  31. 31. 30 De acordo com os gráficos 11 e 12 foi constatado que a maioria dosfutebolistas não utilizava nenhum carboidrato 2 horas antes do jogo, portanto épreciso ingerir os carboidratos em intervalos que antecede o jogo corretamente, paraque as reservas de glicogênio estejam abastecidas para ser utilizada nos estágiosinicias da partida e com isso contribuir para os momentos finais do jogo. Jogadores de futebol percorrem durante o jogo, aproximadamente de 10 a 11quilômetros por partida, sendo que a distancia percorrida no primeiro tempo é 5%maior que no segundo tempo e esta relacionada diretamente com o nível deglicogênio muscular pré-jogo (GUERRA; SOARES; BURINI, 2001, SCHANDLER;NAVARRO, 2007). No estudo de Leatt e Jacobs (1989, apud GUERRA, SOARES E BURINI,2001) foram verificados que jogadores após ingerirem bebida contendo glicose 10minutos antes da partida aumentaram 25% a sua distância percorrida em relaçãoaos que consumiram placebo. Guerra, Soares e Burini (2001) afirmam que 10minutos antes do jogo a ingestão de carboidratos diminui a utilização de glicogêniomuscular em 39%, aumentando assim a velocidade de corrida e a distânciapercorrida no segundo tempo em 30%. Já alguns estudos evidenciam que aingestão de carboidrato 30-60 minutos antes do esforço físico melhora aperformance (GOODPASTER, 1996 APUD DELAVIER; GUNDILL, 2009) entretanto,há uma preocupação quanto a sua ingestão nesses intervalos que pode elevar osníveis de insulina e redução da glicemia acarretando no aumento da utilização dasreservas de glicogênio no inicio do exercício podendo comprometer o desempenhonegativamente. (BACURAU, 2009, SILVA; MIRANDA; LIBERALI, 2008, ZYRINO;ZUCAS, 1999).
  32. 32. 31 43% sim 57% não Gráfico 11. Representação em percentual da utilização dos carboidratos até 2 horasantes do jogo. Aminoácidos 10 Bebidas energéticas 10 Doces 10 Massas 20 Banana 40 Malto 30 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 12. Representações em percentual de quais carboidratos utilizam 2 horasantes do jogo.
  33. 33. 32 Os dados encontrados no gráfico 13 e 14 identificaram que 65% dosjogadores utilizam alguma forma de carboidrato no intervalo, sendo que a maioriados atletas utiliza a maltodextrina nos intervalos dos jogos. A ingestão dos mesmosno intervalo da partida se dá porque os jogadores ao chegarem ao vestiário, estãocom suas reservas de glicogênio baixas, portanto, é preciso a sua reposição paraque na segunda metade do jogo, os seus estoques estejam cheios, fazendo comque tolere a fadiga, diminua o cansaço e aumente o desempenho. Segundo Guerra,Soares e Burini, (2001) se os níveis de glicogênio estiverem baixos desde o inicio dojogo, quando os atletas forem pra segunda etapa vão percorrer distâncias menores,em velocidade menor, andar mais e realizar menos sprints no jogo, podendo afetar odesempenho. 35% sim não 65% Gráfico 13. Representação em percentual da utilização dos carboidratos no intervalodo jogo. Frutas 20 BCAA 13 Malto 87 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Percentagem (%) Gráfico 14. Representação em percentuais de quais carboidratos utiliza no intervalodo jogo.
  34. 34. 33 Nos gráficos 15 e 16, foi constatado que 74% dos atletas afirmou utilizarfontes de carboidratos após o jogo, a maioria dos atletas escolheu as frutas e asmassas como principais alimentos consumidos depois do jogo. Em resultadossemelhantes, encontrados por Araújo (2011) em uma modalidade esportivadiferente, 57% das mulheres e 26% dos homens preferem a ingestão de frutas apóso exercício. O consumo de carboidratos pode estar associado às reposições dosestoques de glicogênio após os exercícios, diz Barreto et al (2009). Já outrosautores afirmam que a recuperação pós-jogo tem que acontecer nas primeiras duashoras e depende de alimentos com alto índice glicêmico, por ser de rápida absorçãopelo organismo, tornando a ressíntese das reservas de glicogênio muscular, masrápida e eficaz. (GUERRA; SOARES; BURINI, 2001, PEREIRA, 2009) 26% sim não 74% Gráfico 15. Representação em percentual da utilização dos carboidratos após o jogo. Massas 47 Frutas 41 Malto 18 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 16. Representação em percentuais de quais carboidratos utiliza após o jogo.
  35. 35. 34 De acordo com os gráficos 17, 18, 19 e 20 os avaliados acreditam que oconsumo desse nutriente melhora o seu desempenho, diminui o cansaço, repõeenergia e aumenta a disposição. Contudo, os resultados encontrados em nossapesquisa mostram que a maioria dos jogadores de futebol estão atento quanto asfunções dos carboidratos e a importância do seu consumo que pode trazer melhoresresultados nos treinos e jogos. Sanctis et al (2010) afirma que o consumo de carboidrato, melhora orendimento dos atletas, porém o seu consumo depende do tipo de alimentação, sejasimples ou composta, da sua rápida absorção, e principalmente do índice glicêmicoque avalia os efeitos dos carboidratos sobre a glicose a sanguínea. Entretanto, valeressaltar que a falta de glicogênio no músculo durante a partida, pode acarretar noaumento da fadiga, conseqüentemente vindo o cansaço, podendo prejudicar odesempenho. A fadiga pode estar associada à depleção dos estoques de glicogênio,pode ser evitada com a utilização adequada dos mesmos (HARGREAVES 1994,APUD BARRETO et al, 2009). 13% sim não 87% Gráfico 17. Representação em percentual dos atletas que acreditam que ocarboidrato melhora o desempenho.
  36. 36. 35 13% sim não 87% Gráfico 18. Representação em percentual dos atletas que acreditam que ocarboidrato diminui o cansaço. 9% sim não 91% Gráfico 19. Representação em percentual dos atletas que acreditam que ocarboidrato repõe energia.
  37. 37. 36 9% sim não 91% Gráfico 20. Representação em percentual dos atletas que acreditam que ocarboidrato aumenta a disposição. Ao observar o gráfico 21 e 22, verifica-se que 70% dos jogadores nuncativeram orientação sobre a importância do consumo de carboidrato. Dentre os quedisseram ter recebido algum tipo de palestra ou explicação, o preparador físicoaparece como o mais apontado (57%) seguido do nutricionista (43%). Os resultadosapresentados no gráfico 22 podem estar associados à falta do profissional denutrição no clube, onde o preparador físico acaba assumindo o papel do nutricionistaem levar aos atletas informações desse nutriente a fim de conscientizar aimportância do seu consumo adequadamente. Para Rebello, Silva e Teixeira (1999),os jogadores de futebol têm certas dificuldades de obter uma alimentação dequalidade, portanto, a importância da educação nutricional no meio esportivo se dácom o intuito de conscientizar atletas e técnicos para uma alimentação adequada.Esses dados corroboram com o estudo de Marins e Ferreira (2005) feito comuniversitário sobre hidratação, com 57% dos universitários não terem recebidosnenhuma orientação técnica sobre as melhores maneiras de se hidratar, nestapesquisa o professor de educação física aparece como o profissional maisapontado. Já no estudo de Araújo (2011) verificou-se que o técnico é o maisapontado, seguido do nutricionista quanto às fontes de informações.
  38. 38. 37 30% sim não 70% Gráfico 21. Representação em percentual sobre algum tipo de orientação sobre oconsumo de CHO. Livros 14 Revistas 14 Nutricionista 43 Prep.Físico 57 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 22. Representação em percentuais de quem prestou a orientação sobre oscarboidratos.
  39. 39. 38 Ao analisarmos o gráfico 23, os sucos aparecem com 74% das bebidas queos atletas acreditam ter carboidrato, seguido da água de coco (57%), cerveja (30%)e por ultimo a coca-cola (17%). Resultados parecidos foram encontrados nosestudos de Ferreira et al (2009), Ferreira e Marins (2005), Cruz, Cabral e Marins(2009) sobre hidratação, indicando os sucos naturais como umas das bebidas maisusadas na hidratação dos atletas. Já a coca cola e a cerveja segundo esses autoresaparece em pequenos percentuais. Entretanto o uso de refrigerantes pode causardesconforto gástrico (CRUZ; CABRAL; MARINS, 2009) e o álcool pode gerardesidratação (FERREIRA; MARINS, 2005) como também menor atenção, tempo dereação mais lento e uma menor coordenação física (SARTORI; PRATES;TRAMONTE, 2002). O nosso trabalho evidencia que os jogadores de futebol têm uma noçãopositiva das bebidas que contém carboidrato, porém o consumo inadequado dealgumas bebidas pode atrapalhar o rendimento desses atletas. água de coco 57 sucos 74 cerveja 30 coca-cola 17 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Porcentagem (%) Gráfico 23. Representação em percentual das bebidas que os atletas acreditam tercarboidratos.
  40. 40. 395. CONSIDERAÇÕES FINAIS As relações entre a nutrição, o treinamento e o estado de saúde sempre foium dos principais alicerces para se adquirir um bom desempenho esportivo. Nofutebol uma alimentação adequada, principalmente do consumo de carboidratos,garante aos jogadores energia suficiente para um melhor rendimento nos treinos ejogos. Portanto, em nosso estudo verificou-se que a maioria dos jogadores sabequais alimentos são fontes de carboidratos, destacando as massas como osalimentos mais consumidos por eles, embora uma pequena parte dos atletasconfunda fontes de carboidratos com fontes de proteínas. Quanto à utilização desuplementos a base de carboidratos, evidenciou-se que os jogadores apesar deafirmarem utilizar algum suplemento à base de CHO, os mesmos apresentamgrande dificuldade de diferenciá-los com outros suplementos que não tenhamcarboidrato, aparecendo o BCAA, que é uma fonte de proteína como o suplementomais utilizado entre os atletas. Já em relação às estratégias específicas para o jogoduas horas antes, a maior parte dos atletas afirmou não utilizar nenhum carboidrato,nos intervalos à maltodextrina são os mais utilizados e logo após a partida, asmassas aparecem como a mais consumida pelos jogadores. Foi identificado que 70% dos atletas entrevistados na pesquisa nunca tiveramnenhum tipo de orientação sobre a importância do consumo de carboidratos, sendoque a minoria afirmou ter recebido a orientação do preparador físico, e isso podeestar atrelado à falta de um profissional de nutrição no clube, visto que uma corretaabordagem nutricional feita por esses profissionais se faz necessária e importante afim de conscientizar a esses atletas de que o consumo desse nutriente poderámelhorar a performance. Faz-se necessário novos estudos sobre este tema para que possamosmelhor compreender sobre a relevância de uma boa nutrição que sejam voltadostanto para a saúde como para a competição.
  41. 41. 40 REFERÊNCIASARAÚJO, A. N. Nível de Conhecimento e utilização de Carboidratos emCorredores de Elite de Provas de Fundo, 2011. Disponível em:<http://www.artigonal.com/esportes-artigos/nivel-de-conhecimento-e-utilizacao-de-carboidratos-em-corredores-de-elite-de-provas-de-fundo-4962239.html>. Acesso em:14 jul. 2011.BACURAU, Reury F. Nutrição e Suplementação Esportiva. 6ª Ed, Phorte Editora,São Paulo, 2009.BARRETO, F. S. et al. Futebol e Macronutrientes. Rev. Bras. Nutr. Esportiva, SãoPaulo v. 3, n. 15, p. 241-248, Maio/Junho, 2009.BROUNS, Fred. Essentials of sports nutrition. 2ª Ed. Wiley, England, 1993CARVALHO, T; MARA, L. S. Hidratação e Nutrição do Esporte. Rev. Bras. Med.Esporte, vol. 16, nº 2, p. 144-148 Mar/Abr. 2010.CORPO PERFEITO. Carboidratos. 2011. Disponível em:<http://www.corpoperfeito.com.br/ce/carboidratos>. Acesso em: 30 set. 2011.CYRINO, E. S; ZUCAS, S. M. Influência da ingestão de carboidratos sobre odesempenho físico. Rev. Educ. Fís/UEM p. 73-79, 1999.CRUZ, M. A. E.; CABRAL, C. A. C.; MARINS, J. C. B. Nível de conhecimento ehábitos de hidratação de ciclistas de mountain bike. Fitness & PerformanceJournal, v. 8, n. 2. p. 78-89, mar, 2009.DELAVIER, F.; GUNDILL, M. Guia de Suplementos Alimentares para Atletas.Barueri, SP: Manole, 2009.FERREIRA, A. M. D.; RIBEIRO, B. G.; SOARES, E. A. Consumo de carboidratos elipídeos no desempenho em exercícios de ultra resistência. Rev. Bras. Med.Esporte, v. 7, n. 2, Mar/Abr, 2001.
  42. 42. 41FERREIRA, F. G. et al. Nível de conhecimento e práticas de hidratação ematletas de futebol de categoria de base. Rev. Bras. Cineantropom. Hum, v. 11, n.2, p. 202-209, 2009.GATORADE SPORTS SCIENCE INSTITUTE. Carboidratos e desempenhoatlético, 2009. Disponível em: <http://www.gssi.com.br/artigo/43/sse-9-carboidratos-e-desempenho-atletico>. Acesso em: 30 nov. 2010.GIL, Antônio C. Como elaborar Projetos de Pesquisa. 4ª Ed, Editora Atlas S.A.SÃO PAULO, 2002.GOMES, A. I. S.; RIBEIRO, B. G.; SOARES, E. A. Caracterização nutricional dejogadores de elite de futebol de amputados. Rev. Bras. Med. Esporte, vol. 11, n.1, Jan/Fev, 2005.GONÇALVES, M. M. S.; CHELOTTI, C.M.; RODRIGUES, T. Avaliação da dietanutricional de atletas de força: Estudo de caso sobre Equipe de PowerLifting.Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo v. 1, n. 2, p. 12 – 22 Mar/Abril,2007.GONZALEZ J, J. S.; COBOS H, I.; MOLINA S, E. Estrategias Nutricionales para laCompetición en el Fútbol. Rev. Chil. Nutrição, vol. 37, nº 1, p. 118-123, Marzo,2010.GUERRA, I.; SOARES, E. A.; BURINI, R. C. Aspectos nutricionais do futebol decompetição. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, SP vol. 7, nº 6,p. 200-206, nov/dez. 2001.GUERRA, I. P. L. R.; BARROS NETO, T.; TIRAPEGUI, J. Necessidades dietéticasde jogadores de futebol: uma revisão. Rev. Soc. Bras. Alim. Nutri. São Paulo, SP,v. 28, p. 79-90, dez. 2004.MARQUES, A.C. et al. Evolução do esporte, treinamento e performance: umuniverso em ciências do esporte. Mov. & Percepção, Espirito Santo do Pinhal, SP,v. 10, n. 14, Jan./jun. 2009.MARINS, J. C. B.; FERREIRA, F. G. Nível de Conhecimento dos AtletasUniversitários da UFV sobre Hidratação. Fitness & Performance Journal, v. 4, n. 3,p. 175 – 187, 2005.
  43. 43. 42MATTOS, M.G.; ROSSETO JÚNIOR, A. J.; BLECHER, S. Teoria e Prática daMetodologia da Pesquisa em Educação Física: construindo sua monografia,artigo e projeto de ação: Phorte Editora, São Paulo, 2004.MENDONÇA, F. Nutrição e desempenho no futebol – aposte na alimentaçãofuncional, 2009. Dísponivel em:<http://www.universidadedofutebol.com.br/2009/10/1,2423,NUTRICAO+E+DESEMPENHO+NO+FUTEBOL+APOSTE+NA+ALIMENTACAO+FUNCIONAL.aspx?p=3>.Acesso em: 20 fev. 2011.MCARDLE, W.D. Fisiologia do Exercício Energia, Nutrição e DesempenhoHumano. 6ª Ed, Guanabara, 2008.NICASTRO, H. et al. Aplicação da Escala de Conhecimento Nutricional emAtletas Profissionais e Amadores de Atletismo. Rev. Bras. Med. Esporte, v. 14, n.3. p. 205-208, Mai/Jun, 2008.NUNES, M. L.; JESUS, N. M. L. Aspectos nutricionais e alimentares dejogadores adolescentes de futebol de um clube esportivo de Caxias do Sul,RS, 2010. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd149/aspectos-nutricionais-e-alimentares-de-jogadores-de-futebol.htm>. Acesso em: 15 jul. 2011.PAULA, A. M. C. Avaliação dos rótulos de suplementos nutricionais parapraticantes de atividade física x propaganda x direito do consumidor. 2008, 162f. Dissertação (Mestrado Profissional em Politicas Publicas) - Politicas de Saúde,Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2008.PEREIRA, R. N. B. Atendimento nutricional a participantes de exercícios físicose atletas: Avaliação de uma Equipe de Futebol de Criciúma (SC). 2009. 57 f.Monografia (Bacharel em Nutrição) – Universidade do Extremo Sul Catarinense,UNESC. CRICIÚMA, 2009.REBELLO, et al. A importância da avaliação nutricional no controle da dieta deuma equipe de jogadores de futebol juniores. Rev. Bras. Med. Esporte, vol. 5, nº5, p. 173-178, Set/Out, 1999.REVISTA CORPO A CORPO. Suplemento alimentar (cuidado com esta febre).Revista Corpo a Corpo. 194ª Edição. Publicada em Fevereiro/2005. Editora Escala.Disponível em <http://corpoacorpo.uol.com.br/Edicoes/194/artigo4961-3.asp>.Acesso em 01 de agosto de 2011.
  44. 44. 43RG NUTRI. Nutrição no futebol. Disponível em:<http://www.rgnutri.com.br/sp/esportes/futebol2.php>. Acesso em: 20 dez, 2010.RUSSO, F. M. et al. Avaliação do conhecimento nutricional de atletasprofissionais de judô. 2009. Disponível em:<http://www.efdeportes.com/efd138/conhecimento-nutricional-de-atletas-de-judo.htm>. Acesso em 26. Jul, 2011.SANCTIS, F. et al. Carboidratos e sua importância no desempenho físico. 2010.Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd141/carboidratos-no-desempenho-fisico.htm>. Acesso em 25 jul, 2011.SAPATA, K. B.; FAYH, A. P. T.; OLIVEIRA, A. R. Efeitos do consumo prévio decarboidratos sobre a resposta glicêmica e desempenho. Rev. Bras. Med.Esporte, vol. 12, n. 4, Jul/Ago, 2006.SARTORE, R. F.; PRATES, M. E. F.; TRAMONTE, V. L. G. C. Hábitos alimentaresde atletas de futsal dos estados do Paraná e do Rio Grande do Sul. Rev.Educação Física/UEM, Maringá, v.13, n. 2, p. 55-62, nov, 2002.SCHANDLER, N.; NAVARRO, F. Avaliação corporal e nutricional em jogadoresde futebol. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, vol. 1, n. 1, p. 67-72, jan/fev,2007.SILVA, A. L.; MIRANDA, G. D. R.; LIBERALI, R. A influência dos carboidratosantes, durante e após-treinos de alta intensidade. Rev. Bras. Nutr. Esportiva, v. 2,n. 10, p. 211-224, São Paulo, Julho/Agosto, 2008.SIQUEIRA, J. C. S. Características morfológicas e nutricionais de atletasjuvenis de futebol do Clube Atlético Porto. Rev. Bras. Ciên. Futebol, Caruaru, PE,1ª edição, v. 1, p. 67-69, 2011.VIEBIG, R. F.; NACIF, M.A.L. Recomendações Nutricionais para a AtividadeFísica e Esporte. Revista Brasileira de Educação Física, Esporte, Lazer e Dança, v.1, n. 1, p. 2-14, mar, 2006.XIMENES, S. Minidicionário Ediouro da Língua Portuguesa. 2. Ed. São Paulo:Ediouro, 2000. p. 323.
  45. 45. 44 ANEXOSQuestionárioSexo: ( ) Masculino ( ) feminino Idade: ( )Quantos anos você tem de pratica no esporte como atleta: ( )1 – Você sabe o que é Carboidrato? ( ) Sim ( ) Não Descreva:2 – Onde encontra CHO?( ) frutas ( ) feijão ( ) carne ( ) mel ( ) outros( ) massas ( ) refrigerantes ( ) frango ( ) iogurte3 – Na sua rotina o que normalmente come de CHO:No café da Manhã?( ) pão ( ) biscoito ( ) leite ( ) batata ( ) frutas ( ) bolos( ) iogurte ( ) outrosNo almoço?( ) macarrão ( ) arroz ( ) feijão ( ) refrigerante ( ) outrosNo lanche?( ) biscoito ( ) pão ( ) frutas ( ) sucos
  46. 46. 45Na janta?( ) macarrão ( ) feijão ( ) arroz ( ) outrosAlgum suplemento a base de CHO?( ) sim ( ) nãoQuais:4 – No dia do jogo muda essa rotina e preocupação em termos de quantidade deCHO? ( ) sim ( ) não5 – Alguma forma de CHO nos treinos?( ) Malto ( ) frutas ( ) sucos ( ) hipercalóricos( massa )6 – Alguma forma de Carboidrato até 2 horas antes do jogo?( ) sim ( ) não*Em caso afirmativo: Quais?7 – Alguma forma de CHO no intervalo do jogo?( ) sim ( ) não*Em caso afirmativo: Quais?8 – Alguma forma de CHO após o jogo?( ) sim ( ) não*Em caso afirmativo: Quais?9 – Você acredita que o consumo de CHO:
  47. 47. 46Melhora o desempenho?( ) sim ( ) nãoDiminui o cansaço?( ) sim ( ) nãoRepõe só energia?( ) sim ( ) nãoAumenta a disposição?( ) sim ( ) não10 – Você já teve alguma orientação, explicação ou palestras sobre a importânciapara o consumo adequado de CHO?( ) sim ( ) não*Em caso afirmativo: Quem prestou orientação?( ) Médico ( ) Técnico( ) Nutricionista ( ) Amigos( ) Preparadores Físicos ( ) Livros( ) Revistas ( ) Profº de Ed Física na Escola11 – Quais dessas bebidas você acredita ter carboidratos?( ) Coca – cola ( ) cerveja( ) sucos ( ) água de coco

×