Meiose

1,917 views

Published on

Meiose , Profª Michele

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,917
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
68
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Meiose

  1. 1. MEIOSE<br />
  2. 2. A meiose é um mecanismo de divisão celular caracterizado por dois períodos distintos, envolvendo transformações e rearranjos estruturais dos cromossomos (molécula de DNA): <br />Um momento reducional (separação dos cromossomos homólogos) e <br />Outro equacional (separação das cromátides irmãs).<br />
  3. 3.
  4. 4. ONDE OCORRE A MEIOSE<br />A meiose ocorre apenas nas células das linhagens germinativas<br />
  5. 5. INTERFASE<br />Antes do início da meiose I<br />Os núcleos passam pelo intervalo G1, que precede o período de síntese de DNA, período S, quando o teor de DNA é duplicado, e pelo intervalo G2.<br />
  6. 6. MEIOSE I<br />A meiose I é subdividida em quatro fases, denominadas: Prófase I, Metáfase I, Anáfase I, Telófase I<br />
  7. 7.
  8. 8. PROFASE I<br />Longa duração e muito complexa. <br />Os cromossomos homólogos se associam formando pares, ocorrendo permuta (crossing-over) de material genético entre eles.<br />
  9. 9. FASES DA PROFASE I<br />Leptóteno, Zigóteno, Paquíteno, Diplóteno e Diacinese.<br />
  10. 10. LEPTOTENO<br />Os cromossomos tornam-se visíveis <br />As duas cromátides- irmãs de cada cromossomo estão alinhadas tão intimamente que não são distinguíveis.<br />
  11. 11. ZIGOTENO<br />Os cromossomos homólogos começam a combinar-se <br />Processo de pareamento ou sinapse<br />
  12. 12. PAQUÍTENO<br />Os cromossomos tornam-se bem mais espiralados. <br />O pareamento é completo e cada par de homólogos aparece como um bivalente ( às vezes denominados tétrade porque contém quatro cromátides) <br />Neste estágio ocorre o crossing-over, ou seja, a troca de segmentos homólogos entre cromátides não irmãs de um par de cromossomos homólogos.<br />
  13. 13. DIPLÓTENO<br />Ocorre o afastamento dos cromossomos homólogos que constituem os bivalentes. <br />Cada conjunto de cromátides-irmãs continua ligado inicialmente. <br />Os dois homólogos de cada bivalente mantêm-se unidos apenas nos pontos denominados quiasmas<br />
  14. 14. diacinese<br />Neste estágio os cromossomos atingem a condensação máxima.<br />
  15. 15. MEIOSE I X MEIOSE II<br />Meiose I ou Reducional <br /> Meiose II ou Equacional.<br />
  16. 16. Metáfase i<br />Há o desaparecimento da membrana nuclear. <br />Forma-se um fuso e os cromosomos pareados se alinham no plano equatorial da célula.<br />
  17. 17. Anáfase i<br />Os dois membros de cada bivalente se separam e seus respectivos centrômeros com as cromátides-irmãs fixadas são puxados para pólos opostos da célula.<br />
  18. 18. Telófase i<br />Nesta fase os dois conjuntos haplóides de cromossomos se agrupam nos pólos opostos da célula.<br />
  19. 19. Meiose ii<br />
  20. 20.
  21. 21. Profase ii<br />Os cromossomos não perdem a sua condensação durante a telófase I. Assim, depois da formação do fuso e do desaparecimento da membrana nuclear, as células resultantes entram logo na metáfase II.<br />
  22. 22. Metáfase ii<br />Os 23 cromossomos subdivididos em duas cromátides unidas por um centrômero prendem-se ao fuso.<br />
  23. 23. Anáfase ii<br />Após a divisão dos centrômeros as cromátides de cada cromossomo migram para pólos opostos.<br />
  24. 24. Telófase ii<br />Forma-se uma membrana nuclear ao redor de cada conjunto de cromátides.<br />
  25. 25. IMPORTANCIA DA DIVISÃO CELULAR<br />Os processos reducionais e conservativos são fundamentais na transmissão das características hereditárias.<br />

×