Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Manual

3,236 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Manual

  1. 1. Manual deHigienização das Mãos
  2. 2. Governador do EstadoGeraldo AlckminSecretário de Gestão PúblicaDavi ZaiaSuperintendente IamspeLatif Abrão JuniorChefe de Gabinete IamspeRoberto BavieraDiretoria IamspeAdministraçãoMaria das Graças Bigal Barboza da SilvaHSPE - “FMO”Roberto Dantas QueirozDecamLuciana Andrea Accorsi BerardiCedepAbrão Elias AbdallaPrevenirMiriam Matsura ShirassuElaboração:Elaine Fernanda Irineu - Enfermeira - GE-CIH / HSPE-FMORevisão:GE-CIH / HSPE-FMOAprovação:Comissão Qualidade Ambiental HSPE-FMOCoordenação Editorial - Gestão de Comunicação CorporativaProjeto Gráfico: Ana Maria F. Marques e Fábio KameokaFotografia: Elaine GregorinInstituto de Assistência Médica ao Servidor Público EstadualAv. Ibirapuera, 981 - Vila Clementino - 04029-000 - São Paulo - SPTelefone: (011) 5088-8000 - www.iamspe.sp.gov.br- Novembro de 2012 -
  3. 3. 3IntroduçãoAs mãos são consideradas as principais vias de disseminação deinfecções no ambiente de assistência à saúde. Por esta razão,a higienização eficaz das mãos é uma medida importante paraevitar essas infecções.ObjetivoO objetivo deste manual é orientar os profissionais com relação àtécnica adequada para higienização das mãos e propiciar maioradesão à prática em todos os níveis da assistência hospitalar.Equipamento e insumos necessários para higienizaçãoLavatório/ pia de lavagem / lavabo cirúrgicoF Lavatório Exclusivo para a higienização das mãos.F Pia de lavagem Destinada preferencialmente à lavagem de utensílios, podetambém ser usada para a higienização das mãos.F Lavabo cirúrgico Exclusivo para a escovação cirúrgica das mãos antes darealização de cirurgias ou procedimentos invasivos.Dispensadores de sabão e antissépticosDevem permitir o gotejamento do sabão, ser de fácil limpeza e evitara contaminação do produto.SabãoF Líquido comum Deve ser emoliente, possuir pH neutro, não ressecar a pele, nãoser alergênico ou irritante à pele, não possuir aroma e ter boaaceitação dos usuários.
  4. 4. 4F Solução antisséptica Deve ser líquido viscoso, neutro, biodegradável, comemolientes que evitem o ressecamento da pele e conter emsua composição ao menos um agente antisséptico (triclosan,clorexidine ou PVPI).Lixeira para descarte do papel toalhaDeve estar junto aos lavatórios e pias, ser de fácil limpeza, possuirtampa articulada acionada por pedal e estar identificada comoresíduos comuns com saco preto.ÁguaDeve ser livre de contaminantes químicos e biológicos, obedecendoos dispositivos da Portaria GM/MS 05/08/2004.Porta-papel toalhaDeve ser fabricado com materiais que não favoreçam a oxidação,ser de fácil limpeza e sua instalação deve ser de tal forma que nãoreceba respingos de água e sabão.Papel toalhaDeve ser suave, composto 100% de fibras celulósicas, semfragrância, impurezas ou furos, não liberar partículas e possuir boapropriedade de secagem. Deve-se dar preferência aos papéis embloco ou rolo que possibilitem o uso individual. Não é permitido ouso de toalhas de tecidos.ÁlcoolPreparação alcoólica para higienização, contendo álcool nointervalo entre 60% a 80% sob as formas gel, líquida ouespuma, destinada à aplicação nas mãos para reduzir o númerode microorganismos viáveis. Pode conter emolientes em suaformulação para evitar o ressecamento da pele.
  5. 5. 5Onde cada unidade deve solicitar serviços?F Cabe ao Setor de Engenharia e ao GE-CIH adequar o número elocalização das pias de acordo com a RDC 50/02.F Solicitar conserto/manutenção da pia ou dispensador sabão/álcool gel à Conservação e Reparos (impresso ordem de serviço).F Solicitar ao almoxarifado toalheiro e dispensador de sabão(impresso requisição de material).F Solicitar instalação de toalheiro ao serviço de Conservação eReparos (impresso ordem de serviço).F Solicitar lixeira por meio de comunicado (novas ou substituiçãodas quebradas) ao responsável pelo Plano de Gerenciamentode Resíduos de Serviço de Saúde do HSPE.Responsabilidade de solicitação dos insumosF Unidades de internação e seus banheiros públicos: cabe a cadaunidade de internação solicitar ao serviço de almoxarifado suacota mensal, através do impresso requisição de material aoalmoxarifado. Obs: o saco de lixo é fornecido pelo serviço dehigiene conforme contrato com a instituição.F Pronto-socorro, bloco F, ambulatórios e banheiros públicos:cabe ao serviço de higiene solicitar ao serviço de almoxarifado,através do impresso requisição de material ao almoxarifado(exceto os banheiros públicos das unidades de internação).Quemé responsávelpeloreabastecimentodosinsumos?Cabe ao serviço de higiene a total responsabilidade doreabastecimento dos insumos (sabões líquidos e papéis toalhas),assim como a retirada dos resíduos e a troca dos sacos de lixo.A identificação das lixeiras e dos sacos de lixo deverá respeitar alegislação vigente e a padronização do PGRSS da Instituição.
  6. 6. 6O que fazer se, após 48 horas, a solicitação dereposição, manutenção e/ou instalação deequipamentos não for atendidaCabe ao responsável pela unidade ou setor comunicar ao serviçode Hotelaria, que providenciará juntamente com os serviçosenvolvidos o atendimento à solicitação.Técnica de higienização das mãosA eficácia da higienização das mãos depende da duração e datécnica empregada. É necessário retirar acessórios como anéis,pulseiras e relógio, que podem acumular microorganismos.Técnica de lavagem das mãosF Finalidade: Remover a sujeira e os microorganismos que colonizam ascamadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidadee as células mortas.Lave as mãos antes e após o contato diretocom o paciente, entre cada procedimento esempre que estiverem com sujidade.Sem encostar na pia, abra a torneira, molhe as mãos com águacorrente e a seguir aplique na palma da mão a solução líquida,conforme a sequência:
  7. 7. 712Palmasdas mãosEnsaboar a palma dasmãos, friccionando-asentre siDorsodas mãosEsfregar a palma damão direita contra odorso da mão esquerda,entrelaçando osdedos e vice-versa
  8. 8. 85 Unhas eextremidadedos dedosFriccionar as polpasdigitais e unhas da mãoesquerda contra a palmada mão direita, fechadaem concha, fazendomovimento circular evice-versa3Espaçoentre os dedosEntrelaçar os dedos efriccionar os espaçosinterdigitais
  9. 9. 94ArticulaçõesEsfregar o dorso dosdedos de uma mão coma palma da mão oposta6PolegaresEsfregar o polegardireito, comauxílio da mãoesquerda, utilizandomovimento circulare vice-versa
  10. 10. 107PunhosEsfregar o punhoesquerdo, com oauxílio da palmada mão direita,utilizando movimentocircular e vice-versaF Enxaguar as mãos, retirando os resíduos da solução.F Evitar contato direto das mãos ensaboadas com a torneira.F Secar a mão com papel toalha descartável, iniciando pelas mãose seguindo para os punhos. Utilizar papel toalha para fechar astorneiras manuais.Técnica de higienização das mãos com álcoolF Finalidade: reduzir a carga microbiana das mãos (não há remo-ção de sujeira). A utilização de gel alcoólico preferencialmente a70% ou de solução alcoólica a 70% com 1-3% de glicerina podesubstituir a higienização com água e sabão quando as mãosnão estiverem visivelmente sujas.F Aplicar o produto em quantidade suficiente; friccionar no mínimopor 15 segundos em toda a superfície das mãos e dedos comona técnica da lavagem das mãos (seguir os passos de números1 a 7). Deixar as mãos secarem naturalmente.
  11. 11. 11EquipamentoLimpeza / FrequênciaConcorrenteFace externaTerminalFace interna e externaLavatórios, torneiras(anexo 1)1 vez ao dia / Sempreque necessárioSemanalDispensadores desabão e álcool gel1 vez ao dia / Sempreque necessárioSempre ao términodo produtoToalheiro1 vez ao dia / Sempreque necessárioSempre ao términodo papelLixeira1 vez ao dia / Sempreque necessárioSemanal / Sempreque necessárioAnexo 1Tipos de torneiras para utilização nas unidades do HSPERotina de limpeza e reabastecimento dos insumosProduto: Água e detergente neutroComo: Limpeza mecânica e enxágueTipo de Torneira Indicaçõesacionamento porsensor ou pedal- Pias de escovação cirúrgica- Salas de pequena cirurgiaacionamento porcotovelo- Sala de preparo de medicação- Posto de enfermagem- Salas de coleta- Salas de examesfechamentoautomático- Banheiros- Corredores da unidade de internação- Ante-salas- Pias para lavagem das mãos- Consultóriosfechamento manual- Expurgo- Copas- DML
  12. 12. 12And. Clínica Tipo de sabão15 Moléstias Infecciosas Solução antisséptica14 C. Vascular/Hospital Dia/Biblioteca Sabão comum13 Nefrologia/Hematologia/Oncologia Solução antisséptica13 Urologia Sabão comum12 UNAR Solução antisséptica12 Neurocirurgia Sabão comum12 Neuroclínica/Cuidados Paliativos Sabão comum11 Gastro Clínica e Gastrocirurgia Sabão comum11 Sala de Hemorragia Digestiva Solução antisséptica11 Otorrinolaringologia/Plástica/Odontologia Sabão comum10 DAR/Clínica Médica Sabão comum9 Ortopedia/Endocrinologia/Reumatologia Sabão comum8 Cardiologia/Geriatria Sabão comum8 Unidade Coronariana Solução antisséptica7 Central de Material/UTI/Unidade Crítica/CRIN Solução antisséptica7 Cirurgia Geral Sabão comum6 Hemodinâmica/UTI./C.C. Solução antisséptica5 C.C./Parto Humanizado/Queimaduras Solução antisséptica4 Neonatologia/Banco de Leite/Nascer Feliz Solução antisséptica4 Ginecologia Sabão comum3 Oncologia Pediátrica/ UTI Pediátrica Solução antisséptica3 Cirurgia Pediátrica/Pediatria Sabão comum3 Ala Administrativa Bloco Central Sabão comum2 Psiquiatria Sabão comum2 Endoscopia Solução antisséptica1 Radiologia/PS Infantil/PS Adulto Sabão comum1 Emergência/Unidade Trombólise Solução antisséptica1 Serviço de Nutrição e Dietética/Lactário Solução antissépticaAnexo 2Solução para lavagem das mãos nas áreas do HSPE
  13. 13. 13ObservaçõesF Nas unidades com isolamento de contato por microorganismosmultirresistentes deverá ser disponibilizada solução antissépticapara a higienização das mãos.F Para a passagem de cateter venoso central deverá ser disponibi-lizada solução antisséptica.F O GE-CIH recomenda a utilização de dispensador único de pare-de ou almotolias individuais descartáveis de 100 ml. As escovasimpregnadas com solução antisséptica deverão ser utilizadas emprocedimentos cirúrgicos e descartadas após o uso.Referências1. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Higienizaçãodas mãos em serviço de saúde / Agência Nacional de VigilânciaSanitária, Brasília: Anvisa, 2007.2. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – RegulamentoTécnico para planejamento, elaboração e avaliação de projetosfísicos de estabelecimentos assistenciais de saúde /Resolução-RDC n° 50, de 21 de fevereiro de 2002.OutrosAmbulatórios Consultas/Banheiros Públicos eÁreas Administrativas /Farmácia/Psiquiatria(HD)/ Almoxarifado/Prédio da AdministraçãoSabão comumAmbulatórios com procedimentos/CentroCirúrgico da Oftalmologia/Banco de Sangue/Laboratório/Necrotério/Cirurgia Experimental/QuimioterapiaSolução antisséptica
  14. 14. Anotações____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
  15. 15. Hospital do Servidor Público EstadualComissão de Controle de Infecção HospitalarRua Pedro de Toledo, 1800 - 15º andaremail: ccih.hspe@iamspe.sp.gov.brTelefone: 5088-8285www.iamspe.sp.gov.brGestãodeComunicaçãoCorporativa-Novembrode2012

×