Agenciamento na Era da Mobilidade<br />Giselle Beiguelman<br />2010<br />
REPROGRAMAÇÃO DA COMUNICAÇÃO E MUDANÇA CULTURAL<br />
<ul><li>Consciência ambiental
Seattle (2002)
Fórum Mundial de Porto Alegre
Flash mobs (Espanha 2004)
Campanha de Barack Obama</li></ul>Evidências<br />
Massself-Communication<br />SOCIEDADE CIVIL<br />
ESGOTAMENTO DO PROGRAMA<br />CRIAÇÃO<br />
A artemídia, como qualquer arte fortemente determinada pela mediação técnica, coloca o artista diante do desafio permanent...
Arte x artvertising<br />
http://www.theophane.co.uk/mobile-mobile#<br />
As técnicas promocionais não destroem o espaço da discussão e da crítica; antes põem em circulação as autoridades intelect...
um design do inaceitável para um mundo inaceitável<br />WODICZKO E O INTERROGATIVE DESIGN GROUP<br />
IDG - Porte-Parole(1993)bocas virtuais concebidas para dar voz a imigrantes<br />
IDG - Dis-Armor(1999), Próteses psicoculturaispara jovens que sofreram algum tipo de violência<br />
IDG - Guests(2009), trabalhadores imigrantes ocupam o espaço expositivo com imagens e áudio em suas línguas maternas<br />
O procedimento do nômade _ o sem-teto, o camelô, o favelado, o migrante _ é sempre tático. Ele não dispõe de dispositivos ...
O design mais próximo da filosofia do IDG é o do curativo: algo que estanca o ferimento ao mesmo tempo em que ostenta a su...
Ricardo Dominguez + EDT -TransborderImmigrantTool (2007 - )<br />
Ricardo Dominguez + EDT -TransborderImmigrantTool (2007 - )<br />
NoreneLeddy, Aphrodite (2000 - )<br />
AntoniAbad, com Eugenio Tisseli e LluisGómez,  megafone.net (antes, zexe.net)<br />
Giselle Beiguelman, Poetrica (2003 -04)<br />
Subvertia-se a função publicitária dos painéis, ao mesmo tempo em que a ação colaborativa de agentes com dispositivo sem f...
DanjaVasiliev, netless<br />
Beatriz da Costa, Heidi Kumao e Brooke SingerZapped! Kit de Ferramentas para as Massas<br />
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Agenciamento na era da mobilidade

801 views

Published on

aula do curso Território e Agenciamento nas Redes. COS - PUCSP 2o sem. 2010. Giselle Beiguelman
Resumo da aula e referências em http://www.desvirtual.com/puc/?p=243

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
801
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
74
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Agenciamento na era da mobilidade

  1. 1. Agenciamento na Era da Mobilidade<br />Giselle Beiguelman<br />2010<br />
  2. 2. REPROGRAMAÇÃO DA COMUNICAÇÃO E MUDANÇA CULTURAL<br />
  3. 3. <ul><li>Consciência ambiental
  4. 4. Seattle (2002)
  5. 5. Fórum Mundial de Porto Alegre
  6. 6. Flash mobs (Espanha 2004)
  7. 7. Campanha de Barack Obama</li></ul>Evidências<br />
  8. 8. Massself-Communication<br />SOCIEDADE CIVIL<br />
  9. 9. ESGOTAMENTO DO PROGRAMA<br />CRIAÇÃO<br />
  10. 10. A artemídia, como qualquer arte fortemente determinada pela mediação técnica, coloca o artista diante do desafio permanente de, ao mesmo tempo em que se abre às formas de produzir do presente, contrapor-se também ao determinismo tecnológico, recusar o projeto industrial já embutido nas máquinas e aparelhos, evitando assim que sua obra resulte simplesmente num endosso dos objetivos da produtividade da sociedade tecnológica<br />Arlindo Machado<br />
  11. 11. Arte x artvertising<br />
  12. 12. http://www.theophane.co.uk/mobile-mobile#<br />
  13. 13. As técnicas promocionais não destroem o espaço da discussão e da crítica; antes põem em circulação as autoridades intelectuais, multiplicam as referências, nomes e celebridades, confundem os sinais tornando equivalentes o lixo e a obra-prima,igualando o superficial e o sério<br />Gilles Lipovetsky, O Império do efêmero – a moda e seu destino nas sociedades modernas<br />
  14. 14. um design do inaceitável para um mundo inaceitável<br />WODICZKO E O INTERROGATIVE DESIGN GROUP<br />
  15. 15. IDG - Porte-Parole(1993)bocas virtuais concebidas para dar voz a imigrantes<br />
  16. 16. IDG - Dis-Armor(1999), Próteses psicoculturaispara jovens que sofreram algum tipo de violência<br />
  17. 17. IDG - Guests(2009), trabalhadores imigrantes ocupam o espaço expositivo com imagens e áudio em suas línguas maternas<br />
  18. 18. O procedimento do nômade _ o sem-teto, o camelô, o favelado, o migrante _ é sempre tático. Ele não dispõe de dispositivos de planejamento e coerção: sua ação é ditada pelas necessidades de sobrevivência individual. Ele instrumentaliza tudo o que está ao seu alcance: o morador de rua usa a torneira do posto de gasolina, o camelô toma para si um trecho de calçada, o favelado ocupa áreas junto a autopistas e viadutos e faz ligações clandestinas de luz. Toda a infraestrutura urbana vai sendo requisitada e redirecionada para outros usos<br />Nelson Brissac, As Máquinas de Guerra x Os Aparelhos de Captura (2002)<br />
  19. 19. O design mais próximo da filosofia do IDG é o do curativo: algo que estanca o ferimento ao mesmo tempo em que ostenta a sua presença<br />
  20. 20. Ricardo Dominguez + EDT -TransborderImmigrantTool (2007 - )<br />
  21. 21. Ricardo Dominguez + EDT -TransborderImmigrantTool (2007 - )<br />
  22. 22. NoreneLeddy, Aphrodite (2000 - )<br />
  23. 23. AntoniAbad, com Eugenio Tisseli e LluisGómez, megafone.net (antes, zexe.net)<br />
  24. 24. Giselle Beiguelman, Poetrica (2003 -04)<br />
  25. 25. Subvertia-se a função publicitária dos painéis, ao mesmo tempo em que a ação colaborativa de agentes com dispositivo sem fio e seu caráter nômade criavam um isomorfismo admirável com os princípios caóticos e auto-organizadores da rede<br />Lucia Santaella, Linguagens Líquidas na Era da Mobilidade<br />
  26. 26. DanjaVasiliev, netless<br />
  27. 27. Beatriz da Costa, Heidi Kumao e Brooke SingerZapped! Kit de Ferramentas para as Massas<br />
  28. 28. as novas tecnologias de comunicaçãoexpandiram a noção de cidadania, incorporando práticas de consumo ao seu exercício<br />NéstorCanclini. Consumidores e Cidadãos<br />
  29. 29. Lucas Bambozzi, Mobile Crash (2009)<br />
  30. 30. O novo paradigma estético tem implicações ético-políticas porque quem fala em criação, fala em responsabilidade da instância criadora em relação à coisa criada, em inflexão de estado de coisas, em bifurcação para além de esquemas pré-estabelecidos e aqui, mais uma vez, em consideração do destino da alteridade em suas modalidades extremas<br />Félix Guattari, Caosmose<br />
  31. 31. Twt: @gbeiguelmanwww.desvirtual.com<br />

×